30 de outubro de 2014

Começam estudos para implantação do Eixo Tecnológico Goiânia-Anápolis


O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Gestão e Planejamento, inicia o processo de implantação do Eixo Tecnológico Goiânia-Anápolis, um complexo a ser composto por empresas de alta tecnologia. O contrato com a empresa vencedora da licitação do estudo conceitual, a Módulo BR Arquitetura, Design e Construção, foi assinado na tarde desta quarta-feira, dia 29, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

“Este projeto inovador integra o Plano de Governo Marconi Perillo e transformará de forma pioneira a região entre a capital e Anápolis. É uma proposta arrojada, que vai instaurar um novo modelo de desenvolvimento, mas priorizando a geração de emprego com baixo impacto ambiental, muita tecnologia e qualidade de vida”, afirmou o secretário de Gestão e Planejamento, Leonardo Vilela. Ele acrescentou que o projeto será construído com a participação efetiva dos municípios. respeitando as potencialidades locais e ouvindo a população, porque o objetivo maior é a preservação do patrimônio ambiental da região.

O estudo contemplará um amplo levantamento de dados e informações sobre a área do Eixo, que abrange, além de Goiânia e Anápolis, os municípios de Terezópolis de Goiás, Goianápolis, Nerópolis, Campo Limpo e Ouro Verde. Serão estudadas questões ligadas ao uso e ocupação do solo e diagnóstico socioeconômico e ambiental da região, bem como os aspectos jurídicos e institucionais para a implementação do projeto. Também serão abordadas formas de atrair o interesse de investidores e avaliadas as áreas potenciais para a implantação de condomínios residenciais, que servirão aos trabalhadores dos complexos produtivos.

Segundo o superintendente da Central de Planejamento da Segplan, Bruno Fleury, o projeto vai organizar as capacidades potenciais de cada município, que hoje se encontram isoladas. “Temos concentrado na região o maior Produto Interno Bruto (PIB) do Centro-Oeste. O que propomos com este projeto é aproveitar esse poderio econômico de forma sustentável, gerando novas oportunidades para Goiás de forma inovadora”, diz Fleury, destacando as vantagens socioeconômicas e geográficas para abrigar o Eixo Tecnológico.

Relatórios

A Módulo BR deverá entregar à Segplan os relatórios do estudo em 120 dias, quando terá início a etapa de detalhamento do projeto de implantação do Eixo Tecnológico. O custo do estudo é R$ 149,9 mil. A área de Tecnologia de Informação é uma das prioridades elencadas pelo Governo do Estado visando transformar a região entre Goiânia e Anápolis em um eixo tecnológico de ponta, para atrair indústrias limpas, gerar empregos e transformar a economia goiana, tornando-a estratégica e de referência no País.

Antonio Augusto Rebelo, arquiteto e urbanista diretor da Módulo BR, diz que o estudo se vale de experiências internacionais, que têm como base uma proposta que conjuga produção tecnológica, limpa e sustentável. “Essa região contempla todos os requisitos desse novo modelo de desenvolvimento por ter distância próxima entre as cidades, proximidade com a capital federal, localização geográfica privilegiada do ponto de vista logístico e ambiental. Possui ainda centros produtivos importantes em agronegócio, farmacologia e aeronáutico, além de ser servido de boa base universitária”, descreve Rebelo.

Fonte: Goiás Agora