1 de março de 2015

R$ 1.031: Renda do goiano é a menor do Centro-Oeste e está abaixo da média brasileira, revela IBGE


De acordo com estimativa da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, trabalhador de Goiás recebe R$ 1.031, metade do que ganham os brasilienses

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (26/2) a compilação dos resultados de 2014 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, que elenca as estimativas de rendimento nominal domiciliar per capita de todas as 27 unidades da federação. De acordo com o documento, o goiano recebe, em média, R$ 1.031.

O valor é o mais baixo do Centro-Oeste e também está aquém da média nacional, que é de R$ R$ 1.052 (veja tabela completa abaixo). O vizinho Distrito Federal lidera o ranking, com o maior rendimento: R$ 2.055 — quase o dobro do que a média aferida em Goiás.

São Paulo se encontra na 2ª posição, com uma renda média de R$ 1.432, seguido pelos três Estados do Sul: Rio Grande do Sul, com R$ 1.318; Santa Catarina, com R$ 1.245, e o Paraná, com R$ 1.210.

Na outra ponta, com os piores índices de rendimento nominal domiciliar, estão três Estados do Nordeste. A menor renda por pessoa foi registrada no Maranhão, apenas R$ 461, seguido pelo Alagoas, com R$ 604, e o Ceará, com R$ 616.

Chama atenção o fato de que todos os Estados do Norte e Nordeste têm rendimento nominal familiar per capita abaixo dos R$ 1 mil.

Dados

As informações divulgadas pelo IBGE serão encaminhadas ao Tribunal de Contas da União e as estimativas de rendimento domiciliar per capita servirão de base para o rateio do Fundo de Participação dos Estados (FPE), conforme definido pela Lei Complementar 143, de julho de 2013.

A Pnad Contínua é uma pesquisa domiciliar que, a cada trimestre, busca informações socioeconômicas em mais de 200 mil domicílios, distribuídos em cerca de 3,5 mil cidades. Os rendimentos domiciliares são o resultado da soma dos rendimentos, do trabalho e de outras fontes, recebidos por morador no mês de referência da entrevista, considerando todos os moradores do domicílio.

O rendimento domiciliar per capita é calculado com base no total dos rendimentos domiciliares e o número de moradores, para cada unidade da Federação e o Brasil, considerando sempre os valores expandidos pelo peso anual da pesquisa.

Confira:


Foto e Fonte: Fernando Leite / Jornal Opção