15 de dezembro de 2016

Delator diz que pista do aeroporto de Goiânia não ficou pronta a tempo


Uma declaração feita pelo ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, em sua delação premiada, levanta suspeitas sobre a real conclusão das obras do aeroporto de Goiânia antes de terem sido inauguradas em maio deste ano. 

Na página 24 do relato que, ao todo, possui 82 laudas, ele conta que se encontrou com Eliseu Padilha, representante político do então vice-presidente Michel Temer (PMDB) e que ocupava, na época, o cargo de ministro da Aviação Civil, para expressar o desconforto da empreiteira diante da inauguração sem que tudo estivesse pronto. “Meu pedido não foi atendido e ocorreu sem a pista de pouso estar concluída, por mais absurdo que pareça”, declarou.

No dia 9 de maio deste ano, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) esteve em Goiânia para inaugurar o novo terminal do aeroporto, cuja obra se arrastou por anos até que finalmente fosse entregue. 

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Portuária (Infraero), procurada ontem pela reportagem do POPULAR, disse, via assessoria de comunicação, que a afirmação do ex-executivo não tem conexão com a realidade, pois a pista não teria entrado no escopo da obra e que ela não sofreu intervenções, sendo a mesma pista do terminal antigo, portanto já existente.

A assessoria de comunicação do consórcio Odebrecht/Via Engenharia, responsável pela conclusão da obra, respondeu dizendo que a empresa não se manifesta sobre a delação premiada de Cláudio Melo Filho, mas enfatizou que o compromisso de continuar colaborando com a Justiça. “A empresa está implantando as melhores práticas de compliance, baseada na ética, transparência e integridade”, diz a nota enviada ao POPULAR. Outros executivos da Odebrecht estão com delações agendadas, entre eles o presidente do grupo Marcelo Odebrecht, e devem ocorrer nos próximos dias.

Eliseu Padilha, atual ministro- chefe da Casa Civil e a quem o delator teria expressado o desconforto de inaugurar a obra sem a conclusão da pista, respondeu, também via assessoria, com nota genérica, falando sobre toda a delação e não somente sobre o caso em específico, já que ele é citado em outros trechos. Ele se defende, dizendo que não foi candidato em 2014 e que nunca tratou de arrecadação para deputados ou para quem quer que seja. “A acusação é uma mentira! Tenho certeza que no final isto restará comprovado”, afirma.

A obra do novo terminal do Aeroporto de Goiânia foi realizada, inicialmente, pelos homens do Exército. Ao final, quando os soldados não conseguiram concluir, o consórcio da Odebrecht ganhou a licitação e retomou o projeto após repactuação com o Tribunal de Contas da União (TCU). A pista passou por intervenções em 2014, após a constatação de rachaduras e necessidade de renovação da massa asfáltica. Ao todo, foram mais de 4 mil dias de espera entre o anúncio do projeto e a entrega do terminal.

Foto: Icaro Roberto

PIB de Goiânia supera R$ 46 milhões e capital ocupa 11ª posição em ranking


Goiânia é a 11ª capital brasileira de maior PIB. Já em relação aos municípios, ela ocupa a 17ª posição, de acordo com dados do IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quarta-feira (14), dados da pesquisa Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios 2014. O levantamento revela que apenas sete municípios responderam por todos os bens e riquezas produzidos no Brasil naquele ano e que esses municípios concentravam 14,3% da população. São eles São Paulo (SP),  Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG),  Curitiba (PR), Manaus (AM) e Porto Alegre (RS).

Juntos, eles movimentaram 25% dos R$ 4,97 trilhões correspondentes ao valor adicional bruto, o que significava um crescimento nominal de 9,2% em relação ao valor adicional de 2013 – ou seja, da produção dos setores da indústria, serviços e agropecuária.

Quando agregada à renda dos 62 maiores municípios do ponto de vista de participação no PIB, os valores chegaram a corresponder naquele ano a quase metade do PIB nacional e a concentração populacional chegava a 32,8% do total do país.

De uma maneira geral, segundo o IBGE, não houve alterações significativas entre os maiores municípios do ponto de vista da concentração de renda entre 2010 a 2014.

