15 de fevereiro de 2016

Obras da Maternidade Oeste começam Amanhã


Unidade será a maior da capital e segue os moldes das maternidades que são referências em atendimento humanizado

Goiânia vai ganhar mais uma unidade referência em atendimento humanizado à mulher e com o diferencial de atender também a criança. Localizado no Setor Vera Cruz I, o Hospital e Maternidade Oeste vai aumentar ainda mais a disponibilidade de atendimento e assistência materno-infantil na rede pública de saúde. Com isso, todos os partos do SUS passarão a ser feitos em unidades públicas, sem a necessidade de convênios com redes particulares. A maternidade foi idealizada em 2013 e a obra, feita em articulação da prefeitura com o Ministério da Saúde, será lançada na terça-feira, 16 de fevereiro, às 8h30.

O terreno de mais de 15 mil metros quadrados foi escolhido na região Oeste por conta da demanda de atendimento à mulher e ao recém-nascido nas regiões Oeste, Campinas-Centro e Sudoeste. O projeto e a licitação foram lançados pelo prefeito Paulo Garcia, juntamente com o secretário municipal de Saúde, Fernando Machado, em 2015.

A unidade será construída nos mesmos moldes do Hospital e Maternidade Dona Íris (HMDI), que foi inaugurado em 2012 e é considerado uma das referências no atendimento humanizado, que - por sua vez - foi inspirado no atendimento da Maternidade Nascer Cidadão, unidade que já recebeu diversos prêmios como o Hospital Amigo da Criança, Hospital Amigo da Mulher, entre outros.

Construção


As obras da Maternidade Oeste vão ser iniciadas no dia 16 de fevereiro com a presença do prefeito Paulo Garcia e do secretário de Saúde, Fernando Machado. Serão investidos inicialmente em torno de R$ 49 milhões em recursos vindos do Ministério da Saúde e do tesouro municipal. A unidade vai ocupar uma área de 15.326,32 metros quadrados.


Depois da escolha do terreno e da elaboração do projeto, foi realizada a licitação da obra. Os projetos essenciais para o início da construção do hospital já foram analisados e aprovados pela Gerência de Infraestrutura da SMS e pela fiscalização de obra da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra).

Atendimento


Segundo o secretário Fernando Machado, mais de 40% dos partos do município de Goiânia serão realizados na Maternidade Oeste. “Isso vai ser suficiente para permitir que o poder público faça todos os partos do SUS em maternidades públicas. A partir da construção dessa maternidade, não dependeremos mais da compra de serviço de hospitais privados conveniados para fazer o atendimento materno', afirma. O secretário enfatiza que a unidade pode chegar a realizar cerca de 800 partos por mês, quando estiver em pleno funcionamento.


A unidade vai contar com 179 leitos, sendo 62 de obstetrícia 23 de ginecologia, 31 leitos pediátricos, dez leitos de UTI neonatal, nove leitos de cuidados intermediários UCINCo, cinco leitos UCIN/Canguru, cinco berçários, duas salas de observação pediátrica, duas salas de intercorrência pediátrica, oito leitos de observação, duas salas de emergência, cinco salas de recuperação pós-anestésica e 15 salas de parto normal.

A assistência à saúde da mulher vai contemplar programas como prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), prevenção de câncer, além de todos os passos desde o pré-natal até a assistência à mulher e ao recém-nascido.

Miqueias Coelho, da editoria de Saúde - Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)

Fotos:







Fonte: Prefeitura de Goiânia