Presidente do Goiás explica novas cores do Serra Dourada e veto ao verde

21:05 0 Comments A+ a-


Alguns torcedores não gostaram da nova pintura do Estádio Serra Dourada, nas cores azul piscina, azul escuro e laranja. Por ser o clube financiador da reforma, dirigentes do Goiás foram cobrados para que o estádio fosse pintado de verde. Porém, por uma determinação do governo do Estado de Goiás, o presidente Marcelo Almeida disse que o clube não poderia tomar tal atitude.

“Se eu fosse escolher a cor que eu gostaria, era a cor verde. Isso é óbvio. Eu pintaria o Serra Dourada todo de verde. Mas o Serra Dourada não é um patrimônio particular do Goiás. Aquilo que eu gostaria de fazer, eu não posso fazer. Existiu uma cobrança dos órgãos competentes para que as cores do Serra não envolvessem interesse próprio. Eu não posso pintar de verde porque seria do interesse do Goiás. Também não pode envolver cores dos adversários. E também para quem não tivesse cor de partido político. Não preciso dizer quais. Então foram vetadas cores de clubes e partidos. Sobraria só o branco e as cores que estão lá", disse Marcelo Almeida

Além da pintura das arquibancadas, o Goiás também bancou a reforma dos vestiários, iluminação e de melhorias nas tribunas de dirigentes. A estreia da equipe no Campeonato Brasileiro está marcada para o dia 1º de maio, contra o São Paulo. Será o segundo jogo da equipe na competição, que antes enfrenta o Fluminense, no Rio, no Maracanã.

Tachões derrubam pelo menos 12 motociclistas em ciclofaixa de Aparecida de Goiânia

21:02 0 Comments A+ a-


Estrutura instalada para separar trânsito e resguardar ciclistas provocou acidentes em avenida Pelo menos 12 motociclistas se acidentaram na Avenida Benedito Silvestre de Toledo, no Jardim Riviera, em Aparecida de Goiânia, nesta terça-feira (16). O motivo das quedas foi a instalação de tachões (tecnicamente conhecidos como prismas catadiópicos) na ciclovia que está em fase de implantação na região. As estruturas foram fixadas na madrugada desta terça-feira (16) e pegaram de surpresa os condutores que trafegavam pela via.

A Superintendência Executiva de Mobilidade de Aparecida de Goiânia, que executa o programa Mobilidade Urbana, responsável pelas vias cicláveis, afirmou que a avenida conta com toda a sinalização vertical e horizontal necessária.

Por volta das 17 horas, o POPULAR flagrou o que os moradores do local afirmaram que seria o 12º acidente do dia. O auxiliar de produção Everton das Neves Souza, de 25 anos, tinha acabado de cair de sua motocicleta e aguardava a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu). Everton, que mora no Jardim Alto Paraíso, passa pela via todos os dias para ir para a casa da namorada, que reside na região. Ele não viu os tachões e acabou caindo quando a roda dianteira do veículo passou em um deles. “Não tem nada (avisando). Tinha de ter alguma coisa para o motorista saber dos tachões, porque eu não vi”, disse.

Toda a extensão da avenida já conta com a pintura das ciclofaixas e placas de sinalização. O trabalho vem sendo desempenhado, segundo a Superintendência de Mobilidade, há 15 dias. Contudo, a reclamação dos moradores é sobre os tachões que, até a última segunda-feira, não estavam na via. Os objetos não foram sinalizados e não contam com faixas reflexivas. Além disso, outro agravante é que as estruturas foram fixadas em apenas uma parte da rodovia. Segundo Everton, foi isso que ocasionou a sua queda. “Toda a pista está pintada, mas tem só a faixa branca, eu só vi que tinha tachões nesta parte quando eu encostei a roda em um deles. Aí o guidom já começou a tremer e eu bati em outro. Foi a hora que eu caí”, contou.

O engenheiro de trânsito e professor do Instituto Federal de Goiás (IFG), Marcos Rothen, declara que a ação foi um equívoco. “Aquilo é uma pegadinha. Se você muda a condição de uma via de repente, você tem de avisar para o motorista”, diz. “A prefeitura tinha de colocar placas avisando para o motorista, ainda mais porque é só em um pequeno trecho, que daqui a tantos metros a ciclofaixa vai virar ciclovia”, disse. Ademais, segundo ele, os tachões precisam de faixas reflexivas, já que eles são chanfrados. “Não tem problema colocar, mas precisa de sinalização e da faixa reflexiva, se não é irregular”.

Sobre a sinalização, a prefeitura afirmou que os prismas têm o chamado “olho de gato” e uma pintura especial que reflete a luz. Contudo, no local visitado pela reportagem, os tachões não contavam com o dispositivo refletor. Ainda segundo a prefeitura, a ciclovia ainda não está pronta e, dentro dos próximos dias, toda a extensão sinalizada como ciclofaixa receberá a fixação das estruturas. O projeto para implantação da via para ciclistas conta com 17 km de extensão, percorrendo diversos bairros de Aparecida, com destino final no Setor Garavelo. A Superintendência de Mobilidade também afirma que realiza estudos para apurar os acidentes.

Nova empresa de compartilhamento de patinetes elétricos chega a Goiânia

20:58 0 Comments A+ a-


A novidade, dessa vez, é poder realizar o pagamento em dinheiro

Desde a última terça-feira (16) a empresa de soluções de mobilidade urbana individual, Yellow vem oferecendo a opção de compartilhamentos de patinetes elétricos em Goiânia. Essa já é uma realidade que os goianienses conhecem, já que desde março passado a empresa Grin inaugurou este tipo de segmento na capital. 

A Yellow irá atender aos mesmos bairros que a Grin já disponibiliza seus veículos, região entre os bairros Setor Bueno, Setor Marista, Setor Bela Vista, Setor Nova Suiça e Setor Oeste. O valor também é o mesmo: R$ 3 o desbloqueio + R$ 0,50 a cada minuto de uso. “Nossa atuação em Goiânia começa com uma área total de 7,8 quilômetros quadrados. A intenção é ir crescendo aos poucos”, explica Marcel Bely, gerente de Relações Públicas da Yellow.

A grande diferença da empresa são as formas de pagamento. Enquanto a Grin disponibiliza apenas a opção do cartão de crédito cadastrado no app para quitar o valor, a Yellow oferece a possibilidade do pagamento em dinheiro. Para isso o usuário tem de comprar créditos em bancas de jornal e lojas espalhadas pela cidade, que vão receber o valor em espécie e transferir, na hora, o montante para o app do usuário, como já acontece com as recargas de celular.

Os patinetes estarão disponíveis todos os dias da semana das 6 às 22 horas em um dos pontos privados parceiros. São disponibilizados todas as manhãs os veículos nesses locais; já o usuário pode encerrar a corrida em um desses pontos ou em qualquer local da área de atendimento, contanto que tome cuidado para não atrapalhar o fluxo de pedestres. Os patinetes podem ser estacionados em vagas públicas e gratuitas, também utilizada por automóveis. Neste caso o patinete deve ser estacionado na perpendicular, da mesma forma que ocorre com as motocicletas. No final do dia a empresa recolhe os patinetes para recarga, manutenção e limpeza. E na manhã seguinte, os disponibiliza novamente para uso nos pontos privados.

Segurança

Os patinetes possuem buzina, farol noturno, luz indicadora de freio, indicador de velocidade e bateria, freio motor e mecânico, todos os requisitos previstor por lei. Eles podem circular nas calçadas com até 6km/h ou nas ciclovias e ciclofaixas com velocidade máxima de 20km/h.

As dicas para usar o meio de transporte de forma correta são: 

- Antes de sair, planeje o caminho.

- Use sempre o capacete bem preso à cabeça e ajustado adequadamente.

- Não trafegar com mais de 1 pessoa;

- Idade mínima de 18 anos para locação de equipamentos;

- Dê sempre preferência ao pedestre. Lembre-se: o pedestre é o mais vulnerável. É obrigação de todos cuidar da sua segurança.

- Não use celular nem fone de ouvido enquanto conduz o patinete. Esteja atento a sua condução.

- Respeite sempre os semáforos e as sinalizações de trânsito.

- Jamais conduza o patinete se houver ingerido álcool.

- Segure sempre o guidão com as duas mãos.

- Esteja atento a irregularidades nas vias, como buracos, bem como galhos e árvores que possam oferecer riscos no seu trajeto.

Outro ponto para garantir a segurança dos consumidores são os ‘Guardiões Yellow’ que circulam todos os dias da semana para mapear os patinetes, organizá-los, redistribuí-los estrategicamente e retirá-los para manutenção quando necessário, contribuindo, assim, para a melhor distribuição e posicionamento dos equipamentos pela cidade, além de apoiar os usuários e garantir as boas práticas.

