3 de novembro de 2014

Empresas não realizaram compra de ônibus novos prevista em contrato


A falta de pagamento por parte do Estado de metade das gratuidades do sistema de transporte coletivo da região metropolitana de Goiânia também comprometeu a aquisição de 300 novos ônibus pelas empresas concessionárias. Pelo cronograma do Pacto pelo Transporte Coletivo, os veículos novos, que substituiriam a frota mais antiga que roda na região, deveriam estar em operação também em outubro. As concessionárias usavam o pagamento das gratuidades como garantia bancária para fazer o financiamento.

Como o dinheiro ainda não saiu, o financiamento não foi efetivado junto às instituições bancárias e nem mesmo há uma estimativa para quando a frota será trocada. Segundo o contrato de concessão firmado em 2008 a segunda troca de frota de responsabilidade das empresas teria de ocorrer no ano passado, o que não aconteceu devido a crise econômico-financeira do sistema. Até então, o único benefício dado às concessionárias foi a desoneração do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do óleo diesel.

Eixo Anhanguera

A Metrobus ainda continua sendo multada pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), por atuar na extensão do Eixo de Trindade e Goianira até Senador Canedo, assim como as outras concessionárias. Isso se dá porque ainda não foi gerada a ordem de serviço para que a extensão do Eixo Anhanguera passe a valer, o que ocorreu também em função do período eleitoral. A CMTC aguardava um parecer do Tribunal Regional Eleitoral liberando o benefício.

Fonte: O Popular