Capitais

Em 2014, a participação relativa das capitais na composição do PIB foi 33,0%, igual à de 2013. Em 2010, as capitais participavam com 34,4%. Essa tendência de queda na participação econômica das capitais em relação à economia do país ocorreu principalmente em função da região Sudeste.

São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília estão no topo do ranking, com movimentação de R$ 628.064.882, R$  299.849.795 e R$  197.432.059, respectivamente. Goiânia alcançou o 11º lugar, com R$ 46.094.735, atrás de Belo Horizonte (87.656.760), Curitiba (78.892.229), Manaus (67.572.523), Porto Alegre (63.990.644), Fortaleza (56.728.828), Salvador (56.624.041) e Recife (50.688.395). Entre os municípios, a capital goiana ocupa a 17ª posição.

E m 2014, 13 capitais brasileiras possuíam PIB per capita maior do que o nacional. Em toda a série, até 2013, Vitória (ES) tinha o PIB per capita mais alto entre as capitais. Em 2014, a capital capixaba, com R$ 66,4 mil, foi ultrapassada por Brasília, com R$ 69,2 mil, o que correspondia a aproximadamente 2,4 vezes o PIB per capita brasileiro. No lado oposto, Maceió (AL) foi o menor PIB per capita, entre as capitais, em 2014 (R$ 18,2 mil).

Fonte: Jornal O hoje
Foto: Wildes Barbosa

Projeto oferece lâmpadas de LED gratuitamente a consumidores da Celg D


Cliente residencial de Goiânia tem direito a uma troca de até quatro lâmpadas incandescentes ou fluorescente compacta por 4 lâmpadas de LED, sem nenhum custo

O projeto Eficiência Solidária está com uma campanha para ajudar o consumidor a economizar o gasto com energia életrica e ainda ajudar o meio ambiente. O cliente residencial da Celg D, morador de Goiânia, tem direito a uma troca de até quatro lâmpadas incandescentes ou fluorescente compacta por 4 lâmpadas de LED, sem nenhum custo.

As lâmpadas de LED duram mais tempo e consomem menos energia. O projeto ainda prevê que a cada 50 lâmpadas substituídas, uma lâmpada de LED será doada a instituições sociais.

Para participar, o cliente deverá estar com suas contas em dia e fazer sua inscrição no site do Eficiência Solidária. O projeto não contempla clientes residenciais baixa renda e rural. A campanha vai até 21 de dezembro.

Fonte: Mais Goias

Tudo de graça: IFG tem 200 vagas abertas para cursos técnicos



IF Goiano – Campus Trindade abriu inscrições para os interessados fazer curso técnico em 2017. São 200 vagas para cinco cursos diferentes, 120 delas presenciais e 80 para ensino à distância (EAD). Das novas turmas que serão abertas no próximo ano, quatro são integrados ao ensino médio. Os cursos são totalmente gratuitos: não há cobrança para inscrição e de mensalidade.

A seleção de novos alunos será feita por análise do histórico escolar. As inscrições são feitas no site da unidade, podendo ser efetuadas até o domingo (18) para os cursos presenciais do Processo Seletivo 2017/1 (Edital Nº 01/2016), que contempla os cursos de Industrial, Edificações, Eletrotécnica e Informática para Internet, este último com foco em desenvolvimento para dispositivos móveis.

Já o processo seletivo EaD (Edital Nº 02/2016), para ingresso nos cursos técnicos subsequentes EaD em Informática para a Internet e em Segurança do Trabalho as inscrições ficam abertas até o dia 23 de janeiro de 2017. Na programação de cada curso técnico EaD, 20% da carga horária é presencial e ocorrerão no período noturno.

É necessário que os futuros estudantes tenham concluído o ensino fundamental para realização de matrícula. As aulas são no período matutino e vespertino.
Inscrição

Durante a realização da inscrição, o candidato precisa informar os dados escolares (notas do histórico escolar), pessoais (como número de Cadastro de Pessoa Física - CPF), e informações socioeconômicas. O edital informa que o candidato deverá converter para escala 100 as notas do histórico escolar que estejam na escala 10, na inserção das notas na inscrição. Para conversão basta multiplicar a nota por 10, por exemplo, nota 9,5 x 10 = 95,0.