Prefeitura de Goiânia abre licitação para dois viadutos e ponte

20:55 0 Comments A+ a-



Intenção administração municipal é iniciar obras ainda neste ano, todas sob a justificativa de aliviar o tráfego de veículos em razão do adensamento urbano, ao custo de R$ 46,8 milhões A solução para desafogar o tráfego de veículos do trânsito em três pontos que são gargalos em Goiânia vai ser proposta pela Prefeitura com a construção de viadutos e ponte. Já estão lançados três editais de licitação para a execução das obras viárias. A abertura dos envelopes está prevista para maio em todos os casos e se referem à construção de um viaduto sobre a BR-153, do Setor Leste Universitário ao Jardim Novo Mundo, o viaduto da Avenida Jamel Cecílio com a Marginal Botafogo e o prolongamento da Avenida dos Alpes com ponte sobre o Córrego Cascavel, na Região Sudoeste.

Ao todo, a previsão é que a Prefeitura gaste cerca de R$ 46,8 milhões para a realização das obras que constam na relação estimada em R$ 1 bilhão para novas construções na capital até o final do mandato de Iris Rezende (MDB). O viaduto sobre a BR-153 sairá da Rua 117, cujo trecho final existente hoje é utilizado como estacionamento público, tendo até mesmo pinturas que delimitam os espaços dos carros e também “vagas” para idosos e motoristas com deficiência, além de ter piso com pedras hexagonais e não com o asfaltamento padrão.

A obra será responsabilidade da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), apesar de entrar no domínio da União, já que a BR-153 é federal. O secretário da Seinfra, Dolzonan da Cunha Mattos, explica que o projeto do viaduto foi feito em parceria com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e, além disso, deve ser submetido à apreciação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Triunfo Concebra, concessionária responsável pela BR-153. A obra na Rua 117 não consta dentre as ordenadas pela ANTT para a empresa durante o processo de concessão.

No caso, a Triunfo deveria realizar dois viadutos em Aparecida de Goiânia e outro em Goiânia, na região do Aeroporto Santa Genoveva. Em relação à obra no Setor Leste Universitário, Mattos reitera que o local é de atribuição municipal e um antigo desejo, desde administrações anteriores, pela realização do chamado “viaduto da Celg”. O nome se dá porque a via passa ao lado da sede da, agora, Enel Goiás, que adquiriu a Celg em fevereiro de 2017. A Enel, no entanto, confirma que a área do viaduto é de domínio público, não sendo proprietária do espaço. Além disso, a Rua 117 hoje se encerra em um muro que fecha uma área da Saneago, localizada às margens da BR-153.

De acordo com a Saneago, a empresa informa que “não foi notificada da intenção da construção da obra do viaduto”. Considera ainda que “a área onde está localizado o Centro de Reservação Celg é da Saneago”. No entanto, o projeto que consta no processo de licitação não considera qualquer área para desapropriação. Mattos diz que a proposta é que a via seja construída fora da área de domínio tanto da Saneago quanto da Enel. Mas não haveria espaço para a passagem de duas vias entre os lotes sem a derrubada do muro.

O secretário afirma que já entrou em contato com a presidência da Triunfo Concebra para que a mesma receba o projeto e possa deliberar para que o mesmo seja realizado. “A nossa ideia é que todas as três licitações estejam prontas até o mês que vem e que possa ser aproveitado esse período de estiagem de agora para iniciar e finalizar”, conta Mattos. O projeto prevê que não será necessária a interrupção no tráfego da rodovia durante a realização da obra, que tem previsão de conclusão em 180 dias.

“Pode ser que, para montar a estrutura metálica, fique em meia pista, mas será rápido”, assegura. A obra vai permitir levar veículos entre os setores Leste Universitário e o Jardim Novo Mundo e a expectativa é que se diminua o congestionamento causado na rodovia com a Avenida Anhanguera.

Obra de 450 dias

Entre as três obras previstas para Goiânia, a mais demorada deve ser o viaduto da Avenida Jamel Cecílio com a Marginal Botafogo, com a previsão de duração em 450 dias, enquanto o viaduto da BR-153 e o prolongamento da Avenida dos Alpes estão previstos para serem finalizados em 180 dias.

Assim mesmo, o secretário da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), Dolzonan da Cunha Mattos, afirma que a obra deve ser iniciada mesmo sem o término da trincheira que está sendo construída na Avenida 136 com a Rua 90. Isso porque a 136 é a continuação da Jamel Cecílio e há bloqueio de tráfego na Rua 90 atualmente.

“Vamos aproveitar lá, não posso deixar terminar a trincheira para só depois começar o viaduto. Tem que fazer junto”, diz. A previsão é que a trincheira seja finalizada em novembro deste ano, enquanto que o viaduto só vai ficar pronto no segundo semestre de 2020. A construção prevê três níveis para o tráfego, com o elevado na Jamel Cecílio e o tráfego da Marginal passando por baixo.

Sem Melhorias: Passagem de ônibus de é reajustada para R$ 4,30

20:48 0 Comments A+ a-


A Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (CDTC) aprovou na manhã desta quarta-feira (17), o aumento da tarifa para R$ 4,30. A reunião foi, a portas fechadas, realizada no salão nobre do Paço Municipal. A imprensa não teve acesso. A decisão do aumento de passagem foi aprovada por 7 a 2 e já passa a valer a partir da próxima sexta-feira (19), a partir das 5h.

A Câmara é composta por 11 membros, destes apenas Euripedes Barsanulfo (Agência Goiana de Regulação-AGR) e o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, não compareceram a decisão.Entre os presentes, o deputado estadual Alysson Lima e o vereador Lucas Kitão foram os únicos contrários ao aumento das passagens.

O presidente da CDTC e prefeito de Trindade, Jânio Darrot, explicou que o aumento foi aprovado pelos órgãos de fiscalização e é um ato automático previsto em contrato.

“Em dezembro foi solicitado um aumento por parte das empresas a CMTC que fez os estudos técnicos e passou para a análise da AGR. A Agência de Goiana de Regulação do Governo de Goiás fez também os seus estudos e aprovou o aumento. A CMTC acaminhou o parecer para a CDC para que fosse então deliberado sobre o aumento que já deveria ter sido implantado no mês de dezembro, mas nós estamos discutindo uma série de melhorias no transporte como melhoria dos ônibus e no conforto dos passageiros durante os meses de janeiro fevereiro março e agora nesse mês de abril”, explicou Darrot.

Em 28 de fevereiro, o presidente da CDTC, disse à Sagres que o aumento de tarifa só seria aprovado depois da reestruturação do transporte. Hoje, depois da aprovação do reajuste, ele disse que "reunirá nos próximos dias “para deliberar sobre melhorias, condições e metas para que as empresas cumpram”, sem detalhar como isso será feito.

O presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), Benjamim Kennedy, em entrevista coletiva, explicou que um dos problemas é que a passagem é a fonte de recursos para o transporte público e a solução para melhores tarifas seria a desoneração do sistema

“Com a desoneração da tarifa nós teremos o custeio dos terminais que passaram para o poder público, o custeio do órgão gestor que passaria para o poder público e também da gratuidade que representa praticamente 23% do sistema. Idoso, portador de deficiência e demais pessoas que não pagam a tarifa do transporte coletivo são esses valores eles são todos sustentados pela tarifa atual”, explicou Kennedy.

Benjamim Kennedy sugere que além da passagem, outras fontes sejam implementadas dentro do sistema que poderiam vir do uso de veículo individual ou de estacionamentos.

Histórico dos valores das passagens de ônibus na Região Metropolitana de Goiânia

-2008 Passagem custava R$ 2,00

-2009 Passagem subiu de R$ 2,00 para R$ 2,25

-2010 Passagem ficou mantida em R$ 2,25

-2011 Aumento de R$ 2,25 para R$ 2,50

-2012 (Aumento de R$ 2,50 para R$ 2,70- valor começou a ser aplicado em 20 de maio)

-2013 (Congelamento do valor da passagem em R$ 2,70, oficializado em 19 de junho)

-2014 (Aumento de R$ 2,70 para 2,80- valor começou a ser aplicado em 3 de maio)

-2015 (Aumento de R$ 2,80 para R$ 3,30- valor começou a ser aplicado em 16 de fevereiro)

-2016 (Aumento de R$ 3,30 para R$ 3,70- valor começou a ser aplicado em 6 de fevereiro)

-2017 (Congelamento do valor da passagem em R$ 3,70, oficializado em 18 de maio e confirmado em 12 de junho)

-2018- (Aumento de R$ 3,70 para R$ 4,00- valor começou a ser aplicado em 24 de janeiro)

-2019 (Aumento de R$ 4,00 para R$ 4,30- valor começará a ser aplicado em 19 de abril)

Eixo Anhanguera

O prefeito de Goiânia entregou aos integrantes da CDTC uma carta de intenções assinada por ele e pelo governador Ronaldo Caiado (DEM)O prefeito de Goiânia entregou aos integrantes da CDTC uma carta de intenções assinada por ele e pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) que expressa a intenção de efetivar estudos para avaliar a viabilidade jurídica e econômica da rescisão amigável da concessão do Eixo e a necessidade de uma licitação para selecionar empresa que cará a frente do serviço. Na fundamentação da carta, é exposta a situação financeira da Metrobus, cuja crise estaria prejudicando a qualidade do transporte no Eixo Anhanguera.

