27 de agosto de 2015

Roberto Carlos em Goiânia


DATA: 24 de Setembro de 2015
LOCAL: Ginásio Goiânia Arena
Telefone:(62) 3218-5252
HORÁRIO: 21:00 hs


PRÉ VENDA CREDICARD:

Dia 26 até 30 de agosto – exclusivamente para clientes Credicard e portadores de cartões Credicard, e Dinners (máximo de 4 ingressos por cartão)

VENDAS GERAL:

A partir do dia 31 de Agosto

INGRESSO RÁPIDO

Pelo telefone: 4003.1212
Pela internet: www.ingressorapido.com.br

O evento acontece  no Ginásio Goiânia Arena, no Jardim Goiás, no dia 24 de setembro. Os ingressos variam de  R$ 30 a R$ 480 e podem ser comprados também pela internet, no site Ingresso Rápido.

O show que o músico traz para Goiânia  é baseado  no projeto “Roberto Carlos Ao Vivo Em Las Vegas”, DVD gravado no famoso e disputado MGM Grand Garden Arena de Las Vegas, nos Estados Unidos.  (O Hoje)

Fonte: O que Rola


26 de agosto de 2015

Goiânia sedia 1ª Copa Latino-Americana de Slackline


Atletas das cinco regiões do Brasil devem comparecer aos três dias de festival, que promete adrenalina no Cepae da universidade. Inscrições custam R$ 60 até o dia 1º de setembro

Goiânia vai sediar a 1ª Copa Latino-Americana de Slackline entre 5 e 7 de setembro de 2015. A expectativa é a de que participem pelo menos 120 atletas da América do Sul. Para a capital de Goiás vêm atletas das cinco regiões do País. Do exterior são esperados atletas de Santiago e Talca (Chile). O palco das disputas será o Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (Cepae), no Campus II da Universidade Federal de Goiás (UFG), no Setor Itatiaia.

Serão 200 metros de fitas esticadas para competidores Manaus (AM), Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), Palmas (TO), Juiz de Fora, Ribeirão das Neves, Paracatu e Belo Horizonte (MG), São Paulo, Jundiaí, Bragança Paulista (SP), Cuiabá (MT), Vitória e Vila Velha (ES), Curitiba (PR), Natal (RN), Goiânia (GO), Belém (PA).

O grupo de atletas concorre em quatro categorias: Pro, Feminino, Amador e Iniciante. Para complementar a Copa, a organização realiza também os desafios de Longline e de Trickline.  A premiação chega a R$ 5 mil, além de medalhas e troféus. A arbitragem será composta pelo chileno Carlos Andrés Zuniga, o carioca Allan Pinheiro e o capixaba Rafael Souza. A atual campeã mundial de trickline, a brasileira Giovanna Petrucci, vai participar como atleta convidada.

Os atletas participantes contam com espaço exclusivo para dormitório com capacidade para 150 atletas, vestiários masculinos e femininos e praça de alimentação.

A intenção do evento é integrar atletas de slackline, skate e tecido acrobático com apresentações artísticas e culturais de malabares, breakdance, dança e grafite. As bandas confirmadas são Johnny Brown, Marmelada de Cachorro, Procedê, União Clandestina e Jeremias Groove.

A Copa Latino-Americana recebe o apoio da Goiás Turismo, Saneago, Ceasa e Secretaria Municipal de Cultura (Secult). A expectativa é a de que cerca de 500 pessoas circulem pelos 2 mil metros quadrados do Cepae. O público vai contar com arquibancada e lounge.

Os interessados podem se inscrever em www.slackmafia.com. Os valores iniciais são de R$ 60 até o dia 1 º de setembro.

Serviço:

Evento: 1ª Copa Latino-Americana de Slackline
Data: 5 e 7 de setembro de 2015 – A partir das 9h
Local: Cepae da UFG, Campus II – Samambaia
Mais informações: www.slackmafia.com
Facebook: Balance Festival -- Copa Latino-Americana de Slackline

Fonte: Jornal O Hoje


Dilma admite que errou ao não ter percebido tamanho da crise


Após anunciar que vai extinguir dez ministérios, a presidente Dilma Rousseff admitiu que talvez ela e a equipe econômica tenham cometido o erro de demorar a notar o tamanho da crise que o Brasil enfrenta. Em entrevista aos jornais O Globo, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, Dilma disse que o governo levou muitos sustos, já que não previu uma queda tão brutal da arrecadação de impostos.

"Errei em ter demorado tanto para perceber que a situação era mais grave do que imaginávamos. Não dava para saber ainda em agosto [durante a campanha eleitoral]. Talvez em setembro, outubro, novembro.", declarou ela.

Corrupção no governo
Sobre a Operação Lava Jato, Dilma comentou que não esperava que petistas e pessoas próximas ao partido estivessem envolvidas em escândalos de corrupção. "Fui completamente surpreendida. Lamento muito", declarou.

Quando perguntada pelos jornalistas sobre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, Dilma se esquivou dizendo que não tem opinião sobre qualquer pessoa. Para ela, quanto mais rápidas e efetivas forem as investigações, melhor para o Brasil.

Lembrada pelos jornalistas sobre a sugestão do ex-presidente Fernando Henrique de que ela renuncie ao mandato, Dilma apenas disse que sugerir é fácil e que não vai discutir sobre isso.

Enxugamento de ministérios
Com a justificativa de racionalizar a máquina do Estado, Dilma anunciou na última segunda-feira (24) a extinção de dez ministérios e corte de mil cargos de livre provimento.

Sem especificar quais ministérios e cargos que serão cortados, Dilma declarou que secretarias também serão extintas e os gastos diminuídos. A presidente anunciou que o estudo de quais pastas deverão ser cortadas ainda está em  andamento.


Fonte: A Redação (Yuri Lopes)


Governador Marconi apresenta projeto Inova Goiás, que vai investir R$ 1 bi em tecnologia


Objetivo do projeto é fomentar a economia e elevar o Estado ao ranking dos que mais investem em inovação

Com o objetivo de inserir Goiás entre os três Estados que mais investem em inovação e fomentar a economia estadual, o governador Marconi Perillo (PSDB) anunciou o lançamento do Programa Estadual de Inovação e Tecnologia, o Inova Goiás.

Atualmente na 14º posição de investimentos no setor, o objetivo do tucano-chefe é investir R$ 1 bilhão até 2018 em ações que visam beneficiar 35 mil empresas no Estado. Deste valor total, o governo informa que a metade será formada por recursos novos, via aportes de fundos setoriais, como o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) e empréstimos do BID.

O Inova Goiás já foi apresentado a técnicos do BID e recebeu aprovação preliminar da instituição financeira. O banco possui linhas de crédito para apoio a políticas de inovação no País.

No dia do lançamento do programa, marcado para 2 de setembro, será entregue a representantes da instituição, que virão a Goiânia, uma carta consulta referente a um financiamento de 70 milhões de dólares para modernização tecnológica dos mais de 40 Arranjos Produtivos Locais – APLs que já funcionam em Goiás.

A outra metade do valor total será composta por recursos do Tesouro estadual vinculados para ciência, tecnologia e inovação, já investidos em programas da Fapeg e UEG, por exemplo. Mas serão destinados exclusivamente para o Inova Goiás, por meio de uma conta centralizadora.

O Inova Goiás terá a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, do vice-governador José Eliton (PP).

Fonte: Jornal Opção


Palco do Villa Mix Goiânia poderá entrar para o GUINNESS WORLD RECORDS


O palco do Villa Mix Goiânia, maior festival de música do Brasil, poderá entrar para o GUINNESS WORLD RECORDS.

A negociação para essa tentativa oficial acontece há 30 dias e na semana do evento auditores oficias virão de Nova York para a avaliação e possível certificação do mesmo. Caso seja tudo aprovado o anúncio é feito no local.

A estrutura do palco, que é considerado um dos maiores do mundo, conta com 43 metros de altura, o equivalente a um prédio de 16 andares e é o que o viabiliza para uma tentativa de recorde GUINNESS WORLD RECORDS

O Villa Mix Festival Goiânia acontece no dia 6 de setembro (véspera de feriado), no estacionamento do Estádio Serra Dourada e vão cantar lá os maiores sucessos da música nacional como Jorge e Mateus, Ivete Sangalo, Luan Santana, Wesley Safadão, Humberto e Ronaldo, Guilherme e Santiago, Jefferson Moraes, Israel Novaes, Matheus e Kauan e Bruninho e Davi.

Fonte: Assessoria O Que Rola


25 de agosto de 2015

Calor e sequidão até o fim de agosto em Goiânia e chuva em outras regiões de Goiás


Altas temperaturas e baixa umidade do ar permanecem até o final de agosto. Pancadas de chuva podem ocorrer ainda esta semana nas regiões Sul e Oeste do Estado

Quando o escritor gaúcho Caio Fernando Abreu escreveu a crônica “Sugestões para Atravessar Agosto”, ele disse que para suportar o oitavo mês do ano era “preciso antes de mais nada paciência e fé”. O escritor com certeza não falava do tempo, mas sua constatação cairia muito bem nestes dias que os goianienses e goianos têm vivenciado. É preciso ter, realmente, muita paciência para atravessar os dias quentes e secos desta época do ano em Goiás.
De acordo com Rosivalda Paz, superintendente de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento de Goiás, agosto é o mês mais quente e mais seco do ano, segundo a climatologia da nossa região. E a tendência, conforme ela explicou ao O Hoje nesta terça-feira (25), é que o tempo deve permanecer desagradável até o final do mês.

Nesta quarta-feira (26), por exemplo, a temperatura pode chegar a 35º C na capital, 38º C na Região Norte do Estado e 39º C na Cidade de Goiás.  A umidade relativa do ar nestas regiões deve ficar entre 12 e 15%.

