1 de abril de 2016

Mais de 10 bairros serão beneficiados com nova ciclorrota



Projeto da SMT para ciclistas beneficiará região Noroeste com ciclorrota e ciclofaixa de lazer. Finsocial, Jardim Curitiba e Parque Tremendão estão entre os bairros de interligação do novo trecho cicloviário

A terceira ciclorrota e a quarta ciclofaixa de Goiânia estão muito próximas de ser implantadas. É que a Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), elaborou projeto para implantação dos novos trechos cicloviários que abrangerão doze bairros na região Noroeste. Com cerca de oito quilômetros de extensão, a previsão é de que a implantação de sinalização se inicie ainda nesta primeira quinzena de abril. Juntos, os antigos e os novos trechos cicláveis somarão 30,3 km.

A nova ciclorrota interligará doze bairros em uma das regiões que mais possuem densidade populacional e comércio intenso com características próprias na Capital. “As pessoas usam a bicicleta como meio de locomoção nessa região muito rica e variada em prestação de serviços. O trecho ciclável vai oferecer mais segurança ao ciclista e poderá incentivar o uso contínuo da bicicleta para percursos de curta distância. É meu último projeto à frente da SMT”, ressaltou o secretário Andrey Azeredo, que encabeçou o planejamento do projeto cicloviário juntamente com engenheiros e técnicos da pasta. 

O trecho ciclável de uso diário e compartilhado com outros veículos abrangerá doze bairros, sendo eles: Setor Empresarial, Vila Finsocial, Residencial Maringá, Jardim Colorado, Parque Tremendão, Jardim Curitiba, Bairro Floresta, Bairro São Carlos, Jardim das Hortências, Mansões Paraíso, Residencial Fortaleza e Jardim Liberdade. Aos finais de semana, moradores e ciclistas poderão usufruir da ciclofaixa de lazer em torno do Parque Curitiba, localizado no Jardim Curitiba. 

Segurança ao ciclista
Desde o ano passado, a SMT intensificou a atenção e apoio aos ciclistas, com acompanhamento e monitoramento da via durante passeios ciclísticos realizados em toda a Capital, assim como na implantação de trechos cicláveis. O primeiro deles em julho, com a implantação das ciclofaixas de lazer no Parques Areião e Vaca Brava. Completou o circuito entre parques a ciclofaixa do Lago das Rosas, com 15 quilômetros de extensão. 

A primeira ciclorrota implantada pela SMT em novembro do ano passado possui 7,3 km de extensão e liga a Praça Cívica com a T-63, no Setor Bueno, e o Terminal Izidória, no Setor Pedro Ludovico, até Centro. 

De acordo com a mestre em planejamento de transportes e gerente de sinalização de trânsito da SMT, Julienne Santana, os trechos sinalizados para ciclistas são mais seguros. “A via pode ser utilizada por todos os veículos e a sinalização específica para uso das bicicletas serve para informar aos demais condutores que naquele local eles compartilharão a rua com um transporte não motorizado”, esclarece a gerente. 

Julienne Santana acredita que, dessa forma, o condutor motorizado se sente responsável pela segurança do mais vulnerável, no caso o ciclista. “Não basta somente a sinalização. Como a maioria dos acidentes são causados por imprudência, é fundamental a consciência dos condutores para que esse ambiente seja usado de forma profícua, eficiente e sem traumas”, destaca a gerente da SMT.


Setores interligados pela nova Ciclorrota:

Setor Empresarial
Vila Finsocial
Residencial Maringá
Jardim Colorado
Parque Tremendão
Jardim Curitiba
Bairro Floresta
Bairro São Carlos
Jardim das Hortências
Mansões Paraíso
Residencial Fortaleza
Jardim Liberdade

Nova Ciclofaixa de Lazer
Parque Curitiba