Integrantes da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo:

-- Prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha

-- Prefeito de Goiânia, Iris Rezende

-- Prefeito de Trindade, Jânio Darrot representante dos demais prefeitos da Região Metropolitana (Presidente da CDTC)

-- Secretária de Estado de Meio Ambiente (que responde pela região metropolitana de Goiânia), Andreia Vulcanis

-- Secretário municipal de Planejamento e Habitação, Henrique Alves

-- Secretário municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade de Goiânia, Fernando Santana

-- Presidente da CMTC, Benjamin Kennedy

-- Presidente da Agência Goiana de Regulação, Eurípedes Barsanulfo

-- Deputado estadual Allysson Lima, representante da Assembleia Legislativa

-- Vereador Lucas Kitão, representante da Câmara de Goiânia

-- Vereador de Trindade representando as demais cidades

Fonte: Sagres 

Secretário anuncia construção de novo hospital para desafogar Materno Infantil

21:29 0 Comments A+ a-



O secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino Júnior, disse em entrevista coletiva realizada na manhã desta sexta-feira, 12, no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), que a nova gestão irá trabalhar na construção de um novo hospital, no intuito de desafogar a demanda do Materno infantil. Além disso, anunciou a ampliação da oferta de leitos pediátricos na unidade de emergência.

“Temos pautado nossa gestão sem perder o foco do usuário. No primeiro dia de governo, eu, o governador Ronaldo Caiado e o deputado Zacharias Calil (DEM) estivemos no Materno Infantil, às 11h da noite, e as condições que encontramos eram condições jamais imaginadas dentro de um hospital que é referencia em saúde infantil do Estado. Aquilo nos incomodou profundamente, e desde então, com o apoio do governador, do ministro, deputados estaduais e federais, temos trabalhado diuturnamente para mudar a realidade da pediatria no Estado”, declarou o secretário.

Na ocasião, esteve presente, também, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que anunciou a liberação de R$ 14,7 milhões de recursos federais para ampliar e qualificar a assistência em saúde no estado de Goiás.  A capital, por sua vez, vai receber R$ 1,5 milhão para reforçar a atenção à saúde da gestante, do bebê, e das pessoas com deficiência.

O secretário disse ainda, que viram no Materno Infantil a oportunidade de dar uma resposta rápida antes de construírem uma resposta definitiva, referindo-se ao novo hospital que está previsto para ser entregue nesta gestão.

“Há mais ou menos duas ou três semanas, foi noticiada uma fatalidade no HMI, as crianças estavam sendo atendidas no corredor por excesso de contingente de pacientes, agora, essas crianças passarão a ter dignidade no atendimento com essa ampliação de 55 leitos de pediatria, 45 de enfermaria e 10 de unidade de terapia intensiva”, pontuou Ismael.

O deputado Zacharias Calil usou a palavra para falar de sua luta na questão da pediatria no estado. “Entrei no serviço público em 1986, sempre estive no Materno Infantil e sempre falei para os nossos governadores que a pediatria encontrava-se esquecida, por isso chegamos aonde chegamos, em um ponto crítico”. O deputado afirmou, ainda, que o hospital está sem condições de atendimento, e reiterou o apoio da bancada federal nesta questão.

As medidas emergenciais para dar suporte ao HMI anunciadas, hoje, no Hugol entram em vigor imediatamente, e segundo o Diretor Geral da unidade, Hélio Ponciano Trevenzol, esses leitos irão melhorar a oferta de atendimento pediátrico humanizado para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), em Goiânia.

Pintura da arquibancada começa a dar cara nova ao Estadio Serra Dourada

21:21 0 Comments A+ a-


Estádio começa a ganhar cores mais fortes. Reforma é tocada pelo Goiás, por meio de acordo de cooperação, em várias frentes.

O Estádio Serra Dourada começa a mostrar sua nova cara para o torcedor goiano. Passando por reformas desde o final de março, a principal praça esportiva do Estado passa por modificações para receber jogos da Série A do Campeonato Brasileiro.

Com a competição batendo à porta (tem início daqui a 12 dias), as obras seguem a todo vapor para que tudo fique pronto para a estreia do Goiás em casa, diante do São Paulo, no dia 1º de maio, uma quarta-feira.

Até o momento, as arquibancadas já começaram a ser pintadas (nas tonalidades laranja e azul), a sala do VAR (árbitro de vídeo), que será obrigatório na competição deste ano, já está sendo construída, os vestiários estão sendo pintados e recebem melhorias (como iluminação e parte elétrica).

Além disso, os bancos de reserva estão sendo trocados, além da iluminação geral do estádio, que tem sido melhorada e testada - o índice de luminosidade precisa ser dobrado em relação ao que vinha apresentando. Segundo o presidente esmeraldino Marcelo Almeida, diferentes equipes estão trabalhando simultaneamente para que tudo fique pronto.

A reforma é bancada pelo Goiás, que estimou, antes do início da reforma, gastar R$ 600 mil nos reparos. O clube tocará a reforma por meio de acordo de cooperação, firmado entre o alviverde, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e a Procuradoria-Geral do Estado. O acordo foi publicado no Diário Oficial no dia 26 de março.

A estreia do Goiás no Brasileiro será no dia 28 de abril, mas fora de casa, contra o Fluminense.

Fonte: Jornal O Popular

Bar em formato de navio é inaugurado em Goiânia

21:15 0 Comments A+ a-


A proposta é para que o público se sinta dentro de um navio, fazendo uma viagem especial de cruzeiro

Decorado com a temática de navio e viagens de cruzeiros, o espaço chamado ‘Atlantic's Bar’ tem 480 metros quadrados de lounge com camarotes em formato de cabines e dois com ofurôs (que podem ser utilizados com agendamento do cliente). Localizado na avenida T-2, no setor Sol Nascente, o novo bar tem ainda espaço de hookah e oferece ao público diversão interativa e sensorial.

O objetivo da casa é oferecer uma experiência inédita. A proposta é para que o público se sinta dentro de um navio, fazendo uma viagem especial de cruzeiro. Para isso, o local oferece o coach beer, garçons com treinamento especial para indicar aos clientes as melhores opções em drinks e animadores para divertir a galera na pista de dança.

O menu de bebidas tem 12 drinques autorais, com nomes de mares e cidades paradisíacas. Durante a semana, sempre há apresentações de DJs, cantores e duplas. No espaço também são promovidos sunsets aos domingos iniciando às 18h.

Anápolis: Prefeitura terá aplicativo para resolver problemas em 24 horas

21:12 0 Comments A+ a-


Tapar buracos, reabastecer a farmácia municipal, fazer roçagem, eliminar focos do mosquito da Dengue, religar sinaleiros e trocar lâmpadas estão entre os serviços que a prefeitura de Anápolis pretende resolver em 24 horas. Em entrevista exclusiva ao Jornal A Redação, o prefeito da cidade, Roberto Naves, informou em primeira mão que lançará em maio um aplicativo que permitirá a população relatar problemas diretamente ao profissional responsável.

A ferramenta teve custo zero, já que foi desenvolvida pelos próprios funcionários do Programa Inovação da prefeitura. Chamado de ‘+Anápolis’, o app vai encurtar o caminho que uma demanda da população percorre até chegar ao órgão responsável. “O cidadão que passar por um buraco, por exemplo, pode fazer uma foto e enviar junto com a localização para o responsável já cadastrado no aplicativo. Aquela demanda vira uma ordem de serviço no tablet do motorista do caminhão que está fazendo o recapeamento. Nós tiramos do caminho dessa solicitação o prefeito, o secretário e o gerente”, explica Roberto Naves.

A ferramenta permitirá o acompanhamento da resolução do problema por meio de “balões coloridos” e em tempo real. “Se o buraco foi tapado em 24 horas, o balão fica azul e depois some. Se a demanda não for cumprida em 24 horas, o balão fica amarelo. Se em 48 horas o problema não for resolvido, o balão fica vermelho, o gestor da área recebe uma notificação e imediatamente entra em contato com o responsável da área”, detalha. 

Assim que o problema for resolvido, segundo o prefeito, o encarregado do serviço faz uma foto do trabalho e encaminha diretamente para o solicitante.

O app já está funcionando em fase de teste em 70 aparelhos. Ainda neste mês, a prefeitura pretende instalar o ‘+Anápolis’ em mil celulares. A ferramenta será colocada à disposição em sistemas operacionais IOS e Android a partir de maio. “A gente espera resolver os problemas da cidade de forma mais rápida e eficiente, dando o retorno necessário para a população”, finaliza Naves.