Ainda segundo Rosivalda Paz, nos dias 27 e 28 pode haver pancadas de chuvas nas cidades das regiões Sul e Oeste, na divisa de Goiás com Mato Grosso. Essa possibilidade de chuva pode ocorrer devido a uma frente fria vinda do Sul do Brasil. E o tempo só deve melhorar em meados de setembro.
Fonte: Jornal O Hoje


24 de agosto de 2015

Paulo Garcia: 500 dias para cumprir metas


Corredor Universitário: Prefeitura instalou faixas preferenciais para ônibus em duas avenidas e concluiu duas ciclovias

Márcia Abreu

Restando menos de 500 dias para o fim do mandato, o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), ainda tem muito compromisso para cumprir na área da sustentabilidade - conceito que deu corpo ao seu plano de governo em 2012. Levantamento feito pelo POPULAR mostra o que já foi cumprido ou iniciado e o que ainda está no papel.

Na área de mobilidade urbana, a maior parte dos projetos está em andamento. Em dois anos e meio, a Prefeitura concluiu dois corredores preferenciais para ônibus - outros cinco estão sendo licitados e um está em execução -; fez duas ciclofaixas e instalou bicicletários em 10 dos 14 terminais da capital.

Além dos terminais, a Praça da Nova Suíça (bairro nobre da capital) é a única que tem bicicletário, segundo informação da Prefeitura. O Executivo diz que vai colocar os suportes em 50 escolas e em órgãos do Paço Municipal - eles já estão sendo fabricados pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg). Para as outras praças da cidade, não há previsão de bicicletário, pelo menos por enquanto.

Também na área de mobilidade, a Prefeitura deu início às obras do Transporte Rápido por Ônibus (BRT), que vai ligar as Regiões Norte e Sul. O projeto, que está em fase inicial e tem sido alvo de críticas por promover mudanças em áreas consideradas acervo arquitetônico e urbanístico Art Déco de Goiânia, é apontado como um dos principais da atual gestão.

Meio Ambiente

De forma geral, o plano de governo do PT e dos oitos partidos que compõem a coligação Goiânia Cidade Sustentável introduziu o conceito de sustentabilidade em todos os aspectos da gestão municipal. Na área ambiental, a principal proposta é a de dar continuidade ao Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns (PUAMA).

O projeto prevê a construção de um parque linear em toda a extensão do Córrego Macambira e do Ribeirão Anicuns e foi dividido em 24 trechos. A previsão é de que sejam entregues três ainda este ano, sendo dois deles no aniversário da capital, no dia 24 de outubro. O PUAMA nasceu na gestão de Pedro Wilson (PT), em 2003, e já teve problemas com licitação e empreiteira.

Fonte: Jornal O Popular


Levantamento da SMT aponta 10 pontos críticos no trânsito na capital


Com uma população de 1,4 milhão de habitantes e um contingente de 1 milhão e 140 mil veículos, praticamente um carro ou moto por habitante, Goiânia lidera o ranking da quantidade de veículos automotores por habitantes entre as capitais brasileiras. O próprio secretário Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade, Andrey Azeredo, reconhece que transitar em algumas vias de Goiânia atualmente, em horário de pico, exige paciência.

Segundo levantamento da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT), dez pontos de Goiânia estão entre os mais críticos nestes horários. Para solucionar o problema, Andrey explica que não adianta aumentar o limite de velocidade máxima permitida, pois apenas gera mais fluxo de veículos.

Entre as medidas de melhoria propostas pela SMT está mais investimentos em ciclovias e nos corredores preferenciais. Andrey afirma que em breve haverá uma terceira ciclo faixa, próximo ao Parque Vaca Brava e a implantação de mais corredores preferências para o transporte coletivo, além dos três já implantados. “Com as vias preferenciais, haverá mais velocidade do ônibus, diminuindo o tempo de deslocamento. Melhorando a qualidade, esperamos que os condutores deixem seus veículos e prefiram o transporte público”, diz. “Tiramos também cruzamentos e acrescentamos semáforos e proibiremos locais de estacionamento que atrapalhem a passagem pela rua”, completa.

Crescimento

Segundo estimativa do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), a frota na capital cresce em média 6% ao ano, se mantiver assim, em 2020 serão 1,7 milhão de veículos.

De acordo com o secretário Andrey, na década de 70, 50% da população usava o transporte coletivo, já hoje temos mais veículos particulares com apenas um condutor. “Um ponto fundamental para melhorar o transito da cidade é a conscientização dos condutores de pensar no coletivo, e não apenas no individual. Todos merecem qualidade”, enfatiza. “Além das obras, é importante que as pessoas criem o hábito de dar carona, fazendo rodízios. Juntamente com a segurança para usar a bicicleta como meio de transporte, tudo isso contribuirá para menos poluição e um transito melhor” acrescenta.

Fonte: O Hoje


'Fantástico' denuncia precariedade de curso de medicina em faculdade de Goiás


Sem estrutura, a Fama, de Mineiros, abriu 200 vagas para o curso neste semestre. Valores da mensalidade chegam a R$ 7 mil

O programa ‘Fantástico’ deste domingo (24) mostrou, durante uma reportagem especial, que cursos de medicina sem estrutura estão crescendo no Brasil. Entre as universidades sem qualidade, o jornalístico mostrou a Faculdade Mineirense (Fama), que fica em Mineiros, a 425 quilômetros de Goiânia.
Para o segundo semestre deste ano, a Fama abriu 200 vagas com valores mensais que chegam a R$ 7 mil. De acordo com o dominical, na nova faculdade de Mineiros as salas de aula e os laboratórios já estão prontos, “mas falta o espaço para a formação prática”. No lugar do futuro hospital universitário e dos consultórios, por enquanto, só tem mato. E onde será construído um campus exclusivo para medicina, só se vê terra.

Para cumprir exigências do Ministério da Educação (MEC), a Fama deveria ter a disposição mil leitos hospitalares para seus alunos estagiarem. O MEC exige que, para cada vaga do curso de medicina, deve haver um mínimo de cinco leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), ou conveniados, para o internato.

No entanto, conforme a reportagem, a rede pública da região não comporta os alunos, pois só tem 379 leitos. O diretor da faculdade, Alessandro Rezende, disse que fez convênios para ter todos os mil leitos. Para atingir a cota, a faculdade promete vagas de estágio na capital goiana. No entanto, a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES) afirmou que o convênio não existe.

“Não foi feito nenhum contato conosco, até o momento, dessa faculdade para a busca de nenhuma possibilidade de nenhuma oferta de campo de estágio”, salientou Nelson Bezerra, superintendente de Educação em Saúde e Trabalho para o SUS.

Por causa da falta de leitos para o estágio, o MEC não autorizou a abertura do curso. Entretanto a faculdade goiana conseguiu uma liminar na Justiça para funcionar. Mesmo com todo precariedade, os alunos que passaram no vestibular começam as aulas nesta segunda (24).

O jornal O Hoje entrou em contato com a Faculdade, que informou que não vai se pronunciar sobre a reportagem do ‘Fantástico’.

Fonte: Jornal O Hoje


VLT de Goiânia: Sem dinheiro e sem previsão de início


Essa é a situação das obras do VLT em Goiânia. Para tentar tirar projeto do papel, governo pede inclusão da obra na próxima edição do PAC

Sem dinheiro e sem prazo para começar. Esta é a atual situação das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), sistema de transporte que deverá substituir o Eixo Anhanguera. Para resolver o problema, o governador Marconi Perillo esteve na última segunda-feira (17), em Brasília solicitando a inclusão do VLT no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O VLT de Goiânia custará aos cofres do Estado R$ 1,1 bilhão. Segundo a assessoria do governo, a atual crise econômica dificulta a viabilização de recursos federais e estaduais necessários para o projeto sair do papel.

A Concessionária Mobilidade Anhanguera, constituída para o empreendimento, informou em nota, que a obra só começará após emissão da ordem de serviço pelo Estado de Goiás. A concessionária aguarda algumas providências, como a contratação de financiamento por parte do Estado de sua parcela nos investimentos, a desapropriação das áreas críticas para a implantação do VLT e a assinatura do contrato de garantias da contraprestação. A Concessionária Mobilidade Anhanguera tem 90% de participação da empreiteira Odebrecht TransPort (a empresa é, inclusive, uma das investigadas na Operação Lava-Jato da Polícia Federal), e o restante de um consórcio formado pelas empresas que explora o sistema de transporte coletivo na Grande Goiânia.

Serão 13,6 quilômetros que ligarão os terminais Padre Pelagio e Novo Mundo, nos extremos oeste e leste da capital. No projeto, toda a Avenida Anhanguera será revitalizada de fachada a fachada, com novas calçadas, sinalização vertical e horizontal, acessibilidade, iluminação, mobiliário urbano, paisagismo, novo sistema de drenagem para evitar alagamentos e recuperação de oito praças, entre elas a Praça A. Alguns cruzamentos serão fechados durante sua construção, porém, segundo a empresa responsável, o trânsito terá maior fluidez, pois cada trem equivale à retirada das ruas de cerca de oito ônibus comuns ou 300 carros.

O veículo é movido à energia elétrica, que evitará a emissão de cerca de 300 toneladas de CO2 por dia. A via permanente será toda em grama, o que adicionará cerca de 100.000 m2 de área de drenagem natural. Além disso, os terminais de integração e as estações serão reconstruídos.


Obras do BRT em Goiânia chegam ao Centro 

As obras do sistema BRT de Goiânia chamado de “Corredor Goiás Norte/Sul”, que está concentrado no momento na Avenida Goiás, desde julho deste ano, terá próximas intervenções na Avenida Perimetral Norte até o Recanto do Bosque, Praça do Trabalhador e Terminal Isidória até a Praça Cívica, afirma o coordenador do BRT Norte-Sul de Goiânia, Ubirajara Alves Abbud. No caso do Terminal Isidória terá um terminal próximo provisório, pois será construído um novo terminal no local.

