22 de novembro de 2016

Inaugurado IML de Aparecida que vai atender mais 13 municípios



“Entregamos para Aparecida uma das obras mais importantes da Região Metropolitana de Goiânia”, disse o governador Marconi Perillo nesta segunda-feira, dia 7, durante inauguração do novo Instituto de Medicina Legal (IML) de Aparecida de Goiânia. As novas instalações vão absorver cerca de 30% da demanda da capital, ao atender os registros de 14 municípios (veja relação abaixo). A entrega foi feita ao lado do secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton, do prefeito Maguito Vilela e contou com a participação de servidores da pasta.

Marconi afirmou que se sente orgulhoso de inaugurar uma obra que garantirá um serviço de qualidade, que poderá diminuir o sofrimento das famílias em momento de dor. “Estamos felizes, eu e o José Eliton, por entregar o IML de Aparecida completamente aparelhado e com servidores prontos para trabalhar e servir a todos que precisarem desta iniciativa do governo”, afirmou. O IML fica na Vila São Joaquim e conta neste início de atividade com os trabalhos de 13 peritos criminais, dez médicos legistas e nove auxiliares de autópsia, já da tarde desta segunda.

Durante discurso, o governador destacou a importância de que parcerias com os governos federal e municipal na área de segurança pública sejam feitas para beneficiar a população com mais obras como esta. “Precisamos fazer uma cruzada para que o governo  federal coloque dinheiro na área de segurança pública. As prefeituras, algumas delas, colocam dinheiro nas guardas municipais, como a Prefeitura de Aparecida, que deve ter o exemplo seguido por outros municípios”, disse.

Marconi ressaltou que a atuação do governo federal na área de Segurança Pública se limita a gastar dinheiro com Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Forças Armadas. “Nenhum centavo é gasto com a segurança dos cidadãos. Tudo está nas costas dos estados. Nesse ano, vamos gastar quase R$ 3 bilhões aqui em Goiás. Se nós conseguimos R$ 10 milhões do governo federal, foi muito. Muita coisa tem de ser mudada”, disse.  Ele destacou a necessidade de se colocar as Forças Armadas nas fronteiras com estados que exportam drogas e armas contrabandeadas, a proibição de empréstimos do BNDES para estes países e a necessidade de se usar os recursos do fundo penitenciário para o seu devido fim.

“Tem bilhões parados no fundo penitenciário, que é usado para superávit primário. Enquanto isso, os estados enfrentam a falta de recursos para cadeia e polícias. Precisamos de um fundo com dinheiro estadual, municipal e federal. O Estado não deve deixar de gastar, deve continua gastando 12% do seu orçamento com segurança. Mas o governo federal deve gastar para que continuemos inaugurando obras como esta. E, claro, precisamos também de uma mudança da legislação penal”, disse.

Melhoria
O vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton, disse que com a obra em Aparecida, o Estado amplia os serviços da polícia-técnico científica e passa a oferecê-los com maior agilidade para a população. Ele ainda destacou a agilidade das obras nos últimos anos. “Quando assumi a secretaria, o governador nos determinou agir de forma incisiva sobre todas as obras de infraestrutura das forças policiais.  E hoje entregamos esta obra, além de obras de reforma e ampliação de delegacia, quartéis das diversas forças de segurança”, avaliou.

O prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, afirmou que a obra é um fato marcante para a história de Aparecida: “Marconi tem vindo inúmeras vezes a nossa cidade inaugurando obras, trazendo serviços e se fazendo presente aqui. Esse é o verdadeiro papel dos políticos. Nossa cidade, com quase 600 mil habitantes, com uma população maior que as populações de outras seis capitais de Estado deste País, merece independência em todos os setores. Este era um dos grandes gargalos. Faltava IML para coroar nossa administração. Tenho certeza que as obras continuarão”.

Obras
As obras foram executadas pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop). O projeto possui área de 1.411 m² de edificações, distribuídas em dois pavilhões.  A construção está avaliada em cerca de R$ 3,8 milhões. Somadas as aquisições de mobiliário e equipamentos, o investimento total do Governo de Goiás é de R$ 5,5 milhões.

No térreo, estão salas de necrópsia especial e comum, raios X, laboratórios, cartório para expedição de certidões de óbito, consultórios médicos para exame de corpo de delito, sala acústica de balística, além de estrutura administrativa, com recepção, banheiros e estabelecimentos. Na área superior, estão os alojamentos para médicos e peritos.

Municípios atendidos pelo IML Aparecida
Aparecida de Goiânia, Jandaia, Cezarina, Varjão, Guapó, Abadia de Goiás, Aragoiânia, Hidrolândia, Senador Canedo, Caldazinha, Bela Vista de Goiás, São Miguel do Passa Quatro, Cristianópolis, Bonfinópolis.

Fonte: Goiás Agora