5 de junho de 2015

Governador quer implantar parque olímpico em Goiás


O governador Marconi Perillo propôs nesta sexta-feira, dia 22, parceria ao ministro do Esporte, George Hilton, para a construção do complexo de ginástica olímpica e execução do parque aquático do Centro de Excelência do Esporte (CEE) de Goiás.

O pedido foi realizado durante visita do ministro às obras do Estádio Olímpico e do Laboratório de Capacitação e Pesquisa, que integram o complexo, e entrega de 12 equipamentos de ginástica de trampolim para a Confederação Goiana de Ginástica.

O ministro, que assumiu o posto no início deste ano, garantiu que sua equipe vai analisar o pedido e que deve trazer uma resposta ao governador em breve. “Solicitamos ao ministro uma ajuda para construir o complexo de ginástica e o apoio para a construção do novo parque aquático. Queremos ter aqui um dos maiores e melhores centros de excelência de toda a América Latina. Isso vai ser bom para Goiás, para nossos atletas e para o Brasil”, afirmou Marconi.

Hilton frisou estar entusiasmado com as obras do Centro de Excelência do Esporte de Goiás. “Vi aqui mais que uma política de governo. Vi aqui uma política estratégica de quem pensa o esporte como instrumento social. Mais do que isso: de quem pensa em levar cidadania e lazer com foco educacional. Vamos aqui formar atletas, principalmente nas áreas onde há vulnerabilidade social. O governador tem o nosso apoio em projetos como este”, destacou o ministro.

Marconi disse que a expectativa é de entregar as obras do Estádio Olímpico e do laboratório no mês do aniversário de Goiânia (outubro). “Vamos inaugurar o Estádio Olímpico, com a pista de atletismo importada da Alemanha e o laboratório para os atletas, que terá um alojamento para 112 atletas (56 masculinos e 56 femininos), além de refeitório, quadras para treinamento, auditório. Queremos contar com a presença do senhor aqui.”

Ele ainda lembrou que a primeira intervenção no Ginásio Rio Vermelho foi em seu segundo governo. “Levantamos o teto do ginásio. Ele era bem mais baixo e acabava atrapalhando práticas esportivas como basquete e vôlei”, frisou.

Marconi destacou a importância dos trampolins doados pelo Ministério. “Certamente a federação vai retribui com a formação de bons atletas, formação de ginástica, que torcemos que seja do nível de Carlos Ramirez Pala, Camila Gomes e o nosso Rafael Andrade. É um orgulho ver esse goiano que brilhou no Pan Americano de Guadalajara, em 2011, ser uma das apostas brasileiras para o Pan-Americano de Toronto e do Mundial da Dinamarca, que deverá ser o representante da modalidade para a Olimpíadas do Rio de Janeiro”, disse.

Olimpíadas
A expectativa do Estado é de que pelo menos 20 atletas goianos participem das Olimpíadas. Mas, segundo o governador, o mais importante é o efeito do esporte na vida das pessoas. “Acreditamos na força do esporte. Não apenas no caminho para a conquista de medalhas e glórias, mas como agente lúdico e educativo, formador de cidadania. No esporte, lutar e resistir são os meios para alcançar as conquistas. Da mesma forma que ocorre na vida pessoal e profissional. Em Goiás, a simbiose entre educação e esporte foi fundamental para que o Estado conquistasse a liderança do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica)”, disse Marconi.

O ministro do Esporte disse que o governo federal deve enviar ao Congresso Nacional até setembro deste ano um projeto que obriga atividade física em todas as escolas públicas do País. “A partir daí preparamos nosso País para ser uma superpotência esportiva, de forma sustentável e perene, definindo o papel dos governos federal, estadual e municipal”, afirmou.

Obras
As instalações do Estádio Olímpico e do Laboratório de Capacitação e Pesquisa, ambos em fase final de construção, e o projeto do Parque Aquático vão dar a Goiás a capacidade de sediar competições internacionais. Todas as obras seguem padrões e normas técnicas exigidas pelas confederações que regem os jogos olímpicos, nas competições nacionais e internacionais de futebol, atletismo, natação, pólo aquático, nado sincronizado e salto ornamental.

As intervenções do Estádio Olímpico receberam do governo estadual um investimento de R$ 130 milhões. O gramado adotou um tipo de grama conhecido como bermuda celebration – altamente resistente aos chutes e pisoteios e que se recupera mais rápido. A pista de atletismo tem 1,2 mil metros de comprimento. A estrutura contará com 12 cabines de imprensa, placar eletrônico e sistema de iluminação com quatro torres metálicas e cobertura com isolamento térmico e acústico.

O investimento no laboratório de Capacitação e Pesquisa, por sua vez, chega a R$ 25 milhões. Além da capacidade de alojar 112 atletas, o local terá quatro quadras, academia, 14 salas de aula, auditório para 200 pessoas. Já o projeto do parque aquático prevê quatro piscinas olímpicas cobertas, com dez raias.

Fonte: Goiás Agora