Apesar da retirada das arvores na pista central da Avenida Goiás, que gerou polêmica, Abud garante que a área afetada terá um paisagismo nos canteiros que dividirão as pistas e as calçadas. Além deles, a integração será feita por meio de 39 plataformas de embarque e desembarque. Na lista de ações há ainda a instalação de sistemas de iluminação e de drenagem pluvial mais moderno, de sensores e câmeras de monitoramento e execução de projeto paisagístico.

“Indiretamente e diretamente serão beneficiados 140 bairros, sendo cerca de 500 mil pessoas”, diz o coordenador. Até agora, já foram gastos 10 milhões de reais, segundo ele, mas estima-se no total um gasto de 340 milhões de reais. O conjunto da obra têm um prazo de três anos, ou seja, até meados de 2017, para ser concluído.

Fonte: Jornal O Hoje


23 de agosto de 2015

Conferência Internacional Radicais Livres – Estádio Serra Dourada


Data: 05 e 06 de Setembro de 2015
Local: Estádio Serra Dourada - Goiânia, Goiás
Site: radicaislivres2015.com/

Conferência Internacional Radicais Livres. A maior Conferência Cristã da America Latina.


Ingressos:
- Valores promocionais de meia entrada:

Arquibancada – R$55,00
Cadeiras – R$65,00
Gramado – R$75,00
Gramado Premium – R$105,00
Festa Radicais Brasil – R$40,00
Camiseta Oficial – R$15,00

- Combos:
Arquibancada + Camiseta + Festa = R$95,00
Cadeira + Camiseta + Festa = R$105,00
Gramado + Camiseta + Festa = R$115,00
Gramado Premium + Camiseta + Festa = R$140,00

*Haverá acomodações apropriadas (cadeiras) em todos os setores.
*Não haverá Open Bar incluso nas inscrições dos setores apresentados acima.
A inscrição para a Conferência Radicais Livres 2015 é individual e vale para o dia em que acontece a conferência.

Programação:

03/08 – Treinamento
25 a 28/08 – Jejum
22/08 – Passeata
28/08 – Vigília da Virada
29/08 – Carreata
31/08 – Treinamento
05/09 – Conferência
06/09 – Festa Radicais Brasil


Show Gusttavo Lima – Festa 6 anos Bahrem


Data: 26/09/2015
Local: Cel da OAB
A partir das 22 horas

Shows:

Gusttavo Lima
Kleo Dibah & Rafael

Cada ano melhor! O bahrem faz aniversário e quem faz a festa é você!

Em breve maiores informações

Banda Calypso em Goiânia – Santafé Hall -

Dia: 28/08/2015
Local: Santafé Hall
Fone: (62) 3945-1980
Site: www.santafehall.com.br

Show com:
– Banda Calypso

Nomes na lista pelo site.
Ingressos e valores no site: www.santafehall.com.br

Horário: 22h30

Só com fone: Aprovado na Câmara projeto de lei que proíbe som alto nos ônibus de Goiânia


Matéria do petista Carlos Soares prevê até intervenção policial, caso necessário

A Câmara Municipal aprovou, em segunda e última votação, o projeto de lei do vereador Carlos Soares (PT) que proíbe o uso de aparelhos sonoros dentro dos ônibus do transporte público da capital. O objetivo, segundo o autor da proposta, é de preservar o conforto acústico dos usuários e combater a poluição sonora no interior dos veículos.

A matéria proíbe inclusive o uso do aparelho celular, quando utilizado para se ouvir música e determina que o uso de aparelhos sonoros seja feito apenas por meio de fones de ouvido. A determinação vale para todos os veículos do transporte coletivo que circulam dentro do município “independente do órgão ou ente responsável por sua administração”.

De acordo com a nova lei, caso haja alguma ocorrência do gênero no interior dos ônibus, o infrator será convidado a desligar o aparelho pelo motorista. Se o mesmo recusar, um novo convite será feito. Dessa vez, para se retirar do veículo, e se tudo não for resolvido, a intervenção policial será solicitada.

Para informar os passageiros serão afixadas placas no interior dos ônibus com detalhes da proibição e com o telefone da Rede Metropolitana do Transporte Coletivo (RMTC) para envio de denúncias.

Fonte: Jornal Opção


BRT não terá plataforma antes da Avenida Anhanguera


Mudança foi solicitada pelo Iphan devido à proximidade com o prédio histórico do Grande Hotel

lgumas alterações no projeto original do BRT (sigla em inglês para Bus Rapid Transit - Transporte Rápido por Ônibus) foram apresentadas oficialmente ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) pelo consórcio responsável pela obra na manhã de ontem. A principal delas é a localização das plataformas próximas ao cruzamento das Avenidas Goiás com Anhanguera, no Centro, região que faz parte do traçado viário dos núcleos urbanos pioneiros tombado pelo órgão nacional.

As plataformas, que antes estavam antes da Avenida Anhanguera, devem ser instaladas após a avenida, entre ela e a Rua 4. Além disso, devem ficar alinhadas, o que não estava previsto no projeto original.

As mudanças fazem parte de uma série de alterações pedidas pelo Iphan para que as intervenções realizadas pelo BRT não interfiram no patrimônio histórico da Capital goiana. Nesse sentido, o instituto avaliou que a localização das plataformas apresentadas no projeto original do corredor de ônibus rápido na região interferiam na estética-visual da Avenida Goiás. A antiga localização das plataformas de embarque e desembarque atrapalhavam a visualização de prédios históricos nas proximidades, principalmente do Grande Hotel de Goiânia - primeiro da cidade, datado de 1937, e que carrega traços de art déco. O POPULAR havia adiantado na edição de ontem que as plataformas de embarque e desembarque, que têm padronagem de 60 metros de comprimento, seriam também modificadas e construídas com vidro transparente para não obstruir a visibilidade dos prédios históricos.

No projeto apresentado pelo Consórcio BRT, as plataformas eram desalinhadas entre si, de modo que aumentavam a amplitude de obstrução visual dos prédios históricos.

De acordo com o Iphan, pelo projeto original no BRT, 10 plataformas interceptam a área de tombamento federal do acervo arquitetônico e urbanístico art déco de Goiânia. São duas (ida e vinda) plataformas na porção sul da Praça Cívica; duas na porção norte; duas próximas à Avenida Anhanguera; duas próximas à Avenida Paranaíba e outras duas próximas à Estação Ferroviária/Praça do Trabalhador (antes da Avenida Independência).

Avaliação

A coordenadora técnica do Iphan, Beatriz Otto de Santana, avalia que há uma evolução entre a primeira proposta e a apresentada ontem. No entanto, as alterações não são permanentes, já que o projeto é modificado a partir de reuniões técnicas entre membros do consórcio e o instituto. “Entendemos que o BRT é fundamental para a cidade, já que a mobilidade urbana é um grande nó. Assim, essas negociações funcionam para unir mobilidade e preservação do patrimônio e acontecem de forma permanente ao longo do projeto”, diz.

A parte do corredor de ônibus rápido que passa pelo traçado viário tombado é analisada pelo corpo de arquitetas do Iphan depois que as propostas são entregues pelo consórcio. Não há um prazo para que o projeto seja finalizado. Cada grupo de detalhe é analisado de forma separada. Assim, um relatório é produzido dentro de prazo máximo de 45 dias, com os pontos aceitos e os que devem receber alterações.

Avaliação de impacto abrange VLT

Mesmo paralisadas, as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no Eixo Anhanguera, também passa por avaliações técnicas de impacto no patrimônio histórico de Goiânia. O Iphan pediu detalhes sobre as plataformas de embarque e desembarque nas proximidades do Teatro Goiânia e da mureta do Lago das Rosas, no Setor Oeste, ambos tombados pelo Governo Federal. O último relatório foi produzido em julho deste ano.

A ordem de serviço do VLT deve ser assinada apenas no final deste ano ou em 2016, por depender de o Estado garantir contrapartida de quase R$ 900 milhões ao empreendimento.

Fonte: Jornal O Popular

TCU aponta uso irregular de helicóptero pelo governo


Aeronave do Graer custou R$ 5,7 milhões, pagos com dinheiro da União.

Auditores do Tribunal de Contas da União (TCU) constataram o uso irregular de um helicóptero do Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) da PM de Goiás pelo governador Marconi Perillo (PSDB) em 2014, ano de sua reeleição.

De acordo com o jornal O Globo, a descoberta ocorreu após checagem na planilha de análise de voos, dentro de um processo que concluiu pelo mau uso de equipamentos custeados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça.

De acordo com relatório do TCU, houve desvio de finalidade da aeronave, que custou R$ 5,7 milhões, pagos com dinheiro da União. Ela deveria servir exclusivamente a ações de segurança pública. Naquele ano, Marconi teria utilizado o helicóptero em diferentes ocasiões.

O convênio entre o governo de Goiás e a Senasp que resultou na compra do helicóptero é de 2008.

O relatório do tribunal cita que houve aumento significativo nos voos que não guardavam relação com a finalidade declarada para a aeronave.

"Entre 2011 e 2013, no máximo 2% das horas de voo da aeronave não guardam relação com os fins a que se destinam. Em 2014 esse porcentual subiu para 18%, sendo que a maior parte dos deslocamentos indevidos se destinaram ao transporte de autoridades, dentre elas o governador de Goiás."

Além disso, os auditores alegam que Marconi já tem à sua disposição outro helicóptero "para atender às suas demandas".

