31 de janeiro de 2016

75% Concluído: governador anuncia retomada das obras do Centro de Convenções de Anápolis


Espaço deve ser entregue este ano

O governador Marconi Perillo esteve em Anápolis na manhã desta sexta-feira (29/1) para vistoriar os trabalhos de construção do Centro de Convenções. A visita marca a oficialização do reinício das obras no local. 

O Centro de Convenções deve abrigar eventos regionais, nacionais e até internacionais. “Será muito importante para Anápolis e para toda população e, sem dúvida, será referência para todo Centro-Oeste", afirmou o governador.

O prefeito de Anápolis, João Gomes (PT), disse que o governador Marconi Perillo é um homem de coragem e ousado. "É um homem público respeitado no Brasil inteiro", comentou. A vistoria do local também contou com a presença do vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, José Eliton, e do presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón.

Estrutura
As obras são executadas pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) e são custeadas com recursos do Fundo Produzir, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED). Cerca de 75% das obras já estão executadas e deverão ser entregues, em definitivo, neste ano. No total, os investimentos são da ordem de R$ 157 milhões.

O Centro de Convenções de Anápolis conta com salas multiuso, dois auditórios com capacidade para, respectivamente, 2,3 mil e 700 lugares, áreas para administração, manutenção e primeiros socorros, salas e pavilhão para exposições e teatros. Terá também restaurante, salas de apoio, cozinha, estacionamento, camarotes, camarins, teatro de arena e outras dependências que permitirão a realização dos mais diferentes eventos.

A localização do Centro de Convenções é privilegiada: à BR-060, com a Avenida Brasil, quase em frente ao trevo do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). A expectativa é que o espaço abrigue eventos regionais, nacionais e até internacionais, uma vez que a cidade fica a apenas 55 quilômetros de Goiânia e a 154 quilômetros de Brasília. 

Fonte: A Redação


Goiânia e Aparecida de Goiânia estão entre as 30 cidades mais violentas do mundo em 2015; veja lista


Conclusão foi feita por uma organização não governamental mexicana, que levou em consideração a taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes, excluindo cidades com menos de 300 mil habitantes e regiões em guerra.

Goiânia e Aparecida de Goiânia estão entre as 30 cidades mais violentas do mundo em 2015, segundo o ranking internacional do Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal, uma organização não governamental mexicana, divulgado nesta segunda-feira (25).

A lista leva em consideração o número de homicídios por 100 mil habitantes e inclui apenas as cidades com 300 mil habitantes ou mais, excluindo ainda as regiões que vivem em “conflitos bélicos abertos”, como, por exemplo, a Síria e o Iraque.

No ranking mundial de violência da ONG mexicana, Goiânia e Aparecida de Goiânia ocupam a 29ª posição, com o mesmo índice: 43,38 homicídios por cada 100 mil habitantes. Caracas, capital da Venezuela, é a cidade mais violenta segundo a lista, com 119,87 homicídios por 100 mil habitantes.

O Brasil é o país com mais cidades inclusas no ranking. Das 50 primeiras da lista, 21 cidades são brasileiras. No país, Fortaleza, capital do Ceará, lidera, com 60,77 homicídios por cada 100 mil habitantes. No mundo, a capital cearense ocupa a 12ª posição.

Veja a lista das 50 cidades mais violentas, segundo o ranking (homicídios/100 mil habitantes):

1° - Caracas (Venezuela) - 119.87 homicídios
2° - San Pedro Sula (Honduras) - 111.03
3° - San Salvador (El Salvador) - 108.54
4° - Acapulco (México) - 104.73
5° - Maturín (Venezuela) - 86.45
6° - Distrito Central (Honduras) - 73.51
7° - Valencia (Venezuela) - 72.31
8° - Palmira (Colômbia) - 70.88
9° - Cidade do Cabo (África do Sul) - 65.53
10° - Cali (Colômbia) - 64.27
11° - Ciudad Guayana (Venezuela) - 62.33
12° - Fortaleza (Brasil) - 60.77
13° - Natal (Brasil) - 60.66
14° - Salvador e região metropolitana (Brasil) - 60.63
15° - ST. Louis (Estados Unidos) - 59.23
16° - João Pessoa; conurbação (Brasil) - 58.40
17° - Culiacán (México) - 56.09
18° - Maceió (Brasil) - 55.63
19° - Baltimore (Estados Unidos) - 54.98
20° - Barquisimeto (Venezuela) - 54.96
21° - São Luís (Brasil) - 53.05
22° - Cuiabá (Brasil) - 48.52
23° - Manaus (Brasil) - 47.87
24° - Cumaná (Venezuela) - 47.77
25° - Guatemala (Guatemala) - 47.17
26° - Belém (Brasil) - 45.83
27° - Feira de Santana (Brasil) - 45.50
28° - Detroit (Estados Unidos) - 43.89
29° - Goiânia e Aparecida de Goiânia (Brasil) - 43.38
30° - Teresina (Brasil) - 42.64
31° - Vitória (Brasil) - 41.99
32° - Nova Orleans (Estados Unidos) - 41.44
33° - Kingston (Jamaica) - 41.14
34° - Gran Barcelona (Venezuela) - 40.08
35° - Tijuana (México) - 39.09
36° - Vitória da Conquista (Brasil) - 38.46
37° - Recife (Brasil) - 38.12
38° - Aracaju (Brasil) - 37.70
39° - Campos dos Goytacazes (Brasil) - 36.16
40° - Campina Grande (Brasil) - 36.04
41° - Durban (África do Sul) - 35.93
42° - Nelson Mandela Bay (África do Sul) - 35.85
43° - Porto Alegre (Brasil) - 34.73
44° - Curitiba (Brasil) - 34.71
45° - Pereira (Colômbia) - 32.58
46° - Victoria (México) - 30.50
47° - Johanesburgo (África do Sul) - 30.31
48° - Macapá (Brasil) - 30.25
49° - Maracaibo (Venezuela) - 28.85
50° - Obregón (México) - 28.29



Serviços da Uber começam a operar em Goiânia



A partir desta sexta-feira o aplicativo estará disponível para os goianienses

A empresa de serviços de transportes privados Uber vai começar a atuar em Goiânia nesta sexta-feira (29). O preço mínimo da corrida pe de R$ 6. O serviço UberX, com carros de quatro portas, ar condicionada e com menos de sete anos de uso, é o que deve ser implantado na capital. O serviço terá início a partir das 14h.

