26 de agosto de 2015

Dilma admite que errou ao não ter percebido tamanho da crise


Após anunciar que vai extinguir dez ministérios, a presidente Dilma Rousseff admitiu que talvez ela e a equipe econômica tenham cometido o erro de demorar a notar o tamanho da crise que o Brasil enfrenta. Em entrevista aos jornais O Globo, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, Dilma disse que o governo levou muitos sustos, já que não previu uma queda tão brutal da arrecadação de impostos.

"Errei em ter demorado tanto para perceber que a situação era mais grave do que imaginávamos. Não dava para saber ainda em agosto [durante a campanha eleitoral]. Talvez em setembro, outubro, novembro.", declarou ela.

Corrupção no governo
Sobre a Operação Lava Jato, Dilma comentou que não esperava que petistas e pessoas próximas ao partido estivessem envolvidas em escândalos de corrupção. "Fui completamente surpreendida. Lamento muito", declarou.

Quando perguntada pelos jornalistas sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, Dilma se esquivou dizendo que não tem opinião sobre qualquer pessoa. Para ela, quanto mais rápidas e efetivas forem as investigações, melhor para o Brasil.

Lembrada pelos jornalistas sobre a sugestão do ex-presidente Fernando Henrique de que ela renuncie ao mandato, Dilma apenas disse que sugerir é fácil e que não vai discutir sobre isso.

Enxugamento de ministérios
Com a justificativa de racionalizar a máquina do Estado, Dilma anunciou na última segunda-feira (24) a extinção de dez ministérios e corte de mil cargos de livre provimento.

Sem especificar quais ministérios e cargos que serão cortados, Dilma declarou que secretarias também serão extintas e os gastos diminuídos. A presidente anunciou que o estudo de quais pastas deverão ser cortadas ainda está em  andamento.


Fonte: A Redação (Yuri Lopes)