69 árvores de replantio na Avenida Goiás Norte estão com problemas

21:06 0 Comments A+ a-



Parte de mudas da compensação ambiental pela retirada de espécimes na passagem do corredor, entre a Perimetral Norte e a Avenida Eurico Viana, já morreu.

As obras do Bus Rapid Transit (BRT) Norte-Sul já foram responsáveis pela derrubada de 1.141 árvores ao longo do trecho de 22 quilômetros do corredor exclusivo do transporte coletivo e outras 1.306 foram plantadas no local e mais cerca de 5 mil em outros locais da cidade. No entanto, pelo menos 69 destas novas árvores já apresentam problemas, muitas já foram retiradas do plantio e outras estão com apenas um galho completamente seco, apresentando que estejam já mortas. Elas estão na Avenida Goiás Norte entre os cruzamentos com a Avenida Perimetral Norte e a Avenida Eurico Viana.

Neste mesmo espaço, a estimativa era de que 576 árvores tivessem sido plantadas, somando os dois sentidos da via. Ou seja, 12% delas já estão com problemas. Também neste trecho, os espécimes começaram a ser plantados entre 2016 e 2017 e a maior parte já possui entre 1,5 metro e 2 metros de altura. Embora não seja possível confirmar se todas as árvores que aparentam problemas estejam de fato mortas sem um laudo técnico, os aspectos de um único galho seco e sem qualquer broto, enquanto as demais estão com folhas bem verdes, demonstram que não estejam totalmente saudáveis, mesmo neste período chuvoso.

Em alguns dos casos, no entanto, há apenas os buracos nos canteiros em que haveriam mudas e em outros os próprios galhos secos já estão derrubados. Há ainda situações em que foram colocadas ripas de madeira na tentativa de segurar a árvore em pé, sem sucesso. Neste mesmo trecho, há apenas uma árvore já adulta, mas é possível que ela já estivesse no local antes da obra, pois há marcação de contagem em seu caule principal, o que indica que ela fazia parte do levantamento dos espécimes que seriam derrubado.

No restante da via, entre a Perimetral Norte e a Praça do Trabalhador, as árvores plantadas já estão em tamanho adulto e inclusive floresceram no ano passado. Secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, explica que todas as árvores que morreram serão substituídas. “Estamos atentos com essa situação. Na realidade, vamos plantar muito mais do que o previsto, estamos buscando parceria com a Amma (Agência Municipal de Meio Ambiente) para definir isso”, conta.

Diretor de Áreas Verdes e Unidades de Preservação e Conservação Ambiental da Amma, Ormando Pires, explica que o consórcio responsável pela execução do BRT já foi notificado com relação às árvores mortas na Avenida Goiás Norte e os técnicos da Prefeitura, de acordo com a espécie plantada, dá um prazo e define qual será a nova muda colocada no lugar. A reportagem apurou que as árvores mortas foram plantadas logo antes da paralisação das obras, em julho de 2017, e que, por isso, não tinha quem fizesse o cuidado e a manutenção das mudas, já que os funcionários do consórcio foram demitidos em razão da falta de recursos.

Lojistas fazem ações para manter clientes
Os empresários da Rua 90, que está com o tráfego de veículos parcialmente bloqueado desde o início do mês em razão da construção de uma trincheira no cruzamento com a Avenida 136 (uma das frentes do BRT), estão se reunindo e formalizando ações conjuntas para indicar aos clientes que eles continuam abertos e com capacidade de atendimento aos clientes mesmo nestas condições. 

Na manhã de ontem, um grupo ligado ao setor moveleiro, que se concentra na via entre a Praça do Cruzeiro e a Avenida 136, se reuniu com o prefeito Iris Rezende (MDB) para pedir sua presença em um evento que deve ocorrer no começo de maio. A ideia é mostrar que existe apoio para a obra no local e que os clientes estão conseguindo chegar até suas lojas e até mesmo estacionando os seus carros nos espaços destinados pelos lojistas.

“É um grupo de empresários favoráveis à obra, mas que também está preocupado com o seu desenrolar. Estamos fazendo uma associação informal para mostrar aos clientes que continuamos funcionando normalmente”, diz o empresário Agenor Braga. Ele conta que foi formado o grupo 90 Design que já adquiriu bandeirolas para colocar na frente às lojas e está promovendo um evento para a região. “Há outros lojistas, de outros segmentos, também imbuídos em fazer ações para mostrar a força do comércio, mas este é específico sobre o setor de móveis, que é forte na região.”

Segundo Braga, com a fala do prefeito e o andamento da obra foi possível perceber que existe a vontade de finalizar a construção no tempo estimado e, por isso, não se colocam contra a realização. Na semana anterior ao início da nova frente de serviços do BRT, moradores e empresários se reuniram no Paço pedindo o adiamento dos trabalhos para que os mesmos pudessem se preparar e que fossem dadas garantias de que a obra não seria paralisada, como em outros anos.

Pavimentação: Iris Rezende prepara R$ 1 bilhão em obras para Goiânia

20:57 0 Comments A+ a-



Grande parte será destinada à pavimentação

O prefeito Iris Rezende celebra relatório divulgado pelo Tesouro Nacional na segunda-feira (08/04) ao antecipar a informação de que a cidade evoluiu da nota C para a B e agora se torna uma das poucas localidades do país apta a captar empréstimos com aval da União. Com isso, a Prefeitura de Goiânia pôs fim ao principal entrave para viabilizar o recapeamento de 628 ruas em 107 bairros da Capital. Além de restauração de vias, até o final de 2020 o município já tem definido quase R$ 1 bilhão para investimentos em obras, incluindo pavimentação de 31 bairros.

Passível de contratualizar mais de R$ 4,9 bilhões, neste momento Goiânia pleiteia cerca de R$ 400 milhões para substituir 627 quilômetros de pavimentação que, com deficiências estruturais, já não respondem a reparos paliativos, a exemplo das intervenções conhecidas como “operações tapa-buracos”.

“Hoje a situação fiscal de Goiânia garante qualquer investimento até esse limite de R$ 4 bilhões”, diz o secretário municipal de Finanças, Alessandro Melo. “Aquilo que o prefeito Iris Rezende entender que a cidade precisa, do ponto de vista técnico e da realidade fiscal, depois de dois anos de muito trabalho, pode ser feito”, assegura.

Em 2018, a cidade alcançou nota C na Capacidade de Pagamento (Capag), portanto, abaixo da classificação necessária à captação de recursos tendo o Governo Federal como avalista. Agora, a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) aponta classificação A para Goiânia em dois dos três indicadores que compõem a análise: liquidez e endividamento.

Apenas no índice poupança corrente a cidade obteve nota B. No ano passado, a classificação nesse quesito era C. Aperfeiçoar o desempenho em relação a esse indicador é um dos objetivos da Secretaria de Finanças (Sefin) ao longo de 2019.

“No relatório da situação fiscal de entes federativos, divulgado pela STN, o pior desempenho de Goiânia era a ausência de liquidez”, diz o secretário. “Isso significa que Goiânia tinha mais dívidas na praça do que dinheiro para pagar”, explica. “Trata-se de um efeito direto do déficit mensal da ordem de R$ 31 milhões que foi revertido em 2018”, descreve. “Quando Goiânia passou a ter superávit, conseguimos melhorar a liquidez, que é o principal indicador da Capag”, pontua.

Crédito
Diante da Capacidade de Pagamento divulgada nesta segunda-feira, a Prefeitura de Goiânia solicitará à STN avaliação da operação de crédito junto à CAF (Corporação Andina de Fomento - Banco de Desenvolvimento da América Latina) a partir dos dados de 2018 e o encaminhamento do projeto de reconstrução asfáltica ao Senado Federal.

A aprovação pelos senadores é o último passo para liberação da transação. A meta é que o contrato de operação de crédito seja assinado até o final de junho e que as obras comecem já no segundo semestre, de acordo com o trâmite do processo licitatório.

“Com a situação da prefeitura organizada, e esse indicador da Capag é um grande resultado desse equilíbrio fiscal que o prefeito Iris Rezende vem buscando, agora é deslanchar os investimentos”, destaca o secretário de Finanças, Alessandro Melo. “A ideia é que, a partir deste ano, com a retomada da situação fiscal favorável, a capacidade de pagamento se reverta em benefícios para a cidade”, conclui.

No pacote de obras prioritárias à administração, com investimentos em torno de R$ 1 bilhão, destacam-se pavimentação asfáltica de todos os 31 bairros habitados que não possuem o benefício; a continuidade da Avenida Leste-Oeste; o prolongamento da Marginal Botafogo; a construção de um viaduto na confluência entre o Jardim Novo Mundo e Marginal Botafogo; a conclusão do Hospital e Maternidade Oeste; a sequência das obras do BRT e do parque Macambira Anicuns e 15 novos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis).

