13 de agosto de 2015

Reforma do Estadio Serra Dourada: Goiás pode mandar jogos no Jonas Duarte em 2016


O governo estadual pretende fazer uma grande reforma no Estádio Serra Dourada no próximo ano. A intenção é acabar com o setor de geral e fazer adaptações para modernização da praça esportiva. Mas como toda obra, esta também deve causar efeitos colaterais.

Os três times goianienses que disputam o Campeonato Brasileiro mandam seus jogos no Estádio Serra Dourada. Eles terão que procurar outra praça para jogarem pela competição nacional. O novo Estádio Olímpico, que está para ser inaugurado, é uma opção, mas o Goiás trabalha com outra possibilidade.

A diretoria esmeraldina pretende mandar seus jogos no Campeonato Brasileiro de 2016, no Estádio Jonas Duarte, em Anápolis. Inclusive a praça deve receber melhorias para a próxima temporada. Existe uma informação que aponta que o gramado do Serra Dourada pode ser transferido para o Jonas Duarte.

Fonte: Portal 730

GCP Arquitetos, que projetou Arena Pantanal, vence licitação para reforma do Serra Dourada, em Goiás

Estádio projetado originalmente por Paulo Mendes da Rocha terá capacidade ampliada de 40 para 50 mil lugares

O escritório GCP Arquitetos, que projetou a Arena Pantanal em Cuiabá (MT) e o Centro de Formação Olímpica em Fortaleza (CE), venceu a licitação do Governo do Estado de Goiás para a elaboração do projeto de reforma estrutural e ampliação do Estádio Serra Dourada, projetado por Paulo Mendes da Rocha em Goiânia. O contrato entre a Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) e a ganhadora da licitação já foi assinado.

De acordo com o grupo, o projeto seguirá premissas inovadoras e sustentáveis que objetivam tornar o local adequado aos padrões recomendados pela Federação Internacional de Futebol (FIFA).

As obras deverão incluir a extensão da arquibancada inferior com cadeiras até o nível do gramado, aumentando a capacidade do estádio para 50 mil pessoas; criação de cerca de dez camarotes na porção central da arquibancada do lado oeste; reforma e nova divisão das cabines de rádio e TV; substituição dos placares atuais por telão; criação de auditório e zona mista para jornalistas; reforma dos vestiários; criação de novo acesso para os jogadores; e modernização e criação de recepção para imprensa e público da tribuna.

De acordo com o sócio-fundador da GCP, Sergio Coelho, o projeto irá manter e reforçar as virtudes do projeto original do estádio inaugurado em 1975.

Fonte: AU