8 de agosto de 2014

Serial Killer: Deusny garante avanços em investigações


Ontem um homem chegou a ser preso, mas delegado diz que não há compravação de ligação do suspeito a mortes de mulheres

Mesmo sem a divulgação de nenhum nome ou dado numérico, o superintendente de Polícia Judiciária da Polícia Civil e coordenador da força-tarefa que investiga a série de assassinatos de jovens mulheres em Goiânia, Deusny Aparecido Filho, afirmou que as investigações dos crimes está avançando. “O resultado sairá na medida em que a investigação progrida. Ainda não temos como concluir se houve a participação de apenas uma pessoa ou mais pessoas nos crimes. Porém, eu afirmo que existem casos bastante avançados e o mais rápido possível iremos expedir os mandados de prisão”, revela o superintendente.

Segundo ele, por causa da complexidade dos casos, não existe prazo ainda definido. “A investigação não tem como ser tratada com data definida. Nós trabalhamos na medida que ela avança. Claro que poderíamos ter um resultado mais breve. Porém, especificamente na investigação de homicídio, que é de altíssima complexidade, não da para firmar um prazo. Não queremos colocar alguém em custódia e, de repente, não existem provas para que essa pessoa seja mantida presa”, declarou ontem o delegado à imprensa.

Preso

Durante uma coletiva na tarde de ontem, Deusny Aparecido Filho, não admitiu, mas também não negou a hipótese de que um homem de 55 anos preso em Centralina, no Triângulo Mineiro, com 50 mil em dinheiro e documentos falsos pode ter envolvimento com algum dos 18 casos investigados pela força-tarefa. “Há mais ou menos dois meses, ele cometeu um sequestro e um triplo homicídio aqui em Goiânia. Ele estava foragido e era objeto de captura da nossa polícia. Até agora, não encontramos nada que ligasse ele as mortes dos casos que estamos investigando. Porém, ele é de altíssima periculosidade, há vários mandados de prisão expedidos. Enquanto se investiga casos como o que estamos investigando não podemos descartar nada”, disse Deusny.

De acordo com a Polícia Civil de Minas Gerais, o homem foi encaminhado para a Delegacia de Investigação Criminal em Goiânia, onde aguarda decisão judicial.

Fonte: Jornal O Hoje