3 de setembro de 2015

Corredor preferencial T-7 começa a receber primeiras de 1,5 mil mudas de árvores


As guarirobas da Avenida Assis Chateaubriand, em frente ao Fórum, serão transplantadas para a Praça Tamandaré

Nesta quarta e quinta-feira, 2 e 3, as obras do corredor preferencial T-7 começam a receber as primeiras mudas de árvores nativas do Cerrado previstas no projeto de implantação. O início do plantio será no trecho da Avenida C-8 e Rua Flemington, no Setor Sudoeste. Aproveitando a diminuição do trânsito, no fim de semana e feriado (dias 5, 6 e 7), as 29 guarirobas plantadas no canteiro central da Avenida Assis Chateaubriand, em frente ao Fórum, serão transplantadas para a Praça Tamandaré. Após a construção da ciclovia, novas palmeiras serão plantadas no local, ainda na execução do corredor.

O projeto de arborização vai beneficiar a região, que também está recebendo melhorias na infraestrutura urbana com as obras do corredor preferencial T-7. Promovido pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) e Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), o plantio começará pela quadra 95, na avenida C-8 e seguirá até a rua Flemington. Nesta primeira etapa, a região receberá 130 mudas de árvores nativas do Cerrado, como Ipê Branco, Aroeira-pimenteira, Escumilha-africana, Sabãozinho, Escova-de-garrafa e Oiti.

O corredor preferencial T-7 vai garantir mais agilidade para as 13 linhas de ônibus que passam pela avenida, beneficiando aproximadamente 103 mil pessoas que utilizam o serviço diariamente. O corredor tem 10,4 quilômetros de extensão e a implantação da nova infraestrutura está promovendo a requalificação da via, melhorando também a fluidez e a segurança no trânsito de carros, ciclistas e pedestres.

Com a obra, a avenida vai receber nova pavimentação, abrigos de embarque e desembarque, sinalização vertical e horizontal, iluminação dos canteiros centrais, bancos metálicos e paraciclos. As calçadas, que ocupam uma extensão de 21 quilômetros, serão revitalizadas com conceito de sustentabilidade e rotas acessíveis.

A via também deve receber 8,1 quilômetros de trecho cicloviário, além de câmeras de monitoramento em tempo real e equipamentos de fiscalização eletrônica. O diretor técnico da CMTC, Sávio Afonso, afirma que os investimentos em mobilidade urbana da Prefeitura de Goiânia, com prioridade ao transporte coletivo, são essenciais para que haja melhorias efetivas na qualidade do serviço prestado à população.

Fonte: Prefeitura de Goiânia