Cotas

Ainda de acordo com as regras da seleção, metade das vagas ofertadas em cada curso técnico é destinada a ampla concorrência dos estudantes. A outra é para os alunos oriundos, integralmente, de escolas públicas. Escolas conveniadas não se constituem como escola pública. Dessa reserva, metade das vagas é reservada para os candidatos que comprovem renda igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e a outra para os com renda superior a 1,5 salário mínimo, considerando ainda os que se declaram como preto, pardo ou indígena. No momento da matrícula, os candidatos incluídos nas vagas reservadas às cotas deverão apresentar a documentação comprobatória exigida nos editais.

Processo Seletivo 2017/1 (cursos presenciais)

Técnicos Integrados ao Ensino Médio: Automação Industrial, Edificações, Eletrotécnica e Informática para Internet
Oferta: 120 vagas
Prazo de inscrição: até 18/12/2016
Mais informações pelo telefone: 3506 8000, e-mail: ps.trindade@ifgoiano.edu.br, ou site da instituição.

Processo Seletivo EaD 2017/1 (cursos a distância)

Técnicos Subsequentes EaD: Informática para Internet e Segurança do Trabalho
Oferta: 80 vagas
Prazo de inscrição: até 23/01/2017
Mais informações pelo telefone: 3506 8000, e-mail: psub.trindade@ifgoiano.edu.br, ou site da instituição.

Fonte: Jornal Daqui

14 de dezembro de 2016

Goiânia: Trabalho para Iris



O tempo que resta para o atual prefeito, Paulo Garcia, concluir o mandato não será suficiente para entregar obras iniciadas. No total, 29 delas devem ser repassadas ao eleito.

A administração atual da Prefeitura de Goiânia não vai terminar até o próximo dia 31 pelo menos 29 obras que foram iniciadas, algumas até mesmo nas gestões anteriores de Iris Rezende (PMDB) e de outros prefeitos. Assim, caberá ao prefeito eleito a responsabilidade sobre as construções. Deste montante, 21 estão paradas e 7 em andamento, mesmo que algumas em ritmo reduzido por falta de verbas ou em razão do período chuvoso. Há ainda 42 projetos que foram iniciados trâmites burocráticos, mas que não há qualquer ação nos locais.

Dezenove das 29 obras sem conclusão foram programadas, inicialmente, para serem inauguradas pelo prefeito Paulo Garcia (PT), como as extensões das Marginais Botafogo e Cascavel e o Corredor da T-7, mas atrasos em relação a verbas e no cronograma fizeram com que elas ficassem para a próxima gestão.

Em relação às obras em andamento, quatro possuem estimativa para serem entregues ainda no primeiro semestre do próximo ano, como o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) do Setor Barravento e a Maternidade Oeste. Esta última, que teve a obra iniciada em fevereiro deste ano, chegou a ser prometida para ser finalizada ainda em 2016, deixando apenas o início do funcionamento para o próximo ano, mas a nova estimativa é que a inauguração só será possível a partir de julho de 2017.

No final de 2015, em levantamento realizado pelo POPULAR junto à Prefeitura, estavam para serem inaugurados neste ano o Centro Cultural e de Lazer Casa de Vidro, o término da requalificação da Praça Cívica, seis centros de saúde, uma maternidade, a reforma do Ciams do Setor Urias Magalhães, 100 quilômetros de trechos cicloviários, Corredor da avenida T-7, além da requalificação do asfalto em 643 ruas e as Marginais Cascavel e Botafogo. Ao longo do ano, ainda houve a promessa do trecho norte do BRT Norte-Sul (corredor de ônibus exclusivo) e o que já foi licitado do Parque Urbano Ambiental Macambira Anicuns (Puama).

Destas, a administração concluiu a revitalização da Praça Cívica e ainda garante os trechos cicloviários até o dia 31. Por outro lado, realizou obras que não estavam previstas, como a requalificação da Praça do Sol e a cicloponte na Avenida T-63, o que estava pendente desde 2013, quando a ciclovia foi iniciada.