A solicitação dos serviços é feita através do aplicativo instalado no celular, sendo necessário informação de localização do cliente. O Uber identifica o motorista disponível mais próximo e envia informações do mesmo como nome, foto e avaliação. São possíveis ainda ver modelo e placa do veículo e estimativa dos valores do percurso.

O serviço tem um valor na base de R$ 2,50 pela chamada, adicionando ainda os valores do percurso e tempo de corrida. Os pagamentos são feitos pelo cartão de crédito do usuário já cadastrado no perfil dele no aplicação de celular. A empresa Uber fica com 25% do valor da corrida, e o restante fica com o motorista que realiza o serviço.

O usuário pode fazer a avaliação do motorista ao final da viagem, que para se manter no serviço, precisa ter uma avaliação mínima de 4,7 estrelas de um máximo de 5. Quando o prestador de serviços não alcança a nota mínima, recebe notificações da empresa para melhorar. Caso a melhora do motorista não aconteça, ele é excluído da plataforma.

A capital goiana é a sétima cidade no Brasil a receber os serviços, depois de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas, Porto Alegre e Brasília.

Fonte: DM


Possível visita do Papa Francisco a Goiás é discutida em reunião em Goiânia


Governador recebeu representantes do Vaticano

A possível visita do Papa Francisco ao Estado de Goiás para a inauguração da nova basílica de Trindade, prevista para 2018, foi discutida em reunião realizada no Palácio das Esmeraldas neste sábado (30/1).

O governador de Goiás, Marconi Perillo, e a primeira-dama Valéria Perillo receberam representantes do Vaticano para discutir o tema e garantiram apoio do Estado para que a vinda do papa seja possível. No entanto, não deram mais detalhes sobre o assunto.

A visita do Papa é esperada por inúmeros fiéis e a basílica de Trindade, inclusive, redigiu uma carta direcionada ao Santo Padre fazendo o convite. O conteúdo está disponível no site da basílica.

Secretário da Congregação para a Educação Católica da santa Sé do Vaticano, Dom Angelo Vicenzo; o arcebispo metropolitano de Goiânia, Dom Washington Cruz; e o reitor da PUC-GO, Wolmir Amado, participaram do encontro.

"Foi uma reunião muito proveitosa. Conversamos sobre as universidades católicas pelo mundo, as parcerias entre os governos e as pontifícias universidades católicas e sobre o Papa Francisco, que é muito querido por todos", frisou  Marconi Perillo.

Fonte: A Redação


28 de janeiro de 2016

Estádios goianos recebem notas baixas em avaliação do Ministério do Esporte



Dos cinco estádios goianos avaliados pelo Ministério do Esporte, apenas três atingiram classificação geral três, em nota que pode variar de um a cinco. Apesar de o Serra Dourada e o Hailé Pinheiro, Serrinha, em Goiânia, atingirem a avaliação de três bolinhas na classificação geral, notas foram piores em quesitos separados. Veja aqui a lista completa.

Lançado pelo governo federal na manhã desta quinta-feira (28/1), o Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios (Sisbrace) avaliou a segurança, conforto, acessibilidade e higiene de 155 estádios brasileiros. De acordo com os dados divulgados hoje, as avaliações valem por 36 meses.

“É facultada ao gestor do estádio a solicitação de uma nova avaliação de classificação quando este entender que melhorias e adequações realizadas nos estádios justificam o pedido”, explica o texto do Sisbrace.

Além do estádio Serra Dourada, administrado pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), e o Serrinha, que pertence ao Goiás Esporte Clube, o Ministério do Esporte também avaliou os estádios Jonas Ferreira Duarte, de Anápolis, Juscelino Kubitschek de Oliveira, o JK, de Itumbiara, e o José Roriz Aguiar, o Serra do Lago, em Luziânia.

De acordo com a metodologia aplicada na pesquisa do Sisbrace, as notas obtidas por um estádio não podem ser usadas para comparar a situação em que ele se encontra com outro também analisado no estudo. “Isto porque essa classificação reflete uma condição particular do estádio quanto à origem e condições de não conformidades”, descreve o material.



Hailé Pinheiro (Serrinha)


Com as melhores notas entre os estádios goianos, o Hailé Pinheiro, mais conhecido como estádio da Serrinha, no setor Bela Vista, recebeu três bolinhas na classificação geral. A mesma nota foi obtida na avaliação da segurança e na de higiene. A pior veio no conforto e acessibilidade, com duas bolinhas (avaliação varia de uma bolinha – pior – a cinco – melhor nota). Nas informações sobre o Serrinha, o Sisbrace traz a capacidade de público: 6,3 mil pessoas.

Serra Dourada


O estádio Serra Dourada, em Goiânia, teve a mesma nota geral do Hailé Pinheiro: três bolinhas. A avaliação continuou igual no item segurança. Mas caiu quando o assunto é conforto e acessibilidade: duas bolinhas. O Serra também obteve apenas a nota dois para a sua higiene. O estádio tem capacidade de público de 41.574 lugares, de acordo com o Ministério do Esporte.

José Roriz Aguiar (Serra do Lago)


O estádio José Roriz Aguiar (Serra do Lago), em Luziânia, tem capacidade para 21.564 pagantes. Com avaliação geral de duas bolinhas, o Serra do Lago recebeu avaliação três em segurança, dois em conforto e acessibilidade e apenas um na higiene.

Pouco conhecido pelo público que acompanha o Campeonato Goiano, pois a cidade de Luziânia tem um clube, a Associação Atlética Luziânia participa, que participa do Campeonato Candango de Futebol.

Jonas Ferreira Duarte (Jonas Duarte) 


Da Prefeitura de Anápolis, o estádio Jonas Duarte, com capacidade para 13 mil pessoas, recebeu avaliação geral de duas bolinhas, com a mesma nota para sua segurança e conforto e acessibilidade. Na higiene, o Jonas Duarte conseguiu apenas uma bolinha, a pior avaliação possível.

