28 de janeiro de 2017

Goiás Esporte Clube apresenta projeto de nova arena


O Goiás apresentou na noite desta quarta-feira (25) um anteprojeto para a construção de uma arena, onde hoje está instalado o Estádio Hailé Pinheiro. Com a assinatura do arquiteto Edo Rocha, o mesmo que projetou a Arena Palmeiras, uma apresentação em vídeo mostrou as linhas da praça esportiva, que tem a pretensão de acomodar 25 mil pessoas - 22 mil nas arquibancadas e 3 mil nos cerca de 170 camarotes. O projeto tem custo estimado em R$ 200 milhões e ainda não tem prazo para sair do papel.

O clube vem trabalhando junto à prefeitura de Goiânia para obtenção das licenças necessárias para iniciar a obra. A estimativa é de que até o final do ano a construção da nova arena comece a sair do papel. "Gostaria de, antes da finalização da minha gestão, assentar o primeiro tijolo. Se não der, a semente está lançada", estimou o presidente do Goiás, Sergio Rassi, cujo o mandato vai até o final deste ano.

Segundo o arquiteto Edo Rocha, após iniciada a construção, a previsão é de que em dois anos a arena seja entregue. "Temos um trabalho grande pela frente. Estamos organizando tudo em termos de aprovações. É um projeto complexo, demora em torno de oito meses para este projeto começar a sair do papel", concluiu.

O projeto prevê a construção da arena não só para jogos de futebol, mas também para abrigar shows musicais e outros eventos. Além disso, há a previsão de integração de outros equipamentos, como um salão de festas e até mesmo uma escola, com capacidade para aproximadamente 300 alunos. Também está previsto no projeto, um boulevard de lazer com restaurantes, bares, cinema e outras estruturas de lazer.

Segundo Sergio Rassi, o aporte financeiro não virá totalmente do clube. "Não tem como você, em um clube de futebol, construir uma obra desta magnitude às suas próprias custas", destacou. "Com parcerias você consegue efetivar um projeto, claro que o Goiás não tem condições de tocar isto sozinho", reiterou o dirigente esmeraldino.

Para o presidente do Conselho Deliberativo do Goiás, Hailé Pinheiro, o prazo para a conclusão da obra é imprevisível. "Agora o projeto está pronto. Tem de começar, e começamos. Não tem dia para ficar pronto, nem ano. Talvez o único que não vai assistir a inauguração aqui sou eu", destacou o esmeraldino.


Fonte: Jornal O Popular