25 de setembro de 2014

Eixo Anhanguera: Expansão ainda sem autorização


Linha convencional que liga a capital a Trindade deixou de funcionar

Ainda sem autorização da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), os ônibus articulados que fazem a viagem de Goiânia até o Terminal de Trindade circulam normalmente desde segunda-feira. Para isso, a linha 142 ( que fazia a rota Terminal Padre Pelágio–Terminal Trindade) foi retirada de circulação para dar lugar à expansão do Eixo Anhanguera, feita atualmente somente pela linha 112. Os ônibus saem do Terminal da Praça A, passam pelo Terminal Padre Pelágio e segue por todos os pontos da GO-060, parando no Terminal de Trindade.

Apesar de já saber o teor da justiça eleitoral, a Companhia ainda aguarda a publicação do decisão do juiz Jesus Crisóstomo de Almeida para a anuência. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) considera ilegal a realização de qualquer tipo de publicidade sobre o projeto, mas julga não ser sua competência qualquer manifestação sobre a expansão do Eixo Anhanguera, mesmo a pouco mais de duas semanas das eleições.

Após a publicação da decisão, a CMTC deve encaminhar ofício à Metrobus, empresa que explora o Eixo Anhanguera, solicitando documentação complementar e ajustes no projeto para que seja feita avaliação técnica e, posteriormente, a concessão da anuência à extensão. Um dos pontos que serão levantados pela companhia é a substituição dos ônibus regulares pelos articulados sem as plataformas na GO-060.

No entanto, com a brecha deixada pelo TRE, a Metrobus considerou que a aprovação da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), na terça-feira da semana passada, para a expansão do eixo até Trindade, Goianira e Senador Canedo como anuência. Assim, a expansão do Eixo até Trindade já funciona, com as plataforma de embarque própria e orientação para que usuários usem apenas os ônibus do Eixo no Terminal Padre Pelágio.

Não houve qualquer adaptação nos pontos ou faixas exclusivas na GO-060 para receber os articulados . Usuários sobem e descem pelas portas rebaixadas, localizadas na parte direita e os veículos seguem o fluxo comum da rodovia.

USUÁRIOS RECLAMAM

A auxiliar de limpeza, Leia Ferreira, faz o trajeto Goiânia/ Trindade quase todos os dias e foi surpreendida hoje pelas mudanças no Terminal Padre Pelágio. Costumava usar a linha 142, mas foi orientada por funcionários do terminal a ir para a nova plataforma de embarque. “Falaram que a linha antiga acabou, agora é só o Eixo mesmo”, diz. As placas antigas foram retiradas e cartazes novos orientam o usuário para a nova plataforma,

A funcionária pública Vanusa Paula Santos, de 36 anos, também relata surpesa nas mudanças. Segundo ela, a linha antiga foi retirada e a expansão do Eixo ainda não cumpre o mesmo horário. “Estou usando o Eixo desde segunda e há atraso sempre. Antes passava a cada cinco minutos. Agora fico no mínimo 20 minutos esperando”, diz. Segundo a tabela de fiscalização de linha, os ônibus do Eixo para Trindade passam de 12 em 12 minutos. No período vespertino 16 veículos fazem a rota diariamente.

Eliete dos Santos, de 38 anos, que é costureira, também reclama dos atrasos constantes e problemas de superlotação. Segundo ela, como os ônibus rodam atrasados chegam ao Terminal sempre cheios. “A ideia é muito boa. Acho que ninguém é contra a expansão, mas parece improvisado. Estão atrasando muito. Por enquanto, a linha antiga era mais eficiente.”

A Metrobus informou que os veículos que fazem a linha do Eixo Anhanguera até Trindade possuem a quantidade de lugares dobrada em relação à linha comum. Por dia, cerca de 240 mil pessoas passam pelo Eixo. Com a extensão, para as três cidades, o número deve aumentar em até 30%.

Fonte: Jornal O Popular (Eduardo Pinheiro)