Juscelino Kubitschek de Oliveira (JK)



O estádio Juscelino Kubitschek de Oliveira, conhecido como estádio JK, foi o que recebeu as piores notas dos cinco avaliados pelo Sisbrace em Goiás. Com apenas uma bolinha na classificação geral, na segurança e na higiene, o JK só conseguiu uma nota superior a um no conforto e acessibilidade, com duas bolinhas.

Está previsto o início de uma nova fase de análises do Sisbrace, que irá classificar mais 140 estádios pelo Brasil, informou o Ministério.

Critérios

Segurança, questões de vigilância sanitária, conforto e acessibilidade, estes são os aspectos analisados pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios (Sisbrace). Desenvolvido pelo Ministério do Esporte, em parceria com o Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais/COPPE/UFRJ (IVIG), o Sisbrace tem como intuito apresentar a qualidade de cada um dos estádios e estabelecer critérios para aprimorar esses atributos e gerar melhorias nas deficiências existentes.

A classificação dos estádios segue o modelo semelhante aos dos hotéis, em que ao invés de estrelas, a categoria da arena esportiva é estabelecida por bolas. Os níveis variam de 1 bola – para estádios em condições mais desfavoráveis – a 5 bolas – para os estádios com melhor categorização, explicou o Ministério do Esporte.

155 estádios em 129 cidades brasileiras foram inspecionados durante dois anos de trabalho de campo, com metodologia fundamentada no Estatuto de Defesa do Torcedor, nas disposições que tratam das condições de segurança dos estabelecimentos desportivos.

O ministro do Esporte, George Hilton, disse acreditar que o momento atual das políticas públicas em relação ao futebol é de atenção ao torcedor. “Com isso o grande beneficiado é o torcedor, que quer ir ao estádio e quer ver mais do que o seu time jogar, quer que o estádio seja um local de convivência, de harmonia. E tanto o poder público como as entidades privadas precisam respeitar isso.”

Maracanã (RJ), Arena Corinthians (SP), Mineirão (MG), Arena Amazonas (AM) e Mané Garrincha (DF) são exemplos de estádios que receberam a classificação de cinco bolas, assim como as demais arenas que sediaram jogos da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. A exceção é a Arena Pantanal (MT), que foi classificada como quatro bolas.

Contribuição do torcedor

E o torcedor também vai poder contribuir para a melhoria dos estádios, pois “será lançado aplicativo dando aos torcedores a oportunidade de observações e apontamento de melhorias nos estádios de futebol, em complemento ao produto Estádio Mais, que envolve a modernização dos laudos técnicos”, segundo o secretário Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor do Ministério do Esporte, Rogério Hamam. (Com informações do Ministério do Esporte)

Fonte: Jornal Opção


Faltam 82 dias: Shopping Cerrado será inaugurado em abril na capital goiana


Empreendimento vai contar com 151 lojas

O Shopping Cerrado, no Setor Aeroviário, em Goiânia, já tem data marcada para sua inauguração. O empreendimento, que tem a administração da Cyrela Commercial Properties S.A. (CCP), estará aberto ao público a partir do dia 19 de abril. Os lojistas tomaram posse das lojas no último dia 4 de janeiro.

O Shopping tem área bruta locável (ABL) de 27.805 m² em um terreno com área total de 65 mil m². O empreendimento vai contar com 151 lojas, 7 salas de cinema Stadium Cinépolis, e 2.094 vagas de estacionamento, com metade das vagas cobertas. Marcas como Riachuelo, Renner, Fujioka e Magic Games já confirmaram presença.

O projeto arquitetônico foi desenvolvido por Alcindo Dell´Agnese Arquitetos Associados e contempla iluminação natural, proporcionada por amplos espaços envidraçados, permitindo que o consumidor sinta-se muito mais próximo à natureza.

Fotos:









Fonte: A Redação


25 de janeiro de 2016

Caldas vai receber primeira unidade hoteleira da marca americana Hard Rock no Brasil


Ocupando uma área de cerca de 30 mil metros quadrados da área do antigo Country Clube de Caldas Novas, localizado a dois quilômetros do Grupo Privê, será construída a primeira unidade hoteleira do País da marca americana Hard Rock, obras começam em abril, Balneário Camboriú (SC), Gramado (RS) e Fortaleza (CE) também receberão uma unidade do Hotel.  A frente do empreendimento está o Grupo Rmex Investimento Imobiliário, Serviços Empresariais – de Caldas Novas.

O diretor da Rmex, Ricardo Assunção, explica que não pode repassar informações do projeto por conta de uma cláusula contratual de sigibilidade. “Vazou a informação de que terá o hotel, mas não podemos falar mais nada enquanto não tivermos um retorno do grupo americano”, explica. O início das obras está prevista começa este ano.

Hard Rock

O Hard Rock Café é uma marca americana de café, hotéis e casinos, somando mais de 140 unidades presentes em 36 países.

Vídeo do Projeto:



Fonte: Jornal O Popular


24 de janeiro de 2016

Com maior volume de água em oito anos, previsão é de mais chuva no domingo


Entre os dias 18 e 20 de janeiro choveu 26,6% do volume esperado para todo o mês

Com chuvas que já atingiram 112% das expectativas para janeiro, o volume médio de água em Goiás entre os dias 18 e 20 chegou a 60,6 milímetros (mm), que equivale a 26,6% do esperado para o mês inteiro. Parte das regiões Sul, Central e Leste do Estado já superou os 100 mm de chuva nos primeiros 22 dias do ano.

No Sul goiano, já choveu acima do esperado para janeiro. Não chovia tanto assim há oito anos no mês de janeiro, desde 2008.

Rosidalva Lopes, superintendente de Políticas e Programas de Pesquisas e Desenvolvimento da Secretaria do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), informou que a temperatura máxima registrada em janeiro atingiu 36ºC e a mínima chegou a 0,7ºC, abaixo dos valores esperados para o mês.

A Zona de Convergência de Umidade do Atlântico Sul (ZCAS) continua a atuar em Goiás entre sexta-feira (22/1) e segunda (25), explicou Rosidalva. Um movimento de deslocamento para a região Norte pode trazer mais chuva até o dia 25 no Norte, Leste e parte a região Central de Goiás.

