20 de março de 2016

Paulo Garcia diz que herdou dívida de Iris; ex-prefeito rebate acusação



O prefeito Paulo Garcia (PT) disse nesta sexta-feira na Câmara Municipal de Goiânia – durante prestação de contas para os vereadores – que o ex-prefeito Iris Rezende deixou dívidas que ainda hoje oneram os caixas da Prefeitura de Goiânia.

O gestor afirmou que recebeu inúmeras dívidas, mas garantiu que vai deixar a “casa organizada para o próximo prefeito”.

Questionado pelo vereador Djalma Araújo (Rede) sobre as dívidas com o Instituto Municipal de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas), Paulo Garcia disse também que resolverá em breve o problema.  Mas não entrou em detalhes.

Contudo reafirmou que ao tomar posse como prefeito em seu primeiro mandato encontrou os caixas vazios: “Não tinha um centavo em caixa na Saúde. Nunca falei isto para ninguém”.

Após receber um elogio da vereadora doutora Cristina, por reconhecer as dívidas de gestores passados, o prefeito desabafou: “A senhora sabe o que é sentir traído, por uma pessoa que você tem profunda admiração. É assim que me sinto”.

A indireta parece certeira: o ex-prefeito Iris Rezende.  Os peemedebistas já abandonaram o PT e iniciam processo de expurgo da aliança  com o partido de Paulo Garcia.   “Por muito tempo eu fiquei calado porque não vivo de passado. Eu sou assim”, disse Paulo.

O petista afirmou que pagar dívidas é algo complicado, mas pagar as obrigações dos “outros” é mais difícil ainda.

As frases do prefeito foram rebatidas durante à tarde.

Em entrevista ao DM, o vice-prefeito Agenor Mariano (PMDB) disse que Paulo “fracassou na gestão e na política”.

Ele também respondeu a atribuição de que Iris tenha traído a gestão petista: “Ser traído é depositar confiança em alguém e o outro não corresponder. Nunca o PT teve uma administração tão  reprovada. Tão abaixo da média. Isso foi uma traição com Iris, com o povo de Goiânia, com todo mundo”.

Agenor diz que o PMDB é que herdou dívidas da gestão de Pedro Wilson, antecessor de Iris Rezende no Paço Municipal.  “As contas do prefeito Iris Rezende foram aprovadas pelos tribunais de contas.  Essa dívida do Imas é de agora. Se era assim em 2002, 2004, 2006 qual o motivo dos médicos não estarem de greve naqueles anos?”, disse.

No período da tarde, o ex-prefeito falou em uma emissora de rádio (Vinha FM) que se arrependeu em ter colocado Paulo Garcia no cargo. E mais ainda: que não deveria ter abandonado a Prefeitura de Goiânia para disputar as eleições ao governo de Goiás, realizadas em 2010: “Errei em deixar a Prefeitura, errei em apoiar quem eu não conhecia como administrador. Conhecia como pessoa e admirava. Mas como administrador não saiu alguém melhor para o povo. Mas é aquilo, quem nunca errou, quem nunca erra? Eu também erro, eu sou humano. Mas um erro que eu não vou cometer mais”.

MERENDA

O prefeito foi questionado sobre o superfaturamento da merenda em que pagam quase R$ 16 pelo arroz tipo 1.

Ele disse que só tomou conhecimento dessa informação agora e disse que os vereadores vão primeiro ao Ministério Público antes de avisarem a Prefeitura.

Fonte: DM