9 de maio de 2015

Novo Aeroporto: Novos acessos ainda em estudo


Infraero negocia com concessionária da BR-060 e Prefeitura como usuários vão chegar ao aeroporto

A previsão para o término da reforma e a ampliação do Aeroporto de Goiânia para novembro próximo não forçou apenas a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) a se mexer, já que a expectativa inicial era de que a obra terminasse em abril de 2016. Com a mudança de data, houve a necessidade de correr também com o planejamento para os novos acessos ao local, já que o terminal ampliado é oposto ao atual. Está definido, no entanto, que serão dois acessos: um pela BR-060 e outro na Avenida Vera Cruz, no Setor Jardim Guanabara.

Os estudos para a definição das áreas começaram em novembro do ano passado, assim que o acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) para a liberação da obra foi divulgado. A Infraero foi responsável por iniciar as conversas que envolveram a Prefeitura de Goiânia, o governo federal e a concessionária da BR-060, a empresa Triunfo Concebra. No entanto, ainda não há garantias de que os acessos estejam prontos até novembro deste ano, juntamente com o novo terminal e as novas pistas do Aeroporto de Goiânia.

Segundo a Triunfo Concebra, o viaduto de acesso ao Aeroporto será construído entre os trevos de acesso ao Residencial Aldeia do Vale e Setor Jardim Guanabara e trecho de acesso à Agetop. A reportagem do POPULAR apurou que a localização exata já está definida e será em frente à sede da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), logo após a Centrais de Abastecimento do Estado de Goiás (Ceasa).

Na próxima terça-feira, o ministro do Transporte, Antônio Carlos Rodrigues, virá a Goiânia para verificar os locais da obra, além de visitar todos os trechos das BRs 060 e 153 que receberão obras da Triunfo Concebra antes da mudança de rota da rodovia. O acordo foi finalizado na última terça-feira, em uma reunião em Brasília. A localização do viaduto de acesso ao aeroporto é a única que está definida, mas há previsão de outros quatro viadutos no trecho urbano das rodovias.

A expectativa da empresa concessionária é que a obra comece no segundo semestre deste ano com previsão de entrega até 30 de dezembro. Porém, o projeto ainda está sob análise da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Na reunião desta semana, o prazo para finalização até novembro próximo foi reforçado pelo ministro do Transporte.

O outro acesso ao Aeroporto, no Jardim Guanabara, será diametralmente oposto à entrada pela BR-060. O planejamento foi feito para diminuir o congestionamento de veículos particulares na entrada do aeroporto. Além disso, esta entrada seria mais próxima ao novo terminal e, portanto, mais apropriada para taxistas e pontos de embarque de transporte coletivo.

Em um mês, limpeza de área e drenagem

Um mês após a retomada das obras de infraestrutura do Aeroporto de Goiânia, iniciada em 6 de abril, o Consórcio Odebrecht/Via Engenharia realizou a limpeza das áreas que receberão as pistas, além do novo pátio das aeronaves. O terminal, que já tinha estrutura física, recebe trabalhos de acabamento, incluindo parte elétrica, cobertura e os acessos. A previsão é que tudo fique pronto em novembro.

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), responsável pela obra, o novo terminal finalizou o mês de abril com 93,6% da obra pronta. Antes da retomada o índice chegava a quase 90%. Falta finalizar as fundações e instalações das pontes de embarque; a conclusão do tanque do sistema de ar condicionado, água potável e de reuso; além da instalação e testes dos sistemas eletrônicos, elétricos, mecânicos e dos equipamentos.

Em relação às pistas, trata-se do início da obra. Para isso, o Consórcio realizou a construção do canteiro de obras no local com a presença de usinas de asfalto e concreto, o que viabiliza o cronograma. É necessário fazer o sistema viário de acesso ao novo terminal junto ao novo estacionamento de veículos, além das pistas de taxiamento e de pousos e decolagens, com o pátio das aeronaves. A estrutura ainda vai receber o sistema de drenagem e as ligações de água, esgoto e energia.

As obras foram retomadas após acordo entre Infraero, Consórcio e Tribunal de Contas da União (TCU), órgão que embargou a continuidade da reforma e ampliação em 2010. O TCU continua a analisar as questões relativas ao superfaturamento, sobrepreço e erros no projeto que causaram o embargo

Fonte: Jornal O Popular