No restante do território goiano pode haver nebulosidade variável e pancadas pesadas de chuva. Uma pequena elevação da temperatura deve acontecer no Oeste e Sul de Goiás, com umidade relativa do ar nos casos mais baixos em torno de 50%.

Domingo

Neste domingo (24), a previsão é de chuva no Norte, Leste e parte da região Central do Estado.  Pancadas de chuva devem acontecer nas outras áreas de Goiás. Umidade acima dos 50% e temperatura deve ficar entre a mínima de 18ºC no Norte e a máxima de 33ºC no Oeste goiano.

Na capital, poucas nuvens e sol na parte da manhã, com aumento da nebulosidade a tarde e pancadas de chuva. A temperatura deve cair nessa madrugada para perto de 22ºC e a máxima chegar a 31ºC, de acordo com o Sistema de Meteorologia e Hidrologia de Goiás. (Com informações do Goiás Agora)



Início das obras do VLT depende da Dilma


O projeto do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) em Goiânia está paralisado. Segundo o secretário executivo do VLT, Carlos Maranhão, para o seguimento do projeto é necessária a mudança da política nacional de restrição de investimentos, que impede a retirada de empréstimos aos Estados.

Segundo Maranhão, o projeto depende fundamentalmente do Governo Federal. De acordo com ele, 40% dos recursos do VLT seriam da iniciativa privada, que injetaria R$ 700 milhões, no entanto, os 60% restantes, R$ 1 bilhão, não conseguem ser supridos por recursos do Tesouro Estadual.

O secretário do VLT ressaltou que o projeto, integrante do programa Pró-transportes do Ministério das Cidades, está paralisado devido as dificuldades financeiras. “Caso não mude a política nacional, o projeto fica inviabilizado. Estamos na expectativa”, disse Carlos Maranhão.

No mês passado, o governador Marconi Perillo (PSDB), participou de uma reunião na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para a implantação da Ferrovia Brasília/Goiânia. Na ocasião, pediu ao Ministro do Planejamento, que o VLT fosse incluído no PAC e nos financiamentos federais para a área de transportes.

Fonte: Diário de Goiás


MP anuncia ter provas para denunciar ex-presidente Lula


Assessoria de Lula diz que Justiça "violou a lei" ao repassar dados para imprensa

O Promotor do Ministério Público Estadual de São Paulo (MPE-SP), Cassio Conserino, disse que tem provas suficientes para denunciar o ex-presidente Lula e a sua mulher, Marisa Letícia, por suspeita do crime de lavagem de dinheiro na investigação sobre o apartamento triplex que tinha sido reservado no edifício Solaris, no Guarujá (SP), pela construtora OAS para a família do ex-mandatário.

A avaliação do promotor da Justiça paulista foi divulgada pela revista Veja nesta sexta-feira (22/01). Para a mídia brasileira, Conserino afirmou que as provas de que a OAS favoreceu Lula são fortes, mas o ex-presidente ainda terá a oportunidade de apresentar defesa no decorrer das apurações para tentar evitar o oferecimento da acusação formal.

Lula é investigado em uma apuração sobre a legalidade da transferência de empreendimentos da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) para a OAS, em 2009. A Promotoria apura também se a empreiteira usou apartamentos do prédio para lavar dinheiro ou beneficiar indevidamente pessoas.

Lula nega ser dono do apartamento e afirma que havia apenas uma opção de compra em nome de Marisa Letícia, que não havia sido exercida. "Isso (ocultação de patrimônio) é balela. Temos provas documentais, circunstanciais e testemunhais de que a família era dona do imóvel que foi, inclusive, reformado pela OAS e recebeu elevador privativo para beneficiar o ex-presidente", disse Conserino ao jornal O Globo .

Ele explicou, ainda, "que depois que o apartamento foi entregue, tanto Marisa quanto um dos filhos de Lula, o Lulinha, chegaram a passar alguns dias no imóvel, que foi desocupado depois da reportagem de O Globo . Os móveis foram retirados". O promotor afirmou também que a investigação já passou de 50%, mas ainda não está concluída.

Fonte: Terra


Estádio Serra Dourada está pronto para o Goianão


Estádio passa por adequações estruturais e tem campo reduzido, por exigência da Fifa, para disputa do campeonato estadual que começo no próximo dia 30 de janeiro

Depois do imbróglio jurídico sobre a interdição do Serra Dourada para os jogos do Goianão, o estádio finalmente foi liberado. Enquanto se discutia na Justiça a falta dos laudos técnicos – uma exigência legal, conforme o Estatuto do Torcedor –, a praça esportiva passava por adequações estruturais para a disputa do Campeonato Goiano. A principal delas foi a redução das medidas do campo visando atender as normas da Federação Internacional de Futebol (Fifa).

Além do Serra Dourada, o Goianão 2016, que começa no próximo final de semana com a disputa de cinco partidas, terá jogos em mais oito estádios: Onésio Brasileiro Alvarenga (Vila Nova), Serrinha (Goiás), Jonas Duarte (Anápolis e Anapolina), Anníbal Batista de Toledo (Aparecidense), Abrão Manoel da Costa (Trindade), Valdeir José de Oliveira (Goianésia), Genervino da Fonseca (Crac de Catalão) e JK (Itumbiara).

Após o último jogo disputado no ano passado – Goiás 0 x 1 São Paulo, no dia 6 de dezembro –, o Serra Dourada teve o tamanho do gramado reduzido. Além desta iniciativa, a  Agência Goiana de Transporte e Obras Públicas (Agetop), responsável pelo estádio, também realizou manutenção nos vestiários, reparos hidráulicos e adequações de segurança, como a implantação de divisão fixas das torcidas (uma exigência da PM e do MP-GO), isolamento dos portões de entrada e saída das delegações, além de terceirização do estacionamento e lavagem das arquibancadas e cadeiras.

Acatando pedido do MP-GO, o juiz Leonardo Aprigio Chaves proibiu que a Federação Goiana de Futebol (FGF) utilizasse o Serra Dourada nas competições que organiza. Tudo porque o Ministério Público não foi atendido quando requisitou os laudos técnicos exigidos pelo artigo 23 do Estatuto do Torcedor. A decisão foi divulgada no dia 15 deste mês e, à época, o magistrado estabeleceu o pagamento de multa de R$ 500 mil por jogo realizado em caso de descumprimento da decisão.

