22 de fevereiro de 2015

Plano de Manejo na Chapada dos Veadeiros vira alvo de protestos de ambientalistas


ONG acusa bancada ruralista e empresas de engenharia de tentarem desenvolver projetos em área de preservação ambiental

A Organização Não Governamental (ONG) Mais Cerrado realiza, neste domingo (22), às 17h30, um Piquenique no Jardim Botânico de Brasília uma manifestação contra o Plano de Manejo da Área de Preservação Ambiental (APA) do Pouso Alto – documento técnico que estabelece o zoneamento e normas de uso da Chapada dos Veadeiros, assim como a utilização de seus recursos naturais.

O APA Pouso Alto abrange os municípios de Alto Paraíso, Nova Roma, Cavalcante, Teresina, São João da Aliança e Colinas do Sul e prevê a regulação da pulverização da aérea com agrotóxicos, estabelecimento de mineração e hidrelétricas em rios que abastecem a bacia do rio Tocantins, uma das principais bacias hidrográficas do País que abastece a bacia amazônica.

A votação do projeto deve ser realizada no dia 25 de fevereiro, no município de Colinas de Sul, às 9 horas. E segundo a ONG, a proposta foi projetada por empresas de engenharia contratadas pelo governo estadual, com apoio da bancada ruralista goiana, e não prioriza a preservação do bioma Cerrado podendo trazê-lo à extinção.

Para a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o Plano de Manejo tem como objetivo fomentar o desenvolvimento sustentável e a preservar a flora, fauna, geologia, mananciais e o paisagismo da região.

A Chapada dos Veadeiros foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em 2001, sendo a região brasileira com maior área de Cerrado preservado e abriga diversas comunidades quilombos, como os Kalungas.

Fonte: Jornal O Hoje