24 de agosto de 2015

Levantamento da SMT aponta 10 pontos críticos no trânsito na capital


Com uma população de 1,4 milhão de habitantes e um contingente de 1 milhão e 140 mil veículos, praticamente um carro ou moto por habitante, Goiânia lidera o ranking da quantidade de veículos automotores por habitantes entre as capitais brasileiras. O próprio secretário Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade, Andrey Azeredo, reconhece que transitar em algumas vias de Goiânia atualmente, em horário de pico, exige paciência.

Segundo levantamento da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), dez pontos de Goiânia estão entre os mais críticos nestes horários. Para solucionar o problema, Andrey explica que não adianta aumentar o limite de velocidade máxima permitida, pois apenas gera mais fluxo de veículos.

Entre as medidas de melhoria propostas pela SMT está mais investimentos em ciclovias e nos corredores preferenciais. Andrey afirma que em breve haverá uma terceira ciclo faixa, próximo ao Parque Vaca Brava e a implantação de mais corredores preferências para o transporte coletivo, além dos três já implantados. “Com as vias preferenciais, haverá mais velocidade do ônibus, diminuindo o tempo de deslocamento. Melhorando a qualidade, esperamos que os condutores deixem seus veículos e prefiram o transporte público”, diz. “Tiramos também cruzamentos e acrescentamos semáforos e proibiremos locais de estacionamento que atrapalhem a passagem pela rua”, completa.

Crescimento

Segundo estimativa do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), a frota na capital cresce em média 6% ao ano, se mantiver assim, em 2020 serão 1,7 milhão de veículos.

De acordo com o secretário Andrey, na década de 70, 50% da população usava o transporte coletivo, já hoje temos mais veículos particulares com apenas um condutor. “Um ponto fundamental para melhorar o transito da cidade é a conscientização dos condutores de pensar no coletivo, e não apenas no individual. Todos merecem qualidade”, enfatiza. “Além das obras, é importante que as pessoas criem o hábito de dar carona, fazendo rodízios. Juntamente com a segurança para usar a bicicleta como meio de transporte, tudo isso contribuirá para menos poluição e um transito melhor” acrescenta.

Fonte: O Hoje