Fonte: Jornal O Popular


Consulta a empresas não garante ferrovias entre DF e GO, diz ANTT


Estudos podem mostrar que obras não são viáveis, diz diretor da agência. Linhas devem ligar Brasília e Goiânia com estações em cidades do Entorno.

A consulta a empresários sobre a construção de ferrovias entre Brasília e Goiânia, anunciada na última segunda-feira (17) pelos governos do Distrito Federal e de Goiás, não garante a execução das obras. O diretor de Ferrovias da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Carlos Nascimento, explicou ao G1 nesta terça (18) que a continuidade do projeto vai depender dos resultados desse "primeiro passo".

"Os estudos vão indicar para a gente qual será o modelo de viabilidade principal para os trens. Respondidas essas questões, teremos bases para uma licitação. Se o governo entender que não há viabilidade e não lançar a licitação, essas empresas perdem o investimento. É um risco que elas assumem", afirma Nascimento.

A retomada dos projetos foi anunciada após reunião dos governadores do DF, Rodrigo Rollemberg, e de GO, Marconi Perillo, com a ANTT e o ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues. Um dos projetos deve adaptar a linha férrea que já existe entre Brasília e Luziânia para o transporte de passageiros. Há mais de 25 anos ela só é usada para cargas.

Também será estudada a possibilidade de uso de um trem de média velocidade, com trilhos novos, para fazer a ligação direta entre Brasília e Goiânia, com estações em cidades intermediárias, como Águas Lindas e Anápolis. As convocações para o setor privado devem ser lançadas até os dias 17 de setembro e 30 de outubro, respectivamente.

Não há prazo, orçamento e fonte de recursos definidos para nenhuma dessas obras. Ao anunciar as datas, Rollemberg disse que a retomada marcava um "dia histórico" para essa região. Segundo ele, 15% das pessoas que trabalham no DF moram no Entorno e seriam beneficiadas por essa opção de transporte.

"É um dia histórico para essa região. O anúncio do governo federal para lançar o PMI [Procedimento de Manifestação de Interesse] vai atender a uma população muito grande que mora em Luziânia, Valparaíso, Cidade Ocidental, Novo Gama e se desloca diariamente para trabalhar em Brasília", declarou Rollemberg.

O G1 fez novo contato com os governos do DF e de GO após a entrevista com o diretor da ANTT para questionar as certezas dadas no anúncio. Por meio das assessorias de imprensa, os governadores disseram que as únicas datas prometidas após a reunião foram garantidas pela própria agência reguladora.

Novo modelo
As empresas serão consultadas em Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMIs), modalidade criada em abril deste ano por um decreto da presidente Dilma Rousseff. Nesse sistema, os empresários são convidados a elaborar estudos de viabilidade técnica e econômica para obras de infraestrutura, antes mesmo da elaboração de um edital.

"O procedimento tem uma série de vantagens. Primeiro, funciona como termômetro do interesse privado nesse empreendimento, porque as empresas não vão fazer estudo de um projeto onde não há expectativas. Segundo, porque o governo não gasta recursos públicos para realizar os estudos. É tudo privado", diz Nascimento.

O decreto presidencial determina que, se a obra for tocada, a empresa vencedora da licitação é obrigada a ressarcir, em parte ou na íntegra, os autores desses estudos. Em caso de abandono do projeto, no entanto, o dinheiro é "jogado fora", e o Estado não tem qualquer obrigação com os empresários.

Segundo Nascimento, as rodovias entre DF e GO marcam a "estreia" da ANTT nessa modalidade de consulta. Até esta segunda, o site do Programa de Investimentos em Logística (PMI) do governo federal listava seis PMIs de ferrovias e quatro de rodovias em andamento, sob responsabilidade do Ministério dos Transportes.



Mais estudos
A construção da nova ferrovia entre Brasília e Goiânia já foi alvo de estudos de viabilidade técnica – estes, com dinheiro público. Em maio de 2013, a ANTT contratou consórcio de quatro empresas para elaborar documentos que subsidiariam essa licitação.

O contrato custou R$ 3,2 milhões e foi pago com verbas de um convênio da agência com o Banco Mundial, no valor total de R$ 5,5 milhões. O estudo foi entregue à ANTT em agosto e, segundo Nascimento, está em "fase de análise". Ele afirma que o esforço e o dinheiro não serão desperdiçados.
"A diferença é o grau de profundidade. Os termos são confusos até do ponto de vista técnico, mas isso que foi feito é um estudo de 'pré-viabilidade', uma primeira avaliação. Ele está nos indicando que vale a pena aprofundar os estudos e servirá de base para esses novos documentos", afirma o diretor.



No outro PMI, relacionado aos trilhos existentes entre Brasília e Luziânia, as empresas terão que se lançar "às cegas", já que não há estudo prévio. Nascimento diz se lembrar de  "tratativas iniciais" entre a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e uma empresa, abandonada posteriormente.

O G1 pediu acesso ao estudo elaborado pelo consórcio empresarial sobre a ferrovia Brasília-Goiânia, mas a ANTT informou que o documento ainda não foi aprovado e, por isso, não está disponível ao público. A reportagem não conseguiu contato com a Sudeco na noite desta terça para questionar a inexistência de estudos da linha Brasília-Luziânia.
Debate antigo

Em novembro de 2014, Rollemberg e Perillo se reuniram como governadores eleito e reeleito para "conversar sobre questões do Entorno". Após o encontro, ambos citaram a necessidade de melhorar o transporte entre DF e Goiás e anunciaram reunião com a ANTT para discutir o problema.

A discussão sobre a retomada do trecho Brasília-Luziânia como rota de passageiros é antiga. Em 2012, reportagem da TV Globo mostrava uma das promessas de tirar o projeto do papel, feita pela Sudeco.

"A cidade está num processo de estrangulamento de suas vias de mobilidade. O que pode salvar essa cidade não são os pneus, mas os trilhos", afirma na reportagem o então diretor da Sudeco e atual diretor do Metrô do DF, Marcelo Dourado. A previsão, na época, era de que as obras começassem no fim de 2014.

Na reunião desta segunda, Liliane Roriz afirmou que a ligação entre Brasília e Goiânia era um sonho do pai, Joaquim Roriz, que governou o DF até 2006. "Para mim, representa muita coisa. É fabuloso pensar que o sonho dele vai ser realizado", diz.

Fonte: G1 DF

Choque nos bastidores coloca o "Sintonize" em xeque


Ainda não existe uma posição se o especial de fim de ano “Sintonize” será ou não será apresentado na Globo neste 2015. Um conflito de interesses é apontado como grande complicador.

O projeto, até aqui, foi desenvolvido em parceria com a gigante Áudio Mix, empresa que promove shows sertanejos por todo o Brasil e que tem no seu cast nomes como Jorge & Mateus, Guilherme e Santiago e Wesley Safadão. Só que aí a gravadora Som Livre, do Grupo Globo, para não depender só da venda de discos, também desandou a promover megashows. E aí o inevitável choque. A batida de frente.

Dizem ainda que o fato de a Globo levar o “Show da Virada” para Goiânia e o Festeja, da Som Livre, para Cuiabá, considerados quintais da Mix, foram recebidos como provocação.

Fonte: Boa Informação


17 de agosto de 2015

Novos Ônibus: Renovação até novembro, diz CMTC


A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), responsável pela operação e fiscalização do transporte público na região metropolitana de Goiânia, afirmou que os 85 ônibus com mais de 10 anos de uso que circulam na rede estão em processo de substituição até novembro. O POPULAR mostrou na edição de ontem que ônibus com até 18 anos de idade ainda são usados pelas empresas de transporte coletivo apesar de não estarem previstos no contrato firmado com o poder público.

Pelo contrato, assinado em 2008, estava previsto que a maioria dos ônibus teria no máximo 5 anos de uso e o mais velho seria um com fabricação em 2006.

A CMTC alega que o prazo de mais três meses é necessário para fabricação e entrega dos veículos novos. A retirada imediata dos antigos impactaria a operação, podendo causar o colapso do sistema que hoje opera com a totalidade da frota em horário de pico.

Ainda de acordo com a CMTC, anualmente é feita uma vistoria cujos requisitos são as condições operacionais dos veículos. Haveria também uma vistoria em toda a rede numa média mensal de 550 veículos. A partir deste ano, houve o acréscimo da exigência de acessibilidade.

A CMTC informa que a frota da região metropolitana é de 1.440 ônibus. Desses, 112 não estão adaptados à acessibilidade plena - incluindo os 85 com mais de 10 anos, o que justifica a manutenção de selos de vistoria datados de 2014. Os ônibus mais novos já têm selos de 2015.

A Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC), que congrega as empresas responsáveis pelo serviço, foi procurada pela reportagem, mas não respondeu aos contatos até o fechamento desta edição.

Fonte: O Popular


Marconi e Rollemberg solicitam ao governo federal agilizar obras de mobilidade para Entorno do DF


O governador de Goiás, Marconi Perillo, e o do Distrito Federal, Rodrigo Rollmemberg, estiveram, nesta segunda-feira (17), em Brasília renovando a solicitação para a viabilização de recursos federais visando a construção de duas ferrovias – uma entre Brasília e Goiânia, outra de Brasília a Luziânia -, além da extensão do Bus Rapid Transit (BRT), ligando Santa Maria a Luziânia, e da inclusão do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Marconi explicou que a obra do VLT de Goiânia custará aos cofres do Estado R$ 1,1 bilhão e poderá ser viabilizada por meio de financiamentos de Parcerias Público Privadas. A pauta foi o primeiro assunto do dia, debatido no Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, com o secretário do PAC, Maurício Muniz Barretto. “Ele demonstrou muito interesse e nos prós próximos dias nós teremos uma resposta”, disse governador.

