11 de outubro de 2015

Fotos: Infraero terá parceria na administração do novo terminal de passageiros de Goiânia





Com inauguração prevista para 2016, o novo aeroporto de Goiânia já tem perfil traçado com características de um shopping. A Infraero anunciou parceria com o setor privado, e todas as áreas comerciais do local ficarão a cargo de uma administradora de shopping centers. O mesmo perfil encontrado na rodoviária da capital.

A administradora poderá escolher livremente seus varejistas e prestadores de serviços — como lojas, restaurantes, quiosques, bancos e locadoras de veículos.

O novo terminal de passageiros de Goiânia, com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2016, ficará com uma administradora de shopping centers que estará à frente de todas as áreas comerciais. A Infraero cuidará apenas da parte operacional. A administradora poderá escolher livremente seus varejistas e prestadores de serviços — como lojas, restaurantes, quiosques, bancos e locadoras de veículos. A informação foi publicada no site do Valor Econômico.

A segunda iniciativa será um "condomínio logístico" em Uberlândia (MG). Se essas experiências derem certo, elas poderão ser replicadas. Depois de Goiânia, o aeroporto de Congonhas (SP) também pode ter uma "concessão" única de suas áreas comerciais. Manaus (AM), Recife (PE) e Uruguaiana (RS) já estão nos planos para o novo modelo de parceria em cargas aéreas.

De acordo com o diretor comercial e de logística de cargas da Infraero, André Luís Marques de Barros, o edital de Goiânia deve ser lançado até o dia 30 de novembro. Ele conta que sete empresas demonstraram interesse.

A empresa vencedora da licitação terá de fazer, além do pagamento à vista de R$ 1 milhão, o pagamento de R$ 740 mil por mês e 50% das receitas variáveis. O diretor informou também que os atuais lojistas do antigo terminal já têm contratos à beira de expirar e foram avisados de que não poderão migrar para as novas instalações.

O contrato com a administradora de shopping center será de dez anos de duração e ativado somente com a abertura do novo terminal. Pelo menos 50% das áreas comerciais deverão estar em funcionamento. A concessionária se responsabilizará ainda por serviços como a limpeza dos banheiros.

7 empresas disputam área comercial de aeroporto

Administradora de shopping cuidará de 23 mil metros² de área e pagará R$ 740 mil mensais à Infraero

A operadora aeroportuária cuidará apenas da parte operacional do aeroporto, ficando a cargo da administradora comercial a livre escolha de seus varejistas e prestadores de serviços, como bancos, lojas, lanchonetes, restaurantes, quiosques, locadoras de veículos, entre outros. A área comercial interna será de três mil metros quadrados. Já a externa, de 20 mil metros quadrados, será destinada, exclusivamente, para locadoras de veículos.

Segundo o diretor comercial e de logística de cargas da Infraero, André Luís Marques de Barros, a exigência é de que haja na área interna atividades básicas como lotérica, guarda-malas, lanchonete e livraria. “A administradora trará uma variedade comercial ao aeroporto, de acordo com o perfil do consumidor e suas necessidades”.

A expectativa é de que com um mix maior de produtos oferecidos no local, o passageiro possa encontrar preços mais acessíveis em itens básicos de consumo, como o pão de queijo e a água mineral. Hoje, os preços são em média de R$ 4,90 e R$ 2,80, respectivamente.

Operação

Para administrar o aeroporto, as empresas participarão de um processo licitatório. A previsão é de que o edital seja publicado até o dia 30 de novembro. De acordo com André, 20 empresas demonstraram interesse. Dessas, sete já estão aptas para a disputa.

Para levar o contrato, a empresa terá de pagar R$ 1 milhão de entrada, à vista, e R$ 740 mil mensais, além de 50% das receitas variáveis. Contudo, como o vencedor será aquele que oferecer melhor valor do aluguel mensal, o preço poderá ultrapassar os R$ 740 mil.

O diretor comercial da Infraero explica ainda que a concessionária vencedora também será responsabilizada por serviços como os de limpeza das áreas e dos banheiros. O contrato será ativado somente com a abertura do novo terminal e terá duração de dez anos, sem direito a renovação. A expectativa é de que, pelo menos, 50% das áreas comerciais deverão estar em funcionamento no próximo ano.

Outra novidade diz respeito à área publicitária do novo terminal de passageiros de Goiânia. Segundo André, um processo para licitação para um único operador está em andamento e deverá ser fechado até a primeira semana de novembro. Nesse caso, o edital será finalizado até dezembro deste ano. “Uma empresa terá direito à publicidade e outra ao varejo. É o grande diferencial proporcionado pela Infraero, e o aeroporto de Goiânia será a primeiro a ter operador master nesses dois aspectos”, diz.

André informou ainda que os atuais lojistas do antigo terminal já têm contratos à beira de expirar, e foram avisados de que não poderão migrar para as novas instalações. O que gerou pânico nos comerciantes do aeroporto (veja correlata).

Fonte: Jornal O Popular