31 de março de 2016

BRT Norte-Sul abre novas frentes de trabalho


Com os trabalhos em fase de finalização no primeiro trecho do corredor BRT Norte-Sul (sigla em inglês para Bus Rapid Transit - Transporte Rápido por Ônibus), que fica entre a Praça do Trabalhador e a Avenida Francisco de Araújo no Setor Urias Magalhães, o consórcio que gerencia a obra já abriu uma nova frente de trabalho entre a Perimetral Norte e o Terminal Recanto do Bosque, no setor de mesmo nome na Região Norte de Goiânia. A previsão inicial para conclusão da obra era final deste ano, mas vai ficar para 2017. 

O corredor BRT foi iniciado em maio do ano passado com as obras na Avenida Goiás Norte, entre a Praça do Trabalhador e a Avenida Perimetral Norte. Ao todo, o corredor terá extensão de 22 quilômetros entre o Terminal Recanto do Bosque, na Região Noroeste de Goiânia, e o Terminal Cruzeiro, em Aparecida de Goiânia. O projeto prevê instalação de 39 estações para atender 120 mil passageiros por dia. O investimento é de R$ 242,4 milhões. A frente será divida em duas etapas. Na primeira delas, o trecho da Avenida Goiás Norte, entre a Perimetral e a Avenida Nerópolis no Jardim Balneário Meia Ponte, a grama do canteiro central já foi retirada e as máquinas preparam o solo para receber o pavimento. 

Na segunda etapa, o Terminal Recanto do Bosque já passa por intervenções para a ampliação. De lá um grupo vai trabalhar na construção do corredor sentido Perimetral Norte. Essa frente de serviço deve ficar pronta até o final do ano.

Nesta fase, mais árvores poderão ser derrubadas, pois muitas estão no canteiro central de vias estreitas do Jardim Balneário Meia Ponte. O coordenador do projeto, Ubirajara Abud, afirmou ao O HOJE que já tem licença da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) para a retirada de mais exemplares. No entanto enfatizou que “só vamos arrancar aquelas que realmente forem necessárias 

Aparecida

Uma das obras de maior impacto no trânsito é a trincheira a ser construída no encontro da Avenida Rio Verde com a Avenida Tapajós, em Aparecida de Goiânia. Pelo cronograma inicial este trabalho já deveria ter sido iniciado, mas a retirada de uma rede subterrânea de cabos de fibra ótica de uma operadora de telefonia do local vai demandar tempo, por esse motivo a intervenção só terá início em 2017. (Deivid Souza)