8 de agosto de 2016

Goiânia: Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira é inaugurado (Fotos)


O governador Marconi Perillo, junto a várias autoridades, promoveu a entrega do Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira e do Laboratório de Capacitação e Pesquisa Draulas Vaz, pertencentes ao completo esportivo do Centro de Excelência do Esporte Eurico Calixto de Godoi, em Goiânia. Durante a solenidade de inauguração, nesta segunda-feira, dia 8, o governador comentou sobre o sentimento de dever cumprido com a entrega de uma obra tão aguardada pela população goiana.

“Toda a nossa equipe de governo está muito orgulhosa pela oportunidade de entregar um trabalho tão emblemático para os goianos”, declarou Marconi. Ele frisou sobre a modernidade das edificações do Estádio Olímpico e do Laboratório de Capacitação e Pesquisa. “Estamos diante de uma obra moderna, que valoriza a capital dos goianos. Um Estádio Olímpico totalmente reconstruído, e que teve sua funcionalidade ampliada ao receber uma pista de atletismo. Gastamos dez vezes menos do que foi gasto em outros estádio similares e hoje temos um estádio à altura dos melhores do mundo”, exaltou o governador.

Para o vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton, a inauguração do Estádio Olímpico marca o ingresso de Goiás na formação de atletas de alta performance. “Agora temos plenas condições de sediar grandes espetáculos esportivos com essa arena moderna de esportes, que oferece condições confortáveis para receber bem o público. Um grande avanço para a formação de atletas”, pontuou.

O presidente da Agetop, Jayme Rincon, comentou que agora Goiás se insere definitivamente no cenário Olímpico nacional e internacional. “Goiás vai se transformar em um celeiro de formação de atletas, aptos a batalharem por medalhas nas próximas Olimpíadas. O grande problema do esporte no Brasil atualmente é a falta de incentivo e locais apropriados para o aprimoramento dos atletas. Hoje Goiás passa a oferecer o espaço adequado para o desenvolvido dessa categoria”, finalizou.

As obras
Dois módulos do Centro de Excelência do Esporte Arquiteto Eurico Godoi foram entregues pelo governador Marconi Perillo: o Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira e o Laboratório de Capacitação e Pesquisa Radialista Draulas Vaz. O espaço, com 33.682,02 m², foi construído para ser referência em qualidade esportiva na América Latina e para comportar e inserir com excelência o público goianiense no contexto esportivo. O Centro surge para fomentar uma geração de atletas olímpicos. Foram investidos na obra R$ 155 milhões, recursos do Tesouro Estadual.

O complexo esportivo recebeu o nome do engenheiro arquiteto Eurico Calixto Godoi em razão da sua contribuição significativa na construção da arquitetura e urbanismo de Goiânia nas décadas de 1950 e 1960. Seus projetos eram norteados pela arquitetura moderna, que considerava esse aspecto como estilo e causa. Foi um profissional que se preocupou em realizar seus empreendimentos para arquitetutra de cunho público, urbano e de habitação social. O Centro de Excelência segue a mesma linha de Eurico: arquitetura inovadora e referência na área da construção civil. Entre seus legados estão o primeiro hospital da cidade, o Hospital Rassi, atualmente Hospital Geral de Goiânia; o Hospital São Salvador, a sede do Dergo, a primeira Estação Rodoviária de Goiânia, etc.

Estádio Olímpico
O responsável direto pela mudança da capital da antiga Vila Boa para Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira, dá nome ao Estádio Olímpico, em 1941, quando foi inaugurado. Após ser demolido, e recentemente construído pela Agetop, a homenagem prossegue. O estádio tem capacidade para receber um público de 13.400 pessoas, tem 378 vagas de estacionamento no subsolo, sanitários, quatro salas de aquecimento, quatro vestiários, dois depósitos de materiais esportivos, sala para exame antidoping, sala para exame médico, enfermaria, área de segurança, vestiário para gandulas, vestiário para administração, cobertura em telha zipada (8.030m²), escada e rampa de acesso na entrada principal.

E ainda, campo de futebol com gramado tipo Bermuda Celebration e tamanho padrão Fifa/CBF, abrigo removível para banco de reservas, pisto de atletismo com oito raias e com 400 metros, 12 cabines de transmissão para a imprensa, drenagem/irrigação, iluminação, quatro torres, sendo que cada estrutura possui 32 mil quilos de aço e aproximadamente 40 metros de altura. Duas dessas torres com 77 refletores (sentido das torres: Rua 74) e as outras duas torres com 74 refletores (sentido das torres: sobre a cobertura metálica), placar eletrônico de Led, 40 caixas de som, grupos geradores, circuito fechado de TV, controle de acesso. A cobertura do estádio foi feita com isolamento de poliuretano (termoacústico).

O laboratório
Outro módulo inaugurado hoje pelo governador foi o Laboratório de Capacitação e Pesquisa, que recebeu o nome de Draulas Vaz. Goiano de Ipameri, dedicou sua vida ao esporte, sendo comentarista de futebol pelas rádios Difusora, Clube, Brasil Central e Anhanguera. Seguiu até o último dia de sua vida como cronista esportivo, transmitindo jogos de futebol pelas principais emissoras de rádio de Goiânia e pela Televisão Anhanguera. Criou e apresentou o programa Bola e Viola, foi conselheiro do Goiânia Esporte Clube e diretor social do Goiânia Tênis Clube e Jóquei Clube de Goiás. Faleceu em 25 de dezembro de 1992.

O laboratório foi estruturado em quatro pavimentos, numa área de 10.458m² de área construída e será um local para promoção do conhecimento e aperfeiçoamento de atletas através de atividades relacionadas à pesquisa e ação esportiva. Conta com alojamentos, sete laboratórios com especialidades no esporte, academia, quadras oficiais das principais modalidades do esporte olímpico e administração geral.

No quarto pavimento foram construídas três quadras oficiais para treinamento, capacitação e formação de atletas de futsal, handebol, baquete e vôlei. No terceiro estão os vestiários masculino, feminino e para portadores de necessidades especiais e 14 salas de aula para alunos e treinadores. No segundo: laboratório, biblioteca e sala de estudo; no primeiro ficaram as academias com sanitários, alojamento masculino e feminino (com 48 vagas cada) e administração. No térreo: entrada principal do laboratório, auditório com capacidade para 200 pessoas, salas de aulas, secretaria, restaurante, lanchonete, cinco salas comerciais, área de convivência, sanitários, secretaria e sala de Centro de Processamento de Dados.

Galeria de Fotos











Fonte: Goiás Agora