23 de setembro de 2014

Etanol em Goiás tem maior queda no Brasil


Promoções fizeram os valores oscilarem no Estado, ressalta presidente do Sindiposto

 preço do etanol hidratado em Goiás apresentou o recuo mais significativo do País durante o mês de setembro, segundo os dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O Estado apresentou uma variação negativa de 5,37%. Por outro lado, o avanço mais expressivo foi verificado na Bahia (10,11%). De acordo com a ANP, no período de um mês, os preços do biocombustível caíram em sete estados, subiram em outros 18 e se mantiveram estáveis em São Paulo e Distrito Federal.

No Brasil, o preço mínimo registrado para o etanol foi de R$ 1,49 o litro, no estado de São Paulo, e o máximo foi de R$ 3,20 o litro, no Acre. Na média, o menor preço foi de R$ 1,87 o litro, em São Paulo. O maior preço médio foi verificado no Acre, de R$ 2,94 o litro.

Já em Goiás, a média do custo do etanol para os consumidores ficou em R$ 2,05, com o menor no patamar de R$ 1,67 e o máximo de R$ 2,49, de acordo com o levantamento da ANP.

Esta semana, o preço mais em conta encontrado pela reportagem de O Hoje nos postos de combustíveis em Goiânia foi de R$ 1,74. Porém, estava mais barato na semana passada afirma o taxista Luiz Carlos Monteiro. “Eu que rodo bastante e abasteço diariamente posso conferir as mudanças bem de perto. Na semana passada, eu abasteci com o litro sendo vendido em R$ 1,67 mesmo e essa semana já subiu”, comenta.

Segundo o taxista, está compensando abastecer com etanol. “Tentei mudar em duas oportunidades para a gasolina, mas não estava rendendo e gastava muito. O álcool, hoje, é a melhor opção no momento. Quando faço as contas no final do mês, a diferença chega a ser de R$ 400”, diz.

Já o funcionário público, Antônio Souza, tem a conta na ponta da língua. “Faço o cálculo sempre. Se o valor do etanol estiver 70% menor que o da gasolina, então é porque está compensando abastecer com o álcool mesmo”, diz.

Guerra entre postos reduziu preço, diz sindicato

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo de Goiás (Sindiposto), José Batista Neto, essa queda expressiva no preço do etanol no Estado se deu por conta de promoções praticadas ao longo do mês de setembro, que fizeram os valores oscilarem.

“Essa transição constatada pela ANP foi por conta de diversas promoções.Tenho visto, especialmente na capital, várias faixas nos postos de combustíveis para atrair os clientes e muitos concorrentes acabam acompanhando, mesmo não podendo, para não perder as vendas”, destaca.

O gerente do posto do Ratinho, Genildo Pires, define com uma guerra essa transição de preços praticada. “Os postos aqui em Goiânia estão fazendo uma guerra de preços. Diversas promoções nos postos, principalmente, naqueles com bandeira branca. Nós aqui mantemos as nossas tarifas e nossos níveis são constantes”, relata o gerente.

Na semana

Goiás também apresentou o maior recuo do País na semana encerrada no sábado (20), segundo a ANP. Na semana anterior, houve queda em nove estados e no Distrito Federal, o preço do etanol subiu em outros 15 e permaneceu estável em Rondônia e no Amapá. O maior avanço das cotações foi registrado no Mato Grosso (5,47%), enquanto o maior recuo ocorreu em Goiás (2,48%). (PN)

Fonte: Jornal O Hoje