12 de fevereiro de 2016

Moradores reclamam da retirada de árvores em praça de Goiânia



Frequentadores dizem que jamelões não representavam nenhum risco. Comurg afirma que iniciou retirada dos galhos após pedidos da população.

Moradores do Setor Nova Suíça, em Goiânia, criticam a retirada de jamelões da Praça Irene Machado. Segundo os frequentadores do local, as árvores não apresentavam nenhum problema ou risco de queda. Sem elas, eles dizem que as áreas com sombras irão acabar.

Os jamelões, chamados também como jambolão, são conhecidos pelo fruto de cor roxa e que ao caírem, deixam o terreno escorregadio. Entretanto, quem passa pela praça diz que isso não era nenhum incômodo.

“Se fosse na rua, eu nem falava nada, porque dizem que causa acidente. Mas aqui as árvores estavam na terra, não atrapalhava em nada”, contou o técnico em segurança Lineu dos Santos, de 64 anos, que trabalha em frente ao local.

Quem frequenta a praça também é contra o corte. “Vai acabar com nossa sombra. A área de parquinho das crianças, por exemplo, vai ficar no sol. E essas árvores não estavam atrapalhando em nada”, disse a babá Regina Paula Alves da Silva.

A também babá Jedelcina Chaves dos Anjos conta que passeia na praça há três anos e acha ruim a retirada das árvores. “Existem tantos outros pontos para melhorar na praça do que mexer com os jamelões. O parquinho das crianças por exemplo podia ser melhorado, porque é só terra”, reclamou.

Em nota, a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) explicou que foram moradores e comerciantes da região que pediram o corte das árvores. No local, “há excesso de árvores que impossibilitam que a vegetação ornamental da praça floresça, além de dar abrigos a marginais”, diz o comunicado.

O órgão explicou, ainda, que os jamelões estavam sujando os bancos da praça e as ruas, além de provocar quedas de idosos no local.

A companhia destacou que as árvores retiradas serão substituídas por outras espécies típicas do cerrado. Além disso, será feita uma revitalização no espaço, com novo piso e parquinho.

Fonte: G1 Goiás