Fonte: A Redação

Obra do BRT ainda deve plantar 11 mil árvores na região do corredor em Goiânia

20:54 0 Comments A+ a-


Intervenção já foi responsável por derrubar 1.141 espécimes desde 2015 e 6.306 foram plantadas, mas Amma pede 17,1 mil novos exemplares.

Desde que as obras do Bus Rapid Transit (BRT) Norte-Sul começaram em Goiânia, em maio de 2015, 1.141 árvores, entre palmeiras (como os 100 exemplares cortados esta semana) e outras espécies, foram extirpadas ao longo dos 22 quilômetros de corredor exclusivo que contemplam a construção. Neste mesmo período, o consórcio responsável pela obra já replantou 1.306 espécimes ao longo do corredor e outras 5 mil mudas em locais diversos da cidade, de acordo com as empresas responsáveis, totalizando 6.306. Apesar de um número maior de replantio do que de retirada, faltaria ainda ao consórcio replantar quase 11 mil árvores pela cidade. 

A quantidade replantada está aquém do estipulado porque a compensação ambiental prevê 15 árvores repostas a cada 1 retirada, o que soma 17.115 espécimes. Os dados, no entanto, não estão referendados pela Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), que é quem firma o acordo de compensação ambiental. Mas este número já seria mais do que o previsto no projeto básico do corredor, em relação ao que deve ser plantado apenas ao longo da extensão do BRT. A estimativa é que novas árvores no corredor somariam 15.059, isso sem levar em consideração o replantio em outros locais.

Nesta mesma estimativa do projeto básico, 2.351 árvores seriam extirpadas entre os 22 quilômetros de obras, ou seja, ainda restariam 1.210 espécimes vegetais a serem derrubadas apenas para a passagem do corredor de ônibus em Goiânia.

No entanto, válido lembrar que ao menos uma dessas árvores será preservada. Isso porque, em 2016, uma lei municipal declarou como patrimônio histórico a gameleira da Avenida Goiás Norte com a Avenida Eurico Viana, no Setor Parque das Nações. Com isso, a obra teve de se adaptar e uma bifurcação nas pistas dos ônibus foi realizada.

Avenida Goiás Norte

Dentre as árvores já plantadas, a maior parte se encontra no trecho entre a Praça do Trabalhador e a Avenida Perimetral Norte, justamente onde as primeiras extirpações ocorreram, ainda em 2015. A retirada dos flamboyants que enfeitavam a via foi a primeira polêmica da obra do BRT. O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) contabilizou 169 árvores da espécie retirada da Avenida Goiás Norte à época. Além disso, constatou que não havia licença ambiental que indicasse a compensação pelos cortes nos vegetais.

O promotor da 81ª Promotoria de Justiça, Marcelo Fernandes de Melo, impetrou ação civil pública pedindo a paralisação das obras do BRT até que se tivesse a definição do projeto executivo da construção, contendo a licença ambiental adequada com a devida compensação. Houve pedido de liminar pela paralisação. Mas a justiça não deferiu a liminar e o caso segue a espera da decisão do mérito.

Em março de 2017, o Paço Municipal, já na gestão Iris Rezende (MDB), retomou as obras que estavam paradas desde outubro do ano anterior e abriu nova frente de trabalho. Iniciou a construção no trecho entre o Terminal Isidória e a Avenida Rio Verde. Os trabalhadores do consórcio chegaram a derrubar 141 árvores, a maioria paineiras, que ficavam no canteiro central da via, o que gerou críticas da população. Os problemas ficaram ainda piores porque já em julho do mesmo ano a obra do BRT teve nova paralisação.

A construção foi retomada após a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO), mas o acordo foi de que o trecho entre o Terminal Isidória e o Terminal Cruzeiro do Sul não fosse realizado no momento. A razão é que o local tem recursos do Orçamento Geral da União (OGU), sem contrapartidas municipais, e não pode ter modificações no contrato. Assim, não há definição sobre quando novas árvores serão replantadas nesse trecho.


Amma ainda vai definir áreas que receberão compensação da Rua 90

Na tarde desta quarta-feira (10), o presidente da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), Gilberto Marques Neto, esteve reunido com representantes do consórcio responsável pela construção do Bus Rapid Transit (BRT) Norte-Sul de Goiânia para discutir onde serão plantadas as árvores de compensação àquelas que foram derrubadas nesta última semana no trecho da Rua 90 entre a Praça do Cruzeiro e a Rua 115. 

Ao todo, 844 espécimes podem ser extirpados de todo o trecho entre a Praça Cívica e o Terminal Isidória e, pelos cálculos da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), cerca de 100 palmeiras que estavam ao longo da pista central, destinada aos ônibus, já foram retiradas. 

A Amma ainda vai definir, tecnicamente em quais locais da cidade serão necessárias a colocação de novas árvores. Além disso, já está prevista o plantio de espécies ao longo do próprio trecho, tanto no canteiro central quanto nas calçadas. Já está certo que a compensação ambiental do BRT Norte-Sul vai fazer parte do programa de reposição da vegetação em troca das árvores de jamelão que estão espalhadas pela cidade. 

A ideia deste programa é que se faça o plantio de espécies nativas do Cerrado ao lado dos jamelões e, quando esta nova árvore atingir a idade adulta, as espécies frutíferas serão retiradas. Isso porque os frutos dos jamelões, ao caírem nas ruas e calçadas e em contato com a água das chuvas, tornam o piso escorregadio, tornando os locais com riscos de acidentes e, assim, a ideia é que eles sejam trocados por espécies que não produzem frutos deste mesmo tipo ou parecido.

Os técnicos da Amma também confirmaram a constatação da Seinfra de que as palmeiras na Rua 90 estavam plantadas sobre o asfalto, apenas com uma fina camada de substrato. Com isso, a raiz principal não conseguia atingir o lençol freático e receber nutrientes, o que fazia com que as árvores não conseguissem crescer como o esperado.

Após a definição dos locais de plantio, o consórcio vai fazer a ação e apresentar relatório aos técnicos da Amma, que vão supervisionar se o trabalho foi feito e referendar se a compensação ambiental foi cumprida, na proporção estimada de 15 árvores plantadas para cada uma replantada. Não há um prazo para o cumprimento, podendo se estender até ao final da obra.

Palmeiras são retiradas para obra do BRT na Rua 90, em Goiânia

20:50 0 Comments A+ a-


Autorização permite a extirpação de até 844 espécimes, mas ação se deu apenas entre Praça do Cruzeiro e Rua 115 

O consórcio construtor do Bus Rapid Transit (BRT) Norte-Sul já realiza, há três dias, a retirada de palmeiras que estavam plantadas ao longo do corredor exclusivo do transporte coletivo da Rua 90. A autorização recebida pela obra junto à Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) permite a extirpação de até 844 espécimes, mas, neste primeiro momento, a ação será focada no trecho entre a Praça do Cruzeiro e a Rua 115, nas proximidades do Parque Areião. Ainda não se tem o cálculo de quantas árvores já foram retiradas do trecho específico.

Essa região já está sendo bloqueada para o tráfego de veículos em razão das obras de construção da trincheira da Rua 90 com a Avenida 136, na Praça Gibran Khalil. A obra teve início no começo deste mês e gerou transtornos no trânsito da capital em razão dos bloqueios.

A ideia de já fazer a retirada das árvores e iniciar as obras no trecho é justamente para que não se tenha que realizar novos bloqueios no tráfego em um momento futuro. “Estamos aproveitando que já está bloqueado para adiantar esse serviço. A ideia é que a Rua 90 seja já uma rua do BRT, revitalizada entre a Praça do Cruzeiro e a Rua 115”, disse o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos.

Compensação 
Mattos explica que a licença ambiental da obra, feita pela Amma, permitiu a retirada das árvores em razão de uma compensação ambiental. Assim, para cada espécime retirado o consórcio responsável pela obra deverá plantar outras 15 árvores em locais diferentes da cidade. Serão plantadas espécimes nas calçadas da Rua 90, em que serão utilizadas as palmeiras jerivá, segundo explica o secretário.

“Vamos revitalizar toda a Rua 90, com novas calçadas, iluminação, com as estações, mobiliário. E as árvores vão ficar nas calçadas. Vamos deixar a 90 como uma avenida pronta do BRT, como está sendo com a Avenida Goiás Norte”, diz Mattos.

O secretário conta que chamou a atenção dos técnicos o modo como as palmeiras estavam plantadas ao longo da Rua 90. Isso porque o plantio foi feito sob o asfalto. Ou seja, colocaram apenas uma camada de substrato em cima da rua e plantaram os vegetais. “Não enraizavam, por isso elas estavam tão murchas. Agora vamos plantar outras nas calçadas do jeito certo.”

