Reforma no Serra Dourada custará R$ 600 mil e será bancada pelo Goiás

21:28 0 Comments A+ a-



Estádio não receberá jogos até o Brasileirão

á pensando nos jogos da Série A do Campeonato Brasileiro, o Goiás Esporte Clube se comprometeu a realizar as obras de reforma do Estádio Serra Dourada, em Goiânia. Os trabalhos devem começar na próxima semana."Nos prontificamos a arcar financeiramente pois vamos participar de um campeonato de elite. Vamos fazer o possível para proporcionar um mínimo de conforto", afirmou o presidente do clube, Marcelo Almeida. A ação emergencial é uma medida para evitar que os jogos do time goiano sejam levados para outra cidade durante o Brasileirão.

A assinatura do termo de cooperação com a doação do clube goiano foi realizada nesta sexta-feira (22/3) na Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, com sede no estádio Serra Dourada. Na ocasião, o secretário de Esporte do Estado de Goiás, Rafael Ângelo do Valle Rahif, e o presidente do Goiás Esporte Clube oficializaram a parceria. 


"Nós fizemos uma análise no local e percebemos que tínhamos uma praça esportiva completamente comprometida para a prática do futebol. Diante da situação do Estado, o Goiás se prontificou a ajudar financeiramente e, após vários dias de trâmites legais, assinamos o termo e vamos tentar proporcionar mais conforto para os torcedores e para as equipes visitantes no Campenato Brasileiro,” afirmou o presidente do clube.

As obras de reforma no estádio, orçadas inicialmente em R$ 600 mil, serão conduzidas pelo Goiás. Não haverá transação financeira com o Estado."Vamos priorizar alguns setores como vestiários, bancos de reserva e iluminação. É muita coisa para pouco tempo", comentou Marcelo Almeida.

De acordo com secretário, o termo de cooperação assinado entre as partes vai atender todas as exigências da CBF e Corpo de Bombeiros. "Algumas coisas solicitadas já foram resolvidas e outras são coisas pontuais e pequenas, que serão realizadas no transcorrer das ações desenvolvidas no estádio até o dia 27 de abril". 

Contrapartida
De acordo com o secretário de Esporte, o termo inclui redução do percentual de cobrança no aluguel do estádio para o Goiás. "Entre outras coisas que se tornarão públicas muito em breve", completou. O secretário explicou ainda que o governo realizou um levantamento do que é necessario e estuda uma forma de colaborar com as reformas do estádio.

"O governo anterior terminou no dia 1° de janeiro. Antes disso tinhamos apenas informações, não dava para fazer nenhuma previsão do que seria necessário fazer. Não esperávamos encontrar  o estádio da forma que encontramos. Estava muito diferente do que imaginávamos. Acho que com 60 dias conseguiremos fazer alguma coisa", afirmou Rafael Rahif.

Sem jogos até o Brasileirão
Quanto aos jogos da final do Goianão, caso algum time da capital chegue à decisão, o secretário afirmou que o estádio será interditado. "Estamos preparando o Estádio Olímpico para que seja a segunda praça para os jogos aqui em Goiânia. Mas até dia 27 de abril estaremos prontos para receber o Brasileirão," garantiu o secretário. 

"Não temos uma noção do que pode vir pela frente, mas acredito que com esse valor - R$ 600 mil - seja possível fazer as ações necessárias e exigidas pela CBF. Quando inicia uma obra, uma reforma, não sabe quando vai terminar e o transtorno que vai causar. Pretendemos fazer o melhor", concluiu o presidente Marcelo Almeida. 

Nova sede da Assembleia Legislativa deve ficar pronta em 2022

21:12 0 Comments A+ a-


Deputados fizeram visita ao canteiro de obras na manhã desta quarta-feira (27) A obra da nova sede da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás deve ser entregue em pouco mais de três anos e deve custar R$ 114 milhões, o dobro do valor estimado inicialmente, que era de R$ 54,4 milhões. De acordo com o atual presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB), o objetivo é economizar R$ 5 milhões por mês e repassar esse valor para o fundo da obra, o que pode diminuir o tempo de construção para 30 meses, pouco mais de dois anos e meio.

Os deputados fizeram visita ao canteiro de obras da nova sede na manhã desta quarta-feira (27), localizado no Park Lozandes, próximo ao Paço Municipal. “A obra foi orçada em R$ 137 milhões e licitada em R$ 114 milhões. Hoje, temos R$ 27 milhões em caixa. Adiantar a entrega vai depender do fluxo de caixa, mas vamos economizar para investir”, disse o presidente.

A obra foi iniciada em 2005 e paralisada pela primeira vez em 2007. A construção foi retomada apenas em 2013, mas foi interrompida novamente em 2015 e segue parada desde então. Vale lembrar que ao ser retomada em 2015, o contrato sofreu aditivo e o valor passou de R$ 54,4 milhões para R$ 95 milhões, dos quais já foram pagos R$ 24,4 milhões.

Planta

A nova sede da Assembleia terá área total construída de 44.528,71m², composto por quatro setores e sete pavimentos. A obra conta com um auditório com capacidade para 629 lugares, três miniauditórios com 341 lugares cada, um refeitório para 108 pessoas e uma lanchonete.

O projeto prevê um saguão principal, que dá acesso ao plenário, com galeria para 222 lugares. O estacionamento externo terá capacidade para receber até seis ônibus, 436 vagas cobertas para automóveis e 502 vagas sem cobertura. 

Prefeitura anuncia obras em cinco parques de Goiânia

20:47 0 Comments A+ a-


Ação envolve podas e restauração de calçadas

A Prefeitura de Goiânia informou que está realizando obras em diversos parques da capital. Os trabalhos são realizados simultaneamente nas unidades de conservação da Lagoa (Parque Industrial João Braz), Vaca Brava (Bueno), Areião (Padro Ludovico), Carmo Bernardes (Parque Atheneu) e Taquaral (Goiânia Viva). 

A ação envolve a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) e a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg). Após a conclusão dessas obras, a previsão da prefeitura é de ampliar os serviços para todas as áreas verdes da capital.

Segundo o presidente da Amma, Gilberto Marques Neto, os serviços consistem na recuperação dos calçamentos, bancos, lixeiras, parquinhos, estações de ginástica, além de podas, roçagem e replantio de árvores nativa do Cerrado. “Conforme o cronograma que estabelecemos, todos os 42 parques da Capital serão contemplados”, disse, acrescentando que nos parques Cascavel (Parque Amazônia), Fonte Nova (Jardim Fonte Nova), Leolídio di Ramos Caiado (Goiânia II) e Nossa Morada (Residencial Nossa Morada) os trabalhos já foram realizados.

No caso do Parque Areião, de acordo com o presidente da Amma, a Vila Ambiental, que é utilizada para realização de ações de educação ambiental com estudantes de Goiânia, já foi revitalizada. “Os trabalhos agora avançaram para o restante da unidade de conservação e em breve entregaremos à população o parque totalmente revitalizado”, completa. Gilberto Marques Neto comentou ainda que o lago do Parque Carmo Bernardes está passando por desassoreamento.

Nesta semana, outras unidades de conversação estão recebendo manutenções, como o Vaca Brava, onde a pista de caminhada e o parque infantil estão sendo totalmente reformados. No local, servidores da Comurg também estão implantando um novo paisagismo na área do parque. Além do Vaca Brava,  o parque Taquaral também recebe intervenção, que é a retirada da ponte da unidade de conservação que estava com a estrutura condenada. “O local foi sinalizado nos dois lados para evitar que os frequentadores se acidentem e uma nova ponte será instalada no local”, sublinha Gilberto Marques Neto.

Fonte: A Redação

Reforma da Rua do Lazer, em Goiânia, deve começar em 15 dias

20:45 0 Comments A+ a-


Programada para ser iniciada em fevereiro, a revitalização da via para pedestres na Rua 8, Centro de Goiânia, teve projeto reavaliado e necessidade de retirar quiosques Ainda vai levar mais 15 dias para o início das obras de revitalização da Rua 8, no Centro de Goiânia. Conhecida como Rua do Lazer, a via pública é a primeira da cidade que não permite a passagem de veículos automotores e sua reforma faz parte do projeto Reviva Goiânia, que pretende estabelecer melhorias em diversos pontos da cidade, sobretudo na Região Central. Prometida para ter início no começo de fevereiro, a nova previsão é que o serviço tenha andamento até meados de abril.

