9 de abril de 2016

Antigos trilhos podem virar roteiro turístico


Depois de uma avaliação histórica, artística e cultural das estruturas, antiga estrada de ferro deve ser

A antiga estrada de ferro de Goiás, que operou no século XIX e exerceu importante papel no desenvolvimento da região, pode se tornar um circuito turístico. A proposta é restaurar as estações ferroviárias e viabilizar a circulação de trens de passageiros em trechos da estrada de ferro.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), desde 2008 faz uma varredura nos remanescentes da rede de transporte para levantar a “valoração” histórica, artística e cultural dessas estruturas. Entre 2009 e 2014, as estações dos municípios de Silvânia, Vianópolis (São três incluindo as dos povoados de Ponte Funda e Paraíba), Pires do Rio, Urutaí e Goiandira. As estações restauradas foram entregues aos municípios a promoção de ações que visem o desenvolvimento de atividades relacionadas à memória ferroviária.

Atualmente, a união de várias instituições tem procurado viabilizar o funcionamento de um circuito turístico. Conversas entre o Iphan, a direção do Porto Seco e Secretaria Municipal de Cultura de Anápolis podem resultar na efetivação do primeiro trecho do circuito entre a estação General Curado, em Anápolis, e Leopoldo de Bulhões. “A ideia é que cada uma tenha atividades relacionadas à cultura como espaço de exposição, cinema, teatro, café, biblioteca, cada uma vai ter o seu caráter de interesse para que as pessoas possam visitá-las”, completa a coordenadora técnica do Iphan, Beatriz Otto de Santana.

Para isso, a estação General Curado precisa ser restaurada, mas a direção do Porto Seco já demonstrou interesse em sensibilizar empresários para custear a obra. O coordenador de Controle de Ativos Ferroviários Arrendados, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Walter Pereira Monteiro Júnior, afirmou, durante reunião no Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) que a concessionária do trecho tem a obrigação contratual de autorizar viagens. “A questão do trem propriamente dito, que vai realizar esse percurso, foi levantado nessa reunião com o Porto Seco que haveria um interesse da iniciativa privada de revitalizar um trem a diesel com características daquele antigo de maria fumaça, e eles também teriam interesse em patrocinar esse trem”, explica o promotor do MP-GO, Rafaello Boschi Isaac.

Começando a funcionar a primeira etapa do projeto, circulação entre Bonfinópolis, Orizona e Silvânia pode ser a segunda a operar. Como alguns trechos da estrada de ferro foram erradicados, esses percursos teriam transporte combinado.

Retorno

Para tornar possível o desejo dos interessados foi criado o Fórum de Gestores Culturais, que tem entre eles muitos prefeitos. O fórum tem feito consultas ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para auxiliar os municípios na avaliação das potencialidades. Seis deles já elaboraram um mapa turístico, evidenciando os atrativos que podem atrair o público.

Em outros estados, passeios de Maria Fumaça já se tornaram tradição. Em Minas Gerais, entre Mariana e Ouro Preto e no Rio Grande do Sul, o passeio charmoso fica entre Bento Gonçalves e Carlos Barbosa.