4 de outubro de 2015

Parada do Orgulho LGBT ganha as ruas de Goiânia neste domingo (4/10)


Organização espera cerca de 100 mil pessoas

A capital goiana será palco da XX Parada do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais neste domingo (4/10). Com o tema "Por um Brasil que criminalize a violência contra LGBT", a organização do evento espera mobilizar cerca de 100 mil pessoas. Juntas, elas vão percorrer algumas das principais ruas de Goiânia se manifestando contra a violência em virtude da orientação sexual.

A concentração inicial será no Parque Mutirama. Por volta das 15h, o grupo caminha pelas avenidas Paranaíba, Tocantins e Araguaia, no Centro da capital, e depois retorna ao ponto de origem. Durante a caminhada, o Grupo Eles por Eles vai realizar o teste rápido do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). Ao mesmo tempo, serão distribuídos 50 mil preservativos como incentivo à prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Dados da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República indicam que o Brasil é o país campeão em assassinatos em virtude da orientação sexual. Por isso, a Parada Gay goianiense deste ano vai reivindicar a criminalização da violência gratuita contra homossexuais.

“Essa comunidade paga impostos, produz, estuda e ainda é a maior vítima de ódio, preconceito e intolerância social. As violações de direitos dos LGBTs vão desde violência psicológica até a morte ou suicídio dos sujeitos. É papel do poder público apoiar o maior evento de visibilidade massiva desta comunidade como forma de enfrentar a violência e reduzir o preconceito”, disse o assessor especial da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SMDHPA), Odílio Torres.

O evento é organizado pela Associação da Parada do Orgulho LGBT de Goiás (APOLGBT-GO) e conta com o apoio da Prefeitura de Goiânia. Durante todo o evento, a administração municipal informou que dará suporte como fechamento das vias para a caminhada, limpeza, segurança e atividades culturais. Estarão envolvidas a Guarda Civil Metropolitana, a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), as secretarias municipais de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) e Cultura (Secult).


Fonte: A Redação