Isso porque foi necessário rever o projeto em razão da parte estrutural, como as caixas de saída de telefonia e esgoto, e as fiações elétricas. A medida também visa dar mais prazo aos trabalhadores que ocupam os dois quiosques montados na via. Quanto ao projeto, a superintendente de Planejamento e Gestão Sustentável da Secretaria Municipal de Planejamento e Habitação (Seplanh), Zilma Percussor Campos Peixoto, explica que, por causa dos reajustes, foi pedido mais tempo pelas empresas de telefonia e de energia elétrica, a Enel Goiás, para verificar o que pode ser feito.

Segundo Zilma, apenas na extensão da Rua do Lazer há cerca de 60 caixas que precisam ser mudadas de lugar ou ter as fiações retiradas. “Temos a necessidade de implantar os pisos táteis dos dois lados da via e as caixas estão neste trajeto. As empresas pediram mais tempo, nós até poderíamos falar para tirar tudo, mas é sempre melhor conversar”, afirma a superintendente. A estimativa é que essa situação já esteja resolvida na próxima semana.

Além disso, os dois comerciantes que atuam nos quiosques da via terão de sair dos mesmos enquanto a obra estiver em andamento. “Legalmente, nós temos de dar esse prazo de 15 dias para eles saírem. Mas estamos conversando para ver se eles saem antes, pois quanto mais demorar para sair, mais demorada fica a obra”, diz Zilma. A estimativa da Prefeitura é que a revitalização da Rua do Lazer seja realizada em 90 dias, mas há uma expectativa para que as obras sejam finalizadas antes mesmo deste prazo.

Zilma explica que a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra) e a empresa contratada para realizar o serviço têm condições de adiantar o projeto. Os demais comerciantes, que atuam nas lojas ao longo da via, não precisarão fechar as portas durante este período. A ideia é que sejam colocadas telas de proteção enquanto os trabalhos estarão na Rua do Lazer, mas o planejamento é que se inicie a revitalização pelos dois becos que saem do logradouro público e só vá para a via propriamente dita em um segundo momento.

Ao todo, as obras devem contemplar todas as duas quadras contíguas à Rua do Lazer, o que considera o perímetro correspondente às ruas 9 e 3 e avenidas Goiás e Anhanguera. De acordo com o projeto, o beco em que se localiza o Teatro Carlos Moreira será revitalizado com a temática de artes. O outro, localizado do lado oposto, será dedicado aos esportes e à cultura.

Chorinho

Zilma informa que este último espaço poderá receber apresentações artísticas já tradicionais do Centro, como o projeto de chorinho e também outras apresentações artísticas, mas não há ainda definição sobre isso, o que ficará a cargo da Secretaria de Cultura (Secult). A ideia é que se refaça o calçamento original da via, com a revitalização também das luminárias e do mobiliário urbano que compõem todo o trajeto. Além disso, os quiosques do local serão revitalizados, passando a ser montados em estruturas de alvenaria e com banheiros. A ideia inicial é que os permissionários hoje no local possam continuar atuando nos novos quiosques após o final da revitalização.

O custo das melhorias é orçado em R$ 275 mil, mas não será bancado pelo Tesouro Municipal. Isso porque a reforma é fruto de um programa da Seplanh por meio de uma parceria que utiliza as diretrizes de compensação do Projeto Diferenciado de Urbanização (PDU), aprovado em lei municipal de 2007, que aprovou o atual Plano Diretor e regulamentado em lei específica do ano de 2009.

De acordo com a lei, empreendimentos que se beneficiaram com a liberação para construir o PDU devem arcar com contrapartidas para o poder público e, então, a Seplanh definiu que uma dessas contrapartidas seja referente à revitalização da Rua do Lazer. Os custos públicos só ficam em questão das horas trabalhadas pelos servidores que vão atuar no local, tanto da Seplanh quanto da Seinfra. Outros locais emblemáticos da cidade, com valor histórico, também devem ser contemplados com revitalizações no mesmo modelo. Um deles deve ser a Praça do Cruzeiro.

Processo de internacionalização do Aeroporto Santa Genoveva avança

20:42 0 Comments A+ a-


Assunto pautou reunião na Infraero

O processo de internacionalização do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, começou a ganhar musculatura e poderá se efetivar nos próximos meses. O assunto foi pauta de reunião na Infraero, em Brasília. O secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais, particiou. 

Durante a reunião, a cúpula nacional da Infraero garantiu total apoio para que a internacionalização do aeroporto de Goiânia seja efetivada. “Sai muito satisfeito da reunião. Nos próximos dias iremos assinar o Acordo de Cooperação Técnica para darmos mais um passo adiante”, explicou o secretário.

Além do Governo de Goiás e da Infraero, a Receita Federal, a Polícia Federal, a Anvisa e o Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento participam de todo processo. O assunto voltou a ser tratado pela atual gestão no começo do mês de março e já tem ganhado muitos apoiadores. 

Alguns dos grandes apoiadores da iniciativa são os empresários que possuem avião próprio, como do ramo de mineração, do agronegócio e da indústria farmacêutica. Durante reunião com o secretário de indústria, comércio e serviços de Goiás, eles contaram a dificuldade logística para voos internacionais, já que precisam passar por Brasília ou Campo Grande para realizar a imigração. “Nós somos terceiros em mineração e um Estado forte no agronegócio. Recebemos gente do mundo inteiro, mas não existimos no cenário internacional”, conta Wilder. 


Fonte: A Redação

Obra de trincheira na Rua 90, em Goiânia, começa dia 1º

20:37 0 Comments A+ a-


Vizinhança manifesta preocupação com impactos ambientais em lençol freático e prejuízos no comércio.

Rua 90 será bloqueada e o trânsito desviado para vias próximas. Titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra) de Goiânia, Dolzonan Mattos disse ontem que as obras da trincheira da Avenida 136/Jamel Cecílio com a Rua 90, no Setor Sul, terão início na próxima segunda-feira, 1º de abril. A informação foi passada após encontro com um grupo de empresários e moradores da área de influência da futura construção que foi à pasta para obter mais informações sobre o projeto. O temor do impacto da obra no lençol freático e na mobilidade urbana dominou a discussão.

Mesmo com a certeza de que há um cronograma de obras estabelecido, o grupo, que ganhou o apoio dos vereadores Andrey Azeredo (MDB) e Dra. Cristina (PSDB), deixou a Seinfra na expectativa de analisar melhor o projeto nos próximos dias e tentar minimizar os impactos previstos. Reportagem do POPULAR no dia 21 deste mês revelou que o lençol freático raso na região da Rua 90, onde será cavado o túnel, é um dos fatores que tem preocupado. O empresário Mário Lúcio Sobrosa, há mais de 30 anos na região, voltou a citar o poço de observação do lençol freático construído nas proximidades. Segundo ele, no “meio da rua” a água poderá ser encontrada a aproximadamente 1,10 metro de profundidade. Os comerciantes vizinhos ao local têm medo de prejuízos nos negócios.

Dolzonan Mattos enfatizou no encontro que é preciso aproveitar o período de estiagem e que há dinheiro em caixa, o que indica que não haverá paralisação da obra. Presidente do Sindicato do Comércio Varejista no Estado de Goiás (Sindilojas-GO), Eduardo Gomes entregou ao titular da Seinfra um abaixo-assinado com mais de 600 assinaturas, mas não saiu convencido da reunião. “As explicações não nos convenceram. Vamos realizar novas reuniões para discutir os rumos e projetos para a obra”. O mesmo grupo já tinha se encontrado com o prefeito Iris Rezende (MDB) em fevereiro para tratar do assunto.

Os empresários e moradores da área de influência da trincheira da Rua 90 assistiram uma apresentação sobre a sequência de obras. A primeira parte, conforme Dolzonan, será executada na parte interna do anel, na Avenida 136, o que deve durar em torno de 30 dias. Em seguida será cavado o túnel da Rua 90, obra também prevista para 30 dias. A expectativa é que o complexo esteja completamente pronto no final de novembro. O cronograma, como enfatizou o titular da Seinfra, foi acordado com o Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) por meio do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado no ano passado.

Sobre o lençol freático, Dolzonan Mattos não vê tanto problema como tem sido apresentado pelo grupo de empresários e moradores. “Nós temos estudos de sondagem. A pressão da água é pequena. Trata-se de uma obra simples e o dano ambiental não é tão grave. Se rebaixar um pequeno trecho, em nada interfere nos prédios vizinhos”. O túnel terá 7 metros de vão livre. O grupo não se convenceu e prometeu levar a questão para uma reunião com o procurador federal Hélio Telho, na próxima esta sexta-feira (29).