Polêmica

A obra do BRT gerou polêmica em 2015 justamente na Avenida Goiás Norte, quando foi feita a retirada de todos os Flamboyants que enfeitavam o canteiro central da via. Situação parecida ocorreu em junho de 2017, quando mais de 100 paineiras foram cortadas do canteiro central da Avenida 4ª Radial. No último caso, o projeto está parado e sem data para ser retomado.

Empresas devem mostrar melhorias no transporte público antes de passagem subir para R$ 4,30

20:45 0 Comments A+ a-


Proposta, apresentada pelo deputado Lucas Calil (PSD), segue em processo de aprovação pelo relator, deputado Virmondes Cruvinel, na CCJ.

Antes que a passagem do transporte público suba para R$4,30 em Goiânia e Região Metropolitana, as empresas responsáveis devem divulgar uma lista de melhorias na prestação do serviço. Essa proposta foi apresentada na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) e segue em análise na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

De autoria do deputado Lucas Calil (PSD), o Projeto de Lei 1458/19 tem como justificativa “a necessidade de melhorias no transporte público, como determina a Emenda Constitucional nº 19. Além disso, os contratos de concessão devem estar atrelados à qualidade e bom provimento do serviço ao usuário, tais como: continuidade, regularidade, segurança, atualidade e generalidade.”

O objetivo, segundo o autor, é fazer com que a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) apresente um plano de melhorias e benfeitorias no transporte público, diante da possibilidade do aumento da passagem. Essa lista, ainda de acordo com a matéria, deverá ser divulgada em meio público e de relevância estadual para que ocorra o previsto aumento de R$ 0,30 na tarifa de ônibus.

A proposta aguarda aprovação do relator, deputado Virmondes Cruvinel (Cidadania), na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Reajuste na passagem no transporte coletivo em Goiânia

No dia 18 de março, os cálculos de reajuste da tarifa foram aprovados em uma reunião do Conselho Regulador da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização dos Serviços Públicos (AGR). Esses cálculos devem ser analisados pela CDTC e se aprovados, a passagem pode custar até R$ 4,30. Atualmente, a tarifa do transporte público custa R$ 4,00.

Sete dias após a aprovação do cálculo, no 25 de março, um grupo de deputados protocolou, junto ao Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), um requerimento contra o aumento da passagem de ônibus em Goiânia e na Região Metropolitana. A proposta é avaliada pela promotora Leila Maria de Oliveira.

Uma reunião da Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC) marcada para o dia 26 de março, para discutir e definir o novo valor da tarifa da passagem foi adiada pela segunda vez. A informação foi divulgada por meio de nota enviada à imprensa. Uma nova data ainda não foi definida.

Fonte: Dia Online

Pecuária de Goiânia 2019

12:00 0 Comments A+ a-

Pecuária de Goiânia 2019

Data: 18 a 27 de Maio de 2018
Local: Goiânia
Cidade: Goiânia - Goiás

Shows:

18/05 - Zé Neto e Cristiano -  Diego Victor Hugo
19/05 - Show Infantil
23/05 - Marília Mendonça - Maiara e Maraisa
24/05 - Ferrugem
25/05 - Show Recordações (Paraná - Matogrosso e Mathias - Gian e Giovani)

Ingressos: 

R$: 60 - Inteira
R$: 30 - Meia

Pontos de Vendas:

Online: Meu bilhete


Transferência do Terminal Isidória em razão do BRT gera insatisfação em Goiânia

19:57 0 Comments A+ a-


O terminal provisório será construído a cerca de 1 km do atual Terminal Isidória, pelo tempo necessário para reconstrução no novo terminal apropriado para o BRT.

A implantação do já quase lendário BRT em Goiânia, que já está em atraso, está gerando bastante polêmica entre os usuários do transporte coletivo na capital. Isso porque a execução do projeto vai exigir a transferência provisória do Terminal Isidória, no Setor Pedro Ludovico, para um local a 1 quilômetro dali.

Conforme apurado pela reportagem do Dia Online, o terminal provisório será construído no canteiro central da Alameda João Elias da Silva Caldas, cerca de 1 km do atual Terminal Isidória, pelo tempo necessário para reconstrução no novo terminal apropriado para o BRT. No entanto, a comunidade local não teria sido informada e não houve diálogo sobre os impactos de trânsito e ambiental que a região irá sofrer.

O departamento da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) responsável pelas obras e implentação do BRT foi contatado pela reportagem do Dia Online, e disse em nota que o canteiro que será usado para o terminal provisório será restaurado após ser usado e transformado em praça. Confira abaixo:

“O Consórcio responsável pelas obras do BRT informa que os trabalhos para  instalação do terminal provisório no Setor Pedro Ludovico já foram iniciadas e serão entregues em 60 dias. Na sequencia, a empresa inicia as obras de requalificação do Terminal Isidória, prevista para ser entregue no fim de 2020.

Vereador fará reunião para tratar da insatisfação da população quanto à transferência do Terminal Isidória por causa do BRT

O vereador de Goiânia Paulo Magalhães (PSD), representante do Setor Pedro Ludovico, informou por meio de sua assessoria que vai realizar nesta segunda-feira (8/4), a partir das 19h, uma reunião com moradores, comerciantes e representantes da CMTC, Prefeitura de Goiânia, Seinfra e das empresas do consórcio do BRT, para discutir a mudança provisória do Terminal Isidória para implantação do BRT. O encontro irá ocorrer na Alameda João Elias da Silva Caldas.

“Durante décadas, essa avenida ficou abandonada e a cerca de 11 anos conseguimos, com recurso próprio, revitalizar e construir os canteiros centrais. É um absurdo destruir esse espaço e, principalmente, sem comunicar a população local. Compreendo a importância do BRT para mobilidade urbana, mas não posso concordar em destruir uma praça, sendo que existem outros locais no setor para abrigar o terminal provisório”, declarou Paulo Magalhães.

O vereador ainda pretende apresentar à equipe responsável pela obra outras duas áreas no Setor Pedro Ludovico que podem abrigar o terminal provisório. E caso não haja entendimento, o vereador disse que vai exigir um acordo por escrito para que o consórcio do BRT, após terminar a construção do novo terminal, reconstrua e faça benfeitorias nas quatro ilhas da Avenida João Elias.

Fonte: Dia Online

Humorista Paulo Gustavo se apresenta em Goiânia com turnê 'Filho da Mãe'

19:48 0 Comments A+ a-


O ator e humorista Paulo Gustavo inicia no dia 6 abril uma turnê nacional com sua mãe, Déa Lúcia. Em Goiânia, a apresentação do musical 'Filho da Mãe' será no dia 13 de abril, às 21 horas, no Teatro Rio Vermelho. No palco, os dois vão cantar e contar as histórias de tantos anos de convivência. Os ingressos estão à venda a partir de R$ 50, pelo site.

Dividido por blocos temáticos, o espetáculo começa com standards de Bossa Nova, como ‘O Barquinho’ e ‘Lobo Bobo’, entre outras lembranças afetivas do passado musical deles, como ‘Faceira’, canção de Ary Barroso que Paulo gostava de ouvir a mãe cantarolar na infância. Os dois também vão interpretar hits de boate, cada um de sua época. É quando se misturam sucessos de Wanderléa (‘Pare o Casamento’) com Anitta (‘Bang’) e Preta Gil (‘Sinais de Fogo’).

O espetáculo ‘Minha Mãe é Uma Peça’, também do humorista, ficou nacionalmente conhecido e segue em cartaz até hoje para milhares de espectadores. A personagem e o texto foram inspirados em sua mãe, que também conquistou seus fãs com pequenas participações em projetos do filho.

Serviço: 

Assunto: Espetáculo "Filho da Mãe", do Paulo Gustavo 

Data: 13/4
Horário: 21 horas 
Local: Teatro Rio Vermelho (Goiânia)
Ingressos: A partir de R$ 50, pelo site

Fonte: A Redação

Avenida T-63 supera crise e volta a atrair negócios

19:44 0 Comments A+ a-


Empresas procuram espaços para locação ou compra na avenida, onde comerciantes viram estabelecimentos serem fechados durante a crise e hoje já assistem à chegada de novas lojas.

Assim como outras regiões comerciais de Goiânia, a avenida T-63 sentiu muito fortemente os efeitos da crise econômica que se acentuou em 2015, quando várias empresas baixaram as portas e seus espaços receberam placas de locação de imobiliárias. Alguns imóveis ficaram fechados por mais de dois anos. Mas, hoje, com as melhores perspectivas econômicas do País, essa realidade está mudando, para melhor. E as placas, aos poucos, estão sendo substituídas por novas fachadas de empresas de todos os portes.

