26 de dezembro de 2014

Trânsito confunde motoristas


Especialistas apontam pelo menos 42 locais de Goiânia em que condutores burlam sinalização e falta de clareza pode ser motivo

As complicações do trânsito de Goiânia são piores em pelo menos 42 pontos da cidade em que os condutores quase nunca fazem aquilo que deveriam fazer. Enquanto é permitido seguir livre pela Avenida Assis Chateaubriand, no Setor Oeste, muitos param no semáforo com a Avenida T-7, por exemplo. Motoristas e especialistas apontam que a confusão se dá pela sinalização feita pela Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT), mas esta diz que na maioria dos pontos o erro é a desatenção dos condutores.

Um projeto de pesquisa elaborado pelo professor do Instituto Federal Goiano (IFG) e especialista em trânsito Marcos Rothen neste semestre pontua diversos pontos confusos da cidade. Baseado em fotos, Rothen analisou quais os erros ocorrem em virtude destes problemas com a sinalização. A reportagem do POPULAR passou por todos os pontos verificando a sinalização e mostrou os mesmos para a SMT (veja quadro). O diretor de Projetos do órgão, Sérgio Bittencourt não descarta que alguns pontos podem ser reanalisados, mas contesta ocorrer confusão.

Rothen afirma que há erros da SMT, pois a sinalização deveria ser clara para todos os motoristas. Os principais problemas são em relação à sinalização horizontal que faz parte do conjunto de informações que o motorista deve entender ao dirigir. Como a maioria se atém ao que é colocado na vertical, como as placas e os semáforos, muitas informações deixam de ser lidas. “A situação é que não podemos dizer se o motorista está errado se ele não sabe o que está fazendo. Primeiro tem de ocorrer a organização do trânsito, depois a sinalização e só então a fiscalização.”

No exemplo da Avenida Assis Chateaubriand, há três placas, de fundo branco e caracteres pretos, seguidas em uma mesma quadra indicando que o motorista pode seguir pela avenida sem parar no semáforo. Todas elas estão escondidas por árvores e postes. Há sinalização horizontal com seta para a direita e escrito “livre”, mas é comum que carros parem naquela faixa, esperando o sinal abrir. Alguns param ali até para ir sentido Avenida T-7.

CÓDIGO

Segundo Bittencourt, o motorista tem de saber que não pode ficar na faixa da direita quando vai para a esquerda ou para o centro. “Isso consta no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e o motorista faz prova sobre isso para tirar a Carteira Nacional de Habilitação.” A questão está em quem não saberia qual faixa pegar por não saber onde ir. Por exemplo, o motorista de fora da capital poderia receber a informação que a Avenida T-7 era continuação da Assis Chateaubriand e, por isso, se manteria à direita.

Fonte: Jornal O Popular