“O Serra Dourada tem todas as condições de receber jogos do Campeonato Goiano, Brasileiro e, especialmente Goiás e Vila Nova”, disse o presidente da Agetop, Jayme Rincón durante reunião na sede da FGF. Na ocasião, inclusive, Rincón ressaltou que foram realizados trabalhos de manutenção no estádio. Na sexta-feira, porém, toda a documentação exigida foi encaminhada ao MP-GO e o estádio, com isso, está pronto para a abertura do Goianão.

A gerente do Serra Dourada, Izabella Maia, explica que o estádio está apto a sediar jogos oficiais porque atende todas as determinações legais. Inclusive, o gramado foi reduzido de 110 (comprimento) por 78 (largura) para 105 por 68 metros. A CBF determinou, após orientação da Fifa, que todos os jogos das Séries A e B do Campeonato Brasileiro, a partir deste ano, serão disputados em gramados com 105m de comprimento e 68m de largura – nem um metro a mais ou a menos.

“Aproveitamos esse trabalho de redução do campo e realizamos também a revitalização do gramado”, informa Izabella. Novas traves também serão instaladas nesta terça-feira (26). Segundo a gerente, também foi realizado neste mês a manutenção do dos vestiários de jogadores e de arbitragem, além da implantação de telas fixas de divisão das torcidas e adequações na área de desembarque e embarque das delegações.

“Conforme a legislação vigente, o Serra Dourada está apito a sediar jogos”, ressalta Izabella, confirmando o que disse Jayme Rincón durante a reunião com representantes das principais entidades ligadas ao estádio Serra Dourada, no início da semana passada. O valor gasto com a reforma não foi divulgado.

Fonte: Jornal O Hoje


Fotos: Novo Aeroporto de Goiânia


Foto: Icaro Roberto

Previsão de conclusão em abril de 2016 e com gasto estimado em R$ 470 milhões.

A previsão é que a capacidade do Santa Genoveva salte de 3,5 milhões de passageiros por ano para 8,3 milhões. O novo aeroporto terá dois andares e 34,1 mil m², com quatro portões de embarque, 23 balcões de check-in, 11 elevadores, quatro escadas rolantes, três esteiras de restituição de bagagem e sete canais de inspeção (raio-x e detector de metal)

Fotos do Terminal










Fotos: Heitor Porto

Foto: Gyn Online


Foto: Jornal O Popular

Estacionamento e Acesso ao aeroporto:








Fotos: Charleston Mudrey


22 de janeiro de 2016

Goiás: Hidrovia Paranaíba-Paraná-Tietê será reaberta


A navegabilidade da hidrovia Paranaíba-Paraná-Tietê será retomada neste sábado, dia 23, a partir da meia-noite. A garantia foi dada ao secretário de Meio Ambiente goiano, Vilmar Rocha, pelo secretário de Energia e Mineração de São Paulo, João Carlos Meirelles, durante reunião realizada dia 21, quinta-feira, em São Paulo (SP). Administrada pelo governo de São Paulo, a hidrovia está fechada desde maio de 2014, causando grandes prejuízos no escoamento de grãos, principalmente de Goiás e Mato Grosso.

“É uma excelente notícia para Goiás e para a região Centro-Oeste. Uma grande vitória depois de uma luta para que a hidrovia fosse reaberta”, comemora o secretário. Com um porto em São Simão, no Sudoeste de Goiás, a hidrovia Tietê-Paraná é muito importante para o escoamento de grãos, principalmente milho, soja e subprodutos, e chega a transportar até 8 milhões de toneladas por ano. “Esse transporte é mais econômico, o que deixa nossa produção com preços mais competitivos, favorecendo a economia do Estado”, explica Vilmar. “Ela também evita o transporte por rodovias, uma vez que a capacidade de cada barca que navega por ela equivale à carga de cerca de 180 caminhões”, completa.

A navegabilidade da Paranaíba-Paraná-Tietê foi interrompida em 2014 devido à forte seca na região Sudeste do País e à necessidade de maior vazão para as usinas hidrelétricas. Com 2.400 quilômetros de extensão, a hidrovia é uma das mais importantes do País e, segundo o Sindicato dos Armadores da Navegação Fluvial de São Paulo, o fechamento pode ter sido responsável por um prejuízo de pelo menos R$ 685 milhões e pela demissão de 1.400 trabalhadores.

Alcoolduto

Durante a audiência, em São Paulo (SP), o secretário Vilmar Rocha conversou também com o secretário João Carlos Meirelles sobre a instalação de um alcoolduto entre Uberaba e Itumbiara. A dutovia deve ser a terceira etapa do Sistema de Escoamento Dutoviário de Álcool e Derivados (Seda) que já tem seu primeiro trecho em operação entre Paulínia (SP) a Ribeirão Preto (SP), com 208 quilômetros de extensão e capacidade para transportar 12 milhões de m³ por ano de etanol. A segunda etapa, que possui 143 quilômetros de extensão, liga Ribeirão Preto (SP) a Uberaba (SP).

Fonte: Goiás Agora


Passe Livre Estudantil inicia cadastro nesta segunda-feira



Tem início na próxima segunda-feira, dia 25, o cadastro para o Passe Livre Estudantil (PLE), tanto para quem já possui o benefício quanto para quem deseja ingressar no programa. O procedimento será realizado nas unidades do Vapt Vupt de Goiânia ou da Região Metropolitana.

É preciso levar os seguintes documentos: cartão do passe escolar devidamente registrado no Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (SET), CPF e RG originais do titular do benefício. Caso o estudante seja menor de idade, a solicitação deve ser realizada pelo responsável legal. O registro do cartão do passe escolar perante o sindicato deve ser realizado pelo site do Sitpass até o dia 4 de março.

Os municípios onde é possível fazer o cadastro são: Abadia de Goiás, Aparecida de Goiânia, Aragoiânia, Bonfinópolis, Brazabrantes, Caldazinha, Goianápolis, Goiânia, Goianira, Guapó, Hidrolândia, Nova Veneza, Santo Antônio de Goiás, Senador Canedo e Terezópolis de Goiás.