Obras do Hospital do Servidor Público estão 80% concluídas


Unidade será entregue no primeiro semestre de 2017 e realizará atendimentos de alta complexidade. O investimento é de R$ 67 milhões

O Hospital do Servidor Público (HSP) está com 80% das obras concluídas, e será entregue no primeiro semestre de 2017. Já com as instalações elétricas e hidráulicas em fase de finalização, a unidade começa a receber os elevadores e aparelhos de ar condicionado. O próximo passo é iniciar a instalação dos equipamentos cirúrgicos e de diagnóstico. Para isso, o Ipasgo já contratou empresa de consultoria, que apontará tudo o que deve ser adquirido pelo HSP.

Construído com recursos próprios do Ipasgo, o hospital receberá, no total, investimento de R$ 67 milhões. A unidade, que terá 211 leitos, contará com atendimento em diversas especialidades, inclusive de alta complexidade.

A área total será de 24 mil metros quadrados. O hospital contará também com lavanderia, central de nutrição, central de gases, um auditório e estacionamento no subsolo.

O HSP será uma unidade de atendimento geral, ambulatorial em diversas especialidades, e de alta complexidade. Terá centro cirúrgico com oito salas, central de diagnóstico laboratorial e de imagem, área para quimitoterapia, banco de sangue, UTIs pediátrica, neonatal e adulta.

A rede conveniada do Ipasgo tem, aproximadamente, 600 mil contribuintes e usuários, e abrange mais de 100 municípios. “O Ipasgo cumpre, hoje, rigorosamente suas obrigações com os prestadores de serviço. Nos últimos cinco anos, ampliamos enormemente os serviços porque alcançamos o equilíbrio da situação financeira. Esse hospital será a realização de um sonho dos servidores públicos”, afirmou o governador Marconi Perillo durante vistoria da obra do HSP no mês de julho.

O hospital está localizado na Avenida Bela Vista, no Parque Acalanto, em Goiânia.

Fonte: Jornal Opção

Réveillon Goiânia 2017


Data: 31/12/2016
Loca: Estádio Serra Dourada
Entrada Franca

Virada do ano com Gusttavo Lima. A festa começa por volta das 20 horas do dia 31,com shows de vários artistas goianos como o violeiro Almir Pessoa, as cantoras Grace Carvalho, Claudia Vieira, Nila Branco, da banda Mr. Gyn e do grupo Sincrosone. A apresentação fica por conta do locutor de rodeio Cuiabanno Lima. O show inclui ainda a tradicional queima de fogos.

Minha namorada me deixou (Tô solteiro), Que pena que acabou, Abre o portão que eu cheguei e 50/50 são algumas das músicas que vão marcar a chegada de 2017, no show promovido pelo Governo de Goiás, através da Goiás Turismo, no estacionamento do Estádio Serra Dourada, em Goiânia – GO.


1 de dezembro de 2016

Italiana adquire Celg D por mais de R$ 2,1 bilhões e ágio de 28%


Com ágio de 28,03% e valor de R$ 2,187 bilhões, a Celg Distribuição S.A., empresa de energia controlada pela Eletrobras (50,93% das ações), foi arrematada, ontem, pela empresa italiana Enel Brasil, em leilão de privatização ocorrido na sede da Bolsa de Mercadoria e Futuros – BM&F –, em São Paulo. Aos compradores foi ofertado um lote único de 142.933,812 ações ordinárias, das quais 73.848.672 pertencentes à Eletrobras e 69.085.140 à CelgPar. A Enel é dona da Usina Hidrelétrica de Cachoeira Dourada, a maior do Estado e privatizada em setembro de 1997, ou seja, há pouco mais de 19 anos.

Depois de acompanhar o leilão de perto, a secretária da Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão Costa, considerou o resultado um marco que vai beneficiar o Estado de Goiás. “A Celg deixa de ser um gargalo para o desenvolvimento do Estado. A partir da força do grupo comprador, da sua robustez, ela passa a ser um motor propulsor do nosso desenvolvimento”, comentou, para acrescentar ter certeza de que os compradores estão adquirindo um ativo muito bom, num estado excelente, que certamente dará o retorno esperado.

O preço mínimo do atual leilão era de R$ 1,792 bilhão. Ele foi o resultado da avaliação do valor de mercado da companhia em R$ 4,448 bilhões, menos a dívida de R$ 2,656 bilhões. O governo estadual, dono de 49% das ações, ficará com R$ 1,050 bilhão.