No Ministério dos Transportes, Marconi anunciou que três assuntos constaram na pauta. “Demos sequência a uma excelente relação que o Governo de Goiás tem tido com o Governo de Brasília, com o governador Rodrigo Rollemberg, para a solução dos problemas aqui do Entorno de Brasília.”

A primeira pauta tratou da construção de uma linha férrea para trem de média velocidade entre Brasília e Goiânia, integrando as duas regiões. “A nossa ideia é que o Ministério dos Transportes, através da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), lance uma Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) até o mês de outubro”, observou Marconi.

Por intermédio desse instrumento (PMI), o setor público obtém, de consultores externos ou das empresas interessadas em disputar futuros contratos de concessão, estudos de viabilidade sobre projetos de infraestrutura que estão na agenda da tomada de decisão do Estado. Tais estudos são essenciais para que o setor público possa estruturar e publicar os editais de licitação de contratos de concessão.

O segundo assunto foi o aproveitamento da linha férrea entre Brasília e Luziânia, com vistas a transformá-la em uma linha para passageiros. Segundo Marconi, a medida seria implantada para “facilitar a vida de quem vive no Entorno e trabalha em Brasília”.

Foi conversado também sobre a viabilidade da extensão do BRT de Brasília, cuja última estação fica localizada em Brasília, até a cidade de Luziânia. “Os assuntos foram todos muito bem recebidos pelo ministério e pela ANTT. Cronogramas foram estabelecidos e nós saímos daqui muito contentes com os encaminhamentos que têm sido dados aos pleitos do governador de Brasília e aos pleitos do Governo de Goiás”.

O governador anunciou que a ANTT se comprometeu a lançar a PMI do trem de Brasília a Luziânia no dia 17 de setembro e a PMI do trem de Brasília a Goiânia até 30 de outubro. “Num momento em que a gente vive uma grande crise, falta de dinheiro para todo lado, nós pelo menos estamos fazendo a nossa parte, que é destravar burocraticamente todos os procedimentos. E, mais do que isso, buscando o setor privado para fazer os investimentos”, ressaltou.

Em entrevista concedida à imprensa, Marconi enfatizou também a boa relação mantida com o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg. “A vantagem da relação nossa com o governador Rodrigo é que não há preguiça. Todas as vezes que o governador Rodrigo me chama, eu estou aqui. E todas as vezes que eu preciso dele, ele está presente. Ou seja, há uma pauta, uma agenda comum, em que nós dois estamos protagonizando um ritmo acelerado para que as coisas sejam resolvidas”, pontuou Marconi.

Governador do DF, Rodrigo Rollemberg citou que chega a 15% o número de pessoas que residem nas cidades do Entorno, mas trabalham na capital federal. E as ferrovias vão auxiliar no deslocamento dos moradores dos dois estados.

“Esse é um dia histórico para essa região Brasília-Goiânia. O anúncio do Ministério dos Transportes e da ANTT de lançamento para a transformação da linha férrea entre Brasília e Luziânia em trem de passageiros vai atender uma população muito grande, que se desloca diariamente para trabalhar em Brasília. Por outro lado, o edital para construção do trem de média velocidade entre Brasília e Goiânia vai atender uma das regiões de maior dinamismo do Brasil e também a população de Águas Lindas”, disse Rollemberg em entrevista.

Participaram também da reunião a deputada distrital Liliane Roriz e a deputada federal Magda Mofatto; o secretário de Estado de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos, Vilmar Rocha; e o presidente da Goiás Parcerias, Cyro Miranda.

Fonte: DM


Show da Virada da TV Globo deve ser gravado em Goiânia



Entre as atrações estarão Thiaguinho, Chitãozinho e Xororó, Skank e Ivete Sangalo.

O tradicional Show da Virada, da TV Globo, será gravado em Goiânia em novembro. Segundo o colunista Flávio Ricco, a cidade servirá de cenário para o programa que, neste ano, vai apostar em um novo formato, fazendo com que os convidados também façam as vezes de apresentadores.

Goiânia será a primeira cidade fora do eixo Rio-São Paulo a receber a atração. A gravação deve ser realizada nos dias dias 24 e 25 de novembro e entre as atrações estarão Thiaguinho, Chitãozinho e Xororó, Skank e Ivete Sangalo, adiantou o colunista. O Show da Virada vai ao ar na noite do dia 31 de dezembro.

Ainda não se sabe qual será o local escolhido pela emissora para a gravação, que geralmente é feita em espaços fechados.

Fonte: Jornal O Popular


16 de agosto de 2015

Jardim Goiás entre os bairros que mais mudaram desde 2005, constata comissão



Em campo pela primeira vez desde o início dos trabalhos deste ano, grupo que estuda a nova Planta de Valores Imobiliários de Goiânia confere atuais perfis de cinco locais: Parque das Laranjeiras, vilas Alto da Glória e Maria José, Jardim Goiás e Residencial Aldeia do Vale. Equipe volta a se reunir nesta sexta-feira, 14, excepcionalmente no período da manhã, das 8 às 12 horas

Durante quatro horas, a Comissão para Elaboração da Planta de Valores Imobiliários e Tabela de Preços de Construções conferiu em campo as configurações de cinco dos 671 bairros que compõem a Capital: Parque das Laranjeiras, vilas Alto da Glória e Maria José, Jardim Goiás e Residencial Aldeia do Vale, respectivamente. In loco, eles validaram o indicativo de que o Jardim Goiás, hoje o quinto metro quadrado mais caro da cidade, segundo pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Goiás (Creci-GO); registra uma das maiores alterações de perfis no delineamento urbano da Capital desde a última atualização da base de dados imobiliários da prefeitura, no ano de 2005. A inauguração do Parque Municipal Flamboyant Lourival Louza foi um dos propulsores desta mudança.


'O Parque Flamboyant transformou a paisagem urbana e, sem dúvida, é um dos elementos que impulsionaram o célere desenvolvimento da região Sul. Hoje, o Jardim Goiás é símbolo da explosão imobiliária na Capital', pondera o secretário municipal de Finanças, Jeovalter Correia que, embora não integre a comissão, fez questão de acompanhar a visita técnica. De acordo com a mestre em Ecologia e Produção Sustentável, Maria Aparecida de Oliveira, a ocupação do Jardim Goiás era inexpressiva até os anos 90. Cenário alterado, no entanto, como efeito da estratégia adotada, a partir dos anos 70, para implantação no local  e nas imediações de grandes equipamentos como autódromo internacional (1974), Estádio Serra Dourada (1975), Shopping Flamboyant (1981), Carrefour (1988), Palácio das Campinas Venerando de Freitas Borges (Paço Municipal - 2000), Wal Mart e Sams Club (ambos em 2005).

Mas, apesar dos altos investimentos para fazer do local um vetor de desenvolvimento da cidade, o adensamento residencial do setor seguiu de forma morosa.  A evolução da ocupação urbana só começa a ser observada em 2007, mesmo ano da inauguração do parque, cuja construção iniciou em 2005. 'Com localização privilegiada, fazendo parte de uma região de expansão comercial vista como um dos centros importantes de desenvolvimento da Capital, aliada à crescente demanda por lazer e melhor qualidade de vida, (o setor) desperta de forma ambiciosa o interesse dos investidores', explica a especialista.

'O bairro criado para ser residencial, gradativamente, foi se transformando em um espaço voltado para uma intensa articulação de mercado que, com celeridade, transformou-se num polo comercial e de lazer na escala urbana.' Segundo ela, os condomínios horizontais construídos nas imediações também foram um fator importante para a modificação da configuração espacial do Jardim Goiás.

Desigualdades
O rápido processo de desenvolvimento urbano conexo aos 10 anos de desatualização da Planta de Valores criou anomalias como o fato de hoje, na base de dados da prefeitura,  o metro quadrado  territorial em frente ao Parque Flamboyant ter valor similar ao do Setor Perim e da Vila João Vaz. Semelhança, no entanto, que não existe no mercado. No Jardim Goiás, perto do Parque Flamboyant, há lote à venda por R$ 950 mil. No Perim, por R$ 150 mil.

'Há situações de muita desigualdade não só frente a outros locais, mas dentro do próprio bairro. Atualmente, por exemplo, o metro quadrado em um conjunto de apartamentos mais antigos que existe na Avenida E, perto do Colégio Militar, custa quase R$ 900 enquanto o metro quadrado de apartamentos de altíssimo padrão em frente ao Parque Flamboyant custa R$ 230. Situações que atestam que a atualização da planta é importantíssima para se fazer justiça fiscal em Goiânia', argumenta a representante da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), Vera Sotkeviciene.

E há valores ainda mais baixos. Na base da prefeitura, há metro quadrado no Jardim Goiás cotado a R$ 79. Valor que faria, por exemplo, um terreno de 400 metros no bairro custar apenas R$ 31.600. De acordo com levantamento do Creci, divulgado no ano passado, o metro quadrado do Jardim Goiás, custa, de fato, R$ 4.851. Em 2011, o valor era R$ 3.382.

A visita técnica realizada nesta quinta-feira, 13, também abrangeu o Parque das Laranjeiras e a Vila Maria José, ambos na região Sul da cidade, que não estavam no roteiro traçado inicialmente mas que, durante o trajeto, chamaram atenção da equipe pelo alto índice de empreendimentos em construção nesses locais. O grupo, inclusive, conversou com moradores dos bairros com objetivo de melhor entender o processo de mudança em cursos nessas localidades.

O empresário e morador do Parque das Laranjeiras, Ricardo Kadito, afirmou que atualmente há condomínios horizontais em construção no bairro. 'Uma vizinha vendeu um imóvel aqui por R$ 315 mil. Antes aqui era barato', acrescenta a  aposentada Francisca de Brito Soares, também moradora do local. Em seguida a comitiva seguiu, respectivamente, para a Vila Alto da Glória, situada nas imediações do Laranjeiras; Vila Maria José, Jardim Goiás e terminou a rota no Residencial Aldeia do Vale, que ainda é parcialmente desabitado.

