20 de junho de 2015

Fds chegou! 10 restaurantes de Goiânia que você precisa conhecer o mais rápido possível

Jornal Opção Online lista os lugares mais badalados da capital goiana para se comer, beber e apreciar o que há de melhor na cidade

A gastronomia em Goiânia evoluiu (e muito) nos últimos anos. Como a 12º cidade mais populosa do Brasil, a Capital do Cerrado oferece, hoje, inúmeras opções de restaurantes — que variam dos “granfinos” franceses ao tradicional pit dog de rua –, sem se esquecer de suas origens, prestigiadas em pratos típicos, como a pamonha, ou mesmo na própria cozinha goiana.

Com tamanha variedade, o Jornal Opção Online consultou especialistas na área e “comilões” para fazer uma (pequena) lista de restaurantes que estão bombando no momento. Nosso ranking não tem o objetivo de classificar/eleger os “melhores” da cidade e, sim, sugerir locais para que se possa saborear boa comida.

Bom apetite!

Íz Restaurante, por Ian Baiocchi


Comandado por um chef dispensa apresentações, o Íz abriu suas portas na semana passada, mas já causa um reboliço na cidade. Localizado no Setor Marista, o espaço foi idealizado para ocupar um espaço vago em Goiânia atualmente: o do restaurante completo, onde se come bem e com variedade.

Ian Baiocchi — que deixou a cozinha do Palácio das Esmeraldas para se dedicar ao restaurante — desenvolveu um menu enxuto: apenas 25 pratos, já contando com as sobremesas. No entanto, bem variado: galinha d’Angola, pato, cordeiro, entrecôte, pirarucu e lagostim compõem as criações do chef.

Endereço: Rua 1129, nº 146, Setor Marista.
Funcionamento: Almoço (ter-sex 11h30-15 horas; sábado e domingo 12 horas-16h30) e jantar (ter-qui 19h30-23h30, sexta e sábado 20 horas-00h30).
Telefone: (62) 3092-5177
$$$

Winiká


Charmoso, intimista e gostoso. Não tem como definir o Winiká de outra maneira. Um ano de casa e o restaurante parece continuar se reinventando. A cozinha, contemporânea, claro, surpreende com pratos que privilegiam ingredientes e temperos brasileiros (o próprio nome do espaço é indígena).

O Winiká avisa que o cardápio é sazonal, sofrendo alterações constantes, justamente porque faz questão de utilizar o que há de mais fresco da estação. Na parte fixa do menu, pratos com cortes de carne, galinha caipira e pato, peixes de rio, como o pirarucu ou o surubim, e massas artesanais. Peça o “peixe do dia”. Quem gosta de beber uns “gorós” deve experimentar as caipirinhas da casa.

Outro ponto que merece atenção é a tecnologia da cozinha do Winiká — que poucos restaurantes têm. Lá, trabalha-se com cozimento a baixa temperatura e uma técnica que é a nova tendência mundial: a sous vide — que é cozinhar “sob vácuo”, em sacolas plásticas seladas a vácuo em baixas temperaturas por um tempo maior que o tradicional. O objetivo da técnica é manter a integridade do alimento, evitando a perda de umidade e sabor.

Endereço: Av. T-13, n. 711, Lj 1, Ed. Santorini, Setor Bueno
Funcionamento: Almoço (ter-sex 12 horas-15h30); sábado e domingo (12 horas-17 horas) e jantar (ter-qui 19h30-meia noite, sexta e sábado 19h30-1 hora).
Telefone: (62) 4018-4680
$$$

Panela Mágica


O Panela Mágica é outro restaurante que dispensa apresentações: são quase 40 anos servindo um dos almoços mais cobiçados de Goiânia. Comandado pelos restauranteurs Caio e Alexandre Jardim, pai e filho mantêm a qualidade e reinventam o espaço — que recém abriu uma unidade nas proximidades do Jornal Opção, no Setor Marista. Figura na lista por se manter badalado mesmo após tantos anos de história, sem perder a juventude.

Ambas unidades, da Av. 137 e da Rua 13, têm ambiente aconchegante, simples e modesto — nada suntuoso, apenas tranquilidade. Os legumes são todos orgânicos e a cozinha privilegia a culinária saudável. O bufê é livre e conta com diferentes carnes todos os dias. O preço não é nada amigável, mas vale (muito) a pena.

Endereço: Rua 137, nº 120 e Rua 13, nº 773, ambos no Setor Marista
Funcionamento: Segunda a sexta, das 12 às 15 horas; sábados e domingo, 12 às 16 horas
Telefone: (62) 3945-4138 e (62) 3223-6604
$$$

Moony


Metade Montreal, medade Nova York. É assim que o Moony surgiu, como uma mistura entre as duas cidades cosmopolitas do hemisfério norte. E assim é o ambiente do restaurante: cosmopolita, moderno e descolado — impossível não pensar nos famosos galpões estadunidenses.

No quesito menu, as opções não são tantas, mas a comida é justa. De fato, a gastronomia não é nada de excepcional — principalmente se levado em conta os valores dos pratos –, mas os drinks… Ah! Os drinks são divinos. Quem gosta de um Clericot tradicional ou um famoso Aperol Spritz deve ir ao Moony. Dá para pedir a jarra e aproveitar com os amigos. Ou sozinho mesmo.

