30 de janeiro de 2015

Primeira etapa do Parque Macambira será entregue em junho, diz prefeitura






Parte da manhã do prefeito Paulo Garcia, nesta quinta-feira (29/1), foi dedicada a mostrar o desenvolvimento recente de obras do projeto Macambira-Anicuns. Paulo passou a manhã fazendo vistoria em obras, acompanhado por jornalistas e por sua equipe.

O projeto, dividido em 11 fases, é visto pelo prefeito como uma obra de requalificação urbana "para a eternidade". Quando concluído, o Macambira-Anicuns atravessará 141 bairros de Goiânia. Devido à grandiosidade, apenas as três primeiras fases do projeto serão entregues na gestão atual. "É uma obra de muitos mandatos", explica Paulo.

O projeto surgiu da necessidade de solucionar problemas resultantes da ocupação desordenada ao longo do Córrego Macambira e do Ribeirão Anicuns. Caso seja concluída, se tornará o maior parque linear da América Latina e um dos maiores do mundo, com 24 km de extensão.

Os atrasos, segundo Paulo Garcia, se devem à desistência da primeira empresa que ganhou a licitação para realizar o projeto. Depois que uma nova licitação foi aberta, os trabalhos foram retomados em outubro do ano passado.

Apesar de assumir que a conclusão do Macambira-Anicuns não se dará em seu mandato, Paulo Garcia afirma que já quer licitar todas as outras oito partes restantes. "Quem vier depois de mim já pega tudo pronto, aí é só dar a ordem de serviço", ressaltou.

Etapas
O primeiro dos locais visitados nesta manhã foi a Etapa 1 do projeto, que vai se tornar o Parque Ambiental Macambira (PAM). Com Área de Preservação Permanente original da Fazenda Macambira, a data de entrega do PAM é junho deste ano. "Daqui a seis meses fica pronto", ressaltou o coordenador do projeto, Nelcivone Melo. A data também marca a entrega das etapas 2 e 3.

Com a cerca em volta da reserva já construída, o local irá receber parquinho infantil, ciclovias, área para exercícios, pequenas praças e, ainda um conjunto arquitetônico com sanitários, administração e blocos de portaria.

Segundo Nelcivone, o PAM ainda receberá um "núcleo socioambiental", que terá, dentre outros, um auditório. O prédio, no entanto, conta apenas com uma estrutura de vigas atualmente.

A parte 2 do projeto abrange três bairos de Goiânia e corresponde a 1,14 km de um total de 24 km de extensão. O local irá receber um Paque de Vizinhança. Além da instalação de equipamentos de recriação, áreas de convivênsia e academia, a etapa também inclui a execução da travessia da Avenida Domiciano Peixoto. A estrutura será reconstruída para suportar as necessidades de tráfego da região.

Ainda neste trecho, uma obra de gabião será realizada para evitar a erosão. "Aquela parte toda será remanejada", explicou Paulo Garcia, apontando para as margens do córrego, onde famílias se instalaram. "Olha o quão perto da margem eles estão. Agora acabou, não vai ter mais", sublinhou.

Ainda segundo o prefeito, o volume destinado a desapropriações e desocupações para o Projeto Macambira-Anicuns é de US$ 10 milhões. "Grande parte já foi desapropriada. No caso das construções irregulares, nós indenizamos os moradores", explicou. No total 76 famílias foram indenizadas para a realização das obras.

A terceira etapa do projeto inclui três bairros da capital - Celina Park, Residencial Granville, Setor Novo Horizonte e Vilage Veneza. Para o local, estão previstas a execução de Núcleos de Estar, parquinho e academia. Ainda no setor, será concluída a travessia da Avenida Trieste, ligando os setores Granville e Novo Horizonte, além da ampliação da travessia da Avenida Milão.

Financiamento
Devido à parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid), o financiamento da obra é feito em dólares. "Por isso nós queremos gastar tudo de uma vez, senão ficamos à mercê da flutuação do dólar", ressaltou Paulo.

Apesar de serem três, as primeiras etapas do projeto correspondem a 25% de sua totalidade. "São mais de 6 km de obras ao longo do parque linear. Entregar 25% dele é um esforço fenomenal", ressaltou o prefeito.

Questionado sobre a disponibilidade de recursos para a finalização da obra, Paulo Garcia afirmou que não há riscos de que a obra pare por falta de dinheiro. "Essas obras são obras com recursos já garantidos", sublinhou.

O prefeito ainda ressaltou o financiamento internacional, realizado pelo Bid. "A grande parceira que o Bid tem, no mundo, com uma cidade, é essa aqui em Goiânia", finalizou.

Fonte: A Redação