O vereador Andrey Azeredo pediu um prazo de 15 dias para que os empresários e moradores que serão afetados pela obra possam discutir com técnicos da Seinfra o planejamento do trabalho. “Isso não impede que a obra tenha início. Adaptações podem ser feitas para diminuir o desconforto em relação ao andamento da obra, mas não podemos nos dar o luxo de perder o período de estiagem”, afirmou o titular da Seinfra. Dolzonan explicou que a Avenida 136/Jamel Cecílio vai permanecer aberta durante toda a execução do trabalho, mas a Rua 90 ficará fechada da Praça do Cruzeiro até o Parque Areião. O plano de circulação de veículos prevê desvio de tráfego, tanto do transporte coletivo quanto do transporte individual.



Fonte: Jornal O Popular

Onda de frio deve chegar a Goiás em maio, diz Núcleo de Meteorologia

20:42 1 Comments A+ a-


Nova estação traz madrugadas mais amenas

O outono começou às 18h58 de quarta-feira (20/3). Segundo o Núcleo de Meteorologia e Hidrologia da Secretaria de Desenvolvimento e Serviços (SEDS), apesar da mudança de estação, os efeitos aparecem de forma gradual. Em Goiás o outono se caracteriza por madrugadas mais frias. 

As chuvas diminuem gradualmente até abril, quando cessam, provocando queda da umidade relativa do ar e deixando o tempo mais seco.

De acordo com o Núcleo de Meteorologia, a primeira onda de frio chegará em Goiás em meados de maio. Em junho as temperaturas diminuem ainda mais com a proximidade do inverno, que inicia no dia 21 de junho, às 12h54.

Fonte: A Redação

Chove 60% menos no primeiro bimestre e Goiás se prepara para a escassez de água

20:38 0 Comments A+ a-


Precipitações nos meses de janeiro e fevereiro são inferiores às dos anos anteriores e vazão do Meia Ponte atinge níveis preocupantes

Os moradores de Goiás já podem começar a fechar as torneiras, tomar banhos mais rápidos e adotar métodos de reaproveitamento de água. Apesar das chuvas dos últimos dias, no primeiro bimestre São Pedro foi avarento e o resultado pode ser a falta d’água no período seco – que começa em abril e tende a se agravar até setembro.

Segundo dados do Sistema de Meteorologia e Hidrologia de Goiás, o volume de chuva foi apenas 60% do esperado. O gerente do sistema de meteorologia do Estado, André Amorim, relata que em janeiro, o volume de chuvas foi de 143,2 milímetros, quando a média é de 247,8 milímetros. Em fevereiro, o volume foi de 195,2 milímetros – a média é de 222,9. “Se somarmos o déficit de precipitação acumulada, temos o valor de 132,3 milímetros”, diz Amorim.

A Saneago aponta outro problema. Além do volume de chuva nos dois primeiros meses do ano ter sido menor, ele foi de baixa qualidade. Ou seja: segundo a estatal, as chuvas foram concentradas em períodos curtos, não favorecendo a infiltração.

Dessa forma, não ocorre o reabastecimento adequado do lençol freático. Segundo a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustetável (Semad), a capacidade de infiltração de água da bacia do Alto Meia Ponte é muito baixa e, com isso, grande parte da precipitação não é refletida em manutenção das vazões

O regime raquítico de chuvas no primeiro bimestre piora uma situação que se arrasta há pelo menos quatro anos. Segundo André Amorim, há um déficit acumulado de 752 milímetros de chuva nesse período. Dessa forma, de acordo com a Saneago, diminui-se a disponibilidade de água nos mananciais, em função do prejuízo nos mecanismos de recarga.

O cenário é preocupante. Desde 2015, o ciclo de chuvas em Goiás tem diminuído constantemente. Em 2018, o primeiro semestre teve os menores registros de precipitação pluviométrica desde 1994. Os números do primeiro bimestre de 2019 apontam para a possibilidade de que a situação fique ainda pior.

Contingência
Diante dos dados disponíveis até agora, as autoridades do setor, os organismos colegiados e o setor produtivo já se mobilizam no sentido de se preparar um plano de contingência – a exemplo do modelo adotado em 2018, quando os efeitos da seca foram menos graves que os sentidos na crise hídrica de 2017. Vários encontros foram feitos, um deles, na quinta-feira, 14.

A maior preocupação é com a Bacia do Rio Meia Ponte, a mais importante do Estado, por abastecer aproximadamente 50% da população, distribuídas em 39 municípios. Em janeiro, a vazão do rio no ponto de capitação da Saneago foi menor em todos os dias do mês, no comparativo com o mesmo período do ano passado. No dia 26 de janeiro de 2018, por exemplo, a vazão foi de 20,5 metros cúbicos por segundo; em 2019, foi de 5,51 metros cúbicos por segundo na mesma data.

De acordo com o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte, Fábio Camargo, a situação é a pior da história. “Pior que 2017”, diz, lembrando da crise de abastecimento daquele ano, quando faltou água em vários municípios por períodos prolongados.

Segundo Camargo, se as projeções se confirmarem, será necessário tomar medidas mais rigorosas que as de 2018, quando o Comitê – composto pelo governo, Saneago, usuários como Celg, Federação da Agricultura e Pecuária (Faeg), Federação da Indústria (Fieg) e sociedade civil – tentou evitar que o colapso se repetisse.

Na oportunidade, foram criados níveis para atuação na bacia, que iam de alerta (menos de 10 mil litros por segundo) a crítico 3 (menor ou igual a 6 mil litros por segundo). Para cada nível, o Comitê definiu um tipo de providência: da realização de campanhas de conscientização à suspensão dos volumes outorgados.

Além disso, a emissão de novas autorizações para uso de água foram suspensas. No pior momento da estiagem, a outorga de uso foi fixada em 50% da quantidade autorizada. A medida vigorou de junho a dezembro, quando as chuvas se intensificaram.

Paralelamente, a Saneago instalou medidores eletrônicos do nível de água nos pontos de captação. A extinta Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), hoje Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), intensificou o combate ao uso irregular. De acordo com o ex-secretário Hwaskar Fagundes, na época a fiscalização encontrou vários pontos de captação irregular de água ao longo da Bacia do Meia Ponte.

Com a quantidade menor de chuvas este ano, a vazão do Meia Ponte chegou a apenas 4 mil litros por segundo em alguns dias, mesmo estando ainda fora do período de estiagem. Por isso, Camargo propõe que os limites para atuação sejam ainda mais rigorosos. É o que tem sido discutido nas reuniões dos grupos técnicos.

Principal uso do Meia Ponte  é para abastecimento urbano

O principal uso da Bacia do Meia Ponte, cerca de 80%, é para o abastecimento urbano, por meio da Saneago. A empresa diz que monitora diariamente os mananciais e envia os relatórios para a Semad. A secretaria, por sua vez, informou, ao Jornal Opção, que o comitê trabalha na definição dos níveis de atuação na bacia (vazões críticas), aos moldes do que foi realizado no ano passado, só que contemplando o prognóstico mais desfavorável deste ano.

A expectativa é que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, divulgue nos próximos dias quais serão as providências para que não falte água na torneira dos goianos – ou que essa falta tenha o menor impacto possível.

Fonte: Jornal Opção

Iris: Aumento da tarifa é coisa pequena diante da gravidade do problema

14:50 0 Comments A+ a-


O prefeito de Goiânia, Iris Rezende, afirmou nesta quarta-feira (20/3) que o reajuste na tarifa do transporte coletivo na grande Goiânia é "coisa muito pequena diante da gravidade do problema". 

O Conselho Regulador da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) aprovou, nesta segunda-feira (18), os cálculos para o reajuste na tarifa. Com isso, a  passagem que hoje custa R$ 4 pode chegar a R$ 4,30. O assunto será pauta de reunião na CDTC ainda nesta semana. 

Se as entidades evitarem o aumento, segundo o prefeito, não terão autoridade para exigir o cumprimento do dever das empresas responsáveis pelo transporte em Goiânia e região metropolitana. "Nós da Prefeitura e o governo do Estado estamos todos discutindo questões dos ônibus, em especial do Eixão, e vamos resolver isso", afirmou. 

"O governador Ronaldo Caiado está disposto até de abrir da concessão que lhe foi dada para o Eixo. Já a prefeitura está disposta a abrir licitação e privatizar essa linha," destacou o prefeito explicando que pretende "botar ordem" no transporte coletivo da capital e região metropolitana.

CDTC adia reunião para discutir reajuste do transporte coletivo

Marcada inicialmente para esta quinta-feira (21/3), a reunião da Câmara Deliberativa de Transporte de Coletivo (CDTC) que discutiria o reajuste do transporte coletivo da Grande Goiânia foi adiada. A informação foi confirmada pelo prefeito de Trindade, Jânio Darrot, que também é presidente da CDTC.

