2 de fevereiro de 2015

Prefeitura vai triplicar pontos de iluminação da Praça Cívica


Conjunto de obras propostas pelo prefeito Paulo Garcia atende também melhoras na iluminação da Praça Pedro Ludovico Teixeira. Projeto visa unir respeito ao desenho romântico do art déco e também a melhora nos aspectos de segurança do local

Da redação, com assessoria da prefeitura de goiânia

Esqueça a Praça Cívica escura e sem iluminação no Centro da Capital.  Quase sempre um risco e uma ameaça para quem se aventurava a cruzá-la à noite, ela será diferente após a execução da  completa modelagem que foi idealizada pelo prefeito Paulo Garcia, responsável por tirar do papel um projeto do governo de Goiás – cuja sede é o Palácio das Esmeraldas, cravado no local.

A nova Praça Cívica ou Praça Pedro Ludovico Teixeira terá uma combinação de propostas: além do projeto arquitetônico de requalificação, ela oferecerá a restauração da iluminação existente e a implantação de 228 novos postes de luz com fiação embutida e lâmpadas econômicas.

O investimento em iluminação pode ajudar inclusive nos aspectos que  mais preocupam hoje a Capital, a segurança pública. Considerada uma das cidades mais violentas do Brasil, Goiânia tem má iluminação. Os aspectos urbanísticos do município podem interferir na segurança, sugerem pesquisas realizadas na UnB e Universidade Federal de Goiás (UFG). Daí que o investimento pode mirar na beleza e acertar também na garantia física dos moradores que circulam pela praça – referência de shows e espetáculos da cidade.

Conforme a prefeitura, o intuito é adequar o espaço para  utilização pública. Por isso, o projeto luminotécnico vai procurar estudar todo o desenho da praça, tendo em mente economia e praticidade.

Os níveis corretos de luminosidade  devem manter as características do traço romântico da arquitetura adotada por Pedro Ludovico quando encomendou sua construção.

O prefeito Paulo Garcia informa que as modificações obedecerão ao estilo arquitetônico art déco, que inspirou o projeto original da praça.  Assim, a requalificação vai valorizar o modelo pensado por Atílio Corrêa Lima.

O arquiteto que projetou os primeiros prédios da Capital na década de 1930 teve como insipração as cidades-jardins americanas, que foram mimetizadas dos padrões elaborados em Washington e Vearsailles.

A Prefeitura de Goiânia informa também que outras atrações da praça serão as fontes secas, com bicos de jatos de água fixos no chão com pressão para até cinco metros de altura evitando o espelho d’água. Elas terão também projetores de luz e um sistema que evita o desperdício.

Fonte: DM