Na avaliação do secretário executivo de Minas e Energia do governo federal, Paulo Pedrosa, “o consumidor de Goiás está satisfeito, o governo de Goiás está satisfeito, a Eletrobras está satisfeita, o governo federal está satisfeito e o comprador está satisfeito. O comprador pagou aquilo que ele achava que a empresa valia. Agora, vamos trabalhar para valorizar esse investimento. Foi um processo muito bom para todos”.

Novas privatizações

A venda da Celg abriu caminho para novas privatizações. O governo federal pretende privatizar outras seis distribuidoras estaduais que hoje estão sob controle da Eletrobras e serão oferecidas ao mercado em 2017. A Eletrobras possuía 50,93% da CelgD, enquanto o governo de Goiás detinha 49%.

O vencedor do leilão terá de cumprir as metas de desempenho operacional nos próximos cinco anos, com o objetivo de melhorar o serviço prestado à população. A empresa atende a 237 municípios do Estado de Goiás e tem 2,61 milhões de unidades consumidoras.

O processo de venda do controle da CelgD foi iniciado em maio de 2015, com a inserção da companhia no Programa Nacional de Desestatização (PND), ainda na gestão da então presidente Dilma Rousseff. O primeiro edital de privatização da companhia, entretanto, foi publicado no dia 24 de junho de 2016, já sob a presidência de Michel Temer.


Goiás vai ganhar dois Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia


Contribuindo ainda mais para o fortalecimento do setor de ciência e tecnologia em Goiás, o Estado dá um novo passo rumo a consolidação de sua pesquisa voltada ao desenvolvimento econômico e social do País. O presidente da República, Michel Temer, homologou o resultado da seleção dos novos projetos aprovados dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs).

Dois deles são de Goiás: um na área de Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade e outro Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Estratégias de Interação Patógeno-Hospedeiro (IPH). Ambos vão receber fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), por meio da chamada desenvolvida em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

No anúncio da seleção das propostas para estruturação de grandes laboratórios de pesquisa no Brasil, em reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT), foram apresentados os novos membros do Conselho, incluindo a presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e vice-presidente do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Maria Zaira Turchi. Foi anunciada a liberação de R$ 1,5 bilhão para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Parte do recurso será aplicado pelo Ministério na consolidação de 101 INCTs. Maior edital da história do CNPq, o segundo ciclo dos INCTs dispõe de R$ 654 milhões, divididos entre o governo federal e 18 Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs). Os 101 projetos envolvem 8.738 pesquisadores de 410 laboratórios, nos 26 estados e no Distrito Federal, em diversas áreas do conhecimento para o desenvolvimento de pesquisas científicas e tecnológicas em busca de soluções para grandes problemas nacionais. Além disso, outros 152 projetos foram aprovados e serão custeados, inicialmente, pelas FAPs, consolidando, assim, uma grande rede de laboratórios de alta tecnologia espalhados e conectados pelo País.

“São institutos de excelência, referências no País”, enfatiza a presidente da Fapeg, Zaira Turchi. “O instituto funciona em rede e tem o que há de mais amparado, mais qualificado em termos de instituições parceiras, grupos de pesquisa e pesquisadores. São os pesquisadores mais qualificados do País, que se debruçam sobre temas prioritários e relevantes. Esse novo momento de homologação possibilita a continuidade do programa e os projetos se mostram prioritários também para o governo pela abrangência temática e pela capacidade de reunir a maior força de atuação da ciência brasileira em determinados temas, reunindo instituições nacionais e internacionais”, complementa.

Para o presidente do CNPq, Mário Neto Borges, trata-se de um “programa de ponta” na ciência brasileira. “Os INCTs reúnem os pesquisadores de maior qualificação do Brasil e permitem ao País, inclusive, estabelecer parcerias internacionais para captação de recursos, a exemplo da que já começamos a negociar com o Reino Unido, por meio do Fundo Newton”, afirma.