A decisão foi tomada após entendimento com o prefeito Iris Rezende, o Ministério Público, na pessoa da promotora Leila Maria e Oliveira, os vereadores de Goiânia e da região metropolitana. 

O presidente Jânio Darrot informou que será marcada reunião para discutir iniciativas que resultem em melhorias em todo o sistema do transporte público. 

Tarifa
O Conselho Regulador da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) aprovou nesta semana os cálculos feitos pela Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) para reajuste na tarifa do transporte coletivo na Grande Goiânia. 

A planilha de cálculos da CMTC indica aumento de 7,5%. Sendo assim, a passagem, que hoje custa R$ 4, pode chegar a R$ 4,30. 

Fonte: A Redação

Arena da Serrinha começa a sair do papel e Goiás se despedirá do Serra

14:40 0 Comments A+ a-


Já há previsão de entrega e é possível que o estádio seja reinaugurado antes disso

A cidade de Goiânia vai mesmo ganhar um novo estádio até o final de 2021. Após apresentar o plano oficial, o Goiás já começou os primeiros movimentos para a construção da nova Arena da Serrinha, no setor Bela Vista.

A ideia do clube é deixar o Estádio Serra Dourada, após anos disputando torneios no local.

Os planos incluem melhores camarotes e um estacionamento maior para os torcedores.

O Estádio Hailé Pinheiro, também conhecido por Serrinha, foi inaugurado em 1995 e sempre fez parte do cenário da capital goiana.

Com uma capacidade de apenas 10 mil torcedores, ele se transformou na casa das categorias de base do Goiás.

No entanto, desde o ano passado, tem recebido algumas reformas graduais para ser utilizado no Campeonato Goiano e também nas primeiras fases da Copa do Brasil.

Em janeiro deste ano, Goiás e Vila Nova se enfrentaram pelo Estadual e conseguiram bater o recorde de público do estádio, conseguindo levar mais de 9 mil torcedores para o jogo.

Era o tipo de resposta que a diretoria do clube esmeraldino precisava.

Em março, foram anunciados os planos e todo o projeto para a reforma completa, que vai deixar a Arena da Serrinha com uma estrutura moderna e com espaço para 20 mil pessoas.

As obras devem começar logo após o término do Campeonato Goiano, em abril.

O arquiteto Paulo Renato Alves foi responsável pelo projeto, que deve demorar cerca de 36 meses para ficar completamente pronto.

Porém, existe a chance dele ser reinaugurado antes disso, já que as obras serão feitas por etapas.

O Goiás está, oficialmente, se despedindo do icônico Serra Dourado e voltando para a avenida Edmundo Pinheiro de Abreu.

Para se manter na elite

Dentro de campo, o Goiás projeta a temporada de 2019 como essencial para os planos futuros.

Após voltar à elite do futebol brasileiro, a equipe quer afastar qualquer chance de rebaixamento no Brasileirão. Porém, vai precisar desafiar as principais cotações do torneio. Nas casas de apostas online, no dia 17 de março, o clube goiano é o penúltimo colocado na luta pelo título, com apenas 1% de chance.

O Esmeraldino só fica na frente da equipe do CSA. A permanência na Série A é essencial para o Goiás, principalmente com a reforma do estádio.

O custo total do empreendimento deve girar em torno dos R$ 100 milhões, sendo que o clube já liberou 20% para o início.

O resto deve ficar por conta de apoios financeiros de iniciativas privadas, por isso a equipe precisa de visibilidade.

Disputando o Brasileirão, será mais fácil chamar a atenção de patrocinadores.

O Goiás estreia no Campeonato Brasileiro no dia 28 de abril, contra o Fluminense, fora de casa.

Até lá, a equipe deve se preocupar apenas com o Campeonato Goiano, já que foi eliminada pelo CRB na Copa do Brasil.

A derrota, que veio nos pênaltis após empate por 1 a 1, colocou em dúvida o recente trabalho de Maurício Barbieri, algo comum no futebol nacional.

Enquanto isso, Goiânia espera pela nova Arena da Serrinha pronta no coração da cidade.


Fonte: Folhaz

Caiado discute implantação de VLT no Eixo Anhanguera

14:32 0 Comments A+ a-


Empresa chinesa responsável pelo Veículo Leve sobre Trilhos também pode ter fábrica de alta tecnologia no Estado

Goiás pode receber o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na linha Eixo Anhanguera. Isso, porque, segundo o governo, a empresa chinesa, com atuação em mais de 50 países, Build Your Dreams (BYD), quer não só inserir o VLT em Goiás, mas também investir no Estado. Nesta quinta-feira, 21, o governador Ronaldo Caiado (DEM) esteve em São Paulo, na 25ª Edição da Intermodal South America 2019, onde conheceu a atuação da multinacional especialista em alta tecnologia de energia limpa.

A nova tecnologia de monotrilho apresentada ao governador, inclusive, já é implantada em Salvador (BA), segundo gestor estadual, que quer dar maior agilidade ao transporte da Capital. Caiado visitou o estande da BYD, ao lado do secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais, e do presidente da Adial-GO, Otávio Lage Filho. “Além de buscar o menor preço, ao mesmo tempo buscamos qualidade e respeito ao meio ambiente”, afirmou o líder do Executivo estadual, ao reforçar que a chinesa também pode somar mais conhecimento acerca de energia limpa à Goiás.

Alexandre Liu, diretor de negócios da BYD Auto, defendeu o sistema de monotrilhos. “Estamos ansiosos para participar do projeto de Goiânia, com tecnologia mais moderna de reconhecimento facial, sistema superecológico que vai evitar o trânsito e fazer o usuário ter internet de alta velocidade com intervalo de parada mais curto. Vai ser uma ótima solução para cidade, além de economizar vias, vão liberar duas vias, no caso para veículos ou até um parque dependendo do que for melhor para a população”, descreveu.

Mais investimentos

Segundo Wilder, além da oportunidade da visita ao estande da BYD, a empresa poderá vir à Goiás para conhecer as potencialidades do Estado. “Não só implantar o Eixo Anhanguera, mas também ter uma fábrica de alta tecnologia no Estado”, disse e lembrou que a multinacional é uma das maiores empresas de caminhões elétricos e baterias do mundo.

Governo quer que aeroporto de Goiânia receba voos internacionais

23:00 2 Comments A+ a-


O governo estadual iniciou tratativas para buscar a “internacionalização” do Aeroporto Santa Genoveva.

O assunto foi discutido ontem na sede da Secretaria Estadual de Indústria e Comércio (SIC), com representantes da Infraero, Polícia Federal, Receita Federal, Anvisa, Ministério da Agricultura e Goiás Turismo.

“Na próxima semana queremos um documento com todas estas partes envolvidas pleiteando por isso. O aeroporto tem capacidade duas vezes maior do que a utilizada hoje e a Infraero já manifestou o interesse nisso”, afirma o titular da SIC, Wilder Morais (DEM).

Segundo ele, há condições de o processo, que depende de trâmite na Secretaria Nacional de Aviação Civil, ser efetivado nos próximos meses. “Nós somos terceiros em mineração e um Estado forte no agronegócio. Recebemos gente do mundo inteiro, mas não existimos no cenário internacional”, diz

Fonte: Jornal O Popular

Iris e Caiado concordam em privatizar a Metrobus

22:53 0 Comments A+ a-


Governador recebeu o prefeito nesta sexta

 A privatização da Metrobus - responsável pelo Eixo Anhanguera -  pautou encontro do governador Ronaldo Caiado com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, nesta sexta-feira (15/3). Na reunião, realizada Palácio Pedro Ludovico Teixeira, tanto o prefeito quanto o governador se manifestaram favoráveis à privatização. 

“Sempre deixei isso claro e nunca tive dúvidas”, afirmou o governador Caiado. De acordo com Iris, a prefeitura de Goiânia trabalhará no processo licitatório para "buscar a melhor empresa para substituir a função do Estado”. De acordo com o prefeito, "o foco é melhorar o serviço prestado ao cidadão". 

Equipes da prefeitura e do governo do Estado vão elaborar um estudo técnico para viabilizar o processo de privatização. 

Fonte: A Redação

AGR define na segunda o novo preço da tarifa de ônibus na Grande Goiânia

22:50 0 Comments A+ a-


Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) vai se reunir, nesta segunda-feira (18), para apreciar os cálculos de reajuste da tarifa de transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia, com validade para este ano. No final de janeiro, a Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) concluiu o estudo para a atualização tarifária e definiu por um reajuste de 0,25 ou 0,30 centavos. 