Passe Livre

Nos municípios que viabilizaram o programa Passe Livre Estudantil, é assegurado a estudantes duas viagens gratuitas no transporte coletivo, por dia, para garantir a ida e a volta da instituição de ensino. Ao estudante é permitido receber até 48 viagens mensais, fornecidas de acordo com os dias letivos de cada escola ou faculdade.

Em 2015, o Passe Livre Estudantil beneficiou 51.206 estudantes do ensino fundamental à pós-graduação. A expectativa é de que o programa seja estendido para Anápolis, Rio Verde, Jataí e Catalão, ainda em 2016.

Para o secretário de Governo, Henrique Tibúrcio, o transporte gratuito contribui para conter a evasão escolar. “Uma de nossas preocupações é permitir que o acesso à Educação continue avançado”, afirmou Tibúrcio, ao dizer que em 2015 outros municípios passarão a contar com o programa.

Fonte: Goiás Agora


21 de janeiro de 2016

Rio Verde lidera ranking de municípios que mais exportaram em 2015


Localizado no Sudoeste goiano, o município de Rio Verde se destacou como o maior exportador em 2015, ao movimentar US$ 469,017 milhões em vendas para o exterior. O valor representa 8% do total comercializado pelo Estado com países estrangeiros. Na sequência do ranking aparecem Alto Horizonte, Itumbiara, Luziânia, Anápolis, Palmeiras de Goiás, Mozarlândia, Barro Alto, Ouvidor e São Simão. Juntos, os dez municípios representaram 42,5% de todo volume exportado no ano passado.

O principal produto exportado por Rio Verde foi a soja (43%), seguida por milho (37%), óleo de soja (9%), tortas e outros resíduos extraídos do óleo de soja (6%), algodão (2%), farinha de cereais (1,5%) e carne suína (0,6%). Como destino os produtos foram para China, Taiwan, Vietnã, Coreia do Sul e Índia.

Já Alto Horizonte, no Norte do Estado, comercializou US$ 338,553 milhões, provenientes da produção de minério de cobre e seus concentrados. O produto foi vendido principalmente para a China (51,5%), Chile (20,5%), Japão (19,66%), Canadá (3,86%) e Estados Unidos (3,47%).

Itumbiara, no Sul do Estado, movimentou US$ 298,5 milhões no comércio de couro curtido, tortas e resíduos sólidos extraídos do óleo de soja, soja, milho, grupos electrogêneos e conversores rotativos e elétricos, dentre outros. Como principais compradores estão a Holanda, Estados Unidos, China, Vietnã, Uruguai, Hungria, Bangladesh, Austrália, Coreia do Sul, Índia, Itália e México.

Situada no Entorno do Distrito Federal, a cidade de Luziânia exportou US$ 243,7 milhões, com destaque para a soja que representou 48,8% do total. Em seguida, aparecem o milho (37,2%), óleo de soja e respectivas frações (8,5%), tortas e outros resíduos sólidos extraídos do óleo de soja (4,2%), além de algodão, carne de aves e outras obras de alumínio. Os principais compradores foram China, Coreia do Sul, Irã, Tailândia, Espanha, Japão, Malásia, Indonésia, Peru e Vietnã.

Carnes

As cidades de Palmeiras de Goiás (Oeste) e Mozarlândia (Noroeste) se destacaram como grandes produtores e exportadores de carnes bovinas. Elas enviaram, respectivamente, US$ 238 milhões e US$ 230 milhões em carnes para diversas regiões do mundo. Enquanto a cidade da região Sul teve como principais países compradores o Irã, Rússia, Egito, Hong Kong, Itália, Chile, Líbano, Holanda, Reino Unido e Argélia, a produção de carnes de Mozarlândia chegou à China, Rússia, Hong Kong, Itália, Chile, Suécia, Jordânia, Cingapura, Irã, Holanda, Filipinas, Espanha, Egito, Líbano, Venezuela, entre outros.

Ferroligas

Barro Alto, situado no Vale do São Patrício, e Ouvidor, no Sudeste goiano, estão no ranking dos dez principais exportadores goianos por conta de suas produções do minério ferroligas. As ferroligas são utilizados nas indústrias automobilísticas, eletroeletrônica, setor hospitalar, química e petroquímica entre outras.

Barro Alto exportou, em 2015, o total de US$ 219 milhões com a venda do produto, principalmente para China, Finlândia, Suécia, Itália, Países Baixos (Holanda), Estados Unidos, Reino Unido, Polônia, Índia e Bélgica. Já Ouvidor exportou US$ 218,8 milhões para os países acima e também para a Coreia do Sul, Turquia, Cingapura, Canadá, Emirados Árabes Unidos, Japão, Taiwan, Rússia e Espanha.

São Simão

O complexo portuário de São Simão colocou a cidade de mesmo nome no ranking das dez maiores cidades exportadoras de Goiás. O porto fica às margens do rio Paranaíba, no ponto extremo norte da hidrovia Tietê-Paraná, da qual faz parte. Localizada em área de grande concentração econômica, a hidrovia é um sistema formado por conjunto de eclusas em cascata, unindo lagos de usinas hidrelétricas situadas nos rios Tietê e Paraná e que abrange, além do Paranaíba, os rios Grande e Paranapanema.

Por lá, foram exportados US$ 214 milhões em tortas e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja, soja (mesmo triturada), sais e hidróxidos de amônio quaternários; lecitinas e outros fosfoaminolípidos; açúcares de cana ou de beterraba e sacarose quimicamente pura, no estado sólido; glicerol em bruto. Os produtos seguiram pela hidrovia para o Porto de Santos, de onde seguiu para 26 países da União Europeia (UE), Ásia, Estados Unidos, África e Canadá.

Anápolis lidera

AnapolisConsiderada como um dos principais centros logísticos do País, Anápolis se destacou tanto nas exportações quanto nas importações goianas. A cidade aparece como o quinto maior município exportador do Estado com a soma de US$ 241,5 milhões. Foram exportadas tortas e outros resíduos sólidos extraídos do óleo de soja, soja triturada, veículos aéreos, veículos aéreos e preparações e artigos farmacêuticos.

Mas foi nas importações que o município do centro goiano teve grande participação. Com o registro de US$ 1,697 bilhão nas compras – que representou 50,5% do total das importações goianas – Anápolis aparece como o 23º município brasileiro que mais importou.

O vice-governador e titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, José Eliton, atribui os bons números anapolinos à sua logística privilegiada que abriga um porto seco, um dos principais polos farmoquímicos do País, montadoras de automóveis e outras importantes empresas de diversos segmentos. Os principais produtos importados por Anápolis foram sangue humano; sangue animal para usos terapêuticos, 35,4%; partes e acessórios de veículos automóveis, 11,9%; medicamentos, 8,9%; automóveis de passageiros e outros veículos automóveis, 8,8%; além de compostos heterocíclicos, motores de pistão, derivados orgânicos da hidrazina e hidroxilamina, e antibióticos.

Importação

Catalão, com importações de US$ 736,4 milhões e Aparecida de Goiânia, com US$ 311,4 milhões, completam a lista dos três maiores importadores goianos. Catalão recebeu automóveis de passageiros, 23,3%; partes e acessórios de veículos, 22,4%; adubos e fertilizantes, minerais, químicos – potássicos ou azotados; motores de pistão, máquinas e aparelhos para colheita ou debulha de produtos agrícolas e enxofre, etc. Aparecida de Goiânia importou medicamentos; hormonas, prostaglandinas, tromboxanos e leucotrienos; reagentes de diagnóstico ou de laboratório; preparações e artigos farmacêuticos; polímeros acrílicos; sangue humano; sangue animal preparado para usos terapêuticos, compostos heterocíclicos etc.

A Alemanha foi a principal origem das importações goianas. Os produtos comprados do país europeu representaram 14% do total importado por Goiás. Coreia do Sul, 13,7%, Estados Unidos, 13,3%, Japão, 12,9%, China, 9%, Suíça, 4,7%, Tailândia, 4,2%, Índia, 3,1%, Canadá, 2,7%, Rússia, 2,3%, fecham a lista dos principais fornecedores internacionais.

O vice-governador esclarece que os três municípios que lideram as importações são locais que abrigam os principais polos industriais do Estado. “Nessas cidades, estão concentradas multinacionais e importantes grupos do segmento empresarial”. Mas Eliton ressalta que hoje já se observa uma grande desconcentração com as novas empresas que estão chegando e que estão aproveitando os incentivos e benefícios concedidos pelo Governo de Goiás para se instalar em outras regiões. Segundo ele, cerca 80 cidades goianas atuaram no mercado internacional em 2015. “Além de aumentar o quantitativo de municípios que atuam nesse mercado, estamos trabalhando fortemente para que cada vez mais possamos vender produtos com maior valor agregado”, disse.

Balança comercial 2015

A balança comercial goiana fechou o ano de 2015 com superávit comercial, ou saldo positivo, de US$ 2,515 bilhões, apenas 1,7% abaixo do recorde histórico registrado em 2014. O resultado alcançado é fruto das exportações que somaram US$ 5,878 bilhões e importações que totalizaram US$ 3,363 bilhões. Os números obtidos permitiram que o saldo goiano representasse uma fatia de 12,7% de participação na balança comercial brasileira. “É uma participação expressiva”. afirmou José Eliton.

A Ásia foi o principal mercado comprador dos produtos goianos. Os países asiáticos receberam 49% das exportações goianas, com destaque para a China que respondeu por 26% do total das exportações goianas. A Índia comprou 4,5%, Coreia do Sul, 3,5%, Hong Kong, 3%, e Vietnã, 2,9%. A União Europeia foi responsável por 21,5%, com participação de 10,2% da Holanda e de 2,8% da Itália. O Oriente Médio foi o terceiro principal mercado. Eles receberam, em 2015, 9,4% dos produtos goianos exportados. Destaque para o Irã que comprou carnes e de aves, milho e soja. A África (4,8%), Europa Oriental (4,3%) e demais blocos (10,4%) completam o destino das exportações goianas.

Fonte: Goiás Agora


Área comercial do Aeroporto de Goiânia é arrematada



Empresa de Campinas irá gerir espaço dos lojistas por 11 anos. Valor foi o triplo da concorrência

Ofertando o triplo do valor da concorrente, a Socicam Administração, Projetos e Representações LTDA arrematou o direito de administrar, por 11 anos, a área comercial do novo terminal do Aeroporto de Goiânia. O edital foi homologado ontem, apenas cinco dias após abertura. A empresa possui 25 dias úteis, a contar dia 20 de janeiro, para entregar à Infraero a garantia de cumprimento de contrato.

A partir do momento que o contrato estiver vigente, a empresa está liberada para fazer prospecção com futuros lojistas para iniciarem adequações no local (veja quadro). A abertura do novo terminal está prevista para abril deste ano.

O preço fixo inicial da licitação foi de R$ 1 milhão (à vista). Critério de julgamento, a empresa ofertou o maior valor mensal - R$ 755 mil mais, conforme edital, 50% do faturamento bruto mensal. A única concorrente, a Terral Participações e Empreendimentos Ltda registrou o lance mensal de R$ 250 mil e 50% do faturamento bruto mensal. O Valor Global Estimado é de R$ 97 milhões, já incluso o preço fixo inicial.

A Socicam possui quatro décadas de experiência em gestão de terminais de passageiros. Fundada em 1972, em Campinas, a empresa iniciou suas operações administrando o antigo terminal rodoviário do município. Hoje, atua em 40 terminais rodoviários localizados na Região Sudeste, Nordeste, Centro-Oeste, além do Novo Terminal de Brasília. Administra terminais urbanos no Paraná, Bahia e São Paulo.

O Aeroporto Santa Genoveva será o oitavo aeroporto gerido pela empresa, mas o primeiro numa capital. Os demais sete estão espalhados pelo interior da Bahia (BA) e Minas Gerais (MG), além do Aeroporto Nelson Ribeiro Guimarães, em Caldas Novas.

Shopping

A empresa terá o direito de gerir e explorar o espaço de 24,7 mil metros quadrados. Se comparado com shoppings da capital goiana, todo o espaço, incluindo o que é destinado às locadoras de veículos, se aproxima da área bruta locável (ABL) do Goiânia Shopping (23 mil m²) e supera a do Araguaia Shopping (20,8 mil m²).