Endereço: Alameda Ricardo Paranhos, n. 928, Setor Marista
Funcionamento: Segunda, das 11h30 às 15 horas; terça a sexta, das 11h30 a 1 hora; sábado, das 12 às 2 horas; e domingo do meio-dia à 1 hora
Telefone: (62) 3624-9329
$$$

Los Compadres

Jantar no Los Compadres é muito mais que apenas um jantar. A Kombi no telhado avisa que as coisas ali dentro não são nada discretas. O ambiente, cheio de flores, cores fortes e decorativos típicos do México, é um show à parte. No entanto, o show mesmo acontece no palco do Los Compadres. À noite, o restaurante se transforma numa espécie de pub, e sedia apresentações de dança divertidas — que contam, inclusive com participação do público.

A música alta e a animação dos dançarinos não atrapalham em nada a saborear as delícias da casa. Com um cardápio extenso — destaque para os drinks –, é possível comer (bem) desde saladas até uma paella caprichada. O preço não é o mais camarada, mas vale cada “dilmeta” investida.

Endereço: Rua 139, n. 54, Setor Marista
Funcionamento: Almoço (aos sábados: 11h30-15 horas) e jantar (terça a domingo: 20 às 2 horas)
Telefone: (62) 9328-8800
$$$

Bartolomeu

O Bartolomeu poderia figurar nesta lista por um único motivo: o leitão à pururuca. Assado em fogo a lenha, a iguaria é considerada por muitos o melhor do Brasil. Sem exageros. Mas, não é só isso: a tradicional casa é famosa por outros pratos, como o risoto de cordeiro, as pizzas e o bacalhau. Tudo muito bem preparado, com ingredientes de alta qualidade — o que, inevitavelmente, reflete no valor.

O ambiente é intimista e conta com uma das maiores — senão a maior — adega de vinhos da capital.

Endereço: Rua 22, n. 69, Galeria Pátio 22, Setor Oeste
Funcionamento: Almoço (sábado e domingo: 11 às 16 horas) e jantar (terça, das 18 às 22 horas; quarta, das 19 horas às 22 horas; quinta, das 18 às 23 horas; sexta, das 18 à meia-noite; sábado, das 19 às 23 horas; e domingo, 18 às 21 horas)
Telefone: (62) 3215-4500
$$$

Las Nenas


Você precisa tomar o suco de coco do Las Nenas. Não que deva ir lá apenas para tomar o suco — mesmo porque o cardápio de almoço, além de preço justo, é extremamente gostoso –, mas também porque é um lugar como nenhum outro. Delicado e fofo, o restaurante é também um café e, durante o dia, serve lanches rápidos. À noite, a casa abre para o jantar com massas e risotos.

Como a própria chef, Carolina Borges, diz: “A intenção é cozinhar receitas, urbanas e saudáveis, que se tornaram difíceis de se encontrar”. No entanto, não vá pensando que a simplicidade tem a ver com comida de boteco.

A cozinha se intitula multicultural, com influências brasileira, italiana, espanhola, francesa e portenha. Mas, esqueça rótulos, conheça o lugar e saboreie as massas!

Endereço: Av. 136, n. 20, Setor Marista
Funcionamento: De segunda a quarta-feira: 8 às 18 horas; quinta e sexta: 8 às 23 horas; sábado (somente jantar): 19 às 23 horas
Telefone: (62) 3088-6070
$$

Restaurante Popular


Afetados, requintados e gourmetizados podem parar de ler por aqui. O Restaurante Popular — que não é o Restaurante Cidadão, do Governo de Goiás — não tem absolutamente nada de sofisticação. O espaço é extremamente informal, tanto que você se serve direto das panelas, enquanto a comida está sendo preparada. A chef não tem formação nenhuma: a paixão de Dona Lourdes Salomão Barreto é a cozinha, que comanda há nada mais nada menos que 37 anos.

Localizado no Centro de Goiânia, o restaurante oferece a verdadeira culinária goiana, com muitas opções para o almoço, a preço mais que justo: com vintão você come a vontade e tem direito a melhor sobremesa da cidade: ambrosia caseira. Só quem prova entende.

Não é raro ter que dividir os mesões com gente desconhecida. Mas tudo faz parte da experiência que é comer no Restaurante Popular.

Endereço: Rua 72, Centro
Funcionamento: De segunda a sábado, das 11 às 14 horas
Telefone: (62) 3224-6150
$

Abruzzo


Seguindo a linha de restaurantes simplões — mas não simplórios –, vale destacar o Abruzzo. Escolha quase unânime, o italiano chama atenção pela qualidade das massas — que são caseiras — e pelo preço justo. Destaque para o molho de tomate — que é feito com tomates frescos mesmo, nada industrializado.

Como é um local pequeno e já não é tão desconhecido assim, pode demorar um pouco mais que o usual, mas a cordialidade dos atendentes e a qualidade dos pratos compensam. Vá para comer massas. E vá com fome porque os pratos são muito bem servidos.

Endereço: 5ª Avenida, n. 397, Vila Nova
Funcionamento: Almoço (segunda a sexta: 11-14 horas) e jantar (terça a sábado: 18h30-23 horas)
Telefone: (62) 3565-1744
$

Tio Bákinas


Claro que, em se tratando de Goiânia, não poderíamos deixar de elencar um tradicional pit-dog. O Tio Bákinas foi escolhido como o grande sanduba da cidade. O hambúrguer caseiro, os molhos especiais e o preço camarada fazem do local um “must” para quem quer saborear a capital do Cerrado. São várias unidades pela cidade e, como todo pit-dog, não têm nada de requintado. Apenas comida de qualidade — mas para quem não está de dieta.

Endereço: São 9 unidades em Goiânia e uma em Anápolis
Funcionamento: todos os dias, das 18 à meia-noite
$