As planilhas de atualização da tarifa foram encaminhadas para a AGR que, por lei, precisa aprovar os cálculos realizados. No entanto, essa avaliação ficou parada, pois o governo pretende tirar a agência da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC). Chegou a encaminhar um projeto de lei nesse sentido foi enviado à Assembleia Legislativa, mas a tramitação da proposta parou a pedido do prefeito de Trindade, Jânio Darrot, presidente da CDTC. Para ele, se o Estado deixar o sistema de transporte, o atual modelo precisa ser discutido. 

Por meio da assessoria de imprensa, o presidente da AGR, Eurípedes Barsanulfo da Fonseca, disse que enquanto o governo não sair da CDTC, a agência tem, por força de lei, o papel de conferir os cálculos do reajuste da tarifa de transporte coletivo de passageiros, feitos pela CMTC. Mas ele confirma a entrevista que concedeu à Sagres na sexta-feira (12) de que a pretensão do governo continua ser a de deixar de a CDTC, uma vez que a AGR exerce apenas a função de validar os cálculos das tarifas.

Se o conselho da AGR aprovar os cálculos realizados pela CMTC, a CDTC poderá deliberar o índice de reajuste da tarifa e a data que começará a ser cobrado o novo valor da passagem, atualmente em R$ 4,00.

Data do leilão do Aeroporto de Goiânia deve ser divulgada segunda-feira (18)

22:47 0 Comments A+ a-


A data para leilão do Aeroporto Santa Genoveva será divulgada no Diário Oficial da União na próxima segunda-feira (18). O terminal entrará na 6ª rodada de concessões realizadas pelo Ministério da Infraestrutura e integrará o bloco Central, que também é composto pelos aeroportos de São Luís (MA), Teresina (PI), Palmas (TO), Petrolina (PE), Imperatriz (MA), Parnaíba (PI) e Paulo Afonso (BA). Outros dois blocos (Sul e Norte I) também farão parte da rodada. Ao todo, 24 terminais serão leiloados na mesma data. A expectativa é que o leilão seja realizado em um ano e meio, mas o investimento esperado ainda não foi divulgado pelo governo federal.

O primeiro leilão aeroportuário em blocos será realizado na sexta-feira (15), com lista de 12 terminais. Entre eles estão os aeroportos de Recife (PE), Maceió (AL), Vitória (ES) e Cuiabá (MT). O valor mínimo de outorga será de R$ 219 milhões, à vista. Ao longo da concessão, que é de 30 anos, o valor total da outorga é de R$ 2,1 bilhões. Vence o certame a empresa que apresentar a melhor proposta econômica.

Entram na lista do pregão desta semana unidades dos blocos Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. O investimento previsto para os três blocos é de R$ 3,5 bilhões. A maior expectativa de aplicação é no Nordeste, de R$ 2,153 bilhões. Outra novidade desta rodada é que não haverá cobrança de contribuição fixa anual (outorga fixa), somente da parcela variável. O leilão em blocos foi chamado de “filé com osso”, pois reúne em uma oportunidade terminais atrativos e outros menores.

Desde 2011, em quatro rodadas, o governo federal já concedeu dez aeroportos, como Guarulhos (SP), Viracopos (SP), Galeão (RJ), Brasília (DF), Natal (RN) e Fortaleza (CE). O número representa 57 do tráfego regular.

Resultados

No ano passado, o Aeroporto Santa Genoveva registrou 33.405 pousos, 33.450 decolagens, 1,6 milhão de embarques e 1,5 milhão de desembarques. Os números são pouco mais altos que os registrados no ano anterior, quando o terminal teve 29.965 pousos e 29.914 decolagens. Embarques e desembarques somaram 1,5 milhão cada. Os dados foram divulgados pela Infraero. Nos dois últimos anos, o aeroporto contou com voos diretos para 22 destinos. A única mudança na lista foi a oferta de viagens para Uberlândia e a retirada de Aracaju. Em relação à ocupação comercial, o aeroporto saiu de 48 unidades em 2017 para 54 em 2018.

Em janeiro, o Santa Genoveva ficou em 8º lugar no ranking dos aeroportos mais pontuais da América Latina e em 2ª entre os brasileiros, segundo pesquisa divulgada pelo site Flight Stats. Pesquisa da Secretaria de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura já havia mostrado o terminal em 2º lugar na pesquisa de satisfação feita pelo órgão no quarto trimestre do ano passado. Segundo a Infraero, o aeroporto movimentou 291,7 mil viajantes e 4,96 mil aeronaves no início deste ano. Cinco companhias aéreas operam no terminal.


Deu Praia Goiânia 2019

22:39 0 Comments A+ a-

Deu Praia Goiânia 2019

Data: 15/06 a 11/09
Local: BR 153 (Próximo a Unip)
Cidade: Goiânia/GO

O Festival "Deu Praia", que reuni musica, lazer e gastronomia em um clima litorâneo de Goiânia retorna em sua terceira temporada.

Qual é sua praia? Os pacotes do deu Praia homenagem as melhores praias do Brasil. Cada um deles são compostos de 4, 7 ou 14 eventos. Escolha sua Praia e venha curtir conosco essa temporada que vai entrar pra história.

Shows e Ingressos:


15 de junho – Lançamento com Diego & Arnaldo, Make U Sweat e João Neto & Frederico
Valores: Unissex – R$ 66 (meia entrada) | R$ 132 (inteira)

16 de junho – Deu Vibe com EPB Sessions
Valores: Unissex – R$ 55 (meia entrada) | R$ 110 (inteira)

22 de junho – Viver de Praia com Marcelo Falcão
Valores: Unissex – R$ 66 (meia entrada) | R$ 132 (inteira)

23 de junho – Rocinha com Mumuzinho
Valores: Unissex – R$ 55 (meia entrada) | R$ 110 (inteira)


Pontos de Vendas:


Vendas a partir de 25/03 pelo www.meubilhete.com.br


Organização:

Horário de atendimento: Seg-Sex das 8:00 às 12:00 e 13:00 às 18:00
(62) 3922-5805   contato@baladapp.com.br
Rua 3 esq. c/ Rua 14, 1022, Ed. West Office, Sala 511, Setor Oeste, Goiânia-GO
BALADAPP LTDA. - CNPJ: 22.488.257/0001-77

Prefeitura de Goiânia propõe aumento salarial de auditores e procuradores em mais de 400%

22:33 0 Comments A+ a-

iris rezende

De R$ 3.474,58, de salário base, funcionários do fisco passam a receber R$ 18.500

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), enviou Projeto de Lei Complementar 003/2019, que reajusta em até 139% o salário de procuradores do município. Já os auditores de tributos municipais tiveram aumento de cerca de 430%. Esse dispõe sobre remuneração, carga horária, enquadramento e a progressão dos ocupantes destes cargos.

Segundo pesquisa de remuneração inicial do cargo de auditor de tributos municipais, em Goiânia, o vencimento base era R$ 3.474,58 que, somado a produtividade, R$ 8.641,52, e outras, R$ 1.066,50, chegava a R$ 13.182,60 – se considerar este valor (que traz adicionais), o aumento é de 40%. A média nacional, usada como justificativa, seria superior a R$ 20 mil.

Se considerar o salário base da classe I dos auditores (menos de quatro anos de atuação), R$ 3.474,58, com o reajustado para a mesma categoria (R$ 18.500), o aumento é de R$ 432%.

Já para promotor, o valor inicial do cargo seria de R$ 7.715,32, enquanto a remuneração média em outras capitais (com exclusão de Goiânia) seria de aproximadamente R$ 22 mil. Com a alteração, o profissional (de ambas as carreiras) que atua por 8h terá subsídio de R$ 18.500 a 24.209,76, a depender da classe (I a IV); e o que atua 6h, de 13.875 a 18.157,32 (também a depender das quatro possíveis classes, que variam pelo tempo de serviço, de 0 a mais 12 anos). 

Impacto e justificativa

No caso anual dessa medida (salário mensal, 13º e 1/3 de férias), o impacto aos cofres públicos chegaria a R$ 11.584.436,67 para os auditores e 16.349.664,23 para os procuradores do município.

Na justificativa da Lei, o prefeito Iris afirma que o PCL apresenta a previsão de regime de subsídio, como forma de pagamento. “O regime de subsídio traz transparência e economia à Administração Pública, uma vez que constitui parcela remuneratória única, afastando a possibilidade de sucessivas gratificações e adicionais.”

Ainda segundo o documento, este busca compatibilizar os valores percebidos em carreiras análogas em outras capitais.

