23 de junho de 2015

Aparecida de Goiânia é a melhor cidade goiana em gestão fiscal


Município fica em 21° no ranking nacional

O Índice de Gestão Fiscal da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (IFGF) aponta Aparecida de Goiânia (GO) como o município mais bem administrado no Estado de Goiás e o 21° em todo o país. Com dados oficiais de 2013 – últimos disponíveis – a terceira edição do IFGF avaliou a situação fiscal de 5,2 mil municípios brasileiros onde vivem 96,5% da população. Apenas as cidades que não apresentaram as informações ou estavam com dados inconsistentes não foram avaliadas.

“Em todas edições divulgadas pela Firjan, Aparecida despontou. Esta é a melhor posição alcançada pelo município desde que o estudo começou a ser realizado em 2006. Com o apoio e a confiança do prefeito Maguito Vilela na equipe responsável pela gestão fiscal parabenizamos cada cidadão aparecidense e ao mesmo tempo cada membro da administração municipal”, ressaltou o secretário municipal da Fazenda, Carlos Eduardo de Paula Rodrigues.

O objetivo do índice é avaliar a qualidade da gestão fiscal dos municípios brasileiros e fornecer informações que auxiliem os gestores públicos na decisão de alocação dos recursos. O índice varia de 0 a 1, sendo que, quanto maior a pontuação, melhor a situação fiscal do município. Cada um deles é classificado com conceitos que vão de A (Gestão de Excelência, com resultados superiores a 0,8 ponto) a D (Gestão Crítica, inferiores a 0,4 ponto).

O estudo é composto por cinco indicadores: Receita Própria, que mede a dependência dos municípios em relação às transferências dos estados e da União; Gastos com Pessoal, que mostra quanto os municípios gastam com pagamento de pessoal, em relação ao total da receita corrente líquida; Investimentos, que acompanha o total de investimentos em relação à receita corrente líquida; Liquidez, que verifica se as prefeituras estão deixando em caixa recursos suficientes para honrar suas obrigações de curto prazo e Custo da Dívida, correspondente às despesas de juros e amortizações em relação ao total das receitas líquidas reais.

Aparecida ficou acima da média dos municípios goianos em todos os quesitos alcançando um índice de 0,7934. “O município conseguiu a nota máxima nos quesitos ‘investimentos’ e ‘liquidez’, isso demonstra que a atual gestão tem condições de honrar seus compromissos e assumir novos financiamentos, se achar necessário”, afirmou o secretário. Além dos ótimos índices alcançados, Aparecida figura à frente de todas as capitais brasileiras, com exceção da cidade do Rio de Janeiro (RJ).

Fonte: Jornal  A Redação