12 de junho de 2015

Infraero admite rever cronograma de obra


Consórcio fez, desde abril , 6,4% do previsto em novo contrato

A entrega para uso do novo terminal do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, pode não ser mais em novembro. Ontem, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que está revisando seu planejamento em relação às obras de infraestrutura do espaço, iniciadas em abril, e que isso pode comprometer a previsão de operacionalização. A conclusão da obra continua mantida para abril de 2016.

A Infraero informou que em dois meses, desde a emissão da ordem de serviço, o consórcio que assumiu as obras já realizou 6,24% do previsto do novo contrato. Já foram feitos a limpeza das áreas onde serão construídos as pistas de taxiamento e o novo sistema viário interno, a mobilização de equipamentos para execução dos serviços, as fundações das guaritas e as fundações das pontes de embarque. Atualmente, as obras seguem em quatro frentes: terraplenagem do sistema viário; macrodrenagem; execução das travessias das pistas de taxiamento; e o início da pavimentação da pista de taxiamento “J”.

Por meio de nota, a Infraero informou que os recursos para o empreendimento está garantido no orçamento da União para a Infraero tanto para 2015 como para 2016. Mas que os ajustes feitos recentemente pelo governo federal pode comprometer o cronograma.

Polêmica do prazo

A data de funcionamento do novo terminal tem sido alvo de polêmica desde março, quando a presidente Dilma Rousseff (PT), em visita à Goiânia, afirmou que estaria pronto para uso em novembro. Em abril, o líder do empreendimento da Infraero em Goiânia, José Eduardo Bernat, afirmou que funcionaria em novembro de forma parcial, mas foi desmentido uma semana depois pelo ministro da Secretaria da Aviação Civil (SAC), Eliseu Padilha.

Em entrevista ontem ao POPULAR, a Odebrecht Via Engenharia, responsável pela obra do novo aeroporto, informou que o cronograma está mantido e informou, inclusive, que estava contratando mão de obra para o serviço. A reportagem não conseguiu contatar a assessoria da empresa ontem para questionar sobre a afirmação da Infraero.

A obra de infraestrutura do entorno do novo terminal começou no dia 6 de abril ao custo de R$ 211,5 milhões. Envolve serviços de pavimentação das vias e estacionamentos, drenagem, rede de esgoto e energia elétrica e atrasou por causa da demora na liberação de verbas pelo governo federal. Com a privatização dos principais aeroportos brasileiros, a Infraero ficou sem recursos próprios para obra.

Fonte: Jornal O Popular