Aldeia do Vale
O empreendedor do condomínio, Paulo Roberto da Costa, conversou com o grupo sobre a necessidade de Plantas de Valores (PV's) diferentes dentro do Aldeia, principalmente em relação à área não urbanizada e que só será colocada à venda no próximo ano. 'Aqui, temos lotes de dez mil metros quadrados. Se, por exemplo, for colocado a R$ 400 o metro quadrado, será R$ 4 milhões. Não tem jeito. Está muito longe', exemplifica o empresário.

O representante da Secretaria Municipal de Planejamento e Habitação (Seplanh), Celeocy Cotrim, solicitou que seja apresentado à comissão um detalhamento da composição do Aldeia do Vale.  O objetivo é ter subsídio para amparar as decisões do grupo. 'A Planta de Valor deve ser a mais próxima possível do preço de mercado. Não tenho dúvida, precisa ser mais condizente com a realidade, mas as diferenças em relação à cidade precisam ser consideradas', afirma Paulo Roberto, que propôs quatro diferentes cotações para o condomínio. A sugestão ainda será apreciada pelos membros da comissão.

A ida à campo, que se repetirá até o final do trabalho dos técnicos, previsto para o próximo dia 28, funciona como mecanismo complementar à metodologia utilizada para estudo da atual situação dos bairros da Capital. Hoje, a comissão se embasa em análises de mapas, tabela de valores aplicados no ano de 2005, relatório com inscrições de todos os imóveis, subsídios tecnológicos como visualização de mapas e imagens captadas via satélite, além de vistas panorâmicas de 360° na horizontal e 290° na vertical como amparo às decisões em grupo.

Há também estudos resultantes do cruzamento entre os registros de imóveis feitos na prefeitura ao longo de 2015 e avaliações de mercado a cargo do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de Goiás (Sindimóveis) e da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), entidades que têm dois representantes na comissão. Do grupo ainda fazem parte membros do poder público municipal, do Governo de Goiás e da Câmara Municipal de Goiânia, conforme estabelece o Código Tributário Municipal (CTM). O objetivo da equipe, que se reúne diariamente desde o início de agosto, é identificar situações de desvalorização, neutralidade ou valorização no comparativo entre os dados da base de dados da prefeitura e as práticas de mercado.

Horário excepcional
Ao longo de 13 reuniões, que começaram no dia 03 de julho, a Comissão para Elaboração da Planta de Valores Imobiliários e Tabela de Preços de Construções apreciou 266 dos 671 bairros da Capital. A média é de 22 locais atualizados a cada encontro. Ao todo, 405 localidades precisam ser avaliados até o próximo dia 28.

A reunião desta sexta-feira, 14, excepcionalmente, acontece das 8 às 12 horas, como atendimento a pedido de parte dos vereadores que integram o grupo. Via de regra, as deliberações ocorrem no período vespertino, das 14h às 18 horas. A meta é concluir os trabalhos até o final no mês para encaminhar à Câmara o Projeto de Lei (PL) da nova Planta de Valores Imobiliários no início de setembro. Antes da apreciação em plenário, no entanto, haverá a realização de audiências públicas para discussão do tema. O prazo final para tramitação da matéria na Casa é o dia 20 de dezembro.

Base
A Planta de Valores é um documento que subsidia o poder público municipal em cálculos de desapropriações imobiliárias, dos impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Territorial Urbano (ITU), alienação de áreas públicas e de Imposto Sobre Transmissão de Imóveis (ISTI). É, ainda, o valor oficial para definição dos preços dos imóveis dos órgãos públicos, do patrimônio do Município. A última atualização dessa base de dados ocorreu no ano de 2005.

Giselle Vanessa Carvalho, da editoria de Finanças - Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)
Fonte: Prefeitura de Goiânia
Fotos: Roberto Barrich's


ANTT autoriza a construção de dois viadutos e quatros pontes na BR-153 em Aparecida


Diretor-geral Jorge Bastos confirmou a informação durante reunião com o prefeito Maguito Vilela em Brasília

O prefeito Maguito Vilela se reuniu na tarde desta quarta-feira (12), em Brasília, com o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, o diretor-presidente da concessionária Triunfo Concebra, Odenir José Sanches, e o superintendente regional do Departamento Nacional de Transportes (Dnit), Flávio Murilo de Oliveira. Durante o encontro, a ANTT autorizou as intervenções no perímetro urbano de Aparecida da BR-153, solicitadas por Maguito em maio deste ano.

O pedido de Maguito, sobre as intervenções, também foi reforçado durante a visita do Ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, à Aparecida, no dia 12 de maio deste ano. Estas intervenções compreendem a construção de um elevado na Avenida Bela Vista, que divide Aparecida e Goiânia; quatro pontes sobre o Ribeirão Santo Antônio, na altura do Country Clube; e um viaduto que ligará o Centro Histórico de Aparecida à região leste do município e também dará acesso à Universidade Federal de Goiás (UFG) de Aparecida.

As obras serão realizadas pela concessionária Triunfo Concebra, que administra a rodovia federal. Após as obras e a conclusão do desvio da BR-153, a manutenção do trecho ficará sob a responsabilidade da Prefeitura de Aparecida. A partir de agora, a concessionária Triunfo Concebra irá concluir os projetos e finalizar a parte burocrática como licenças ambientais e outros. Depois do trâmite administrativo e operacional as obras serão iniciadas pela concessionária.

“Essas intervenções vão resolver os problemas do Ministério, da ANTT e das prefeituras. Depois que o Governo Federal fizer as intervenções necessárias, nós vamos assumir esse trecho e também o Anel Viário, até o Garavelo. O Governo Federal passará a dar manutenção no desvio da BR-153 e nós, prefeitos, neste trecho. Mas para a prefeitura assumir isso, a manutenção de toda essa extensão, o custo é alto. Então em troca queremos que essas intervenções sejam incluídas”, explicou Maguito.

Enquanto o viaduto e as pontes não são construídos, o Dnit se comprometeu a cuidar do trânsito e da sinalização neste trecho da BR-153, em parceria com a Prefeitura. “O Dnit se dispôs a fazer correções necessárias em retornos e rotatórias para evitar acidentes no trecho. É uma parceria transitória, mas muito importante para garantir a segurança de quem transita pelo perímetro urbano de Aparecida”, avaliou o secretário de Governo e Relações Institucionais, Euler de Morais, que também participou da reunião.

ANEL VIÁRIO - Outro assunto tratado durante o encontro foi a concessão do trecho da BR-060 que compreende o Anel Viário em Aparecida até o setor Garavelo. Ficou acertado que a Prefeitura encaminhará à ANTT, na próxima semana, um estudo das intervenções necessárias para tornar o trecho em perímetro urbano, e posteriormente a ANTT incluiria o trecho na concessão da BR-060.

A expectativa inicial é de um custo total de R$ 500 milhões para todo o conjunto de obras. Isso inclui o desvio da BR-153 – que começará no Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), logo após o setor Vale dos Sonhos, até a divisa entre Aparecida e Hidrolândia –; o viaduto de acesso ao aeroporto de Goiânia; o elevado da Avenida Bela Vista e o viaduto na altura do Centro Histórico de Aparecida; e as quatro pontes do Country Clube.  A expectativa da Triunfo Concebra é que as obras durem cerca de dois anos e comecem no segundo semestre deste ano

Fonte: Prefeitura de Aparecida


Governador anuncia para 2016 a conclusão do Hospital Regional do Norte























Término da obra estava entre as solicitações da prefeita Solange Bertulino, do PMDB

Em Uruaçu, na última sexta-feira (14/8), ao lado da prefeita Solange Bertulino, do PMDB, o governador Marconi Perillo garantiu a retomada imediata das obras do Hospital Regional do Norte, na cidade, e disse que pretende inaugurá-lo no ano que vem.

“Já construímos pouco mais de 70% do Hospital Regional de Uruaçu. Falta agora, menos de 30%. Tenham certeza que a prioridade máxima é terminar esse hospital. Depois que ele ficar pronto e começar funcionar, vocês terão muito orgulho de ter o melhor hospital da Região Norte do Brasil”, afirmou.

Em discurso, Solange pediu ao governador que cuidasse com carinho de algumas demandas do município. Solicitou, além do hospital, que agilizasse o término das obras da Escola Padrão Século XXI. Pediu também que interviesse na liberação da licença ambiental para cultivo de tilápia no município e também um auxílio na recuperação da Avenida Galdino Moreira de Souza, que liga o futuro Hospital Regional ao Instituto Federal de Goiás (IFG).

“São pedidos. Não cobrança. São milhares de pessoas que necessitam, com urgência, do hospital e da escola”, justificou. “Entendemos o atraso e a paralisação. Vivemos uma crise política e econômica. Uma crise de vulto. Mas sabemos também que é na crise que surgem as grandes ideias, as saídas mais criativas.”

O governador agradeceu a maneira cordial e respeitosa com a qual a prefeita apresentou os pedidos. Ele solicitou imediatamente ao secretário Thiago Peixoto (Segplan), presente no evento, que se inteirasse da obra da Escola Padrão Século XXI para que pudesse tomar as devidas providências. Também afirmou que vai checar na Agetop a maneira como pode ajudar na questão da Avenida Galdino Moreira.

Sobre a liberação da licença para criação de tilápias, disse ter conversado sobre o assunto em três oportunidades com o ministro Helder Barbalho (Pesca e Aquicultura), este ano. De acordo com Marconi, há um problema na liberação por conta de uma restrição em uma lei federal. Ele pediu para que o secretário Vilmar Rocha (Secima) cuidasse da demanda.

