2 de outubro de 2016

Paulo Garcia vota em Goiânia e diz que PT foi “massacrado” nos últimos anos


Atual prefeito comentou baixos índices de intenção de voto de sua candidata, a petista Adriana Accorsi

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), votou bem cedo na manhã deste domingo (2/10) no colégio Ávila, no Setor Bueno.

Acompanhado da esposa, Tereza Beiler, e de auxiliares, o petista afirmou que o mau desempenho de sua candidata nas pesquisas de intenção de voto, Adriana Accorsi (PT), se deve a um “massacre” promovido nos últimos anos contra o PT.

A deputada estadual apareceu com 5% na última pesquisa Ibope, divulgada na noite do último sábado (1º) pela TV Anhanguera; ocupando o quarto lugar, empatada tecnicamente com Francisco Jr. (PSD). “É um resultado quase que esperado por todos nós, não há nada surpreendente”, disse o prefeito, em relação a pouca oscilação no quadro desde o começo da campanha.

Segundo ele, em todo o Brasil, o PT sofre tal desgaste, mas, em Goiânia, a traição do principal aliado — o ex-prefeito e candidato Iris Rezende (PMDB) — também contribuiu para os baixos índices.

“Tentaram introjetar na população que nosso partido é o responsável por todos os males que vivenciamos. Como se a estrutura política nacional não fizesse com que todos os partidos fossem responsáveis”, completou.

Questionado sobre o legado que deixa para a capital, Paulo Garcia elencou avanços promovidos por sua gestão, como os corredores de ônibus, as ciclovias e o Parque Linear Macambira Anicuns. “Nenhum prefeito fez tantas obras como eu”, reiterou.

Outro ponto abordado por ele é a saúde financeira da prefeitura: “Deixaremos daqui a três meses com a casa arrumada, preparada para novos investimentos, que podem chegar a R$ 2 bilhões”.

Ao final, ele alfinetou políticos que se enriquecem no cargo público. “Muito interessante isso: eu moro aqui no mesmo lugar há 20 anos. Saio da prefeitura como entrei, com integridade e dignidade. Não participei da atos ilícitos”, arrematou.