Dezenas de imóveis ainda estão com placas de locação na avenida, mas algumas novas e grandes construções já estão ajudando a mudar a paisagem comercial na T-63. Um bom exemplo é o espaço onde funcionava o antigo prédio do McDonald’s, que se mudou para outro ponto na mesma avenida. No fim do ano passado, o terreno passou a ser ocupado por uma grande loja do Oba Hortifruti Farm. 

Quem passa pela avenida com frequência também já deve ter notado uma grande loja da rede Kalunga, maior varejista de material escolar, papelaria, suprimentos para escritório e informática do País, na esquina da T-63 com a avenida T-4. Bem próximo dali, uma das construções mais imponentes é, sem dúvida, uma loja gigante da marca Petz, o maior pet shop do Brasil, que está se instalando na avenida.

Entre o início da T-63, onde ela se encontra com a avenida Circular perpendicularmente, e a Praça Nova Suíça, já existem poucos espaços disponíveis para locação. Até mesmo grandes áreas, com alto valor de locação e que ficaram muito tempo fechadas, já estão sendo reocupadas por novas empresas. O terreno que antes abrigava a Localiza, em frente a Praça Nova Suíça, com milhares de metros quadrados, já está locado para a instalação de uma futura unidade da rede de lanchonetes Burguer King, por cerca de R$ 40 mil.

A coordenadora comercial de Locação da imobiliária Brasil Brokers, Priscila Leão, confirma que houve um aumento da velocidade de locação na avenida, de meados do ano passado pra cá, inclusive para imóveis de valor mais alto. “Durante a crise, tivemos casos de imóveis que ficaram mais de dois anos fechados. Hoje, já temos o caso de um ponto comercial que foi locado recentemente, depois de ficar apenas 15 dias fechado. No local, será aberta uma loja de móveis”, conta. Ela atribui isso à maior confiança na economia.

Para a empresária Rúbia Bueno Vieira, proprietária de três espaços comerciais na avenida, outra grande barreira à locação foi a falta de vagas para estacionamento, depois da criação do corredor exclusivo para ônibus. “Como tenho estacionamento na porta, meus pontos nunca ficaram vagos”, garante. Ela conta que já viu muitas lojas que tiveram que se mudar da avenida por causa da falta de estacionamento para os clientes. Rúbia lembra que os comerciantes da região da Praça do Chafariz também viveram outro período de crise na época da construção do viaduto, quando muitos proprietários foram obrigados a fazer acordo com os inquilinos e reduzir o valor do aluguéis.

O vice-presidente do Sindilojas-Goiás, José Carlos Palma, diz que já está mais difícil encontrar os melhores pontos comerciais desocupados. “Alguns espaços que ficaram muito tempo fechados já estão sendo alugados”, destaca.

Foto: DR. One

Aparecida de Goiânia: Aparecida é Show 2019

22:01 4 Comments A+ a-

Aparecida de Goiânia


Data: 08 a 12 de Maio
Local: Centro Cultural Jose Barroso
Cidade: Aparecida de Goiânia

Shows: 

08/05 - Isadora Pompeo (Show Gospel)
09/05 - Gusttavo Lima
10/05 - Gabriel Diniz
11/05 - Naiara Azevedo
12/05 - Leo Magalhães

Ingressos: 

Portões abertos todos os dias (gratuito)

Realização: Prefeitura de Aparecida de Goiânia

Projeto que obriga empresas a instalarem ar-condicionado em ônibus de Goiânia é aprovado

21:54 0 Comments A+ a-


Proposta, acatada em primeira votação, estabelece um ano para que o aparelho seja colocado em 50% da frota e dois anos para que sejam contemplados 100% dos coletivos de passageiros As empresas que operam o transporte coletivo em Goiânia podem, em breve, ser obrigadas a instalar aparelhos condicionadores de ar nos ônibus em circulação. Um projeto de lei com essa finalidade foi aprovado em primeira votação na sessão desta quarta-feira (3) na Câmara de Goiânia.

O projeto estabelece prazos para que as empresas adequem suas frotas à exigência legal: um ano para que o aparelho seja colocado em 50% da frota e dois anos para que sejam contemplados 100% dos coletivos de passageiros.

A proposta, de autoria da vereadora Tatiana Lemos (PCdoB), prevê que a empresa que descumprir com a exigência será, inicialmente, advertida. A punição pode chegar a dez vezes o salário mínimo, proibição de participar de licitação para prestação de novos serviços de transporte coletivo e, finalmente, perda da concessão.

Durante a sessão desta quarta, a vereadora lembrou que "os usuários sofrem com as altas temperaturas da região, ou seja, o ar-condicionado deixa de ser um artigo de luxo para atender uma necessidade".

Iris sobre privatizar Metrobus: Vamos acabar com a anarquia que está aí

21:47 0 Comments A+ a-


Discussões com governo estão avançadas

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, afirmou que tem intensificado as conversas com o governador Ronaldo Caiado para agilizar o processo de privatização da Metrobus, responsável pelo Eixo Anhanguera. "Meta é resolver essa anarquia que está aqui há alguns anos."

Em entrevista exclusiva ao jornal A Redação, Iris definiu o Eixo Anhanguera como "maior gargalo do transporte coletivo" atualmente e enfatizou que o assunto merece atenção. 

O prefeito comentou que o problema surgiu anos atrás, a partir do momento em que governo estadual assumiu a concessão da linha de ônibus, que liga. Atualmente, opinou, faltam ônibus para transportar a quantidade de pessoas que dependem do Eixo. “Aquilo que se vê ali é um desrespeito. É uma agressão à sensibilidade humana, então não adianta discutir se o problema está aqui, falta ônibus do Eixão.”

Conforme destacou ao AR, a ideia é que o governo estadual abra mão da concessão do Eixo Anhanguera e transfira a responsabilidade para o município. “E a prefeitura abriria uma licitação para privatizar", completou ao destacar que a principal exigência será a aplicação de melhorias imediatas e que impactem positivamente a vida dos usuários do transporte

Fonte: A Redação

Companhias aéreas ainda não têm definição sobre rota internacional no Santa Genoveva

21:42 0 Comments A+ a-


Representantes de órgãos federais visitaram o Santa Genoveva para avaliar se o aeroporto pode ampliar operações; por parte das companhias, não há previsão de novas rotas Apesar de o governo federal ter iniciado o processo para a internacionalização do Aeroporto Santa Genoveva, as companhias aéreas ainda não têm definição sobre a operação deste tipo de voo em Goiânia.

De acordo com a Gol, a iniciativa representa um passo importante para o setor, pois deve fomentar o turismo local e ampliar a oferta aos clientes. Entretanto, no momento, a empresa não tem previsão de novas operações no aeroporto de Goiânia.

A Latam Airlines Brasil afirma que os voos são constantemente avaliados conforme a demanda de cada região. Apesar de ver com bons olhos a mudança, a Azul não tem planos para realizar voos internacionais a partir de Goiânia.

Ontem, equipes da Polícia Federal, Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento realizaram visita técnica ao aeroporto para avaliar se o terminal tem estrutura para receber os órgãos necessários para ter pousos e decolagens internacionais. A aprovação destas instituições é apenas o passo inicial do processo.

Está marcado para a próxima sexta-feira (29) a visita dos técnicos da Receita Federal.

Superintendente do Aeroporto Santa Genoveva, Antônio Sales acompanhou a visita de ontem e explica que os técnicos percorreram o aeroporto e alguns se mostraram satisfeitos. “Polícia Federal e Agricultura voltarão com uma equipe mais específica. Hoje, já somos contingência para Brasília, mas, no máximo, a aeronave abastece. Não podemos fazer o processo de imigração. Saímos à frente em um processo que deve ter um bom desfecho. O resultado da visita foi positivo”, afirma.

A reportagem também entrou em contato com a Avianca e Passaredo, mas, até o fechamento, não houve retorno.

Negociação

Titular da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Wilder Morais afirma que a busca por empresas para operar voos internacionais vai acontecer no momento em que a internacionalização do aeroporto for efetivada. “Isso ocorre por causa de trâmites burocráticos. Mas nós já fomos informados pela Infraero que, antes mesmo de anunciarmos oficialmente a internacionalização, uma empresa já protocolou intenção de operar voos internacionais regulares por Goiás.”

Ontem à noite, Wilder participou de reunião com o Diretor de Operações e Serviços Técnicos da Infraero, Brigadeiro André Luiz Fonseca e Silva. Segundo o secretário, a questão com as superintendências locais está praticamente resolvida e, agora, deve investir nas reuniões em Brasília. “Com isso, Goiás entra na rota internacional. Em seguida, vamos trabalhar com as companhias internacionais para termos mais voos”.