O Jornal Opção tentou contato com a Associação dos Auditores de Tributos do Fisco Municipal de Goiânia (Affim), mas não obteve retorno. A Associação dos Procuradores do Município de Goiânia disse que enviará nota. Também foi solicitada uma nota resposta à prefeitura da Capital, mas a mesma não se manifestou.

Vereador defende que prefeitura de Goiânia reassuma administração do BRT Eixo Anhanguera

22:24 0 Comments A+ a-

eixo anhanguera


Andrey Azeredo (MDB) aponta problemas do Eixão e diz que, nas mãos da prefeitura, Câmara poderá fiscalizar “mais de perto” e cobrar melhorias

O vereador Andrey Azeredo (MDB), que integra a base aliada do prefeito Iris Rezende (MDB) na Câmara Municipal de Goiânia, defende que a prefeitura retome a concessão do Eixo Anhanguera — popularmente conhecido pelos goianienses como Eixão.

Em justificativa, o parlamentar enumerou os diversos problemas enfrentados pelos usuários do transporte coletivo durante suas viagens e também destacou as deficiências da “estrutura precária” das plataformas de embarque.

“São inúmeros os problemas como alta lotação, horários indefinidos, ônibus precários. (…) O asfalto irregular e esburacado, a falta de segurança nas estações, o chão escorregadio e a péssima acessibilidade às rampas das estações. Ou seja, o serviço foi abandonado por quem o gerencia”, disse.

Posteriormente, Andrey Azeredo defendeu que, sendo de responsabilidade da prefeitura a prestação deste serviço, “a Câmara de Goiânia poderá fazer uma fiscalização mais de perto e cobrar melhorias frequentes para a linha que está completamente abandonada pelo Estado”.

Por fim, o parlamentar questionou a falta de segurança e relembrou a morte de um idoso que escorregou na plataforma de embarque. “Tudo por uma questão de minutos e por falta de uma barreira entre a estação e o vão de asfalto onde o ônibus trafega, além de um piso antiderrapante, que evitasse escorregamentos”, finalizou.

Ebraim Arantes diz que Estádio Olímpico “está jogado às traças”

22:03 0 Comments A+ a-

estadio olímpico goiânia


O Goiânia retornou ao estádio olímpico. Pela primeira vez no campeonato goiano de 2019, o Galo mandou sua partida na praça esportiva. Recheado de histórias, o estádio olímpico ficou conhecido por ser a casa do alvinegro. Ebraim Arantes comemora a volta ao local, mas faz algumas críticas ao estádio.

“Lindo voltar ao estádio olímpico. To triste pelo desmando do Governo do Estado, que largou isso aqui as traças. Tive a grata satisfação de receber o presidente do Vila Nova. Vou estar com o presidente do Goiás e do Atlético, para que nós façamos uma visita ao Governado, que o Governador é meu amigo, mas ele não é ligado ao futebol. Nós vamos lá fazer uma visita para ele se não tiver interesse e se suas direções não tem interesse nas praças esportivas, que entregue aos clubes, vamos administrar. O estádio olímpico é uma maravilha e está jogado as traças. Eu tive que mandar buscar fora do estádio água para dar para algumas pessoas da imprensa. Eles não tinham onde comprar”, afirma.

Na metade do tempo, alguns torcedores estavam de fora do estádio e não havia bilhetes para serem comprados. A diretoria do Goiânia liberou a entrada dos torcedores sem a apresentação dos ingressos. Ebraim Arantes explicou essa situação e criticou administração do estádio olímpico. Além disso, foi relatado a falta de água no vestiário do Crac.

“Foi uma falha de administração do estádio olímpico. O estádio olímpico é obrigado a ter o quadro móvel, como eles falaram, se admitiram incompetentes para ter o quadro móvel e o Goiânia assumiu. O Goiânia ao assumir só consegue pagar três bilheterias. Nós pagamos funcionários para cobrar três bilheterias. Não é culpa do Goiânia, do Goiás, do Vila ou do Flamengo, a torcida sempre chega em cima da hora. Eles chegaram e não teve fluxo para entrar. Eu imediatamente mandei abrir em respeito a torcida que estava lá fora. Grande parte do público que entrou foi de 600, mas mais de 400 foi sem pagar. Eu agradeço a esses que entraram sem pagar. Quero pedir desculpas a eles, porque foi falha mais uma vez da administração do estádio do olímpico. A administração do estádio olímpico não vem errada desde de agora não, Caiado. Vem errado desde do José Eliton, que passou para a universidade, que sabe administrar escola, que não sabe administrar futebol. É uma vergonha o que está acontecendo. Tanto que vou marcar com o meu amigo, o Governador do Estado, já combinei com o presidente do Vila Nova, do Goiás e do Atlético, para saber o que ele quer dessa praça. Isso é a menina dos olhos do Brasil. O Crac deve pensar que nós desligamos a água deles, mas não fomos nós. Não fomos nós que desligamos a água do vestiário. Nós também não tivemos água. Para que o Caiado faça uma boa administração ele tem que entregar a administração dos estádio para os clubes”, finaliza.

RESPOSTA

A reportagem da Sagres 730 entrou em contato com o professor Marcos Jari, que é diretor educacional do campus da ESEFEGO, sobre as declarações de Ebraim Arantes e a situação do estádio Olímpico.

- Situação da bilheteria

“Essa falha não foi de quem organiza o quadro móvel. O quadro móvel estava sobre a responsabilidade do Goiânia, não estava na responsabilidade da universidade esse quadro móvel. Nós fizemos foi assessorar o Goiânia, já que o Goiânia não tinha nenhuma experiência sobre qual devia ser o quadro móvel para o jogo em função do quantitativo. Para o tanto de pessoas que o Goiânia nós apresentamos um quadro móvel. A presidência do clube na expectativa de enxugar os gastos, reduziu esse quadro e foi por causa dessa redução, sobre tudo de catraqueiros e bilheteiros, que deu o problema lá na entrada. A decisão de reduzir o quadro foi do clube”, afirma. 

- Falta de água nos vestiários

“Eu fui informado no final que teve um problema na água no vestiário do Crac. Isso deve ter sido por ter tido entrada de ar na tubulação. Isso dificultou a pressão para mandar água para os vestiários. Foi algo que ocorreu no final. Me parece que o Goiânia se prolongou nos vestiários e no final realmente teve este problema”, diz. 

Por meio de doação, Goiás vai bancar reformar do Serra Dourada

21:56 0 Comments A+ a-

estadio serra dourada goiania


A diretoria do Goiás está disposta a pagar pela reforma do Serra Dourada. Apesar do veto da Procuradoria-Geral do Estado de Goiás em abrir mão do aluguel do estádio como forma de reembolso, o presidente Marcelo Almeida disse que o clube esmeraldino tem feito vistorias no estádio e que vai bancar o investimento como forma de doação ao Estado de Goiás.

“O processo de doação para o Estado, no caso o Estádio Serra Dourada, não é simples. A Procuradoria-Geral do Estado se reuniu para discutir a nossa ideia e vetou a nossa proposta de fazermos a reforma e reaver o investimento no futuro. Então se o Goiás quiser participar do processo, ele tem de dar. E ponto final. Estamos analisando se vamos fazer isso, mas acredito que sim, pois temos muito interesse nisso. É a instituição Goiás Esporte Clube que está em jogo. Estamos em um campeonato que temos muito interesse e o Goiás está de prontidão para tomar esta atitude”, disse Marcelo Almeida à Sagres 730.

A reforma no Serra Dourada não será complexa. Após uma visita na semana passada com o secretário de esportes Rafael Rahiff e o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta, os técnicos do Goiás notaram a necessidade de melhorias nos vestiários, gramado e também na iluminação.

Desde o ano passado, a CBF tem feito uma série de exigências aos clubes como condição de disputar o Brasileiro. Um dos requisitos é uma taxa de iluminação de 800 lux. Atualmente, o Serra Dourada apresenta apenas metade. Porém, como várias lâmpadas estão queimadas, o grupo acredita que uma simples troca possa ser suficiente.

Questionado sobre o valor das obras, Marcelo Almeida disse que ainda não tem uma resposta, mas que o valor não será alto por conta de ser mudanças pequenas.

“O Serra Dourada está tão desestruturado que se você quiser R$ 1 milhão ou R$ 50 milhões, você gasta. Vamos fazer pequenos ajustes que achamos prudentes e necessários. Não vamos fazer loucuras. Ainda não tenho os valores porque ainda o orçamento não está pronto, mas até o fim da semana devemos ter uma ideia”, explicou.

