25 de setembro de 2014

Goiânia: Começa a estação das flores



Começou às 23h29 desta segunda-feira, dia 22, a estação da primavera, época em que ocorre o florescimento de várias espécies de

plantas, fazendo com que a natureza fique mais bela e a população veja por algum tempo flores coloridas e perfumadas. A função deste florescimento é o início da época de reprodução de muitas espécies de árvores e outras plantas. As temperaturas vão, aos poucos, aumentando e o mesmo ocorre com as águas do mar. Em grande parte dos países do Hemisfério Sul as temperaturas ficam amenas. A estação das flores vai até o dia 21 de dezembro.

Com a chegada da nova estação, há uma mudança no regime de chuvas e temperaturas na maior parte do Brasil. Os dias são mais compridos e a luminosidade é muito maior. Uma de suas principais características  é o retorno da chuva a grande parte do País. Todas estas mudanças climáticas afetam também a vida de todos os seres na Terra. É nesta época que a maioria das espécies procriam. As flores desabrocham, crescem, enfeitam e perfumam.

De forma geral, há mais calor do que o normal e a chuva deve ficar um pouco acima da média em parte do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Norte e o Nordeste podem ter um pouco mais de chuva em outubro, mas como a média normal é muito baixa neste mês, de forma geral pode-se dizer que a primavera será mais seca e bem mais quente do que a normalidade nestas regiões.

Estação de transição

MAT_3465A superintendente de Políticas e Programas da Sectec, Rosidalva Lopes, explica que dentro da climatologia para a Região Centro-Oeste, a estação da primavera é considerada uma estação de transição, ou seja, saída da estação seca para a chuvosa. Nesse período, que vai até 21 de dezembro, a umidade relativa do ar começa a aumentar gradativamente porque ocorrem as primeiras pacadas de chuva.

Após o dia 23, até o final deste mês, existe, segundo Rosidalva, a possibilidade da entrada de nova frente subtropical, trazendo chuva para Goiás e contribuindo para um melhor aumento da umidade relativa do ar. “Sabemos que como a primavera é uma estação de transição, haverá dias em que a umidade do ar estará um pouco mais baixa, com temperaturas altas e algumas entradas de massa de ar frio, o que poderá resultar numa queda de temperatura.

A superintendente explica ainda que Goiás está fazendo um estudo sobre os benefícios e as consequências do El Niño para o Estado. “Ainda não temos um estudo para a nossa região. Mas a gente sabe que esse fenômeno tem às vezes  um período chuvoso e outro seco. Portanto, não sabemos ainda como ele virá. “Em cima de alguns estudos que a gente tem, sabemos que na nossa região as chuvas fortes se centralizam mais no mês de dezembo, trazendo bastante transtorno para nosso Estado”.

El Niño

O meteorologista Luiz Cavalcanti, do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), explica que as chuvas no Brasil só serão frequentes no final deste mês de setembro. Segundo ele, a primavera este ano será acompanhada do fenômeno El Niño – caracterizado pelo aquecimento das águas do Pacífico além do normal e a redução dos ventos alísios na Região Equatorial.

O El Niño vai provocar um volume de chuvas acima do normal, principalmente no Sul e no Sudeste brasileiro. E o efeito contrário, chuvas mal distribuídas e em pouco volume, no Norte e Nordeste. “É natural que as chuvas diminuam neste período no Nordeste. E quando elas acontecem, não significa muita coisa em termos de açude e agricultura. O Nordeste vai conviver ainda com período seco. As chuvas vão se concentrar mesmo no Sul, Sudeste e parte do Centro-Oeste”, explica Cavalcanti.

Porém, em todo o Brasil a água será bem vinda para acabar com os focos de incêndio causados pela seca. Só em agosto, até o dia 26, mais de 34,6 mil incêndios foram registrados no País por satélites do Inmet. “E os números dos bombeiros, que vão aos locais, são ainda maiores”, alerta Cavalcanti. Só em Goiás, do início deste ano até agora, segundo informações do Corpo de Bombeiros, foram registrados 6.544 incêndios urbanos e 2.769 em vegetação. Além de Goiás, os Estados com maiores números de queimadas são Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e o Distrito Federal.

As flores que se destacam na primavera são a rosa, girassol, margaridinha, orquídea, bougainvillea, jasmim, hortênsia, helicônia, alamanda, clívia, gérbera, hibisco, gazânia, jasmim-estrela, lágrima-de-cristo, boca-de-leão, crisântemo, frésia, estefânia, narciso, violeta, dedaleira e dama-da-noite.

Mais informações: (62) 3201-5203

Galeria de Fotos
















Fonte: Goiás Agora Por Cristina Lobo
Fotos: Mantovani Fernandes