15 de julho de 2015

Goianos considerados maiores hackers do mundo são presos pela PF e FBI


As prisões ocorreram no Jardim Goiás. Os dois suspeitos podem ter desviado milhões de reais de contas bancárias do Brasil

A Polícia Federal (PF) com apoio do Cyber Division do Federal Bureau of Investigation (FBI) prendeu em Goiânia nesta terça-feira (14) dois dos principais hackers do mundo. A operação internacional denominada Darkode, foi realizada simultaneamente em outros 18 países contra mais de 62 hackers, que se denominam bankings. Além de Goiás, houve mandados de busca cumpridos em Belo Horizonte.
As prisões em Goiânia ocorreram no Jardim Goiás, região nobre da capital. De acordo com o delegado Umberto Ramos Rodrigues, também foram realizados quatro mandados de busca, além da prisão dos dois homens, que devem responder pelos crimes de furto mediante fraude, associação criminosa e evasão de divisas.

“O prejuízo é principalmente para os bancos e correntistas. Eles não agiam apenas em Goiás, mas em todo mundo. Os suspeitos fazem parte das mais altas patentes de um fórum mundial de hackers”, explicou Umberto Ramos durante entrevista coletiva concedida na sede da Superintendência da PF em Goiás.

O delegado também acredita que o prejuízo é milionário, principalmente na Caixa Econômica Federal. No entanto, segundo ele, ainda não se sabe o valor exato. "Só teremos essas informação após o fim das investigações. Agora, as máquinas e o material apreendido será analisado exaustivamente", disse Umberto Ramos.

De acordo com as investigações, os criminosos invadiam os computadores das vítimas e obtinham, por meio de programas maliciosos, dados e informações sigilosas de clientes de bancos. A partir da obtenção dos dados, os presos pagavam contas de terceiros usando as contas invadidas e transferiam dinheiro para outros correntistas.

Em entrevista ao Jornal O Hoje, o delegado Pablo Bergmann, do serviço de repressão a crimes cibernéticos, disse que as pessoas devem estar sempre atentas para não cair neste tipo de golpe. “Os usuários não devem clicar em nenhum link fora da página oficial do banco. Além disso, a Justiça, a Receita Federal ou próprios bancos não solicitam atualização cadastrais via e-mail”, ressaltou.

Darkode , o forúm de criminosos

Os suspeitos têm, segundo Bergmann, amplo conhecimento na área de tecnologia da informação. Os investigados brasileiros possuem grande reputação entre os membros do fórum internacional Darkode, chegando a alcançar os níveis mais especializados do fórum criado em 2007, que tem como propósito reunir em um único local os maiores e mais especializados hackers e criminosos cibernéticos.

Para ser membro do fórum o usuário necessita da aprovação de suas habilidades técnicas pelos outros membros. Após esta aprovação o usuário recebe a credencial para acesso às partes públicas do fórum.

Além do Brasil, participaram da operação as unidades especializadas em crimes cibernéticos de países como Israel, Alemanha, Reino Unido, Romênia, Índia, Suécia e Dinamarca.

Fonte: Jornal O Hoje