Na planta que integra anexo do edital, estão demarcadas cerca de 90 locais, espalhados pelo subsolo, térreo e primeiro pavimento.

Atividades Obrigatórias

Até a abertura do novo terminal, o edital estabelece que algumas atividades obrigatórias da concessão deverão estar em funcionamento, o que inclui telefones públicos, livraria, drogaria e lanchonete, tanto no saguão como na área de embarque, após o canal de inspeção dos passageiros, além do desembarque.

Umas das novidades previstas também deverá estar aberta, uma loja no conceito walkthrough, que se assemelha a corredor em que os passageiros devem percorrer para chegar até os portões de embarque. Uma das primeiras nesse conceito no País foi instalada no Aeroporto de Brasília.

O modelo de gestão prevê compartilhamento das obrigações de limpeza e manutenção. Já a Infraero se encarregará da manutenção do terminal de passageiros, dos carrinhos de bagagem, da segurança e monitoramento de áreas restritas e patrimoniais.


Mercadante confirma criação de universidades federais em Catalão e Jataí


Marconi se reuniu com ministro em Brasília

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, confirmou nesta quarta-feira (20/1) a criação das novas universidades federais de Catalão e Jataí. O anúncio foi feito durante reunião de trabalho com o governador Marconi Perillo, em Brasília. 

Mercadante afirmou que o MEC está fazendo os ajustes finais no projeto de lei de criação das duas Instituições de Ensino Superior (IFEs) para, então, enviá-los para aprovação no Congresso Nacional. "Estamos trabalhando nessa perspectiva e reafirmei o compromisso que já tínhamos com o governador Marconi Perillo para criar as duas novas universidades de Goiás", afirmou Mercadante. 

O governador reconheceu o empenho do ministro e disse que, com o gesto, a presidente Dilma promove um "grande avanço para a educação superior em Goiás, triplicando o número de universidades federais no Estado".

"Nós fizemos os estudos no MEC sobre a possibilidade de desdobrarmos a nossa universidade federal de Goiás em dois câmpus que estão consolidados, têm estrutura, densidade, perspectiva de futuro em duas novas universidades", disse o ministro da Educação.

Mercadante disse ainda que restam apenas ajustes na área orçamentária para que o texto seja encaminhado ao Congresso. "Nós ainda temos um ajuste a fazer que é o esforço de redução de pessoal, porque nós teríamos um pequeno acréscimo com esses dois câmpus, mas eles trarão muito mais avanços para a economia do Estado do que qualquer outra iniciativa que a gente possa ter", afirmou.

A parceria entre o Governo de Goiás e a Universidade Federal de Goiás sempre foi uma marca das administrações do governador Marconi Perillo, desde o primeiro mandato dele à frente do Palácio das Esmeraldas. O Tesouro Estadual repassou, por determinação do governador, cerca de R$ 100 milhões para a UFG durante seus mandatos.

O reitor da UFG, Orlando Afonso Vale do Amaral, disse que o apoio de Marconi sempre foi "essencial e imprescindível" para o custeio da universidade, especialmente as unidades do interior. Marconi lembrou que desde que assumiu o Governo de Goiás liderou um trabalho de apoio à manutenção dos campus de Jataí e Catalão, e também da própria UFG, com apoio e investimentos de cerca de R$ 100 milhões.

O campus de Jataí possui, hoje, 25 cursos de graduação e seis cursos de pós graduação. Tem 339 docentes e 3.200 alunos. A regional já conta, também, com curso de medicina. O campus de Catalão, por sua vez, contabiliza 20 cursos de graduação e, quando for criada a Universidade Federal do Sudeste Goiano, também será criado o curso de medicina. O governador já autorizou, recentemente, convênio da ordem de R$ 3 milhões para auxiliar na estruturação do curso de Medicina na Universidade Federal em Catalão.

Fonte: A Redação


20 de janeiro de 2016

Joelma Calypso em Goiânia e Senador Canedo/GO


Os shows da cantora Joelma Calypso que aconteceriam esse fim de semana em Goiânia e Senador Canedo (Goiás), já tem nova data. Foi divulgado pelo contratante que os shows devem acontecer nos dias 18 e 19 de Março.

Data e Local:

18/03 -  Goiânia/GO (Tatersal de Elite da Pecuária)
19/03 -  Senador Canedo/GO (Ranchão Sarapalha)

Ingressos: 

Em breve

Pontos de Vendas:

Em Breve


Fotos: Prédios do Centro de Excelência já chamam a atenção


Os atletas goianos já podem começar a comemorar. As obras do Centro de Excelência estão em fase final. Fazem parte deste complexo o Estádio Olímpico, o Laboratório de Capacitação e o Parque Aquático. Com investimento de R$ 158,65 milhões, o espaço está localizado à Avenida Paranaíba e chama a atenção por sua grandiosidade e modernidade.

O Estádio Olímpico contará com 13.500 cadeiras, que serão instaladas em torno de toda a arena esportiva, tanto nas arquibancadas cobertas quanto nas ao ar livre. Ainda contará com dois placares eletrônicos, pista de atletismo e espaço para salto a distância. O gramado, o mesmo usado no campo do Estádio do Maracanã, já está pronto e formado.

O sistema de iluminação está instalado, funcionando e no dia 18 de fevereiro próximo, uma empresa especializada fará os testes finais de eficiência nos quatro conjuntos de refletores. As cabines de transmissão dos eventos esportivos também estão quase prontas e terão ar refrigerado. Elas foram instaladas ao centro da área coberta, com vista total para o campo e as pistas de atletismo.

Complexo

O complexo terá ainda alojamento para os atletas, com 150 vagas para homens e 150 para mulheres, refeitório, auditório para 200 pessoas, 14 salas de aula, academia e quadras de treinamento. O Laboratório de Capacitação contará com quatro pavimentos e um espaço destinado à biblioteca.

As obras de conclusão incluem ainda o paisagismo da área externa, ao longo da Rua 74 e das avenidas Oeste e Paranaíba, incluindo as entradas principal e laterais.

Mais informações: (62) 3216-4554

Fotos: Assessoria do Governador e Agetop

Galeria de Fotos:






















Fonte: Goiás Agora