8 de abril de 2016

Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia está com 60% das obras concluídas e promete ser referência em saúde pública



A população de Aparecida tem mesmo motivos para comemorar. É que as obras do Hospital Municipal de Aparecida (HMAP) estão 60% concluídas. A informação é do Departamento de Engenharia e Arquitetura da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgada nesta quinta-feira (07). A outra boa notícia é que as obras estão quatro meses adiantados e a previsão de entrega da unidade é para o segundo semestre de 2016.

O Hospital Municipal está sendo construído na Avenida V-5, áreas 01 a 04, no setor Cidade Vera Cruz 1. A obra está orçada em R$ 63.899.514,13, sendo R$ 60.479.851,92 do Ministério da Saúde e R$ 3.419.662,21 contrapartida da Prefeitura. Serão 17.437,25 mil metros quadrados de área construída. O espaço terá 220 leitos, sendo 90 leitos clínicos, 60 leitos cirúrgicos, 20 leitos pediátricos, 30 leitos de UTIs, 10 leitos de recuperação anestésica e 10 leitos de reanimação e observação.

O HMAP também possuirá área de pronto-atendimento; atendimento de urgência e área de apoio terapêutico, ambulatório, apoio diagnóstico, raio-x, eletrocardiografia, ultrassonografia, endoscopia, tomografia computadorizada, laboratório, apoio técnico e administrativo, apoio logístico, farmácia, serviço de nutrição e dietética, lactário, internação geral (adulta e pediátrica), e centro cirúrgico com 10 salas. 

Com toda infraestrutura necessária, e oferecendo saúde pública de qualidade, o Hospital promete ser referência na saúde pública do Estado. Após a entrega da unidade, a gestão do prefeito Maguito Vilela espera completar a rede de atenção à saúde pública em Aparecida. O HMAP oferecerá à população atendimento de alta complexidade, já que o município ainda depende exclusivamente de prestadores de serviços privados e de unidades públicas de outras cidades, pactuadas com Aparecida.

Atenção básica

Na rede de atenção básica, a gestão do prefeito Maguito Vilela entregou 17 Unidades Básicas de Saúde, fortalecendo a Estratégia de Saúde da Família (ESF). Atualmente o município conta com 36 unidades. Até o final da gestão, a SMS vai entregar mais 12 UBSs, metade substituirá ESFs que funcionam em imóveis alugados e o restante contemplarão novos bairros, com novas equipes de saúde.

As unidades básicas oferecem consultas médicas, serviços de vacinação, curativos, farmácia, prevenção, pequenos procedimentos, pré-natal, visitas domiciliares, planejamento familiar e grupos educativos.

Média complexidade

Na rede de média complexidade, Aparecida foi contemplada pela atual administração com duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), uma no Brasicon e outra no Buriti Sereno. Em maio deste ano, a SMS vai inaugurar a terceira UPA, no Parque Flamboyant. As UPAs oferecem atendimento de urgência e emergência com clínicos e pediatras.

Todas as UPAs são porte III, ou seja, contemplam 300 mil habitantes cada. Como Aparecida tem 500 mil habitantes, a expectativa é suprir toda demanda da cidade. O município conta ainda com o Cais Nova Era e o Cais Colina Azul, que também oferecem atendimentos de urgência e emergência. O Cais Nova Era foi reformado e ampliado também pela atual gestão.

Rede ambulatorial

O município conta também com seis unidades que oferecem atendimento ambulatorial. O Cais Nova Era, Cais Colina Azul, Centro Clínico, Ambulatório Municipal de Aparecida de Goiânia (AMAG) e Ambulatório Central disponibilizam juntos cerca de 70 especialidades médicas e outras na área da saúde. Para agendar uma consulta especializada, a população tem à disposição o serviço de teleconsulta pelo 0800 646 1590.

Rede de saúde mental

Aparecida possui ainda uma rede completa de atenção à saúde mental, com equipe multidisciplinar, ou seja, composta por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos, técnicos de enfermagem entre outros. O CAPS Bem Me Quer, que atende maiores de idade, com transtornos mentais; CAPS Álcool e Droga Criarte Vida no Nova Era, também para maiores de 18 anos; CAPS AD III Infanto-juvenil, no setor Agroindustrial, que funciona junto com a Unidade de Acolhimento infantil (UAI) e CAPS Infantil que atende crianças e adolescentes com transtornos mentais.

Além das unidades fixas, a rede possui o Consultório na Rua, que atende pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social. Na Unidade de Pronto Atendimento do setor Brasicon funciona ainda um pronto socorro psiquiátrico. Além do atendimento com clínicos e pediatras, a UPA oferece atendimento de urgência e emergência 24 horas com médicos psiquiatras, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Fotos: