3 de janeiro de 2015

Obras simultâneas vão causar grande impacto no trânsito de Goiânia em 2015


Estão previstas grandes obras do Estado e da Prefeitura para o transporte público e trânsito da capital em 2015. O problema: muitas delas serão executadas simultaneamente nas principais avenidas da capital. O governo estadual começará até abril a obra do VLT no Eixo Anhanguera. Ela será feita por etapas, mas exigirá mudanças no trânsito da Avenida Anhanguera.

Já a Prefeitura iniciará em janeiro a implantação do corredor preferencial da Avenida T-7, com nova pavimentação, e em seguida também na Avenida 85 ou Independência. São obras que vão demandar 12 meses de execução. Outros quatro corredores também estão previstos para terem início no próximo ano.

Além disso, a Prefeitura pretende começar no primeiro semestre de 2015 a obra do BRT Norte Sul, com impacto da Avenida Rio Verde (divisa com Aparecida) até a Goiás Norte, passando pela Avenida 90. Por conta do grande impacto que estas obras vão causar no trânsito, em janeiro haverá reunião entre CMTC, SMT, Semob, Comurg, Metrobus e empresas envolvidas para definir um planejamento que reduza os transtornos.

Mudar projeto

A pedido do governo estadual, o projeto executivo do VLT (trem sobre trilhos) na Avenida Anhanguera deverá passar por mudanças antes das obras começarem no próximo ano.

Por baixo

A ideia é reduzir as intervenções na Avenida Anhanguera, principalmente com a substituição dos elevados previstos nos principais cruzamentos por passagens subterrâneas.

Nova avenida

A ordem de serviço para a obra do corredor da Avenida T-7 será assinada em janeiro pela Prefeitura. Além de repavimentar 10 quilômetros da via, 21 quilômetros de calçadas serão reformadas.

Fonte: O Giro/O Popular

BRT Norte-Sul: Concorrência para fevereiro

Depois de suspensão por tempo indeterminado, a prefeitura de Goiânia marcou para o dia 2 de fevereiro, à 9h30, a abertura de propostas da concorrência pública para contratação de empresa que atuará na construção do corredor BRT Norte-Sul.

A empresa a ser escolhida será responsável por "trabalhos de supervisão e fiscalização das obras e serviços de engenharia" necessários para a implantação. A verificação também será feita pela própria Controladoria-Geral do Município.

Fonte: O Hoje