6 de outubro de 2014

Deputados Federais: Renovação de 47% na Câmara


Oito deputados federais eleitos são estreantes. Oposição perdeu um deputado e PSDB foi o que mais cresceu

Quase metade da bancada goiana na Câmara Federal, 47%, foi renovada nesta eleição. Oito dos 17 deputados federais eleitos serão estreantes no Congresso Nacional, inclusive os dois mais bem votados, Delegado Waldir (PSDB) e Daniel Vilela (PMDB)

Esse resultado representa o dobro da renovação ocorrida em 2006, de 23,6%, e é 18% maior que a registrada em 2010, 29,4%.

As urnas trouxeram alguns resultados inesperados: a deputada Íris Araújo (PMDB), que nas ultimas duas ultimas eleições foi campeã de votos - 201 mil em 2006 e 185 mil em 2010, não foi reeleita desta vez. Seus 66 mil votos não foram suficientes para garantir sua permanência na casa parlamentar.

Assim como os quase 75 mil votos do deputado Sandes Junior (PP), que também não saiu vitorioso neste pleito. O radialista obteve 14 mil votos a menos este ano que em 2010. O radialista Jorge Kajuru (PRP), que disputa eleição pela primeira vez, somou mais de 106 mil votos, mas mesmo assim não foi eleito.

OPOSIÇÃO

A oposição sai mais fraca das urnas, perdeu um dos cinco deputados federal. Na eleição passada, o PMDB elegeu Iris Araújo, Leandro Vilela, Pedro Chaves e Thiago Peixoto e o PT elegeu Rubens Otoni; agora, o PT reelegeu Otoni, e a bancada do PMDB ficou limitada apenas a Pedro Chaves e Daniel Vilela. A oposição ganhou o reforço do deputado Lucas Vergílio, do recém-criado Solidariedade (SD), filho do deputado federal Armando Vergílio, candidato a vice-governador na chapa do PMDB, e que na eleição passada compunha a aliança do PSDB.

CRESCIMENTO

O PSDB foi o partido que mais cresceu na Câmara Federal. Passou de três para seis deputados federais, enquanto o DEM, que vem se desidratando em todo o País, perdeu as três vagas que havia conquistado em 2010 para a Câmara Federal. Heuler Cruvinel, que, na eleição passada, era democrata, esse ano foi eleito pelo PSD; o PP também perdeu uma das duas cadeiras que hoje tem na Casa. Os partidos PT, PDT, PTB, PR mantiveram a única vaga conquistada em 2010 e PPS e SD ganharam uma cadeira este ano.

Entre os deputados eleitos, cinco foram secretários de Estado. Giuseppe Vecci, ex-secretário de Planejamento, Célio Silveira, de Esporte, e Alexandre Baldy, de Indústria e Comércio, foram eleitos pelo PSDB; Marcos Abrão, ex-titular da Goiás Industrial, foi eleito pelo PPS e Thiago Peixoto, ex-secretário de Educação que trocou o PMDB, partido pelo qual havia sido eleito deputado federal em 2010, pelo PSD, legenda aliada ao PSDB.

Fonte: Jornal O Popular (Andréia Bahia)