Marconi anunciou que o Hospital Regional funcionará nos mesmos moldes de administração dos demais hospitais estaduais: “Nós vamos fazer o chamamento de uma Organização Social que vai recrutar os funcionários, médicos, enfermeiros, paramédicos, servidores. Nós vamos comprar os melhores equipamentos do mundo para estar neste hospital e vocês vão ver que Saúde tem jeito, desde que a gente foque, desde que a gente priorize para funcionar direito.”

Fotos:









Fonte: Jornal Opção


Tocha olímpica vai passar por 12 cidades goianas


O governador Marconi Perillo vai acompanhar a tocha dos Jogos Olímpicos Rio 2016, por boa parte das 12 cidades goianas que receberão o principal símbolo da competição, em maio do ano que vem. O anúncio foi feito por Marconi nesta sexta-feira, dia 14, durante reunião de trabalho do comitê que discute o revezamento da tocha no Estado, realizada no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia, com a presença do ministro dos Esportes, George Hilton, e dos prefeitos de dois municípios por onde a pira olímpica vai passar em Goiás: Paulo Garcia, de Goiânia, e Maguito Vilela, de Aparecida de Goiânia.

A tocha vai circular pelo Estado durante três dias. O revezamento no País terá início em 3 de maio de 2016, por Brasília (DF). Segundo o Ministério dos Esportes, ainda será definido se o revezamento em solo goiano terá início logo no dia 3 ou no dia seguinte (4 de maio). “Ainda estamos discutindo estes detalhes. Mas é certo que serão 12 cidades em Goiás a receberem a tocha aqui”, garantiu o ministro dos Esportes, George Hilton, durante pronunciamento de abertura da reunião.

Roteiro
Da capital federal, a tocha segue para Corumbá, Pirenópolis até chegar a Anápolis, onde passa a noite. De lá, segue para Itaberaí, cidade de Goiás, Inhumas até chegar a Goiânia. No dia seguinte, será a vez de Trindade, Aparecida de Goiânia e Caldas Novas, onde a tocha ficará até no outro dia. Da capital, segue para Morrinhos a última cidade do seu trajeto por Goiás. A partir deste ponto será levada para Araguari, onde começará seu percurso em Minas Gerais.

O governador Marconi Perillo afirmou, durante abertura dos trabalhos do comitê, que toda a estrutura do Estado estará à disposição para que a recepção da tocha em Goiás seja uma referência. Ele ainda destacou a importância da parceria entre governo federal, Estado e municípios para que se promova uma recepção que entre para a história das Olimpíadas. Marconi convidou o ministro George Hilton a acompanhá-lo durante o trajeto da pira pelo solo goiano.

“Queremos todos, das prefeituras e do Governo do Estado, engajados neste projeto. Vamos fazer uma festa bonita. Seremos o primeiro Estado a recebê-la, depois do Distrito Federal. Sabemos que a primeira impressão é a que fica. Então, nossa responsabilidade é grande. Vamos organizar uma estratégia conjunta, envolvendo diversos setores, para mostrar nossa cultura e nossa mobilização ao mundo. Vou acompanhar a tocha por boa parte destas cidades e convido o ministro para, juntos, presenciar a festa bonita que vamos preparar para recebê-la”, disse.

O ministro George Hilton, por sua vez, agradeceu o convite e frisou que vai acompanhar Marconi. “O governador falou que vai acompanhar a tocha por boa parte das cidades e fez o convite para eu acompanhá-lo. Vamos preparar o uniforme de corrida para isso. Eu estarei aqui novamente. Não temos dúvida que Goiás deverá contribuir para que este evento do revezamento seja de grande relevância para o País. Este é um Estado que investe em esporte. É fácil deduzir que aqui a festa será linda”, disse.

Campanha
O governador Marconi sugeriu ao comitê a criação de uma campanha de mídia para divulgar e mobilizar as pessoas a acompanharem a passagem da tocha. “Vamos criar uma campanha de divulgação da passagem pelas 12 cidades. Criar, desde já, uma marca. Algo que mobilize as pessoas”, afirmou.

O subchefe de Assuntos Federativos da Presidência da República, Olavo Noleto, destacou a importância de Goiás neste roteiro. “No total, a tocha passará por mais de 300 cidades, mas só 79 terão o privilégio de abrigar a chama a cada dia de revezamento. Em Goiás, estas cidades serão Anápolis, Goiânia e Caldas Novas. Não tenho dúvida que aqui, que é meu Estado, teremos uma grande festa”, destacou.

O prefeito Paulo Garcia garantiu um trabalho de forma sinérgica e coordenada entre todos os municípios e o Governo do Estado. Já Maguito Vilela disse que pela primeira vez na história Goiânia vai ser cidade dormitório de Aparecida. “Como a tocha vai dormir em Goiânia e no dia seguinte seguir para Aparecida, será a primeira vez que Goiânia vai ser dormitório de Aparecida”, observou.

Fonte: Goiás Agora


Fora Dilma: manifestantes começam a se concentrar em várias capitais


Protesto em Goiânia está marcado para 14h da tarde

Os primeiros manifestantes começam a chegar aos pontos de concentração em várias capitais do País para o protesto nacional contra o governo Dilma Rousseff. Em Brasília, onde a manifestação estava marcada para começar às 9h30, algumas dezenas de pessoas já estão concentradas na Esplanada dos Ministérios, próximo ao Museu Nacional.

No Rio de Janeiro, cerca de 50 pessoas se reúnem na Avenida Atlântica, em Copacabana (zona sul), na altura do posto 5. Há carros de som na orla e os organizadores gritam palavras de ordem, como "fora PT".

Em Recife, manifestantes começam a se concentrar para o ato na Av. Boa Viagem, movimento que se repete em Maceió. Em Belém, grupos que saíram da estação das docas passam pelo centro comercial.

Logo cedo, por volta das 7h30, houve buzinaço de caravana de caminhoneiros pelas ruas da cidade de Rio do Sul, em Santa Catarina.

Em Goiânia, o manifesto está marcado para ás 14h. O evento no Facebook, criado pelos movimentos Brasil Livre, Vem Pra Rua e Revoltados ON LINE, tem 6 mil e 600 presenças confirmadas. A concentração será na Praça Tamandaré, no setor Oeste.

Foto: Congresso em Foco

*com informações Agência Estado

Fonte: Jornal O Hoje


13 de agosto de 2015

Governo de Goiás anuncia cinema no Centro Cultural Oscar Niemeyer


Empresa Cinemas Lumière ganhou a licitação e será responsável por duas salas para exibição de filmes que deverão ser entregues em 28 de outubro

O Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), que costuma receber shows, eventos e exposições em Goiânia vai contar também com duas salas de cinema. Segundo o Governo de Goiás, elas serão entregues em 28 de outubro.

As salas ficarão sob responsabilidade da Cinemas Lumière. A empresa foi a vencedora nas licitações.

Fonte: Jornal Opção


Reforma do Estadio Serra Dourada: Goiás pode mandar jogos no Jonas Duarte em 2016


O governo estadual pretende fazer uma grande reforma no Estádio Serra Dourada no próximo ano. A intenção é acabar com o setor de geral e fazer adaptações para modernização da praça esportiva. Mas como toda obra, esta também deve causar efeitos colaterais.

Os três times goianienses que disputam o Campeonato Brasileiro mandam seus jogos no Estádio Serra Dourada. Eles terão que procurar outra praça para jogarem pela competição nacional. O novo Estádio Olímpico, que está para ser inaugurado, é uma opção, mas o Goiás trabalha com outra possibilidade.

A diretoria esmeraldina pretende mandar seus jogos no Campeonato Brasileiro de 2016, no Estádio Jonas Duarte, em Anápolis. Inclusive a praça deve receber melhorias para a próxima temporada. Existe uma informação que aponta que o gramado do Serra Dourada pode ser transferido para o Jonas Duarte.

Fonte: Portal 730

GCP Arquitetos, que projetou Arena Pantanal, vence licitação para reforma do Serra Dourada, em Goiás

Estádio projetado originalmente por Paulo Mendes da Rocha terá capacidade ampliada de 40 para 50 mil lugares

O escritório GCP Arquitetos, que projetou a Arena Pantanal em Cuiabá (MT) e o Centro de Formação Olímpica em Fortaleza (CE), venceu a licitação do Governo do Estado de Goiás para a elaboração do projeto de reforma estrutural e ampliação do Estádio Serra Dourada, projetado por Paulo Mendes da Rocha em Goiânia. O contrato entre a Agência Goiana de Transporte e Obras (Agetop) e a ganhadora da licitação já foi assinado.

De acordo com o grupo, o projeto seguirá premissas inovadoras e sustentáveis que objetivam tornar o local adequado aos padrões recomendados pela Federação Internacional de Futebol (FIFA).

As obras deverão incluir a extensão da arquibancada inferior com cadeiras até o nível do gramado, aumentando a capacidade do estádio para 50 mil pessoas; criação de cerca de dez camarotes na porção central da arquibancada do lado oeste; reforma e nova divisão das cabines de rádio e TV; substituição dos placares atuais por telão; criação de auditório e zona mista para jornalistas; reforma dos vestiários; criação de novo acesso para os jogadores; e modernização e criação de recepção para imprensa e público da tribuna.

De acordo com o sócio-fundador da GCP, Sergio Coelho, o projeto irá manter e reforçar as virtudes do projeto original do estádio inaugurado em 1975.

Fonte: AU


Setor Oeste também ganhará parklet


O quarto parklet de Goiânia foi inaugurado ontem, no Setor Marista, pelo prefeito Paulo Garcia. A plataforma, com 10 metros de comprimento e 2,2 metros de largura, tem bancos, mesas, guarda-sóis, jardineiras e um bicicletário com oito vagas. Instalado na Avenida Ricardo Paranhos, o espaço de convivência foi implantando pela EBM Desenvolvimento Imobiliário.

