23 de dezembro de 2015

80 guardas vão reforçar segurança no Eixão


Comandante Elton Ribeiro de Magalhães garante que os guardas metropolitanos estão preparados para auxiliar na segurança dos cidadãos

AGuarda Civil Metropolitana de Goiânia (GCM) terá efetivo de 80 pessoas trabalhando na segurança dos usuários do Eixo Anhanguera. De acordo com o presidente-comandante da GCM, Elton Ribeiro de Magalhães, 50 guardas já atuam nos cinco terminais ao longo da linha há uma semana, como parte do estágio do curso de capacitação para esta atividade. O comandante enalteceu o trabalho da GCM no auxilio à segurança pública em Goiânia durante seu discurso na formatura da primeira turma do curso de Intervenções Táticas Especiais, na manhã de ontem (22).

Em entrevista ao O HOJE, Elton Magalhães afirmou que a GCM lançará o programa “Eixo Seguro” em breve, mas ainda não há data marcada. Os guardas metropolitanos devem atuar com seis viaturas, uma em cada terminal ao longo da linha do Eixo Anhanguera e uma extra para suporte. Além disso, os guardas terão celulares e rádios comunicadores.

“Já estamos com três equipes neste trabalho. Na última semana foram realizadas dezenas de abordagens e prisões em flagrante. Já é possível perceber que a criminalidade diminuiu nos terminais. A GCM está preparada para auxiliar a segurança pública em benefício da cidade”, diz o presidente-comandante.

Ainda de acordo com Elton Magalhães, a presença da GCM no Eixo Anhanguera acontece a pedido do prefeito Paulo Garcia. “Como a maior parte dos 220 mil usuários desta linha são moradores de Goiânia, o chefe do executivo municipal determinou a participação da GCM na vigilância dos terminais de ônibus”, explica Elton Magalhães.

Qualificação

Cinquenta guardas metropolitanos formaram-se hoje no curso de Intervenções Táticas Especiais. A duração do curso foi de 380 horas, entre aulas teóricas, práticas e estágio. As disciplinas de maior duração foram Armamento e Tiro e Controle Distúrbio Urbano, com 40 horas cada uma. De acordo com o coordenador do curso, Valdsom Batista, o objetivo é que os guardas aprimorem o trabalho que já realizam e, com isso, passam a fazer parte da Ronda Ostensiva Municipal (Romu).

O curso é realizado em parceria com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), GT-3 da Polícia Civil e Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro). Com a qualificação, os guardas do Romu podem agir em casos de extremo risco e com armas mais pesadas, diferente dos demais membros da GCM.

Questionado sobre o choque de funções com a Polícia Militar, o presidente-comandante Elton Ribeiro de Magalhães afirma que faz parte do ofício da guarda civil colaborar com a segurança dos cidadãos. “A Polícia Militar não tem efetivo para atender todas as ocorrências, por isso realizamos essa parceria. Já estamos colaborando na segurança em eventos no estágio Serra Dourada, por exemplo”, afirma o comandante.

De acordo com Elton Magalhães, a GCM atendeu mais de 20 mil ocorrências em 2015. Segundo ele, 13 mil foram em escolas municipais e 8 mil estavam ligadas à segurança, como roubos, estupros e tentativas de homicídios. “São 20 mil ocorrências que se a GCM não tivesse atendido, seria de competência da Polícia Militar. Além disso, fazemos a segurança de mais de 800 prédios públicos. A GCM está preparada para isso”, reitera.

Fonte: Jornal O hoje