Para a Série B, o Atlético já declarou que vai utilizar o reformado Antônio Accioly, que já recebeu os últimos jogos do time rubro-negro na competição nacional do ano passado. Já o Vila Nova, como é tradicionalmente, quer mandar os jogos no Serra Dourada. Apesar de realizar o investimento no Serra, o Goiás não deve criar objeções ao rival.

Já conversei com o presidente Ecival, mas de uma forma superficial. Temos de conversar. A partir do momento que eu coloco um dinheiro, o uso será meu, mas também do adversário. Eu me dou bem com o Ecival. Vamos conversar com calma para chegar a um acordo comum”, concluiu.

Exoneração de comissionados corta R$ 13 milhões da folha em Goiás

21:12 0 Comments A+ a-


Número de servidores sem vínculo caiu de 6,8 mil para 3,8 mil e participação deles no total da folha recuou de 2,72% para 1,5%

Com 3.085 servidores comissionados em fevereiro a menos que em janeiro, o Governo de Goiás cortou R$ 13.205.726,80 da folha de pagamento no mês. Com isso, a participação dos comissionados na folha do funcionalismo estadual recuou de 2,72% para 1,5%.

Em janeiro, havia 6.891 servidores comissionados na folha. Juntos, receberam R$ 28.573.055,38. Em fevereiro, 3.806 comissionados custaram R$ 15.367.292,58. Em fevereiro de 2018, R$ 24.828.056,12 foram pagos a 6.805 comissionados.

Na última quinta-feira, 28, 3.111 comissionados tiveram os vínculos com o Governo Estadual encerrados. Cerca de 700 tiveram o vínculo prorrogado por mais 45 dias. Entre eles, estão gerentes e superintendentes.

Parte dos comissionados que tiveram o vínculo encerrado pode ser reconduzida. A determinação do governador Ronaldo Caiado é de exoneração definitiva de 30% do total, o que representará uma economia de aproximadamente R$ 4 milhões por mês.

Fonte: Jornal Opção

Villa Mix Festival Goiânia 2019

21:00 0 Comments A+ a-



Villa Mix Festival Goiânia 2019
Data: 29 e 30 de Junho
Local: Estacionamento do Estádio Serra Dourada
Cidade: Goiânia - GO - Brazil

Shows:  (Artista Já Confirmados)

- Jorge e Matheus
- Alok
- Luan Santana
- Gusttavo Lima
- Bruno e Marrone
- Liam Payne (Atração Internacional)
- César Menotti e Fabiano
- Matheus e Kauan
- Kevinho
- Simone e Simaria
- Leonardo
- Xand Aviões
- Wesley Safadão
- Jefferson Moraes

*breve mais artistas nacionais e internacionais confirmados.

Ingressos: 

* Compre o domingo e ganhe o sábado

Confira os valores:

29 de junho (sábado) – Sem Open Bar

Villa Vip
Unissex – R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)

Villa Extra
Unissex – R$ 100 (inteira) e R$50 (meia)

Villa Prime
Feminino – R$ 240 (inteira) e R$ 120 (meia)
Masculino – R$ 280 ( inteira) e R$ 140 (meia)
** Acesso à frente do palco

Backstage Golden Mix
Feminino – R$ 580 (inteira) e R$ 290 (meia)
Masculino – R$ 880 (inteira) e R$ 440 (meia)
* * Shows exclusivos. Localizado ao lado do palco com acesso à frente. Decoração especial, iluminação, painéis de Led e serviços exclusivos. Espaço da beleza. Djs e artistas nos intervalos. Banheiros exclusivos.

Camarote Único – com open bar**
Feminino – R$ 1.300
Masculino – R$ 2.800
* Acesso ao Backstage
** All inclusive Whisky premium, vodka premium, champagne, energético, cerveja Brahma, refrigerante, água com e sem gás, suco, gin, água de coco e água tônica. Acesso ao Backstage

30 de junho (Domingo) – Compre o domingo e ganhe o sábado

Villa Vip – Sem Open Bar
Unissex – R$ 50 (inteira) e R$100 (meia)

Villa Extra – Open Bar
Unissex – R$ 120
* Cerveja, refrigerante e água

Villa Prime – Open Bar 

Feminino – R$ 250
Masculino – R$ 300
* Cerveja Brahma, refrigerante, água, suco e vodka. Praça de alimentação. Espaço da Beleza. Acesso à frente do palco

Backstage Golden Mix – Open Bar

Feminino – R$ 600
Masculino – R$ 900
* Shows exclusivos. Localizado ao lado do palco com acesso à frente. Decoração especial, iluminação, painéis de Led e serviços exclusivos. Espaço da beleza. Djs e artistas nos intervalos. Banheiros exclusivos.
** All inclusive whisky, vodka, cerveja Brahma, refrigerante, água, suco, água de como e salgados

Camarote Único – Open Bar

Feminino – R$ 1.500
Masculino – R$ 3.000
* All inclusive Whisky premium, vodka premium, champagne, energético, cerveja Brahma, refrigerante, água com e sem gás, suco, gin, água de coco e água tônica. Acesso ao Backstage

Pontos de Vendas:



Saiba mais sobre o Villa Mix Festival: 

Instagram: @villamix
Facebook: www.facebook.com/vmfestival
YouTube: youtube.com/villamix
Site: www.villamix.com.br

Um festival que exalta a grandiosidade e a tradição da música nacional. Esse é o VillaMix Festival.

O projeto que é considerado uma referência no mercado do showbusiness e entretenimento surgiu com o objetivo de reunir, num mesmo palco, os artistas do casting da AudioMix, escritório que administra a carreira de Jorge e Mateus, Matheus e Kauan, Jefferson Moraes, Jonas Esticado, Israel Novaes, Simone e Simaria, Kevinho,  Guilherme e Santiago, Cleber e Cauan, Israel e Rodolffo, Edu Chociay, Aviões, Tierry e os Djs Larissa Lahw, Jetlag, e Alok.

Goiânia vai receber cinco novas estações de compartilhamento de bicicletas

20:37 0 Comments A+ a-

ciclovia goiania

Dentre os novos pontos, dois serão voltados exclusivamente para o público infantil, atendendo a uma demanda dos usuários Goiânia deve ganhar em breve cinco novas estações de compartilhamentos de bicicletas. Com o incremento, o município deve chegar a 20 pontos do GynDeBike -- serviço oferecido pela Prefeitura em parceria com a Unimed --, totalizando cerca de 200 bicicletas disponibilizadas.

Dentre as novas estações, duas serão voltadas exclusivamente para o público infantil, atendendo a uma demanda dos usuários. “Há algum tempo temos recebido pedidos para que algumas bicicletas fossem adaptadas para o uso de crianças, entretanto, no modelo atualmente instalado não havia essa possibilidade”, explicou o secretário de Planejamento Urbano e Habitação de Goiânia, Henrique Alves.

As novas estações serão instaladas nos seguintes pontos:

- Nas proximidades do Instituto Federal de Goiás (IFG), no Mutirama (adulta)

- Nas proximidades da Câmara Municipal de Goiânia, no cruzamento das avenidas Goiás e Independência, no setor Norte Ferroviário (adulta)

- No Parque Flamboyant, no Jardim Goiás (adulta e infantil)

- Na Praça do Sol, no Setor Oeste (infantil)

A prefeitura não divulgou a data de instalação das novas estações.

GynDeBike

O Sistema de Bicicletas Públicas GynDebike é um projeto da Prefeitura de Goiânia em parceria com a Unimed Goiânia e é operado através da concessão de uso de área pública pela empresa Serttel Ltda. Atualmente são disponibilizadas à população 150 bicicletas, espalhadas em 15 pontos estratégicos da cidade, onde a população, através de um aplicativo e mediante um cadastro prévio, pode retirar uma bicicleta e devolver em qualquer outra estação da Capital.

Desde que foi lançado pela Prefeitura de Goiânia, já foram realizadas pelo GynDeBike mais de 157 mil viagens, de acordo com o site debikegoiania.com A expectativa da Prefeitura de Goiânia é que, com o aumento do número de bicicletas compartilhadas e a ampliação do perímetro de localização das estações, o número de viagens chegue a marca de 300 mil até dezembro deste ano.

Foto: O Popular

Hospital Municipal já conta com 100 leitos de internação em funcionamento

20:26 0 Comments A+ a-

hospital municipal de aparecida de goiânia

Com 100 leitos em funcionamento, sendo 20 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), o Hospital Municipal de Aparecida (HMAP) beneficia os milhares de moradores da cidade e região com atendimento de qualidade. O balanço das atividades realizadas pela unidade durante seus dois meses de operação foi apresentado na manhã desta terça-feira, 26, na sede do Hospital, pelo prefeito Gustavo Mendanha e pelo secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, durante coletiva à imprensa.

