12 de junho de 2015

Governo de Goiás cede área para Prefeitura de Goiânia construir hospital


Secretários, diretor de Centro de Referência em Ortopedia e deputado federal João Campos assinam termo de cessão

O Governo de Goiás cedeu, na última segunda-feira, uma área da Secretaria de Segurança Pública (SSP) para que a Prefeitura de Goiânia construa um Hospital Traumato-Ortopédico com capacidade para 120 leitos. A unidade vai atender traumatismos leves e médios, que é a maior demanda para esta espécie de cuidado.

A cessão da área teve principalmente a articulação do deputado federal João Campos (PSDB) e de Eduardo Abrão, diretor do Centro de Referência em Ortopedia e Fisioterapia (CROF), além do secretário de Saúde de Goiânia, Fernando Machado, e do secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás, Joaquim Machado.

Conforme João Campos, o governador Marconi Perillo foi sensível ao estabelecer mais esta parceria com o prefeito Paulo Garcia (PT). “Isso é um dos nossos compromissos em melhorar e ampliar cada vez mais os serviços de saúde pública em Goiânia. O cidadão que precisa de atendimento médico deve ser bem atendido e rápido, independentemente de qual seja o partido que está no comando do governo”, diz João Campos.

O secretário Joaquim Machado, cuja sede da secretaria é vizinha do CROF, localizado no setor Aeroviário, e Fernando Machado ressaltaram na solenidade que o próximo passo será iniciar a obra, que será contígua ao CROF. Conforme o secretário de Saúde, a característica do centro de referência é ser uma “unidade ambulatorial”. Já o hospital terá leitos e até mesmo uma UTI.

ATENDIMENTO

No Crof são atendidos casos de pequena e média complexidade em traumatologia. O secretário explica que no centro ocorrem atendimentos como imobilização gessada, punções articulares, dentre outros procedimentos. Para ter acesso ao Crof, o morador deve ser atendido em um Cais e receber o encaminhamento para o centro. Com a construção de um hospital na área, a população terá um atendimento mais completo, acreditam os envolvidos na construção do hospital.

Em média, o Crof realiza 4.320 consultas por mês no ambulatório e 600 atendimentos de fisioterapia mensais. Dentre os atendimentos de urgência, a unidade chega a atender mais de 300 pacientes por dia.

Fonte: DM