1 de novembro de 2014

Lago das Rosas: Lixo acumulado em parque


Resíduos foram recolhidos no final da tarde de ontem, mas caminhão permanece em manutenção

Quem trabalha ou visita o Lago das Rosas, no Setor Oeste, em Goiânia, há cerca de três meses tem se deparado com uma montanha de lixo bem ao lado da sede da Rádio Universitária. No local, além de folhas recolhidas do próprio parque, também encontram-se garrafas pet, restos de alimentos, caixas de papelão e até animais mortos. Com o período da chuva chegando, a preocupação é a proliferação de doenças, como a dengue, por exemplo. E o problema deve continuar. Segundo a gerência de Manutenção das Unidades de Conservação, o caminhão que faz a limpeza está em manutenção e não há prazo para voltar à atividade.

Vice-diretor administrativo da rádio e vizinho do problema, Roberto Nunes afirma que a Prefeitura foi notificada oficialmente no dia 21 de outubro e até a tarde de ontem não havia recebido qualquer retorno. “O mau cheiro já está incomodando e pode trazer riscos”. Nunes acrescenta que o material acumulado não é recolhido há cerca de 15 dias. “Antes eles vinham, deixavam o lixo, mas recolhiam logo em seguida. Mas já tem duas semanas que não há coleta e as pessoas da região já estão vindo deixar o lixo delas aqui também. A situação está ficando pior a cada dia”, disse.

Funcionário da rádio, Fernando Leite lembra que, quando o lixo passou a ser depositado no local, eram apenas folhas das árvores. “Mas tem um tempo que todo tipo de lixo é descartado aqui.” Para ele, o principal problema é a dengue. “Tem muito material aqui, como garrafas e copos, que podem se tornar criadouros do mosquito”, explica. Ele acrescenta que esse material também poderia ser reciclado.

Moradora de um residencial próximo ao parque, a aposentada Iolanda de Santanna Alves, de 63 anos, faz caminhada no local todos os dias. Ela confirma que a montanha de lixo vem aumentando. “Há um mês tinha pouca coisa, na maioria folhas. Mas agora está piorando. Tenho medo disso virar rotina e o parque, que é tão bonito, virar depósito de lixo.” A aposentada reclama de outro ponto, próximo à entrada do zoológico, que também tem lixo acumulado. “Quero saber por que isso não é colocado em sacos e levado pelo caminhão?”, questiona.

RESPONSABILIDADE

Apesar da responsabilidade de coleta de lixo ser da Companhia Municipal de Urbanização (Comurg), quando o dejeto está dentro de parques, o dever da limpeza e da manutenção passa a ser da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma). Gerente das Unidades de Conservação da Amma, Wilmar Pires explica que o Parque Lago das Rosas possui característica atípica. “Diferentemente de outros parques, no Lago das Rosas há mais resíduos deixados por visitantes e vendedores ambulantes. Falta um pouco de consciência por parte do visitante. Em um fim de semana chegamos a recolher cem sacos de cem litros de lixo.”

Pires afirma que não há falta de material, como sacos de lixo, mas confirma que o problema se intensificou nas duas últimas semanas porque o caminhão que faz o serviço de coleta está em manutenção. Ele detalha que, antes, a coleta era realizada três vezes por semana, nas segundas, quartas e sextas-feiras. “Hoje (ontem), um caminhão da Comurg esteve no local nos dando suporte para fazer essa retirada emergencial. Entendemos o problema, mas acreditamos que estará solucionado em breve”, afirma. O lixo foi recolhido, mas o problema deve continuar. O gerente não sabe informar a data específica em que o caminhão estará pronto para voltar ao trabalho.

Fonte: Jornal O Popular