8 de outubro de 2014

Após reunião, Metrobus estuda ajustes na extensão do Eixo Anhanguera



A Metrobus está promovendo os ajustes nos terminais e linhas de ônibus da extensão do Eixo Anhanguera de Goiânia a Trindade, Goianira e Senador Canedo e informa que, num prazo de 30 dias, o sistema estará funcionando normalmente. O presidente da Metrobus, Marco Antônio Ferreira, reuniu na tarde de ontem os diretores de empresas de ônibus e da estatal para estudar os ajustes na extensão do Eixo, que começou a operar há 19 dias.

No ano que vem, o governo estadual também começa a construir quatro novos terminais, que darão suporte à extensão do Eixo Anhanguera, interligando o Eixão e as linhas alimentadoras (ônibus das empresas privadas concessionárias do sistema). Os terminais de integração serão construídos em Goianira, Trindade, no Bairro Vera Cruz e na Vila Mutirão, proporcionando maior conforto e agilidade às integrações.

“Houve grande aumento da demanda, depois da implantação da extensão do Eixo. Desde então, milhares de usuários passaram a percorrer, a pé, trajetos mais longos para utilizar os veículos do Eixo, que tem tarifa subsidiada pelo Estado”, explica o presidente da Metrobus, Marco Antônio Ferreira. “Estamos fazendo todos os ajustes necessários para que, em 30 dias, o sistema esteja funcionando normalmente”, informa.

Antes da construção e entrega dos terminais, 15 novos ônibus articulados serão integrados à frota. O presidente da Metrobus informa que os veículos já estão sendo adquiridos e montados pelas empresas fornecedoras. Marco Antônio Ferreira também explica que a operação esbarra em terminais pequenos para a demanda atual de passageiros da Grande Goiânia, como é o caso da Praça A.

O presidente da estatal observa que as linhas alimentadoras continuam funcionando normalmente e que as empresas concessionárias também estão fazendo ajustes nos horários e frequências dos trajetos, para melhorar o serviço de integração com o Eixão. “São diversas medidas que estão sendo adotadas para melhorar o fluxo e garantir um deslocamento mais adequado dos passageiros”, frisa.

Segundo Marco Antônio, a tarifa subsidiada explica o aumento da demanda. Ele observa que havia uma demanda reprimida nas regiões por onde a extensão do Eixão começou a passar e que parte dela não foi identificada. “Com a tarifa de R$ 1,40, muitos passageiros que usavam as linhas alimentadoras, ou nem sequer usavam o sistema, passaram a usá-lo, o que provocou sobrecarga”, informa o presidente da estatal.

Reivindicação

A extensão do Eixo Anhanguera de Goiânia a Trindade, Senador Canedo e Goianira era reivindicação antiga dos moradores das cidades do Entorno da Capital e daqueles que se deslocam diariamente entre os municípios, especialmente para trabalhar. O prolongamento foi compromisso assumido e cumprido pelo governador Marconi Perillo (PSDB), na campanha eleitoral de 2010. “Com a implantação, feita após muitos estudos de viabilidade, estamos agora trabalhando para deixar o sistema arredondado”, explica Marco Antônio.

Agentes da Metrobus estão nos terminais de integração para Goianira, Trindade e Senador Canedo para orientar os usuários sobre a implantação do novo serviço. No fim de semana, a Metrobus anunciou mudanças no itinerário dos ônibus que operam para Goianira e Trindade. A partir de hoje eles prosseguirão até a Praça A. Já no turno da tarde, o embarque será realizado somente no Terminal Padre Pelágio.

Atualmente, 25 ônibus circulam nas linhas estendidas entre Goiânia e os três municípios. Segundo o presidente da Metrobus, a necessidade de ajustes no sistema estava prevista no planejamento para a implantação das novas linhas e que, à medida que eventuais estrangulamentos forem surgindo, a estatal fará os ajustes necessários para organizar o fluxo de passageiros em todo o Eixão.

Fonte: DM