Governo de Goiás e Iphan discutem trabalhos de revitalização da Praça Cívica

21:39 0 Comments A+ a-


Reunião foi realizada nesta segunda (25/3)

Em reunião com a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Goiás (Iphan), Salma Saddi, o governador Ronaldo Caiado apresentou, nesta segunda-feira (25/3), a ideia de revitalizar a Praça Cívica, em Goiânia. A discussão, que contou também com a participação de representantes da Prefeitura de Goiânia, foi realizada no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

O objetivo do Goveno de Goiás é elaborar ações conjuntas para revitalizar e acolher moradores e visitantes no espaço. O governador Ronaldo Caiado quer unir forças para “apresentar o bem público corretamente ao povo”. Caiado frisou que "zelar pela conservação da praça ou de qualquer outro patrimônico cultural é obrigação dos gestores em todas as esferas, para que as pessoas possam conviver com sua própria história".

“Vamos recuperar todo o patrimônio, independente de quem o tenha feito. Quero total sintonia por parte de nossos secretários, a exemplo da sintonia que tenho com o prefeito. Temos que ter a noção maior da história de Goiás e de que aquilo que é do Estado precisa ser preservado”, afirmou.

A ideia de propor a reunião é fruto de um passeio do governador, no dia 17 de março, à Praça Cívica. A atividade já virou rotina de Caiado e Gracinha, quando dispõem de tempo livre em sua agenda. 

O presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), Aristóteles de Paula destacou a relevância desse trabalho integrado entre Estado e municípios. “Essa proximidade não é tão comum, por isso ficamos muito felizes. A Prefeitura tem total compromisso com o projeto de dar vida à Praça Cívica. Ter um governador que fica observando o que está acontecendo na Praça é um diferencial”. 

Também participaram da reunião, os secretários de Estado Rafael Rahif (Esporte), de Cultura (Edival Lourenço), coronel Newton Nery de Castilho (Casa Militar); os secretários municipais Fernando Santana (SMT), Gilberto Martins (Meio Ambiente) e de Cultura (Kleber Adorno); o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Mateus; e os superintendentes major Queren Hapuque de Leles (Administração do Palácio das Esmeraldas) e Azor Henrique Mendonça Ferro (Patrimônio Histórico e Artístico).

Fonte: A Redação
Foto: La do Alto

Quais são os melhores e mais valorizados bairros de Goiânia?

21:32 0 Comments A+ a-



Escolher um bairro bom para morar ajuda a evitar diferentes transtornos. Para essa escolha, os critérios variam conforme os interesses da pessoa ou família, mas alguns fatores são fundamentais. Por exemplo, é importante escolher um bairro seguro, com baixo índice de criminalidade e que conte com recursos que garantam maior segurança aos moradores.

Outros critérios envolvem a proximidade com hospitais, instituições de ensino, o local de trabalho, as áreas verdes (como parques e praças arborizadas que ajudam a melhorar a qualidade de vida) e os pontos comerciais em geral. Também é interessante observar a infraestrutura do local, verificando pontos como rede de água, de luz, de esgoto, acessibilidade e transporte público.

A seguir, listamos os melhores e mais valorizados bairros de Goiânia!

Jardim Goiás

O bairro está localizado em uma das regiões mais valorizadas da cidade e sua infraestrutura é privilegiada. Jardim Goiás fica perto de hipermercados, shoppings centers, bares, restaurantes e parques.

Alguns pontos estratégicos dos quais o bairro fica próximo são o Shopping Flamboyant, o Autódromo Internacional de Goiânia e o Estádio Serra Dourada.

Uma de suas limitações é que não existem tantas escolas e academias quanto poderia ter.

Setor Bueno

É o segundo maior bairro da cidade. Reúne diversas opções de lazer, comércio e cultura. O bairro oferece boa qualidade de vida e exibe elevadas construções e praças muito bem conservadas.

Um destaque especial é a sua estrutura educacional, pois apresenta muitas escolas do ensino fundamental, médio e pré-vestibular.

É uma região que se destaca também pela grande quantidade de empreendimentos imobiliários. Trata-se de um bairro moderno e dinâmico, que certamente agrada a maior parte dos moradores.

Um dos problemas no Setor Bueno é o intenso tráfego nas ruas, principalmente nos horários de pico — uma consequência das muitas opções que oferece, atraindo um grande público.

Setor Marista

O Setor Marista também é um dos melhores bairros de Goiânia. Tem acesso facilitado pelo Jardim Goiás, Setor Bueno e Nova Suíça. É uma das zonas mais nobres da capital, com os melhores restaurantes de Goiânia.

São diversas opções de entretenimento e um estilo de vida cosmopolita, com pessoas de diferentes origens e hábitos.

O trânsito também costuma ser difícil nos horários de pico e alguns moradores podem não gostar muito dos ruídos no polo gastronômico.

Setor Oeste

Esse bairro se localiza entre dois locais especiais: o Lago das Rosas e o Bosque dos Buritis. É uma região que se destaca por suas áreas verdes. A Praça Tamandaré é um ponto turístico e histórico de todo o estado.

No mês de dezembro, o Setor oeste torna-se uma dos bairros de Goiânia mais atraentes por causa da decoração aprimorada.

A maioria dos bancos e hotéis da capital está concentrada nessa região, fato que contribui para valorizá-la mais ainda.

O bairro também conta com um jardim zoológico que compõe o conjunto de áreas verdes. Tem lagos e diferentes espécies de mamíferos, répteis e aves, como o lagarto-rabo-de-macaco, a garça-branca-grande, o macaco-aranha, a tartaruga marinha e o maracanã-de-cara-amarela (maracanã-do-buriti).

O Setor Oeste data da década de 50, apresentando prédios mais antigos. Os imóveis mais antigos trazem um valor de condomínio bem mais alto, o que pode onerar o orçamento familiar.

Setor Sul

Região projetada pelo arquiteto Armando de Godoy e que faz parte da construção histórica do estado. Armando inspirou-se nas cidades-jardins europeias, dando ao bairro traços residenciais. Para as pessoas que apreciam convivência harmônica e espaços com sombras, esse pode ser o melhor bairro de Goiânia para morar.

Tal como o Setor Oeste, ele também apresenta edificações antigas que sofreram a ação do tempo. Mas, mesmo assim, algumas vielas e praças conservam a beleza do projeto de Armando.

Setor Universitário

A denominação é decorrente da grande quantidade de instituições universitárias que existem na região. Por esse motivo, trata-se de um bairro muito frequentado por estudantes, que também formam boa parte de sua população.

O Setor Universitário oferece atrações para todas as idades. Na Praça Universitária, acontecem eventos culturais e musicais que dão destaque aos artistas locais e de todo o país.

Em relação aos bairros de Goiânia citados acima, a infraestrutura da região não é tão boa.

Parque Amazônia

A infraestrutura é o destaque principal desse bairro. Mesmo apresentando um comércio intenso, ele não sofre com um trânsito desorganizado, marcado pelo congestionamento. Existe rota de ônibus, bons hospitais e concessionárias de marcas famosas.

O comércio conta com hipermercados, excelentes bares e restaurantes, clubes, academias, clínicas de estética e muitos outros tipos de empresas. O Shopping Buriti é um destaque nesse cenário.

Também exibe ótima área verde, representada pelo Parque Cascavel, que contribui para valorizar ainda mais a região.

O Parque Amazônia fica perto da Avenida Rio Verde. Essa avenida liga pontos importantes de Goiânia.

Jardim América

É um dos maiores bairros de Goiânia, localizado na região sul da cidade. Faz divisa com outros bairros nobres, como Nova Suíça, Parque Amazônia, Jardim Atlântico e Setor Bueno.

É um bairro com boa acessibilidade para diferentes pontos da cidade. Por isso, as pessoas aproveitaram para abrir diferentes negócios e famílias da classe A escolheram a região como local para morar em suas luxuosas mansões.

A infraestrutura satisfaz todas as necessidades dos moradores. Existem muitas praças com estrutura de lazer, como a Praça Santos e a Praça de Esportes. A Feira do Cepal é um local muito procurado pela população para fazer compras. Existem ainda farmácias, hipermercados, lojas diversificadas, campos de futebol e outras coisas.

Nova Suíça

O bairro surgiu como um conjunto habitacional na década de 70. É composto por 55 quadras no total, ficando entre os bairros Jardim América (a oeste), Parque Amazônia (ao sul), Bela Vista (a leste) e Setor Bueno (ao norte).

Uma característica especial é que ele se trata de um bairro predominantemente residencial. Mas fica próximo de shoppings centers, bares, hospitais e escolas do Setor Bueno.  

Está bem perto do Parque Vaca Brava, um dos pontos turísticos mais importantes da cidade. Na verdade, ele se chama Parque Sulivan Terrestre e possui 79.800 metros quadrados. No parque, há um grande lago e um pequeno bosque com espécies nativas de fauna e flora. Vaca Brava era o nome da fazenda em cuja área foi construído o parque.

O que achou do post? Gostou de conhecer os melhores bairros de Goiânia? Então, aproveite e curta a página da URBS Imobiliária no Facebook!

Fonte: URBS