13 de dezembro de 2014

Goiânia: 56% dos beneficiados do Bolsa Família podem perder benefício


Cerca de 56% das 30 mil famílias que recebem o Bolsa Família em Goiânia ainda não compareceram nas unidades de saúde da capital, como exige a legislação semestralmente. Normalmente, o índice de ausência fica em torno de 15%. Nesta época, normalmente, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), já costumava ter passado pelos postos 70% das famílias cadastradas. O acompanhamento é obrigatório para os participantes do programa federal. As famílias que não comparecerem correm o risco de perder o auxílio financeiro.

“Normalmente, a maioria deixa, mesmo, para a última hora, mas é preocupante que esse porcentual tão abaixo da média, para esse período, tenha procurado as nossas unidades. Nossa expectativa é de 85% de adesão até o fim de dezembro, e ainda estamos bem longe desse índice”, afirma a coordenadora do Bolsa Família na SMS, Ludmilla Porto, sem arriscar qualquer tipo de palpite para essa ausência inesperada dos beneficiários do programa.

Informações importantes

A data limite, para o acompanhamento semestral, é 29 deste mês. Até lá, quem recebe o auxílio do governo federal deve comparecer a um posto de saúde, Centro de Atendimento Integral à Saúde (Cais) ou Centro Integrado de Assistência Médico Sanitária (Ciams) de Goiânia, para garantir o benefício. “O nosso objetivo é que todas essas pessoas sejam realmente assistidas, a cada seis meses”, explica Ludmilla.

Devem marcar presença nas unidades de saúde o titular, munido do cartão; as crianças de até 7 anos, com a apresentação do cartão de vacinas; meninas a partir de 14 anos e mulheres até 44 anos; e gestantes, com o cartão da gestante. Todos passarão por avaliação médica e terão os exames, vacinas e cartões atualizados, bem como receberão orientações para encaminhamentos, caso seja necessário.

“Se uma família possui representantes de todas essas categorias, todas as pessoas devem comparecer para o acompanhamento; não basta apenas a criança ou a gestante”, frisa a coordenadora do Bolsa Família na SMS. “É importante ressaltar que a criança que não estiver com o cartão de vacina em dia, não vai ter o benefício bloqueado, vamos apenas atualizá-lo. Aquelas que, depois de pesadas e medidas, estiverem desnutridas, por sua vez, serão encaminhadas para assistência. Da mesma forma, garantiremos o pré-natal para as gestantes”, completa.

Fonte: Jornal O Popular (Patrícia Drummond)