1 de dezembro de 2016

Italiana adquire Celg D por mais de R$ 2,1 bilhões e ágio de 28%


Com ágio de 28,03% e valor de R$ 2,187 bilhões, a Celg Distribuição S.A., empresa de energia controlada pela Eletrobras (50,93% das ações), foi arrematada, ontem, pela empresa italiana Enel Brasil, em leilão de privatização ocorrido na sede da Bolsa de Mercadoria e Futuros – BM&F –, em São Paulo. Aos compradores foi ofertado um lote único de 142.933,812 ações ordinárias, das quais 73.848.672 pertencentes à Eletrobras e 69.085.140 à CelgPar. A Enel é dona da Usina Hidrelétrica de Cachoeira Dourada, a maior do Estado e privatizada em setembro de 1997, ou seja, há pouco mais de 19 anos.

Depois de acompanhar o leilão de perto, a secretária da Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão Costa, considerou o resultado um marco que vai beneficiar o Estado de Goiás. “A Celg deixa de ser um gargalo para o desenvolvimento do Estado. A partir da força do grupo comprador, da sua robustez, ela passa a ser um motor propulsor do nosso desenvolvimento”, comentou, para acrescentar ter certeza de que os compradores estão adquirindo um ativo muito bom, num estado excelente, que certamente dará o retorno esperado.

O preço mínimo do atual leilão era de R$ 1,792 bilhão. Ele foi o resultado da avaliação do valor de mercado da companhia em R$ 4,448 bilhões, menos a dívida de R$ 2,656 bilhões. O governo estadual, dono de 49% das ações, ficará com R$ 1,050 bilhão.

Na avaliação do secretário executivo de Minas e Energia do governo federal, Paulo Pedrosa, “o consumidor de Goiás está satisfeito, o governo de Goiás está satisfeito, a Eletrobras está satisfeita, o governo federal está satisfeito e o comprador está satisfeito. O comprador pagou aquilo que ele achava que a empresa valia. Agora, vamos trabalhar para valorizar esse investimento. Foi um processo muito bom para todos”.

Novas privatizações

A venda da Celg abriu caminho para novas privatizações. O governo federal pretende privatizar outras seis distribuidoras estaduais que hoje estão sob controle da Eletrobras e serão oferecidas ao mercado em 2017. A Eletrobras possuía 50,93% da CelgD, enquanto o governo de Goiás detinha 49%.

O vencedor do leilão terá de cumprir as metas de desempenho operacional nos próximos cinco anos, com o objetivo de melhorar o serviço prestado à população. A empresa atende a 237 municípios do Estado de Goiás e tem 2,61 milhões de unidades consumidoras.

O processo de venda do controle da CelgD foi iniciado em maio de 2015, com a inserção da companhia no Programa Nacional de Desestatização (PND), ainda na gestão da então presidente Dilma Rousseff. O primeiro edital de privatização da companhia, entretanto, foi publicado no dia 24 de junho de 2016, já sob a presidência de Michel Temer.