Projetos aprovados por Goiás
Entre os 101 projetos selecionados para apoio inicial CNPq/Fapeg está o projeto coordenado pelo pró-reitor de Pós-Graduação da UFG e professor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), José Alexandre Felizola. O projeto selecionado é o instituto virtual em Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade, que possui como objetivo principal apoiar projetos de pesquisa de ponta nessa área. A proposta incluiu mais de 100 pesquisadores brasileiros (dos quais 58 são bolsistas PQ do CNPq) de 30 instituições de ensino e pesquisa do Brasil, além de cerca de 20 pesquisadores estrangeiros. Cerca de 30% dos pesquisadores são de Goiás, da UFG, UFG-Jataí, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) e duas unidades do Instituto Federal Goiano (IF Goiano).

A ideia, segundo o professor, é desenvolver atividades de integração de pesquisadores e apoiar projetos de pesquisa nas três linhas de pesquisa do ICB, que são: padrões de diversidade em diferentes níveis de organização e escalas de tempo e espaço; adaptação, evolução do nicho ecológico e mudanças climáticas; e planejamento em conservação e uso sustentável da biodiversidade.

Outro projeto goiano está entre as instituições selecionadas e receberá, inicialmente, apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg). O projeto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Estratégias de Interação Patógeno-Hospedeiro (IPH) é coordenado pela professora Célia Soares também do ICB/UFG e tem duração de 72 meses. O IPH tem como foco o estudo de patógenos de alta relevância no Brasil e outros países, particularmente da América Latina, como os agentes etiológicos da doença de Chagas e leishmanioses, paracoccidioidomicose, esporotricose, histoplasmose, candidíase e dermatofitoses. A prioridade do IPH é o desenvolvimento de pesquisa científica de fronteira acoplada à obtenção de novos alvos para terapêutica e diagnóstico de baixos custos dessas doenças.

A presidente da Fapeg, Zaira Turchi, explica que Goiás sempre teve seus laboratórios ligados a INCTs na primeira etapa do programa e que esta aprovação de dois INCTs próprios, nesta segunda etapa, tem um significado muito relevante para a projeção das instituições goianas e da contribuição que a pesquisa realizada no Estado pode dar para o Brasil e para o mundo. “A participação das Fundações no financiamento desses INCTs permitiu a ampliação das possibilidades de financiamento. As ações continuadas apoiando projetos, por parte da Fundação Estadual e outras agências, possibilitaram que a pesquisa em Goiás tivesse um crescimento em qualidade e no número de pesquisadores, de modo que o Estado está mais competitivo. Isso é muito bom para o Estado, porque ele se torna ainda mais referência no cenário nacional nessas áreas de saúde e ecologia”, completa.

Sobre os INCTs
O programa INCTs consolida e forma redes de pesquisa com impacto em áreas estratégicas e na fronteira do conhecimento. A lista abrange áreas como agropecuária, biodiversidade, energia, nanotecnologia, problemas urbanos, questões ambientais e tecnologias da informação e comunicação. Somente em saúde há grupos dedicados a doenças cerebrais, genéticas, hormonais, negligenciadas e tropicais, câncer, dengue, diabetes, obesidade e tuberculose, além do desenvolvimento de vacinas, fármacos e medicamentos e de genômica comparativa, medicina regenerativa, pesquisa com células-tronco, psiquiatria e resistência a antimicrobianos.

*Assessoria de Comunicação Social da Fapeg, com informações do MCTI e da Ascom UFG.

Fonte: Diário de Goiás

Aparecida de Goiânia: Maguito inaugura maior via do município


O prefeito de Aparecida, Maguito Vilela (PMDB), inaugurou ontem o Eixo Viário Estruturante Norte-Sul 1 (ENS 1), às 19h, na presença de vereadores, deputados, secretários e do próprio governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB), e, ainda, do prefeito eleito Gustavo Mendanha (PMDB). A população que prestigiou a solenidade pôde se divertir com shows musicais e apresentação de catira após os eventos.

Na ocasião, o governador elogiou o comportamento republicano de Maguito, além de parabenizá-lo pela obra. Segundo ele, nunca houve problema de relacionamento entre os dois. “Esta é uma obra 100% municipal e estou aqui para testemunhar”, disse Marconi após reconhecer a importância do projeto.

