31 de março de 2016

Vilmar Rocha: “Queremos tornar Goiás referência na produção de energia solar”


Durante seminário, secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos explicou medidas que serão tomadas pelo governo estadual para incentivar uso de fontes renováveis

Durante seminário que discute a sustentabilidade no agronegócio, o secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Cidades, Infraestrutura e Assuntos Metropolitanos, Vilmar Rocha (PSD), apresentou, nesta quinta-feira (31/3), algumas das medidas que serão tomadas pelo governo para incentivar a produção de energias renováveis em Goiás.

Um dos maiores destaques é o investimento na energia solar, ainda praticamente inexplorada no Estado. “Precisamos desenvolver a energia solar para que ela seja uma das bases da nossa formação energética”, defendeu Vilmar. “Apenas duas mil casas no Brasil têm energia solar. Em Goiás, por volta de 30, inclusive a minha”, brincou. “Em um País que tem tanto sol, isso é um escândalo”.

Vilmar destacou a pequena participação da energia solar inclusive nacionalmente. “Hoje é 0,01%, quando, em mais de 50 países do mundo, é acima de 10% da sua matriz energética. Queremos fazer um grande programa para tornar Goiás um dos estados referência na produção de energia solar”, destacou.

Para tanto, o governo de Goiás preparou, segundo ele, cinco medidas para incentivar o desenvolvimento desta matriz energética. Entre elas, a isenção de ICMS para mini e micro produtores que investirem na energia solar; a edição de uma portaria simplificando a licença ambiental para usina deste tipo de energia; e a realização de um leilão estadual para venda de energia solar.

Além disso, a secretaria editará, segundo Vilmar, “uma série de medidas de caráter tributário para atrair empresas para produzir maquinários e equipamentos”. A última medida é o financiamento para quem instalar energia solar em casa: “Hoje já existe o financiamento para pessoa jurídica, de até 50 mil, mas queremos também fazer para pessoa física: Qualquer um que quiser colocar energia solar na sua casa vai no banco e pode, com a redução que vai ter na taxa de energia, pagar o financiamento”.

Segundo Vilmar, o programa valerá em todo o Estado, sem priorizar regiões específicas. O secretário também espera que haja uma cooperação com as demais esferas administrativas, unificando projetos com um só objetivo: “As prefeituras também podem dar incentivos, além do governo federal. Eu mesmo já estive com o ministro das Minas e Energias duas vezes tratando desse assunto”, sustentou.

O secretário adiantou ainda que o governo pretende atrair usinas de energia concentrada, para produção em maior volume. “Já temos várias iniciativas para trazer investimentos para energia concentrada, para as usinas produtoras de energia solar. Inclusive, a Celg já tem um projeto de, dentro de dois anos, ter uma usina concentrada”, contou.