De acordo com os dados divulgados, o HMAP já realizou 130 admissões de pacientes em leitos de UTI e enfermaria, com 560 diárias de internações, mais de mil consultas e 300 exames. Os atendimentos estão seguindo o cronograma de funcionamento previsto para a unidade. A expectativa é de que até julho deste ano a segunda etapa seja implantada e até dezembro o Hospital esteja em plena atividade.

“Estou muito feliz em entregar para a nossa população um hospital de alta complexidade. O HMAP completou o ciclo da rede de Urgência e Emergência da nossa cidade e já reduziu o tempo de espera dos nossos pacientes para internação em UTI . Estamos trabalhando para transformar a história da Saúde de Aparecida e deixando ela cada vez mais independente, sendo referência e oferecendo serviços, inclusive, para outros 55 municípios”, destacou Gustavo Mendanha.

Para o secretário Alessandro Magalhães, o Hospital tem impactado positivamente toda a rede. “Temos alcançado os resultados esperados e trabalhado cada vez mais para aperfeiçoar nossos serviços. Nesse sentido, a Prefeitura instituiu uma comissão técnica para acompanhar semanalmente os indicadores do Hospital. Os relatórios serão encaminhados à Câmara Municipal, ao Tribunal de Contas do Município, ao Conselho Municipal de Saúde e ao Ministério Público. Além disso, o Hospital Sírio-Libanês, nosso parceiro e referência nacional, também acompanhará o trabalho do HMAP”, pontuou.

Visita

Após a coletiva de imprensa, os gestores conduziram o público em uma visita pela unidade, apresentando as dependências do Hospital. Ao conhecerem os leitos de enfermaria, a acompanhante Marli Miranda relatou: “Estou há uma semana acompanhando minha mãe e sigo encantada com o atendimento e a infraestrutura do local. Todos foram muito receptivos e o quarto é muito confortável. Nota dez!”

HMAP

O Hospital Municipal de Aparecida tem 230 leitos, sendo 30 UTI´s, 20 leitos destinados à urgência e 180 apartamentos. A unidade abrigará os primeiros leitos de internação pediátrica da cidade, evitando assim o deslocamento intermunicipal de quem precisa do serviço. No local serão realizados cerca de 1,2 mil atendimentos de urgência e emergência, mais de 900 internações, 11 mil atendimentos ambulatoriais e 25 mil exames, todos os meses. Serão oferecidas ainda cirurgia geral, pediátrica, ortopédica, cardíaca e urológica.

Cronograma de funcionamento

Para garantir a segurança do paciente, o funcionamento do HMAP tem ocorrido em etapas, conforme o cronograma abaixo:

20/12/18 – abertura da ala ambulatorial de clínica médica e cirúrgica;

Fevereiro – entraram em funcionamento 60 leitos de enfermaria clínica, 20 leitos de UTI adulta, 20 leitos de urgência, duas salas cirúrgicas, laboratório clínico, radiologia, ultrassonografia, endoscopia e exames de diagnóstico;

Julho de 2019 – mais 30 leitos de clínica médica, 30 de pediatria, 10 de UTI pediátrica, ressonância magnética e tomografia entram em funcionamento;

Dezembro de 2019 – começam a funcionar mais 60 leitos de clínica cirúrgica e oito salas cirúrgicas.

Locomotiva volta ao lugar de origem durante reforma da Estação Ferroviária da Goiânia

20:15 0 Comments A+ a-



Locomotiva Maria Fumaça, que ficava exposta na parte da frente da Estação Ferroviária, é transferida para a parte de trás do prédio, onde originalmente os vagões faziam as paradas A cerca de 20 dias da data prevista para o fim de sua obra de restauração, a Estação Ferroviária de Goiânia, localizada na Praça do Trabalhador, no Centro da capital, tem à mostra parte dos elementos que serão novidade em sua aparência final.

Em meio às alterações, feitas desde o fim de 2017, está a da Locomotiva Maria Fumaça, que volta ao seu local de origem, diante da antiga plataforma de embarque e desembarque, onde ficavam os trilhos. A expectativa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) é de que todas as intervenções sejam encerradas no dia 27 deste mês, data de término do contrato.

A locomotiva integra a parte artística do local cujos ajustes ainda estão em fase de conclusão, assim como a azulejaria. Segundo a coordenadora técnica do Iphan em Goiás, Beatriz Otto de Santana, já foi concluída a restauração do relógio e dos afrescos do artista italiano Giuseppe Nazareno Confaloni, conhecido como Frei Confaloni. A proposta é que aspectos originais da linha férrea também sejam recuperados, inserindo a Maria Fumaça no contexto da estação e tornando-a visível aos visitantes, segundo Beatriz. A forma de uso deverá ser definida pela Prefeitura de Goiânia, responsável pela gestão do espaço.

“Ao longo da obra, foram feitas várias reuniões para que o município tenha conhecimento do que será necessário para a manutenção. Isso é fundamental para que tenham condição de manter o espaço e não deixá-lo voltar ao estado de degradação que estava antes”, explica.

Na parte arquitetônica, foram feitas instalações elétricas, hidráulicas e demais adaptações necessárias para o novo uso do edifício, além da readequação da estrutura física a seu aspecto original. Ainda será finalizada a parte de requalificação urbana, que diz respeito a passeios, paisagismo e à instalação de equipamentos urbanos, como bancos, lixeiras, luminárias, sinalização e área de atividades físicas.

Mesmo com a data prevista, a entrega do espaço deverá ocorrer apenas na terceira semana de abril, com data a ser definida a partir da agenda do Paço Municipal. A obra custou R$ 5,87 milhões, foi realizada com verba do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas e executada seguindo o “ritmo normal” previsto, diz a coordenadora técnica.

“Já sabíamos que seria um desafio muito grande devido ao estado de degradação, em especial os painéis do Frei Confaloni, que tinham sido muito afetados pela água. Além disso, o edifício ficou abandonado muitos meses, acabou sendo ocupado por pessoas em situação de rua e tinha animais mortos e muita sujeira em seu interior”, conta ela. “O mérito foi ter uma pesquisa histórica que substanciou o projeto e também a própria compartimentação dos espaços, que são flexíveis e fáceis de adaptar para diversos usos”.

A restauração da parte da Praça do Trabalhador em que está a Estação Ferroviária teve apenas uma mudança substancial no projeto original. Segundo a coordenadora técnica, tratou-se da eliminação da instalação de uma fonte que faria referência ao Monumento ao Trabalhador, demolido na época da Ditadura Militar. “Ponderou-se que a intervenção seria cara e exigiria manutenção cara e continuada. A Estação Ferroviária seria a protagonista e a fonte, acessório. Considerou-se que seria melhor empregar o recurso em outra área”, explica Beatriz, que diz que o benefício obtido com o remanejamento da verba foi uma melhora no sistema de climatização instalado no edifício.

Novos usos

Estação Ferroviária de Goiânia deverá ser dividida entre:
Museu Frei Confaloni: com galerias de arte e exposições permanentes, deve ocupar a maior parte do local
Centro de Atendimento ao Turista (CAT): instalado na antiga bilheteria
Unidade Atende Fácil
Base da Guarda Civil Metropolitana

Reforma da Praça do Trabalhador deve ser iniciada em abril

Findada a restauração da Estação Ferroviária, a Praça do Trabalhador deverá receber uma nova intervenção. Em outubro do ano passado, a Prefeitura de Goiânia oficializou o edital de licitação das obras de revitalização do local e de seu entorno, com o custo estimado de R$ 6,6 milhões. 

A obra faz parte do prolongamento da Avenida Leste-Oeste e deve ser iniciada em abril, segundo titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra) da capital, Dolzonan Mattos. A duração do serviço deve ser de seis meses a partir da emissão da ordem de serviço, afirma ele.

Entre as mudanças no local, deve estar a continuidade do BRT Norte-Sul, que deve passar entre as estações Ferroviária e Rodoviária, nas proximidades da Rua 44 e onde é realizada a Feira Hippie.

Anteriormente, segundo Mattos, o projeto previa que a estrutura fosse instalada na continuidade da Avenida Goiás, ao lado da Câmara Municipal de Goiânia. Mas com a alteração, essa parte da via continuará destinada ao trânsito de veículos. “Estamos desenvolvendo um novo estudo em torno do cruzamento da Leste-Oeste com a Avenida Goiás e o BRT. Essa deverá ser a mudança maior no projeto”, diz o secretário