Da mesma forma, o futuro prefeito do município, o vereador e presidente da Câmara Gustavo Mendanha, destacou a grandeza do Eixo Norte-Sul 1, além dos outros. “Os eixos mudarão a vida das pessoas”, explicitou. Ainda durante sua fala, o peemedebista afirmou que não haveria palavras suficientes para destacar tudo que Maguito realizou nesses quase oito anos. “Acredito que gratidão e orgulho sejam os sentimentos de 90% dos aparecidenses. Maguito sairá com o dever cumprido.”

Homenagem

Intitulado Avenida Jataí, em homenagem à terra natal de Maguito, o eixo ocupa 13,5 km em pista dupla, além de ciclovias e ciclofaixas. Também compõem a avenida sete bueiros celulares e uma ponte. R$ 48 milhões de recursos, oriundos de empréstimo junto ao Banco Andino com contrapartida do Tesouro Municipal, foram utilizados na construção da obra.

Para o prefeito, este eixo será fundamental para o desenvolvimento da região leste, lar de 80 mil aparecidenses, e da própria cidade. “Quem mora aqui já vê o movimento de motoristas, ciclistas e pedestres”, celebra o prefeito. Conforme ele, esta avenida marca a história da cidade, bem como outros eixos e obras.

Dentre os acessos gerados pela via estão universidades, o futuro aeroporto e polos industriais. A maior avenida da cidade também interliga alguns bairros que não tinham esta conexão e serve como rota alternativa à BR-153.

Inclusive, o Norte-Sul 1 é paralelo à BR-153. Ele integra a região leste ao Centro do município. Sua saída ocorre no Jardim Bela Vista, limite de Aparecida, ao Setor Retiro do Bosque, chegando à região Central da cidade. Santa Luzia, Jardim dos Buritis, Chácara São Pedro, Conjunto Mabel, e os polos Daiag, Dimag e Industrial José de Alencar são alguns dos bairros pelos quais o eixo passa.

Eixos viários

O Programa de Reestruturação Viária da Bacia do Córrego Santo Antônio implantou três eixos viários. Além do ENS 1, também o ENS 3 e o ENS 5 e, ainda, o Parque Tecnológico Municipal. As obras de mobilidade urbana receberam investimento da Corporação Andina de Fomento (CAF) de US$ 35 milhões e contrapartida de igual valor por parte da Prefeitura de Aparecida.

Tal programa foi concebido e executado pelo prefeito Maguito Vilela. O ENS 1, inaugurado ontem, foi o último a sair do papel, uma vez que era o mais longo. O primeiro foi o ENS 3, em dezembro de 2013. Este conta com 8 km de extensão.

Já o ENS 5 teve seu lançamento em setembro deste ano. Este eixo integra cinco grandes e importantes avenidas e os bairros Cardoso 1 e 2, Jardim Helvécia, Conjunto Estrela do Sul e Cidade Vera Cruz 1 e 2. Também tem dois acessos à Avenida Rio Verde e três ao Anel Viário. A elipse possui 180 metros de diâmetro.

Por fim, o Parque Tecnológico Municipal será responsável por abrigar 60 empresas. Segundo o prefeito, o edital de chamamento público para as empresas que desejarem se instalar ocorre no começo do ano que vem, já na gestão de Gustavo Mendanha.


Goiânia terá manifestação contra parlamentares neste domingo (4/12)


Ato deve ocorrer em todo o país

Conhecido por ajudar a convocar brasileiros para protestos contra a ex-presidente Dilma Rousseff, o movimento Vem Pra Rua está organizando uma nova manifestação, desta vez contra os parlamentares. A convocação é para este domingo (4/12) e a expectativa é que as principais cidades do país participem. 

A concentração inicial em Goiânia, segundo o Vem Pra Rua, está marcada para às 15h, no Parque Areião, em frente à sede da Polícia Federal. São pelo menos 50 cidades brasileiras convocando a população para ir às ruas protestar.

De acordo com a página goiana no Facebook, a manifestação também será em defesa da Operação Lava Jato, que investiga esquemas de desvios de recursos da Petrobras.

Os envolvidos na força-tarefa ameaçaram renúncia coletiva caso o novo projeto anticorrupção, que foi alterado por parlamentares, seja aprovado e sancionado pelo presidente Michel Temer. Apesar do pedido de urgência do senador Renan Calheiros, o projeto ainda não foi votado no Senado.