O equipamento foi feito de estrutura metálica e seu mobiliário de madeira certificada. O espaço utiliza duas vagas de carros e já atrai moradores. “Pessoas que praticam atividades físicas na avenida aproveitam o local para descansar”, destaca o arquiteto do projeto, Vinicius Aires.

Goiânia é a quarta capital brasileira que, por regulamentação legal, permite a criação de parklets. O decreto autoriza, por até três anos, o uso temporário de vias como extensão de áreas públicas voltadas à convivência. O primeiro foi inaugurado em abril, na Rua Mario Bittar, no Setor Marista, e já foi removido, mas tem nova localização - foi adquirido pelo arquiteto Leo Romano e está sendo instalado na Avenida A, no Setor Oeste.

Fonte: Jornal O Popular


Aí pode? Só neste ano, Prefeitura já recebeu 1,1 mil pedidos para arrancar árvores


Número é nove vezes maior que a quantidade que foi retirada da Avenida Goiás Norte — por onde passará o BRT

A Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) recebeu, só em 2015, 1.099 pedidos de moradores de Goiânia para que árvores fossem arrancadas. De acordo com levantamento feito com exclusividade ao Jornal Opção Online, a Amma mostra que, de janeiro a julho deste ano, quase 1,1 mil processos pedindo extirpação (corte de toda a árvore) foram protocolados.

O número é nove vezes maior que a quantidade de plantas que foram retiradas da Avenida Goiás Norte nesta semana — 118, ao total. O remanejo das árvores, entre elas exemplares de Flamboyant, causou comoção nas redes sociais e gerou críticas à administração do prefeito Paulo Garcia (PT).

Pela avenida, passará o BRT Norte-Sul, um dos projetos mais ambiciosos da prefeitura, que deve ser entregue já em 2016 e espera beneficiar cerca de 120 mil pessoas por dia. Em nota, a Amma explicou que fará toda a requalificação urbana e paisagística da Av. Goiás Norte, incluindo a plantação de ipês amarelos e brancos — típicos do Cerrado — por toda a linha.

De acordo com a Amma, o processo de extirpação passa por vistorias técnicas e análise do órgão: ou seja, embora 1,1 mil processos tenham pedido para que árvores fossem arrancadas em Goiânia, boa parte foi negada: 700 casos obtiveram o aval (63%).

No ano de 2014, constam 1.431 processos na Amma com pedido de poda ou extirpação (corte de toda a árvore). A Agência deu parecer favorável para extirpação a cerca de 1 mil deles.

Fonte: Jornal Opção


7 de agosto de 2015

Avenida Goiás vira espaço de lazer e cultura neste domingo (9/8)


Em pleno Dia dos Pais, que este ano será celebrado no dia 9 de agosto (domingo), a prefeitura de Goiânia lança o projeto #DomingoNoCentro. A proposta é incentivar as famílias goianienses a encontrarem na Avenida Goiás, Centro da capital, um lugar para diversão e prática de esportes.

O lançamento da iniciativa será às 8h, com presença do prefeito Paulo Garcia. Neste domingo, o trecho da avenida entre o anel interno e a Rua 4 será fechado para uma série de atrações, como a presença do Ônibus Brincalhão, que é contemplado com pula-pula, escorregador e pimbolim.

Amantes do futebol poderão jogar golzinho e terão o auxílio de professores de educação física. Terá também oficinas de reaproveitamento de materiais, contação de história, oficinas de balões, pinturas faciais, jogos recreativos e brincadeiras populares como amarelinha, corrida e cabo de guerra.

Já na parte cultural, haverá exposição de quadros e esculturas do Museu de Artes de Goiânia (MAG), pinturas e oficinas do Centro Livre de Artes (CLA), apresentações de pinturas ao vivo de integrantes da Associação Goiana de Artes Visuais (Agav), poesia na sacada, músicas ao vivo de artistas goianos, peças de teatro, batalha de MC’s e mais uma edição do programa Achei um livro.

Desvio do trânsito
De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), os acessos à Avenida Goiás pelas Ruas 1 e 2 estarão interditados parcialmente no período da atividade, permitindo passagem somente a moradores. As ruas 3 e 4 mantêm fluxo normal, assim como a Avenida Anhanguera e seus cruzamentos.

As nove linhas do transporte coletivo que circulam na via serão deslocadas do eixo da Avenida Goiás para as avenidas Araguaia, Paranaíba e Tocantins e trafegarão pelo anel externo da Praça Cívica, conforme as rotas e sentidos dos percursos.

Fonte: Jornal A Redação


Novo aeroporto de Goiânia só em 2016


Motivos apontados pela Infraero são alterações em projeto original e revisão no orçamento

O novo aeroporto de Goiânia não será entregue no dia 15 de novembro, como prometeu a presidente Dilma Rousseff em visita à capital este ano. Sob a alegação de alteração no projeto e revisão do orçamento, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) afirmou que a conclusão seguirá o cronograma previsto em contrato, com data de entrega em 4 de abril de 2016. A informação foi confirmada pela Secretaria de Aviação Civil (SAC).

“As obras de infraestrutura, que permitiriam ao novo terminal estar em pleno funcionamento em novembro de 2015, tiveram seu planejamento revisto em funções de alterações ocorridas no escopo original do projeto e a revisões que foram realizadas no orçamento de investimentos da Infraero. A conjugação desses dois fatores fez com que optássemos por manter o prazo previsto em contrato, ou seja, início das operações em abril de 2016”, diz nota da Infraero.

A empresa estatal não detalha quais são as alterações do projeto. A nota afirma que o novo terminal está concluído. No entanto, lista os espaços destinados aos concessionários prestadores de serviços, como as lojas comerciais, bancos, restaurantes, lanchonetes e guichês das companhias aéreas, entre as obras que faltam ser finalizadas. Na parte de infraestrutura, apenas 16,9% do projeto foi execução, conforme dados de junho.

A reforma e ampliação do Aeroporto Santa Genoveva se arrasta há uma década. A obra, que começou em março de 2005, passou por embargo judicial, paralisação por falta de verba e até greve de funcionários. Em março deste ano, durante visita à Goiânia, a presidente Dilma Rousseff anunciou a retomada da construção e garantiu: “As obras do pátio e da pista vão começar precisamente no dia 6 de abril. Eu quero assumir um compromisso de que elas estarão prontas até novembro”.

O início das obras ocorreu exatamente no prazo estipulado pela presidente, mas a data de entrega tem sido um ponto de divergências desde seu anúncio. No dia 1º de abril, o líder do empreendimento da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) em Goiânia, José Eduardo Bernat, afirmou em entrevista que o novo terminal seria entregue, em novembro, de forma parcial.

Na semana seguinte, o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, e o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, vieram à capital vistoriar a construção e afirmaram que os embarques e desembarques na nova área estariam em funcionamento em novembro. Mas em junho, a Infraero informou que estava revisando o planejamento em relação às obras de infraestrutura do espaço e admitiu a possibilidade de não iniciar as operações do novo terminal em novembro. Por meio de nota, informou na época que os recursos para o empreendimento estavam garantidos no orçamento da União tanto para 2015 como para 2016, mas ressaltou que os ajustes feitos recentemente pelo governo federal poderiam comprometer o cronograma.

Consórcio

A assessoria de imprensa do consórcio Odebrecht e Via Engenharia, responsável pela construção do novo aeroporto, preferiu não se pronunciar. O consórcio alega que apenas executa o contrato gerido pela Infraero.

Processo de mudança pode demorar mais

 100 dias do fim do prazo anunciado pela presidente Dilma Rousseff para a entrega da obra no Aeroporto Santa Genoveva, a comunidade aeroportuária do local já tratava a possibilidade de transferência das operações para este ano como improvável. O clima diante da promessa de conclusão da obra em 15 de novembro era de descrédito. “Pela experiência que tenho, esse processo demora de um a dois anos. Esse terminal deve ir mudando gradativamente. Você não transfere a operação de seis companhias aéreas de uma hora para outra. É uma mudança grande, passando inclusive da operação de solo para fingers” , disse um piloto que trabalha no local. Ele, assim como a maioria dos entrevistados, prefere não ser identificado para não ter desgastes.

Chefes de operações da maioria das companhias preferiram não comentar a data provável da mudança. No entanto, o gerente de uma das empresas, que pediu para não ser identificado, afirmou que a expectativa das grandes companhias é de iniciar, o mais rápido possível, os trabalhos no prédio erguido do outro lado da pista de pouso. “Visitamos o novo terminal em maio, mas ainda não temos um start da Infraero para programar a mudança.”

A gerente de loja Helkilena Sousa Brelaz, de 35 anos, disse ter expectativa de ir para no novo endereço, pois acredita que o fluxo de pessoas será maior, mas alega que a Infraero ainda não a procurou para tratar do assunto. “Sabemos que haverá outra licitação para os pontos comerciais de lá.”


Há desejo de que o atual terminal continue aberto 

Muitos comerciantes acreditam que o terminal atual do aeroporto Santa Genoveva continuará recebendo passageiros das empresas de aviões menores, como a Azul. A prova disso, segundo os permissionários, é a entrada de novas lanchonetes, ainda em construção, na praça de alimentação.
Funcionários de um quiosque inaugurado na última quarta-feira informaram que a franquia de sorvetes assinou contrato de dois anos. “Ninguém faz um investimento desses para ficar pouco tempo”. A reportagem procurou a companhia citada pelos permissionários para saber se a ela deve permanecer no terminal atual. Por meio da assessoria, a empresa disse apenas que “por parte da Azul ainda não há definição sobre a mudança de operação em Goiânia”.

 Fonte: Jornal O Popular 1 e 2