29 de março de 2016

Teleférico do Parque Mutirama começa a operar em abril


Obra deveria ser entregue em outubro de 2015, no aniversário de Goiânia.  Presidente da agência garante que inauguração será no próximo dia 15.

O teleférico do Parque Mutirama, em Goiânia, deve começar a funcionar no dia 15 de abril, segundo o presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Sebastião Peixoto. A nova atração turística ligará o local, que fica no Centro, ao Parque Botafogo, na Vila Nova. Inicialmente a inauguração estava marcada para o aniversário da capital, em 24 de outubro do ano passado, no entanto, ela deve acontecer com mais de cinco meses de atraso.

“Isso é para garantir que tudo seja feito certinho. A empresa está fazendo todos os testes de segurança. Como temos um equipamento de altíssima tecnologia, não temos dúvidas de que será a atração turística que faltava para Goiânia”, afirmou Peixoto ao G1.

Com 450 metros de extensão e 18 metros de altura, o teleférico vai integrar as atrações do Parque Mutirama. Segundo a administração, serão inicialmente quatro cabines fazendo o trajeto que passa por cima do parque temático, do túnel da Avenida Araguaia e da Marginal Botafogo.

A velocidade média da travessia será entre 4,5 e 6 metros por segundo. Conforme o projeto, todas as cabines serão automatizadas. Por enquanto, equipamentos provisórios são testados.

De acordo com a Agetul, não existirá um ingresso à parte para passear no teleférico, que exigirá apenas o pagamento único de R$ 16 (sendo R$ 8 para crianças de 4 a 12 anos e estudantes) que dá o direito de acesso a todos os brinquedos do parque.

As obras estavam incluídas no projeto de revitalização do Parque Mutirama, iniciado em 2011. Segundo a Agetul, a estrutura custou cerca de R$ 5,5 milhões, dos quais R$ 217 mil faltam ser pagos a empresa. Para Sebastião Peixoto, trata-se do teleférico “mais barato do mundo”.

“A gente vê aí a implantação do equipamento em outros locais do país fica em torno de vinte, trinta milhões. Aqui teremos algo moderno e que custou relativamente muito barato para a cidade, visto o tanto que vai movimentar tudo”, disse.

Tocha Olímpica

De acordo com a Agetul, o teleférico deve ser usado do revezamento da Tocha Olímpica, que deve passar por Goiânia no dia 5 de maio. Para o evento, a prefeitura vai utilizar a cabine de manutenção do teleférico, por ele ser aberto. O equipamento deve ser personalizado e preparado para receber a chama das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

“Estamos ansiosos por isso. Já nos primeiros dias de operação do teleférico viver um momento histórico destes, de receber a tocha de um evento grandioso que vai acontecer no nosso país é motivo de muito orgulho”, afirmou Peixoto.

Segurança
O equipamento está passando por todos os testes de segurança exigidos por lei. De acordo com a assessoria de imprensa do Mutirama, os cabos de aço que servem de “trilho” para as cabines do teleférico passaram por uma espécie de ultrassom para analisar a qualidade e agora está sendo submetido ao teste de peso.

De acordo com Sebastião Peixoto, a capacidade máxima do teleférico é de uma tonelada cada cabine. No entanto, em virtude do tamanho, o peso será limitado a quatro pessoas ou 500 kg. Os testes estão sendo feitos com pesos colocados dentro do trem em diferentes variações de velocidade.

O comando central do teleférico fica na estação de embarque, no Parque Mutirama. No local foi instalado todo o maquinário e painéis de controle do equipamento. Os trens da estrutura são controlados por meio de uma tela digital, que informa o peso, a velocidade e as condições de cada trem do teleférico em tempo real.

Fotos:





Fonte: G1 Goiás