12 de janeiro de 2015

Obras do VLT dependem de licença ambiental para iniciar


O presidente do grupo executivo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), Carlos Maranhão, informou que ainda é necessário conseguir a licença de instalação e a ambiental da Prefeitura de Goiânia para dar início às obras do VLT. Se os processos burocráticos não forem emperrados, a expectativa é de que a ordem de início das obras seja dada até o mês de abril.

- “Estamos trabalhando para que o governo possa dar a ordem de serviço para iniciar o VLT. Para isso, são necessárias algumas condições prévias, como conseguir a licença de instalação e ambiental. O processo já está todo montado na Prefeitura, todas as informações já foram passadas”, explicou.

Em entrevista à Rádio CBN Goiânia, nesta sexta-feira (9), Carlos Maranhão também comentou sobre outras dificuldades.

- “É preciso que a gente termine de equacionar a questão financeira, estamos fazendo neste momento o trabalho de desapropriações”.

Ao todo, serão desapropriadas 187 imóveis ao longo da Avenida Anhanguera. Destes, de acordo com o presidente, 45 já aceitaram o acordo oferecido pelo Estado de Goiás e já desocuparam a área. Além disso, conforme Maranhão, as obras para implantação do Veículo Leve devem durar cerca de dois anos.

“Está tudo caminhando para que tenhamos tudo livre a partir do final de março para podermos dar a ordem de serviço em abril. Isso feito, teremos dois anos de obra. O cronograma do projeto é rígido e está fixado em dois anos. Começou, em dois anos, tem que terminar”, completou.

Audiência Pública

Carlos Maranhão destacou que em até 20 dias será realizada uma audiência pública para discutir sobre o impacto que o VLT causará na vizinhança.

Fonte: Diário de Goiás